Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
É MARIA RAINHA DOS ANJOS E MEDIADORA?

 

É MARIA RAINHA DOS ANJOS E MEDIADORA?

“Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem”

 I Timóteo 2:5

O catolicismo Romano dá grande notoriedade a Maria, mãe do Senhor Jesus Cristo. A Palavra de Deus apresenta Maria como uma mulher simples, humilde e religiosa e se refere a ela apenas cinco vezes. Essa “serva do Senhor”, como ela se autodenomina, tem sido tomada pelo Catolicismo e recebido lugar de divindade. Alguns dos muitos títulos que Maria tem recebido do Catolicismo são: Santa Mãe de Deus, Mãe de Nosso Criador, A Virgem mais Prudente, Porta do Céu, Conforto dos Aflitos, Rainha dos Anjos, Rainha de Todos os Santos e Rainha do Rosário.

Os católicos possuem imagens de Maria, beijam-nas, queimam incenso perante elas e, descobrindo a cabeça, repetem orações especiais diante das imagens, ainda que Êxodo 20:4-5 diga, “Não fará para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te curvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso…”.

O Catolicismo tem cinco grandes doutrinas em relação a Maria: Maria é a mãe de Deus, Maria nasceu de uma imaculada conceição, Maria é uma virgem perpétua, a assunção corpórea de Maria e Maria é a Mediadora e co-redentora.

Estas doutrinas são todas afirmadas no Catecismo para Adultos. Referindo-se a Maria, o Catecismo diz, “Ela é chamada e é a verdadeira Mãe de Deus: consequentemente é a nossa mãe espiritual; teve uma concepção imaculada! Isenta do pecado original; foi virgem antes, durante e depois do nascimento de Cristo … foi para o céu de corpo e alma; é a Mediadora universal e dispensária da graça”. Neste artigo olharemos brevemente cada uma dessas cinco doutrinas católicas marianas e as compararemos com aquilo que a Palavra de Deus tem a dizer.

  1. A CONCEPÇÃO IMACULADA DE MARIA

Quando o Catolicismo fala da Imaculada Conceição, quer dizer que Maria foi miraculosamente concebida por sua mãe e veio a este mundo sem a mácula do pecado original e, como resultado dessa miraculosa conceição, nunca cometeu pecado durante a sua vida terrena.

O Catecismo de Baltimore, Confraternity Edition, diz, na questão #62, “A Abençoada Virgem Maria foi preservada do pecado original pelo mérito do seu Filho Divino; e esse privilégio faz com que ela seja chamada Imaculada Conceição … Nossa Mãe Abençoada, em toda a sua vida, foi livre de todo pecado…”.

Esta doutrina não foi oficialmente aceite pela Igreja Católica até ser declarada ex cathedra pelo Papa Pio IX, em 1954. A Imaculada Conceição de Maria é pura invenção do Catolicismo. Nenhum versículo das Escrituras relata que Maria foi concebida sem pecado!

A Palavra de Deus afirma repetidamente que todos os homens são pecadores, incluindo Maria. Romanos 3:23 diz, “… todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”. Não diz todos, menos Maria! Romanos 3:10: “não há nenhum justo, nem um sequer”. Romanos 3:12, “Não há nenhum que faça o bem, não há nem um só”. Eclesiastes 7:20, “…não há homem justo sobre a terra, que faça o bem, e nunca peque”. Em Lucas 1:47, a própria Maria fala de Cristo como “meu Salvador”, e somente pecadores necessitam de um Salvador. Lucas 2:22-24 apresenta que Maria e José deram no Templo a oferta segundo a lei pelos seus pecados depois dos dias de purificação. De acordo com a Palavra de

Deus, Maria foi uma simples pecadora salva pela graça e, se foi pecadora que necessitou de um Salvador, nenhum cristão deveria dirigir-lhe qualquer prece!

  1. MARIA É A MÃE DE DEUS.

O Catolicismo, algumas vezes, refere-se a Maria como a “Sustentadora de Deus” e frequentemente chama-lhe Mãe de Deus. O Catecismo para Adultos, de James Albimore, diz, “A Virgem Maria … é reconhecida e honrada como sendo verdadeiramente a Mãe de Deus e Mãe dos Remidos”.

No entanto, de acordo com a Palavra de Deus, Maria não é, de forma alguma, a Mãe de Deus! Como pode um Deus infinito e eterno ter uma mãe? Maria foi uma criatura e não a mãe do Deus Todo Poderoso! Quem surgiu primeiro? Deus ou Maria? Se Deus surgiu primeiro, então, como Maria pode ser a sua Mãe? Deus não tem mãe! Ele é o Rei, eterno, imortal, invisível, como diz I Timóteo 1:17.

Jesus Cristo é, ao mesmo tempo, humano e divino. Maria não foi mãe da divindade de Cristo, mas da sua humanidade. As Escrituras referem Maria como “a mãe de Jesus”, mas, nunca, “a Mãe de Deus”. O fato é que “a mãe de Jesus” é o único título que a Palavra de Deus realmente atribui a Maria!

O Senhor Jesus nunca ensinou que Maria era a Mãe de Deus ou que a Sua mãe não fosse pecadora e nenhum escritor bíblico deixou alguma afirmação na Bíblia de que ela não tivesse pecado. Adicionalmente, é fato que, na Palavra de Deus, o Senhor Jesus nunca chamou Maria de “mãe”. Ele pronunciou “mulher”, mas não “mãe”.

  1. MARIA É UMA VIRGEM PERPÉTUA

Eles ensinam que Maria permaneceu virgem por toda a vida. O Catecismo da Igreja Católica, de 1994, diz, acerca da questão #510, “Maria permaneceu virgem concebendo o seu Filho, dando-lhe a luz, carregando-o e nutrindo-o em seu peito, sempre uma virgem”.

Não encontramos na Bíblia referência à virgindade de Maria depois de ter concebido Jesus. É também, verdade, a Bíblia referir “irmãos” de Jesus. No entanto, não é liquido que fossem filhos de Maria. Pode José ser viúvo quando casou com Maria e desse anterior casamento ter filhos aqui mencionados Mateus 13:55-56, “Não é este o filho do carpinteiro? E não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago e José, e Simão, e Judas? E não estão entre nós todas as suas irmãs?”. Não há nas Escrituras e relacionado com este caso especifico que fosse proibido a José ter relações sexuais com Maria, estas são um dom de Deus e não uma maldição.

  1. A ASSUNÇÃO DE MARIA

Uma outra doutrina reivindica que o corpo de Maria não entrou em corrupção no túmulo, mas foi ressurrecto, indo diretamente ao céu três dias depois da sua morte. O Papa Pio XII declarou ex cathedra, em 1950, “Pronunciamos, declaramos e definimos ser um dogma revelado por Deus que a Imaculada Mãe de Deus, Maria, sempre virgem, no fim do seu percurso sobre a terra foi para o céu de corpo e alma”. O Manual de Teologia Católica, volume 2, diz, “a assunção corporal de Maria no céu está tão perfeitamente implicada na noção da sua personalidade dada pela Bíblia e no dogma que a Igreja não precisa conferir com estrita evidência histórica do fato”.

A Bíblia, no entanto, não diz a mínima coisa sobre a personalidade de Maria nem nada sobre sua morte, do seu enterro ou sua ascensão! É incrível que milhões de pessoas digam acreditar na assunção de Maria sem que haja alguma evidência bíblica ou histórica disso!

É uma doutrina que inclui a reivindicação de que na sua assunção Deus lhe deu o título de Rainha de Todos as Coisas. O Catecismo da Igreja Católica, de 1994, diz, sobre o assunto #966, “Finalmente a Virgem Imaculada, preservada livre de todo pecado e da mancha do pecado original, no encerramento do curso de sua vida terrena, teve corpo e alma arrebatados para a glória do céu e foi exaltada pelo Senhor como Rainha de todas as coisas”. Porém, a Palavra de Deus nunca se refere a Maria como Rainha de nada! O céu não tem Rainha! É um Rei quem reina lá!

  1. MARIA É A MEDIADORA E CO-REDENTORA

Mediadora é simplesmente o feminino de Mediador. O Catolicismo ensina que Maria, assim como o Senhor Jesus Cristo, é um Mediador entre Deus e o homem. O Catecismo da Igreja Católica, de 1994 , diz, sobre isto #969 “… A Abençoada Virgem é invocada na Igreja como Advogada, Ajudadora, Benfeitora e Mediadora”. O Catecismo para Adultos diz: “assim como temos um Mediador diante do Pai, que é Jesus Cristo, também temos uma Mediadora diante do Filho: A Santíssima Maria”.

O Catolicismo acredita que toda a graça de Deus vem ao homem através de Maria. Mais uma vez, o Catecismo para Adulto diz: “A graça concedida ao homem compreende três passos sucessivos: Deus a comunica a Cristo, de Cristo ela passa à Virgem e, através da Virgem, chega a nós”.

Uma oração Católica chamada “The Litany of Loretto”, encontrada numa versão de bolso, publicada pelos Irmãos Benziger, inclui a seguinte referência sobre a suposta obra de Maria:

Santa Maria, orai por nós.

Santa Mãe de Deus, orai por nós.

Santa Virgem entre as virgens, orai por nós.

Mãe da divina graça, orai por nós.

Mãe imaculada, orai por nós.

Mãe de nosso Criador, orai por nós.

Virgem mais venerável, orai por nós.

Porta do céu, orai por nós.

Refúgio dos pecadores, orai por nós.

Conforto dos aflitos, orai por nós.

Rainha dos Anjos, orai por nós.

Rainha concebida sem pecado original, orai por nos.

Rainha do santíssimo rosário, orai por nós.

A oração mais famosa endereçada a Maria é a Ave-Maria ou Salve Rainha! O Catolicismo ensina que é mais fácil vir a Maria do que ao próprio Cristo. O Cardeal Tiago Gibbons, no livro A Fé de Nossos Pais, disse, “… quão irresistível é a intercessão de Maria, que nunca ofendeu o Deus Todo Poderoso com pecado …”. Alphonsus Liguori, uma das maiores autoridades da lei canónica católica romana, diz, na página 248 das Glorias de Maria, que “frequentemente obtemos mais prontamente o que pedimos rogando pelo nome de Maria do que invocando o nome de Jesus”.

Maria não é a Mediadora ou Mediador de forma alguma! Não há nenhum versículo em toda a Palavra de Deus que nos informe que Maria intercede com Cristo em nosso favor! Ao contrário, a Palavra de Deus diz que Cristo é o único Mediador entre Deus e o homem. I Timóteo 2:5 diz, “há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem”. I João 2:1 diz que Jesus Cristo, não Maria, é o nosso Advogado para com o Pai. “Se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo…”. Hebreus 7:25 diz, sobre Jesus, “Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por Ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles”. Hebreus 9:15 diz, “E por isso [Cristo] é o Mediador de um novo testamento”. Hebreus 9:24 diz, “Porque Cristo não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer por nós perante a face de Deus”. Hebreus 4:15 diz que Cristo é nosso grande Mediador que foi tentado como nós e por isso nos compreende e nos sustenta em nossa fraqueza. “Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas franquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado”. Efésios 3:12 diz, “No qual [Cristo] temos acesso com ousadia e confiança, pela nossa fé nEle”.

Nas Escrituras nem Cristo nem alguma outra pessoa nunca disse ao povo que orasse a Maria! Na Palavra de Deus, Maria nunca convida ninguém a orar para ela ou adorá-la. As Escrituras não nos ensinam a orar para Maria ou ao santos ou algum outro senão a Deus apenas! Em Mateus 6:9, o Senhor Jesus diz, “Portanto, vós orareis assim: “Pai nosso, que estás nos céus…”. Romanos 10:13 diz, “Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”.

CONCLUSÃO

Como foi visto, as cinco doutrinas Católicas sobre Maria são: Maria é a Mãe de Deus, Maria teve uma concepção imaculada, Maria é uma virgem perpétua, Maria foi assumida ou tomada corporalmente no céu pouco depois de sua morte e Maria é Mediadora e Co-Redentora. Nenhuma dessas doutrinas Católicas sobre Maria se encontra na Palavra de Deus. Nenhuma!

O Novo Dicionário Universitário Webster define Mariolatria como adoração da Virgem Maria. A Mariolatria Católica é absolutamente não-bíblica, ainda que ela seja a pessoa mais adorada na Religião Católica. O Catolicismo rebaixa Cristo e exalta Maria por dar-lhe um lugar que só pertence a Jesus Cristo. Na verdade, o Catolicismo é muito mais a religião de Maria do que a religião de Jesus Cristo.

O Papa João Paulo II asseverou que Maria, na forma de nossa senhora de Fátima, salvou a sua vida durante um atentado, em 1981. O lema do papa João Paulo faz referência a Maria. Totus tuus ou literalmente totalmente vossa. Não totalmente de Cristo, mas totalmente de Maria!

Certa ocasião o Senhor Jesus Cristo corrigiu uma mulher que tentou exaltar a sua mãe. Lucas 11:27-28 diz, “E aconteceu que, dizendo ele estas coisas, uma mulher dentre a multidão, levantando a voz, lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste. Mas ele disse: Antes (em vez disso) bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam”.

A mensagem do evangelho não é: Adore Maria, mas é: Adore Cristo! Mateus 4:10 diz, “Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a Ele servirás”. Deus é zeloso e não aceita a adoração de outra criatura, ainda que seja a mãe de Jesus Cristo.

Na Palavra de Deus, nunca alguém adorou Maria. Orar ou adorar Maria é fazer o que Romanos 1:12 condena como uma evidência da depravação do homem: adorando e servindo a criatura mais do que o Criador. Em Filipenses 2:9-10 a Palavra de Deus diz quem se deve adorar quando, fala de Cristo, “Por isso, também Deus O exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra”. A mensagem do evangelho não é: Vem a Maria, mas: Vem a Cristo! (cf. Atos 4:12).

O Catecismo para Adultos, do Catolicismo, diz: “No perigo, nos problemas, na dúvida, pense em Maria, chame por ela. Não a deixe afastar-se do seu coração … seguindo-a você não vai desviar-se do caminho; orando para ela, você não perde as esperanças; pensando nela, você não se engana. Se ela te sustenta, você não cai; se ela te protege, você não tem do que temer … se ela é benigna para com você, você alcançará seus objetivos…”.

Porém, o que diz o Senhor Jesus? “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei”. Veja-se Mateus 11:28.

A quem ouvir e seguir? A decisão é tua!

Publicada por José Carlos Costa

http://religioescristas.blogspot.com.br/2012/03/e-maria-rainha-dos-anjos-e-mediadora.html

Tags: