Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
A DOUTRINA DA TRINDADE

A DOUTRINA DA TRINDADE

A doutrina da trindade, conhecida nos recintos religiosos como “santíssima trindade” referindo a Deus Pai, Jesus Cristo e ao Espírito Santo como sendo três deuses em um único espírito, mas essa doutrina não tem fundamento bíblico, porque não há referências na bíblia que a Divindade formada pelo Pai, Filho e Espírito Santo, sejam a mesma ou uma única pessoa.
A palavra trindade não consta no conteúdo bíblico, porem, alguns pregadores criaram “um Deus triúno”, ou seja, três deuses em um só espírito: deus pai, deus filho e deus espírito santo, instituindo uma doutrina de blasfêmia contra o Pai Altíssimo, que tudo criou.
E a falta de discernimento espiritual sobre a Divindade tem gerado doutrinas que confrontam a Palavra, porque existem religiões que creem somente em Deus Jeová como único Criador, mas não reconhecem a Cristo como Filho e Redentor dos nossos pecados, e O consideram apenas um profeta como os demais do Antigo Testamento, negando também a existência do Espírito Santo de Deus.
Outras doutrinas creem somente em Jesus Cristo como Único dominador, ou melhor, aceitam somente a Cristo acoplando as três pessoas (Pai, Filho e Espírito Santo) em si mesmo, negando a plenitude do DEUS PAI, e a interação do Espírito Santo.
Essas doutrinas afrontam as escrituras, porém, não vamos entrar no mérito das seitas de heresia, porque a Palavra alerta que negando o Pai, nega-se também o Filho, e quem não recebe o Filho, não conhece o Pai.
Mas desde o princípio, a Palavra não deixa sombra de dúvida quanto à existência e a plenitude do PAI CRIADOR, e de Cristo, o seu amado FILHO, o qual, na ascensão ao Trono de Glória do Pai, enviou o Espírito Santo de Deus, nosso CONSOLADOR, para que não ficássemos órfãos.
Observação: Quando referimos a Divindade como “pessoa”, evidentemente que não citamos pessoas carnais, mas pessoas como seres espirituais, porque a Palavra afirma que Deus é Espírito, como também, Cristo, tendo habitado entre nós na forma humana, mas morto em sacrifício vivo para remir o homem do pecado, ressuscitou ao terceiro dia, não mais com o corpo desenvolvido no ventre de Maria, mas ressuscitou com um Corpo Glorificado, o qual subiu ao céu, está sentado à destra do Pai, e por nós pecadores intercede.
Vamos comentar sobre as pessoas do Pai e do Filho, posteriormente falaremos sobre o Espírito Santo de Deus.
Pela verdade expressa na Palavra, a essência divina assim está constituída: Deus é o Pai e Criador de tudo, inclusive de Jesus Cristo, porque Ele mesmo disse: Tu és meu Filho, hoje eu te gerei(Salmos 2.7, Hebreus 1:5 e 5.5), e o Espírito Santo é o Espírito do próprio Deus (Gênesis 1.2 – Mateus 3.16).
Observe que no princípio, deu o Senhor origem a vida e sustentação a todas as coisas, no livro de Gênesis 1.26 disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança. Podemos observar claramente que o Senhor Deus não estava só, pois Ele falou no plural e disse a alguém: “Façamos…” Este é o primeiro sinal da existência do Senhor Jesus Cristo desde o princípio, confirmado em I Coríntios 10.1-4, onde diz:
Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos debaixo da nuvem; e todos passaram pelo mar… e beberam todos de uma mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que os seguia; e a Pedra era Cristo.
E em João 17.5 disse o Senhor: E, agora, glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse.
Em I Pedro 1.18-20, a Palavra narra: Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um Cordeiro imaculado e incontaminado, o qual, na verdade, em outro tempo, foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado, nestes últimos tempos, por amor de vós.
A UNIDADE DO ESPÍRITO
E, como está escrito, Jesus Cristo já estava com o Pai antes mesmo da fundação do mundo, mas o que dificulta o entendimento de muitos é a afirmativa do Senhor Jesus ao Pai, quando Ele disse: Eu e o Pai somos um (João 10.30).
É importante observar que, com essa declaração o Senhor Jesus não quis dizer absolutamente que são a mesma ou uma única pessoa, no que vem o entendimento no próprio livro de João, primeiramente no Capítulo 17.11 onde Jesus, em sua oração, intercedia ao Pai pelos seus apóstolos dizendo:
Já não estou no mundo, mas eles continuam no mundo, ao passo que eu vou para junto de ti. Pai santo guarda-os em teu nome, que me deste, para que eles sejam um, assim como nós.
Legitimado em João 17.20- 23, onde Cristo declarou: Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da sua Palavra; a fim de que todos sejam um; como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste.
Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos; eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim.
A Palavra fortalece o entendimento da razão pela qual Cristo disse: Eu e o Pai somos um: São um, em uma só santidade, uma só glória, ou seja é uma referência sobre a Unidade Espiritual. Jesus Cristo é a plenitude de Deus a quem pertence o poder, honra e glória. Para tanto Ele rogou ao Pai por aqueles que haviam de deixar aqui para dar continuidade na pregação do Evangelho, dizendo: Pai, guarda-os em teu nome, que me deste, para que eles sejam um, assim como nós (João 17.18-26).
Efésios 4.3-6, a Palavra detalha sobre a Unidade do Espírito, pelo vínculo da paz: vejamos:
Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos, e em todos.
Vamos conhecer o significado da Unidade do Espírito:
Há um só corpo: Este Corpo é a igreja que Cristo virá arrebatar;
Um só Espírito: É evidente que a referência é sobre o Espírito Santo de Deus;
Uma só esperança: Porque em nenhum outro há salvação; Cristo é a esperança nossa (I Timóteo 1.1; Colossenses 1.27).
Um só Senhor: Este Único Senhor é Cristo, o Filho de Deus;
Uma só fé: Porque Jesus Cristo, é autor e consumador da fé
Um só batismo: Sem sombra de Dúvida é o batismo do Espírito Santo;
Um só Deus: O Pai Criador de todas as coisas.
I Coríntios 8.6, também elucida o texto, vejamos: Para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por Ele. Ratificado em I Timóteo 20.5:Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem.
A realidade bíblica é: Deus é o Pai do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, e disso não se tenha a menor dúvida, certificado em inúmeras referências do Novo Testamento.
Nas escritutas vislumbramos o Pai, o Filho, e o Espírito Santo, manifestados em épocas diferentes. Considere que no Antigo testamento, conhecemos somente Deus Criador, o qual falava aos nossos pais pelos profetas (Hebreus 1.1). No Novo Testamento manifestou o nascimento de Cristo e o seu Reino estabelecido entre nós, o qual sempre reverenciou a Deus como Pai e Supremo Dominador, e a promessa do envio do Espírito Santo para não ficarmos órfãos, até que Ele volte para arrebatar a sua igreja.
Mas na verdade, não exerceram reinados individuais, porque havia sempre Deus Pai Criador falando e operando em épocas diferentes, mas pelo mesmo Espírito Santo, assim: No Velho Testamento o Espírito operava através dos profetas. Depois, o mesmo Espírito através do Filho (Jesus Cristo), e hoje, o mesmo Espírito Santo de Deus está em nós atuando e dando continuidade a obra de Deus.
Portanto o Pai e o Filho não são a mesma pessoa, e o Espírito Santo é o Espírito do próprio Deus. Para tanto, o próprio Senhor Jesus fora ungido pelo Espírito Santo de Deus (Mateus 3.16) para exercer o seu Reinado entre os homens.
Outra sustentação que são seres espirituais individuais, porem sob o domínio do Senhor Deus, vem no Batismo de Jesus Cristo (Mateus 3.16, 17), onde foi manifestado o aspecto configurado da Santidade, ambos, individualmente.
Manifestou-se Jesus Cristo na forma de homem carnal, sendo batizado por João Batista, e ao sair da água, eis que os céus se abriram, e o Espírito Santo de Deus descendo como pomba sobre Ele, e uma voz dos Céus dizendo: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo. Naquele momento Cristo fora ungido pelo Espírito Santo para exercer o seu Reinado e a maior obra já realizada na história da humanidade, porque Deus era com Ele.
Considere que, se o Pai e o Filho fossem a mesma ou uma única pessoa, para quem então, Cristo, dependurado na cruz, na hora da sua maior angustia, exclamou dizendo: Eli, Eli, lemá sabactâni, isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? (Mateus 27.46).
E a quem o Senhor disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu Espírito (Lucas 23.46). Porventura seria um monólogo, ou estaria o Senhor falando consigo mesmo? Se essas Palavras não são verdadeiras, não teríamos nenhuma razão para crer e anunciar o Evangelho de Cristo, o qual cura, liberta e salva, de graça.
Provérbios 30.4, diz: Quem subiu ao céu e desceu? Quem encerrou os ventos nos seus punhos? Quem amarrou as águas na sua roupa? Quem estabeleceu todas as extremidades da terra? Qual é o seu nome, e qual é o nome de seu Filho, se é que o sabes?
O PAI É MAIOR QUE O FILHO MAS ENTREGOU TUDO EM SUAS MÃOS
Disse Jesus: Vou para o Pai, porque o Pai é maior do que eu (João 14.28). Esabendo Jesus, que o Pai havia depositado em suas mãos todas as coisas, e que havia saído de Deus, e voltaria para Deus (João 13.3), disse o Senhor: É me dado todo o poder no Céu e na terra. Tudo por meu Pai me foi entregue (Mateus 28.18 e Lucas 10.22).
Reflita, ainda que o Pai havia depositado todas as coisas nas mãos do Filho, mas Cristo, na sua infinita humildade, esvaziou-se de sua glória e não usurpou ser igual ao seu Criador, reconhecendo que o Pai é Maior, isso significa uma hierarquia, autoridade, governo. Observemos:
I Coríntios 11.3: Quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo varão, e o varão,¬a cabeça da mulher; e Deus, a cabeça de Cristo.
E sujeitou todas as coisas a seus pés e, sobre todas as coisas, o constituiu como cabeça da igreja (Efésios 1.22).
(I Coríntios 15.27, 28): Porque todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. Mas, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, claro está que se excetua Aquele que sujeitou todas as coisas.
E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então, também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos.
QUEM É O ESPÍRITO SANTO E QUAL A SUA OBRA?
O Espírito Santo é o nosso consolador (João 14.26), sem Ele seríamos vazios e não receberíamos a graça do Senhor Jesus. É Ele quem nos dá o discernimento e nos convence do pecado (João 16.8); Ele derrama o amor de Deus em nossos corações (Romanos 5.5); e produz o nascimento de uma nova criatura (João 3.1 a 7); Ele nos fortalece para andarmos no caminho da verdade (João 16.13). O Espírito Santo nos fortalece nas nossas fraquezas, porque não sabemos como havemos de pedir, mas Ele intercede por nós junto ao Pai, até com gemidos inexprimíveis (Romanos 8.26).
O Espírito Santo de Deus realiza um trabalho íntimo na alma humana, e todo desejo de santificação é nutrido por Ele. Cada impulso para o bem e para a verdade é implantado por Ele. Seu trabalho é indispensável à convicção, ao arrependimento e conversão para a salvação da vida eterna.
O PECADO IMPERDOÁVEL
No Evangelho de Mateus 12.31, 32 disse Jesus: Por isso, vos declaro: todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada.
Se alguém proferir alguma palavra contra o Filho do Homem, ser-lhe-á isso perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será isso perdoado, nem neste mundo nem no porvir.
Marcos 3.29, Jesus advertiu, dizendo: Qualquer, porém, que blasfemar contra o Espírito Santo, nunca obterá perdão, mas será réu do eterno juízo.
O Senhor Jesus declara que todo pecado e blasfêmia serão perdoados, mas a blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoada. E o que é blasfêmia contra o Espírito Santo?
O PECADO CONTRA O ESPÍRITO SANTO
Jesus, mediante o Espírito Santo, bate à porta do coração e pede entrada (Apocalipse 3.20). Alguém não abre a porta, deixa-O esperando do lado de fora, com isso estará entristecendo o Espírito Santo do Senhor (Efésios 4.30).
Talvez com medo de que Ele entre, esse alguém resiste, pois não deseja ter a sua companhia (Atos 7.51). A consciência e o coração se tornam endurecidos (Hebreus 3.15). Procura afastá-lo, e acaba extinguindo o Espírito Santo (I Tessalonicenses 5.19). Finalmente o Espírito Santo o abandona.
Que triste e terrível fim. Ele bateu em sua porta e você não abriu, deixou-O esperando do lado de fora, resistiu-O, entristeceu-O, endureceu a sua consciência e o seu coração, procurou extingui-lo. Está consumado o pecado imperdoável contra o Espírito Santo, a persistente rejeição contra os apelos do Espírito, e a desobediência se consumou. Portanto como diz o Espírito Santo, se ouvirdes hoje a sua voz, não endureçais o vosso coração (Hebreus 3.7, 8).
Muitos indagam a si mesmo, será que já blasfemei contra o Espírito Santo do Senhor? Mas é importante evidenciar, em que condições o Senhor Jesus declara a blasfêmia como pecado imperdoável?
Justamente por ocasião da acusação dos escribas e fariseus, os quais imputavam a Ele a expulsão dos espíritos malignos pelo poder de belzebu, príncipe das potestades do mal.
Os escribas e fariseus não criam em Jesus Cristo como o Messias vindo de Deus para salvar o homem do pecado, negavam as virtudes do Espírito Santo de Deus, pelo qual Jesus foi por Deus ungido, e fazia muitas curas, milagres e maravilhas (Atos 10.38).
A Palavra afirma que a desobediência e a constante rejeição contra os apelos do Espírito Santo também se constituem em pecado imperdoável (Marcos 16.16 – João 3.18).
Portanto amados, se ouvirdes hoje a sua voz, não endureçais o vosso coração, porque amanhã poderá estar fora do tempo aceitável do Senhor (II Coríntios 6.2).
Louvai ao Senhor!

Tags: