Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
A Lei do Velho Testamento foi abolida?

A Lei do Velho Testamento foi abolida?

Muitas pessoas alegam que não precisamos cumprir mais nada da lei de Moisés, e que só devemos cumprir o que está no Novo Testamento, porque, segundo elas, Jesus aboliu a lei de Moisés. No entanto, eu vou mostrar neste artigo que não é bem isso o que a Bíblia diz.

Essas pessoas se apoiam principalmente nas seguintes passagens:

“Portanto, lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis gentios na carne, e chamados incircuncisão pelos que na carne se chamam circuncisão feita pela mão dos homens; que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo. Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz” (ACF; Efésios 2,11-15).

“Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz. E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo. Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados” (ACF; Colossenses 2,14-16).

No entanto, o que o apóstolo quis dizer nessas passagens é que Jesus aboliu somente para os não judeus a obrigação de cumprir toda a lei de Moisés, pois antes da morte de Jesus, os não judeus, que eram conhecidos como gentios ou estrangeiros, que queriam se converter a Deus tinham que se converter ao judaísmo e cumprir a lei de Moisés em sua totalidade, ou seja, tinham que cumprir a guarda do sábado, circuncisão, dias de festa, sacrifícios de animais, e tudo o mais que a lei mandava, como se vê em Isaías 56,3.6-7. Porém, desde a morte de Jesus, os não judeus convertidos não precisam mais cumprir esses mandamentos. Agora eles precisam cumprir apenas alguns mandamentos da lei de Moisés, incluindo logicamente os mandamentos morais dessa lei, como: não matar, não furtar, não cometer adultério etc.

Quanto aos judeus, eles ainda têm que cumprir toda a lei, portanto, ela não foi abolida. Uma prova disso é a passagem de Atos 21,18-25, na qual vemos claramente que o próprio apóstolo Paulo e os outros judeus que creram em Jesus continuaram cumprindo a Lei de Moisés, e mantiveram a decisão de que os não judeus convertidos tinham que cumprir apenas alguns mandamentos da lei. Além do mais, o próprio Jesus disse que não veio abolir a lei:

“Não pensem que vim abolir a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir. Digo-lhes a verdade: Enquanto existirem céus e terra, de forma alguma desaparecerá da Lei a menor letra ou o menor traço, até que tudo se cumpra. Todo aquele que desobedecer a um desses mandamentos, ainda que dos menores, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será chamado menor no Reino dos céus; mas todo aquele que praticar e ensinar estes mandamentos será chamado grande no Reino dos céus” (NVI; Mateus 5,17-19).

Há também aqueles que acreditam que a fé em Jesus é o único meio para nos salvar e que por isso não é certo dizer que também temos que fazer boas obras para ganharmos a salvação. Essas pessoas se baseiam em textos como Gálatas 2,16; 3,23-25; Efésios 2,8-9 e Romanos 3,28; 10,4. É lógico que em nenhuma dessas passagens o apóstolo Paulo quis dizer que para sermos salvos não precisamos mais cumprir as obras da lei de Deus e que agora basta termos fé em Jesus, pois se assim fosse, poderíamos matar, roubar, mentir e ainda assim seríamos salvos, desde que mantivéssemos a nossa fé em Jesus. O que ele quis dizer é que o que nos justifica não é a prática das obras da lei de Deus, pois nesse ponto sempre falhamos, assim nos tornamos injustos diante de Deus por desrespeitar a lei dele, mas o que nos justifica e nos salva é somente a fé em seu filho Jesus, o qual morreu inocente por nós, para pagar nossos pecados. Ele também quis dizer que Jesus é o fim do regime da lei, o qual não se baseava na fé em Jesus, mas sim na justificação apenas pela observância dos mandamentos.

No entanto, mesmo sendo justificados somente pela fé em Jesus, temos que nos esforçar para cumprir a lei de Deus, pois o próprio apóstolo Paulo disse que não podemos pecar só porque não estamos mais debaixo da lei de Moisés (Romanos 6,15). Além disso, Paulo também disse que Deus criou as boas obras para que andássemos nelas (Efésios 2,10). Ele mesmo orientou os primeiros cristãos a cumprir uma série de obras (as quais estão na lista de mandamentos que se encontra na primeira e principal postagem deste blog) e pediu para que eles reconhecessem que as coisas que ele escrevia eram mandamentos do Senhor (1 Coríntios 14,37).

Em Tiago 2,14-26 o apóstolo Tiago esclareceu que não adianta apenas termos fé, temos também que fazer boas obras. O próprio Jesus Cristo disse que nem todo aquele que tem fé nele irá para o céu, mas somente aquele que fizer a vontade do Pai dele:

“Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus” (NVI; Mateus 7,21).

Além de tudo isso, as seguintes passagens do Novo Testamento também deixam claro que devemos guardar os mandamentos de Deus:

“Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são pesados” (ACF; 1 João 5,3).

“Aqui está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (ACF; Apocalipse 14,12).

“Bem-aventurados aqueles que guardam os seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas” (ACF; Apocalipse 22,14).

Para não deixar mais dúvida que realmente estamos sob o regime do Novo Testamento e não do Velho, mas que isso não significa que não temos que cumprir mais nada do Velho, formulei abaixo mais cinco argumentos.

Primeiro: os dois principais mandamentos que devemos cumprir pertencem à lei de Moisés, como vemos em Deuteronômio 6,5 e Levítico 19,18.

Segundo: os mandamentos de não matar, não furtar, não cometer adultério e muitos outros presentes no novo testamento pertencem à lei de Moisés e ainda devemos cumpri-los.

Terceiro: há muitos mandamentos na lei de Moisés que não estão no novo testamento, mas precisamos sem dúvida cumpri-los, como por exemplo, os seguintes:

Pelos mortos, não faça cortes em sua pele (Levítico 19,28).
Não aceite suborno (Êxodo 23,8).
Não consulte aqueles que têm espíritos guias (Levítico 19,31).
Não ponha tropeço diante de um cego (Levítico 19,14).

Quarto: o próprio apóstolo Paulo disse em 2 Timóteo 3,15-17 que as escrituras sagradas (o Velho Testamento) são uma fonte de ensinamento para nós.

Quinto: como já citei anteriormente, mas em poucos detalhes, a passagem de Atos 15,19-21 relata que os apóstolos possuídos pelo Espírito Santo de Deus decidiram que os homens não judeus convertidos ao cristianismo inicialmente cumprissem alguns mandamentos da lei de Moisés, porque Moisés tinha em cada cidade quem o pregava e ele era lido nas sinagogas a cada sábado. Essa passagem muito provavelmente quis dizer que, como Moisés tinha em cada cidade quem o pregava e ele era lido nas sinagogas a cada sábado, os não judeus convertidos poderiam aprender os outros mandamentos que eles precisariam cumprir, do Velho Testamento, ouvindo os pregadores de Moisés.

Enfim:

“De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem” (ACF; Eclesiastes 12,13).

http://www.ensinamentosdabiblia.com/2013/02/lei-velho-testamento-foi-abolida.html

Tags: