Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
O REINADO DO MESSIAS

O REINADO DO MESSIAS

Este tema foi elaborado em especial para esclarecer a todos aqueles que têm esperança de um dia subir e morar no céu: Que as pessoas das Igrejas de Deus sonham e imaginam um dia morar num mundo de paz, justiça e amor, onde não predomine a morte, e se possa conviver com a natureza sem temer a morte! O tema se refere às Igrejas de Deus estabelecidas em todos os países e cidades onde Ela tem chagado.

Será maravilhoso vivermos as profecias onde “A justiça será o cinturão de seus rins lealdade o cinto de seus flancos. Onde o lobo morará com o cordeiro, a pantera dormirá com o cabrito, o novilho e o leãozinho pastarão juntos, e um menino pequeno os conduzirá. A vaca e a ursa pastarão juntas, e suas crias se deitarão juntas; o leão se alimentará da palha como o boi. A criança de peito brincará sobre a toca do áspide e a desmamada meterá a mão na cova da cobra venenosa” Is 11. 5 a 8.

Sonhamos em reinar com Cristo em um Reino de paz e justiça, em que os justos viverão entre os animais como viviam Adão e Eva antes de pecar; de forma que um menino os poderá guiar. Ali os animais ferozes serão mansos e habitarão juntos.“Uma nação não levantará mais espada contra a outra, e nem aprenderão mais sobre a guerra Mq 4. 3. E todos os do teu povo serão justos, possuirão a terra para sempre: rebento do plantio de Javé, eles serão a obra de suas mãos, destinada a manifestar o seu esplendor” Is 60. 21. Ou seja, a sua glória.

Adão foi coroado de glória e de honra e perdeu por causa do pecado Sl 8. 5 a 8. Deus deu a ele o domínio sobre todas as obras das suas mãos, e ele perdeu por causa do pecado Gn 1. 26. Em função disso a morte passou a reinar sobre todos os homensRm 5. 12; 1 Co 15. 21. Mas Deus usou de misericórdia com o homem, e deu a ele uma promessa de ressurreição e de vida eterna na terra amada. Dê uma olhadinha no tema . Que os temas esclarecem tudo sobre o Reino, e sobre o futuro do homem que serve a Deus, e de todas as espécies que restarem em todos os ecos sistemas para o homem dominar e preservar.

Ali os justos terão direito de reinar com Cristo os mil anos em que Ele vai restaurar a terra At 1. 6. Ali Ele restaurará tudo At 3. 21. É necessário que Ele reine para restaurar todas as coisas, e depois entregar o Reino a Deus o seu Pai. Ele entregará o Reino completamente restaurado como Deus criou 1 Co 15. 26. Ali os salvos passarão a ter direito de beber da “água da vida” Ap 22. 1. E também da “árvore da vida” Ap 22. 2; Ap 22. 14.

A Bíblia em Ap 21. Do versículo 12 em diante fala da Jerusalém imóvel: Que servirá de santuário mundial para todos aqueles dentre os salvos que residirem fora de Jerusalém subirem ali de ano em ano adorar o Rei Zc 14. 16. Todos sabem muito bem que o Reinado do Messias será por toda a terra Zc 14. 9; Dn 7. 13; Ap 11. 15.Seu domínio “será de mar a mar e de uma a outra extremidades da terra” Sl 72. 8.

Isso Justificará o fato de naqueles dias famílias do Reino residirem fora de Jerusalém e subirem ali adorar o Rei, onde “as portas da cidade estarão sempre abertas, de dia ou de noite, e nunca se fecharão, para que a glória das nações, com seus reis sejam conduzidos” a sua presença Is 60. 11.

Com direito de continuarem adorando a Deus na terra amada da promessa, onde as“doze portas continuarão abertas de contínuo” para receber a grande nação, ou seja, os salvos das nações Ap 21. 25. Que povoarão a terra no Reino eterno depois que Cristo entregar o Reino ao Pai.

Isaias disse que os estrangeiros salvos reedificarão os seus muros no Reino milenar Messiânico Is 60. 10Todos sabem muito bem que o Reino Messiânico antecede o eterno. E todos podem ver que referente às portas da cidade santa, elas estarão de contínuo abertas para receber as nações salvas que subirão ali para adorar o Rei no seu reinado.

Isaias disse a mesma coisa que João falou: “Tuas portas estarão sempre abertas, de dia ou de noite nunca se fecharão, para que te tragam as riquezas das nações e com seu reis sejam conduzidos” Is 60. 11. As nações se aplicam para os salvos que reinarão com Ele sobre a terra da promessa no seu reinado Ap 5. 9.

Como o objetivo do tema é esclarecer a todos sobre o Reinado do Messias, os povos podem ter certeza que dentre os salvos Ele elegerá reis e sacerdotes para governo dos povos salvos que habitarão toda a terra com Ele Ap 5. 10. Ele na qualidade de Rei dos reis Ap 6. 15; 16. 16. Reinará em Jerusalém que será a capital e Santuário mundial do Reino. E os reis e os sacerdotes serão distribuídos por toda a terra para governo das nações que Ele resgatou com seu próprio sangue.

Todos podem ver que a Jerusalém descrita por Isaias tem as mesmas características da que se vê em Ap 21. 12 a 2722. 1 a 5. Isaias diz: “E as suas portas estarão abertas de continuo, de dia ou de noite nunca se fecharão” Is 60. 11. João fala: “As suas portas não se fecharão” Ap 21. 25. Isaias diz: “Nunca mais se ouvirá de violência na terra, ou destruição nos teus muros; mas a teus muros chamarão salvação, e as tuas portas louvor” Is 60. 18. “E teus dias de lutos se findarão” Is 60. 20. João fala: “E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem dor” Ap 21. 4. Isaias diz: “Nunca mais te servirá o sol para luz do dia” Is 60. 19, 20. João fala: “Porque o Senhor será tua perpétua luz” Ap 22. 5. Isaias diz: “Porque o Senhor será tua perpétua luz 60. 20.João também diz: “A cidade não necessita de sol nem de lua, porque a glória de Deus será a sua luz” Ap 21. 23.

Diante todo o quadro profético, justifica os meios de não precisar de luz para iluminar a cidade santa imóvel no futuro. Você já parou para Imaginar a cidade móvel composta de todas as pessoas transformadas depois da ressurreição, com seus rostos brilhando como o sol em volta do seu resplendor, Com um brilho igual o que Jesus ganhou na transfiguração? Mt 17. 2. Ou seja, um brilho como o que Ele tem no seu rosto no presente? Ap 1. 16. Caminhando nas ruas de ouro e de cristais da cidade de Jerusalém imóvel?

Todos sabem que João falou: Que assim como Ele é os salvos serão 1 Jo 3. 2.Imaginem o brilho que a Jerusalém móvel do Deus altíssimo Hb 12. 22. Terá nos seus rostos a partir de aquele dia em diante? Individualmente o rosto de cada um deles brilhará como o sol em volta do seu resplendor… É óbvio que não vai precisar de Luz para iluminar a cidade de Jerusalém imóvel a partir de aquele dia. Se todos imaginarem uma Jerusalém imóvel composta de ruas de ouro e de Cristais, Com outra Jerusalém móvel composta de homens perfeitos com os seus rostos brilhando como o sol em volta de si, reunidos na cidade imóvel em uma festa ao Senhor, todos entenderão o que vai acontecer no futuro.

Exemplo: Eu como homem, sou um cidadão da cidade de Joinville, ou seja, faço parte da Joinville móvel, e moro na Joinville imóvel cidade industrial e bela, ou seja, a Joinville móvel é composta de pessoas de todas as idades e sexos; que habitam na Joinville imóvel composta de ruas, praças e belas casas… Davi foi cidadão de Jerusalém e na ressurreição vai fazer parte da Jerusalém móvel que será composta de todos os salvos, e vai reinar na Jerusalém imóvel composta de ruas de ouro e de cristais ES 34. 23, 24. Espiritualizando os fatos, todos entenderão que João viu descer do céu, o Espiritual que vai transformar os santos, ou seja, a casa para habitação de Deus em Espírito.

Ela é a Jerusalém móvel composta de pessoas justas. E todos sabem muito bem que o que vai transformá-los vai descer do céu e está guardado lá para o povo. E a Jerusalém imóvel composta de praças ruas e belas casas, vai ser edificada no reinado do Messias Is 60. 10. E servirá de santuário mundial para a grande nação que Deus jurou fazer do crente Abraão adorar o Rei ali Gn 12. 1 a 4; 17. 1 a 4; 22.18; 28.13; 35.10 a 13; 48. 3, 4. A Jerusalém móvel está se completando com a mensagem da Igreja Mr 16. 15; Lc 24. 47; At 1. 8. E a imóvel é aquela do muro das lamentações e será edificada.

Enquanto Ele não voltar “sofremos neste tabernáculo, desejando ser revestido do nosso lugar para viver, que é do céu” 2 Co 5. 2. O que vai transformar os justos é algo sobre natural e está guardo no céu para eles, aplica-se ao tesouro que eles acumulam no céu 1 Tm 6.19. Enquanto Jesus não voltar, continuaremos sofrendo neste corpo corruptível, e morrendo como morrem todos os ímpios; desejando que Ele venha para nos revestir de imortalidade que é do céu.

A Bíblia recomenda a todos que “Não acumuleis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões não roubam. Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça, nem a ferrugem destroem, e onde os ladrões não minam nem roubam” Mt 6. 19. 20; Lc 12. 33. As pessoas que servem a Deus na obediência as condições acumulam algo sobre natural guardado lá para eles. Aplica-se para aquilo que vai transformar a grande nação, e levá-los a perfeição Ap 21. 2. 9, 10, 11. Dê uma olhadinha no tema . Que ali contem mais informações.

“Pois também nós, que somos do tabernáculo, sofremos pesadamente, porque não queremos ser despidos, mas revestidos de novo” 2. Co 5. 4. Adão era revestido de imortalidade e morreu por conta do pecado que cometeu. Isso equivale a dizer: Que o homem possuía a imortalidade da alma, perdeu e agora deseja ser revestido de novo. Sl 8. 5 a 8.

A partir da vinda de Cristo, os salvos serão portadores de um rosto que brilhará como o sol em volta do seu resplendor que será fruto da transformação. Eles alcançarão a perfeição logo depois da ressurreição. Os ímpios por deixarem de servirem a Deus, por desobedecerem as suas leis, não acumulam nada no céu, e não herdarão a imortalidade, e com certeza perecerão por conta disso. Dê uma olhadinha no tema o novo nascimento e verá porque os ímpios não herdarão a perfeição. “Amados, agora somos filhos de Deus e ainda não se manifestou o que havemos de ser, mas sabemos que, quando Ele se manifestar, seremos semelhante a Ele 1 Jo 3. 2. Se Ele tem um rosto que brilha como o sol em volta do seu resplendor Ap 1. 16. E os salvos serão semelhantes a Ele; será óbvio que o rosto de todos também brilhará como o sol em volta do seu resplendor. A sua transfiguração foi para demonstrar para alguns dos seus discípulos como havemos de ser. Ali o seu rosto resplandeceu como o sol Mt 17. 2.

“A nossa cidadania, porem está guardado nos céus, de onde esperamos o Senhor Jesus Cristo” Fl 3. 20. Os povos que acreditam em uma mensagem que ensina que os homens morrem, mas as suas almas continuam vivas fora do corpo, precisam saber que se a alma fosse imortal, a doutrina da ressurreição e da transformação não teriam sentido. Veja que tem povo que acredita que têm pessoas no céu desfrutando das bênçãos celestiais. Se fosse como a mensagem diz: A ressurreição e a transformação teriam algum sentido? Responda para você mesmo. Se não tiver a resposta, dê uma olhadinha no tema  Que ali contém todas as respostas.

Ora, quem para isto mesmo nos preparou foi Deus, o qual nos deu também o penhor do Espírito. Por isso estamos sempre de bom ânimo, sabendo que, enquanto estamos no corpo, vivemos ausentes do Senhor. (Porque andamos por fé, e não por vista). Mas temos confiança e desejamos antes deixar este corpo, para habitar com o Senhor. Pois que muito desejamos também ser-lhe agradáveis, quer presentes, quer ausente. Porque todos deverão comparecer ante o tribunal de Cristo para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo” 2 Co 5. 4 a10.

”Nós os que estamos neste corpo”. Ninguém vai ganhar outro tabernáculo, Paulo disse que: “Isto que é corruptível se revestirá da incorruptibilidade, e o mortal da imortalidade”, 1 Co 15. 51 a 54. Enquanto Ele não voltar é óbvio que vamos estar ausentes do Senhor e da perfeição. Mas quando Ele voltar o homem justo será revestido de imortalidade de novo. Porque Adão era revestido e perdeu, porque não vigiou e pecou.

Os povos que têm esperança de serem transformados em anjos celestiais e ir morar no céu; tende a anular a promessa Divina a Davi. “Não quebrarei o meu conserto, não alterarei o que saiu dos meus lábios. Uma vez jurei por minha santidade, que não mentirei a Davi. A sua descendência durará para sempre como a lua; é a testemunha fiel no céu” Sl 89. 34 a 37.

E também o Juramento que Deus fez a Abraão, isaque e Jacó de seus descendentes habitar a terra da promessa para sempre. “E o Senhor disse a Abraão: Sai da tua terra, da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E eu farei de ti uma grande nação; e eu te abençoarei, e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma benção. E eu abençoarei aos que te abençoares, e amaldiçoarei aqueles que te amaldiçoares; e serão benditas em ti, todas as famílias da terra” Gn 12. 1 a 3; 17. 1 a 4; 28. 13; 35. 10 a 13; 48. 3, 4.  .

O juramento que Deus fez a Abraão foi de dar a terra a seus descendentes para sempre. E a Davi foi de um de seus descendentes continuarem a monarquia no seu trono na pessoa do Messias o descendente maior de Abraão. Com Ele no Reino estarão também os descendentes espirituais de Abraão, revestidos de imortalidade para poderem viver os mil anos de reinado de Cristo e chegar ao Reino eterno, onde não haverá mais morte Ap 21. 4. Onde as portas da cidade santa imóvel, continuarão abertas de dia e de noite para receber a grande e poderosa nação. Quem tem esperança de subir e morar no céu parece que desconhecem o juramento Divino.

A trajetória da grande nação para o Reino eterno começa no Reino Messiânico. Com uma diferença, entre um Reino do outro. Ou seja, no Reino do Messias haverá morte para quem pecar, no eterno não Ap 22. 4. Lá não haverá mais morte porque antes de Cristo entregar o Reino ao Pai, Ele destruirá a morte 1 Co 15. 26. Lá todos terão direito a água da vida, e a árvore da vida, que os participantes do Reino milenar não terão o privilégio de desfrutarem. A extinção da morte, a presença do rio da vida e da árvore da vida, justifica o motivo de as nações não morrerem mais, a partir do Reino eterno em diante.

Como o tema objetiva esclarecer o reinado do Messias, todos sabem que a vida do homem mal chega aos oitenta anos, ou seja, se Cristo não revestir os seus escolhidos de imortalidade, eles desaparecerão da terra em menos de um século de reinado. E como está prometido que os seus escolhidos reinarão com Ele os mil anos… Será necessário o revestimento de imortalidade para todos os participantes do Reino poderem ter condições de chegar com vida no Reino eterno, onde não haverá mais morte.

Para Ele entregar o Reino a Deus, primeiro é necessário que Ele reine, até colocar todos os inimigos de Deus debaixo de Seus pés 1 Co 15.25. “Ele será grande e será chamado filho do Altíssimo. E o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi seu pai” Lc 1.32, 33; At 2. 29, 30; Hb 6. 16 a 18; 2 Sm 7. 12; Sl 89. 34 a 37; 105. 7 a 11; Jr 23. 5; 33. 20 a 22; Mq 5. 2 a 4; Mt 2. 12; Lc 2. 11 a13. No seu primeiro vindo, Jesus não ocupou o trono de Davi seu pai, e não reinou sobre a casa de Jacó Mt 2. 2; Jo 1. 49; 6. 15; Ap 1. 5. Ou seja. Sobre a nação prometida; pois ela ainda não estava completa. Mas na segunda e última vinda, Ele vai ocupar e reinar sobre Ela como os profetas falaram.

No trono de Davi tem um juramento Divino de um sucessor de Davi ocupar o seu trono. Ele tomou a descendência de Davi pela mãe Maria para ter direito de ocupar o trono prometido Lc 1. 30,31; Mt 1. 18.  O trono foi resultado de um firme pacto feito por Deus a Davi.

“Porém a tua casa e o teu trono serão firmados para sempre diante de ti” 2 Sm 7. 16; 1 Cr 22. 8 a 10; 2 Cr 7. 17. O titulo de Rei na significação de suprema autoridade e poder, usa-se a respeito do Altíssimo Sl 10. 16; 47. 7à 11; 1 Tm 1. 17. Mas Jesus também será Rei de reis nos mil anos do seu reinado… Porque ali dentre os seus escolhidos, alguns serão reis, outros sacerdotes e a grande parte serão os súditos do Reino. 

O seu domínio como Rei não será restrito a Israel, ou seja, será sobre pessoas de todas as nações da terra Ap 15. 3,4; 1 Tm 6. 15 a 17. Veio da parte do povo de Israel à vontade de escolherem dentre os homens um varão para ser rei sobre eles. Ao estabelecerem um rei, estabeleceram uma monarquia e rejeitaram a teocracia, ou seja, o governo Divino 1 Sm 8. 5. Isso “não agradou a Samuel”. 1Sm 8. 6.

Mas o Senhor disse a Samuel: “Obedecei à voz do povo, porque não foi a ti que rejeitaram, mas a mim, para que Eu não reine sobre eles” 1 Sm 8. 7. A própria terra é considerada como sendo propriedade Divina Lv 25. 23. “Porque toda terra pertence a mim” Ex 19. 5. Por isso não foi retirado o cuidado de Deus sobre o povo de Israel 1 Sm 12. 22; 1 Rs 6. 13.

A monarquia constituída foi hereditária, e abriu as portas para Ele, Jesus Cristo o Rei maior e legítimo Lc 23. 38; Jo 1. 49; 6. 15; 18. 33, 37, 39; 19. 19; Mt 2. 1,2. Rei maior pelo fato de que no seu Reino Ele será o soberano dos reis da terra Ap 1. 5. E Rei de reis Ap 19. 16. O seu Reino será estabelecido para durar para sempre Ap 11. 15; Dn 7. 14. Pelo fato de que Ele vai entregar o Reino ao Pai e não vai ter fim.

Ao confirmar a “nova aliança”, o objetivo Divino foi aumentar o Reino e fazer crescer o tabernáculo de Deus, ou seja, a casa do Pai que Jesus disse: Que têm muitas moradas em um edifício maior. Trazendo pessoas de todas as nações para fazer o Reino crescer por meio da Igreja que Ele resgatou com seu próprio sangue. Com o surgimento da Igreja, a responsabilidade de levar o evangelho do Reino a todas as nações, Jesus determinou sobre responsabilidade dela Mc Mt 28.19; Mc 16.15; Lc 24.47.

Sobre o Reino sabemos que “é necessário que Ele reine, até que haja colocado todos os inimigos sob seus pés. Quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas o próprio Filho também se sujeitará ao que todas as coisas lhe sujeitou, ou seja, a Deus, o Pai 1 Co 15. 24. Para que “Deus seja tudo em todo” 1 Co 15. 25 a 28. Daí em diante, os salvos terão o retorno do Altíssimo como Rei sobre toda a terra, e de volta um governo teocrático para sempre, como era antes de Israel pedirem um rei 1 Tm 1. 17; 6. 15.

Deus nos dá uma promessa de um Rei, ao afirmar pela palavra dos profetas “Assim diz o Senhor: Se puderes invalidar o meu conserto do dia, e o meu conserto da noite, de tal modo que não haja dia e noite a seu tempo, também se poderá invalidar o meu conserto com Davi, meu servo, para que não tenha filhos que reine no seu trono” Jr 33. 20, 21, 25; 26. Tem povo querendo de todas as maneiras incluir judeus incrédulos e endurecidos que negam o Cristo e o batismo no Reino . E também gentios incrédulos que rejeitam as condições. Ou seja, boa parte da lei.

Quanto aos Judeus incrédulos, a mensagem deles ensina que se converterão após a vinda de Cristo para cumprir a profecia de Zacarias que diz: “Assim diz o Senhor dos Exércitos: Naqueles dias dez homens de outras línguas pegarão na orla do vestido de um Judeu dizendo: Iremos convosco, pois sabemos que Deus está convosco” Zc 8. 23. O povo pode ter certeza que dez é um número simbólico e representativo das nações estrangeiras que no futuro se converteriam ao Senhor Jesus Cristo para fazer a nação de Abraão se tornar grande, ou seja, fazer o Reino se tornar abrangente, e não ficar restrito a Israel.

A profecia começou a se cumprir com Cornélio e sua casa. Cornélio era um estrangeiro e os fieis eram os apóstolos, e eram todos judeus. A roupagem aplica-se aos fundamentos que eles colocaram Ef 2. 20; 6. 14; Ap 3. 4,18 Todos os gentios que se convertem ao Senhor e são santificados, se santificam pelos fundamentos que eles colocaram. A roupagem aplica-se para a lei de Deus. Todos os gentios que se tornam filhos de Deus são orientados e doutrinados na Igreja a obedecer à lei de Deus que é a roupagem espiritual dos apóstolos e dos profetas.

Todos podem crer que o contexto teve, e está tendo o seu cumprimento na vida das pessoas estrangeiras que se convertem, se batizam em nome do Senhor Jesus Cristo e aceitam as condições determinada pelo Pai celestial. E as condições são os fundamentos dos apóstolos e dos profetas Ef 2.20. Ou seja, a lei de Deus que Cornélio e os da suam casa aprenderam com os apóstolos e com certeza colocaram em prática.

Todas as pessoas estrangeiras que atualmente se convertem ao Senhor, também são orientadas pela bíblia sagrada a pegar nas vestes espirituais dos profetas e dos apóstolos que é a palavra de Deus. O bom entendedor sabe que não é necessário esperar Jesus voltar para se cumprir os contextos citados.

Porque dez é um número simbólico e representativo das nações estrangeiras que no futuro se converteriam ao Senhor. Nesse caso começou com Cornélio e sua casa. A mensagem que aplica os contextos para dizer: Que Jesus depois de voltar, vai converter pessoas incrédulas para compor o Reino é confusa.

A mensagem ensina que o contexto se cumprirá com judeus sobreviventes a guerra do armagedom se convertendo ao Senhor. É óbvio que sobrará judeus vivos na guerra do armagedon, mas isso não significa conversão ao Senhor. Porque os que escaparem da guerra com vida, com certeza terão que encarar a grande saraivada de granizos, ou seja, uma chuva de pedras vindo do céu da parte de Deus. “A cidade será fendida pelo meio, e o Senhor desabará sobre os homens grande chuva de granizo, com pedras que passam de um talento, e por causa da chuva de pedras, os homens blasfemarão de Deus, porquanto a sua praga será muito grande” Ap 16 19 a 21.

E também terão que encarar a grande ceifa dos anjos. Porque é naquele momento que o “Filho do homem enviará os seus anjos e eles colherão do seu Reino tudo o que causa escândalo e os que praticam iniqüidades; e os lançarão na fornalha de fogo” Mt 13. 41ª 43. No momento que o grande Rei se manifestar e surpreender os seus inimigos diante dos olhos das nações; com certeza restarão judeus vivos desligados de Cristo e do Batismo da guerra.

Em todas as guerras morrem pessoas do bem e do mal. No armagedom não será diferente, ou seja, será uma guerra humana, até a manifestação de Jesus. “A cidade será tomada e suas casas serão saqueadas, suas mulheres violentadas, a metade da cidade será levada ao cativeiro” Zc 14.2. Como em todas as guerras morrem pessoas do bem e do mal, no armagedom com certeza morrerá bons e ruins. E também sobrarão vivos bons e ruins.

Na guerra morrerá judeus que aceitam o Cristo e são batizados, e judeus incrédulos que negam o Cristo e não são batizados. Ou seja, aqueles que aceitam o Cristo e as condições se morrerem no armagedom, com certeza se levantarão ali mesmo na ressurreição dos justos para reinar com Ele. E aqueles que negam Ele e as condições, com certeza não ressuscitarão. O mesmo aplica-se para os vivos, ou seja, dentre os judeus que negam o Cristo e o Batismo que escaparem com vida da guerra, terão que encarar a saraivada de pedras e a ceifa dos anjos que serão diferentes da guerra do armagedom.

A saraivada de pedras e a grande ceifa serão diferentes do armagedom, porque no armagedom morrerão bons e ruis, e na saraivada e na grande ceifa só cairão os ruins. Ou seja, os de Cristo não cairão ali Sl 91.7. Mas eles com certeza perecerão.

O povo pode acreditar que quando terminar a grande chuva de pedras, e a ceifa dos anjos, dentre os judeus que sobreviveram à guerra, sobrará apenas aqueles que aceitam o Cristo e as condições. Dentre os gentios não será diferente; sobreviverá à grande ceifa aqueles que também aceitam o Cristo e as condições e as colocam em prática.

“Da mesma forma que se junta o joio e queima no fogo, assim será na consumação deste mundo. O filho do homem enviará os seus anjos e eles apanharão do seu Reino tudo o que causa escândalo e os que praticam a iniqüidade, e os lançarão na fornalha de fogo, onde haverá choro e ranger de dentes” Mt 13. 40 a 42.

Como todos podem ver sobrará da grande chuva de pedras e da ceifa dos anjos, os sobreviventes que fizeram como fez o filho pródigo que voltou para a casa do Pai. Ele recebeu um anel no dedo, ou seja, foi selado com o batismo de João em Nome de Jesus Cristo para perdão de pecados. E foram ligados no tabernáculo de Davi que está sendo restaurado com a mensagem da Igreja. O filho pródigo também se aplica para os judeus que aceitam o Cristo e se batizam para arrependimento dos seus pecados.

E também como fez lázaro que representa os gentios que passam pelo mesmo processo, ou seja, pelo batismo. A promessa é para aquele que crer e for batizado.“Quem porem não crer, será condenado Mc 16. 16. Se confessares em tua boca que Jesus Cristo é o Senhor, e creres em teu coração que Deus o ressuscitou dos mortos serás salvo” Rm 10. 9,10. Do contrário será condenado.

Falando em sobreviventes da guerra, com certeza vai ter sobreviventes com Ele no seu Reinado, mas não se aplica a judeus endurecidos e desligados de Cristo e sem batismo. A mensagem que ensina que vai haver conversões de judeus e gentios incrédulos que negam o Cristo e as condições faz de conta que não entende o que está escrito.

“Como chama de fogo, e tomar vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo” 1 Ts 1. 8. Negar o Cristo significa negar a Deus e desobedecer ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.

“Como chama de fogo, e tomar vingança dos que não conhecem a Deus, e não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo” 2 Ts 1. 8. Quem rejeita o Cristo é porque não conhece a Deus. “Aquele que rejeita a mim, rejeita aquele que me enviou” Lc 10.16.

Diante do quadro que a Bíblia apresenta, o povo pode ter certeza que dentre os judeus vivos, permanecerão com Ele no Reino, aqueles que aceitam o Cristo e as condições. Eles sobreviverão também às enormes pedras de granizo, e a grande ceifa dos anjos.

“Mil cairão ao teu lado, e dez mil a tua direita, mas tu não serás atingido” Sl 91. 7. Amensagem vai além e também aplica este contexto para dizer que os judeus sobreviventes a guerra em geral não serão atingidos pela saraivada e pedras e pela grande ceifa. Os judeus que aceitam o Cristo e as condições, com certeza não serão atingidos. Mas os incrédulos que negam o Cristo e as condições com certeza perecerão.

A mensagem tem muitos tropeços na palavra, pois também ensina que os judeus incrédulos ao olharem para o Messias que eles transpassaram se converterão e chorarão amargamente pelo fato de terem rejeitado o Messias. “E sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas, e olharão para mim, a quem eles traspassaram, e o prantearão, como alguém que chora por seu único filho, e sentirão muita dor por ele, como a angústia faz parte de uma pessoa, por causa de seu primogênito. Naquele dia grande será o pranto em Jerusalém. E a terra irá chorar família por família sozinha; a família da casa de Davi à parte, e suas esposas sozinhas, a família da casa de Natám à parte, e suas esposas sozinhas. A família da casa de Levi à parte e suas esposas sozinhas; a família de Simei à parte, e suas esposas sozinhas. Todas as demais famílias, separadas por famílias, e suas esposas sozinhas” Zc 12. 10 a 14.

Todos sabem muito bem que no momento da vinda de Cristo, ocorrerá a ressurreição e a transformação dos justos que morreram desde a época de Adão, até a sua vinda. Todos os descendentes justos de Abraão que esperavam o nascimento do Messias e morreram antes de Ele ter sido batizado por João e ter se manifestado a Israel; ressuscitarão na vinda e se farão presentes ali, em função de a ressurreição da vida acontecer na vinda dele, ali no fim do armagedom.

Os israelitas justos que morreram e não sabem da rejeição do povo ao Cristo, ao ressuscitarem e saberem que o Israel que tanto esperou o Messias Ap 12. 1. O rejeitou e o feriu de morte, com certeza chorarão amargamente por Ele como quem chora pelo filho primogênito. A mensagem aplica o choro para os sobreviventes em geral, para dar sentido naquilo que ensina sem sentido algum.

Fazem de conta que não sabem que no momento do choro a ressurreição ocorreu, e entre os salvos estarão homens como Moisés, Abraão, Isaque, Jacó, Davi, Simeão… No momento estarão ali com motivo de sobra para chorarem amargamente. Todos podem acreditar que no momento do choro, não vai estar ali um judeu se quer que neguem o Cristo e o batismo para quaisquer fins.

Todos sabem muito bem que Pilatos deu oportunidades de escolha, quando colocou outro para morrer em seu lugar Mt 27. 17, 21, 23. Escolheram Barrabás e rejeitaram e traspassaram o Messias prometido. No momento da ressurreição eles saberão que os seus descendentes se escandalizaram e rejeitaram, ferindo o Messias de morte e com certeza chorarão amargamente por isso.

O próprio Messias falou: Que haverá menos rigor para Sodoma e Gomorra naquele dia do que para eles. Mt 14. 15; 11. 23, 24; Lc 10. 13, 14. Leia também Lc 17. 29, 30.Parece que não sabem o que está escrito. Se Ele disse que o julgamento dos sodomitas será menos rigoroso: É porque Ele não vai salvar ninguém dos que rejeitam Ele.

Sendo assim o povo pode ter certeza que o choro será de judeus fiéis a Deus, que esperavam o seu nascimento e morreram antes de Ele ter se apresentado a Israel como Rei. O povo pode ver que Simeão “esperava a consolação de Israel. E quando os pais trouxeram o Menino Jesus para fazer com Ele conforme a lei ordenava. Simeão o tomou nos braços e louvou a Deus, dizendo: Agora, ó Soberano senhor, conforme tua palavra pode despedir em paz o teu servo. Pois meus olhos já viram a tua salvação. Luz para revelação aos gentios e para glória de teu povo Israel” Lc 2. 25 a 32.

Simeão com certeza morreu antes de Jesus ter sido batizado na Igreja, e se manifestado como Rei a Israel. Na ressurreição dos mortos em Cristo, com certeza ele e todos os justos que esperaram e não viram a sua manifestação, estarão ali com motivo de sobra para chorarem amargamente.

O apóstolo Pedro falou que a pedra é preciosa para quem nela crer, de tropeço para aqueles que rejeitam. 1 Pe 2. 6 a 8. Razão pela qual, todos podem crer que o choro que Zacarias profetizou, não pode se cumprir na vida de judeus que se escandalizam e negam Ele e as condições.

Quanto aos gentios incrédulos que a mensagem quer de todas as maneiras colocar no Reino dizendo que eles serão os súditos do Reino: É porque a mensagem ensina que os seus escolhidos serão todos reis e sacerdotes com direito de reinar sobre nações. Ou seja, em função disso a mensagem tenta deixar outra classe de pessoas na terra para os salvos reinar sobre eles, por conta disso gera toda essa confusão.

O povo precisa desconfiar que se a mensagem ensina que todos os escolhidos serão reis e sacerdotes e reinarão sobre nações; será óbvio que a mensagem tem que dar um jeitinho de dizer: Que vai se converter pessoas para fazer o papel de súditos do Reino, e tudo não passa de especulação e desvio dos fatos; porque a mensagem ensina que os súditos não serão transformados, e Cristo não vai deixar ninguém no Reino sem a transformação.

Todos podem ver muito bem que os vencedores vão reinar sobre a terra, e não sobre nações. “E eles cantavam um novo cântico: Digno é você de receber o livro e de abrir os seus selos, pois foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, língua, povos e nação Ap 5. 9. E para o nosso Deus os constituístes Reis e Sacerdotes e eles reinarão sobre a terra” Ap 5. 10.

Todos podem ver que a Bíblia diz: Que as pessoas que Ele vai escolher para reinar com Ele, reinarão sobre a terra, e não sobre nações. Todos podem ter certeza que não ficará ninguém na terra além dos seus escolhidos. E saber que dentre os seus escolhidos alguns serão reis, outros sacerdotes e a maior parte serão os súditos do Reino. Incluindo as varoas que a mensagem de todas as maneiras tenta colocá-las no Reino como reis e sacerdotes.

Têm um provérbio popular que diz: Que um erro puxa outro erro, ou seja, um abismo puxa outro abismo. É obvio que de uma vez que a mensagem ensina que todos os salvos serão reis e sacerdotes, será óbvio que ela vai ter que dar um jeitinho de colocá-las nas condições de reis e sacerdotes no Reino. Ainda que aqui na trajetória da Igreja a mensagem exclua as varoas de ocupar cargos no governo da Igreja…

Todos devem desconfiar que se Cristo fosse colocar todos os salvos para serem reis e sacerdotes, seria óbvio que as varoas salvas também teriam que ser incluídas como reis e sacerdotes. Já pararam para pensar se Ele fosse colocar todos os salvos desde Adão até a sua vinda para serem reis e sacerdotes, a quantidade de Reis e sacerdotes que teria no Reino, e a quantidade de súditos que Ele teria que converter para compor o Reino? Responda para você mesmo.

Todos podem ter certeza que da mesma forma que Ele fez na trajetória da Igreja, ou seja, Ele escolheu alguns para apóstolos, outros como profetas, outros como evangelistas e outros como pastores e mestres para governo dos membros Ef 4. 11, 12; 1 Co 12. 28. Na sua vinda Ele fará a mesma coisa, ou seja, dentre os vencedores Ele escolherá alguns para reis, outros para sacerdotes, e a maior parte, incluindo as varoas serão os súditos do Reino, e todos serão transformados.

A história Bíblica dos reis de Israel mostra que os reis sempre foram varões. E a historia dos sacerdotes levitas tanto o sumo sacerdote, como os sacerdotes sempre foram varões. Os doze apóstolos também foram varões. O povo pode ter certeza que se fosse para Ele alterar as coisas, Ele teria feito quando enviou os discípulos para as devidas missões Lc 9. 1 a 6.

Os pronomes (eles), ou seja, “eles saíram e foram pelos povoados” Lc 9.6. Dá uma demonstração de que na qualidade de governo, todos eles foram varões. E também a missão dos setenta e dois discípulos Lc 10. 1 a 17. As pessoas que acreditam e aceitam a mensagem e levam em frente, deveriam refletir melhor no que crêem, ou seja, se aqui na trajetória da Igreja a mensagem excluem as varoas de fazer parte do corpo governante, e no Reino Messiânico coloca elas como reis e sacerdotes, evidência que a mensagem é equivocada, e não condiz com aquilo que elespraticam.

Todos sabem muito bem que a mensagem diz: Que os vencedores reinarão sobre as nações. Eu não sei de onde eles foram tirar essa de que os vencedores reinarão sobre nações. A Bíblia diz: Que eles reinarão sobre a terra, e não sobre nações Ap 5. 10. Todos podem ter certeza que é em função de a mensagem dizer que todos os salvos reinarão sobre nações: Que todos os textos e contextos que à Bíblia apresenta nações na terra para os dias do Reino milenar messiânico, a mensagem aplica para os súditos que segundo eles se converterão após a vinda de Cristo e gera essa confusão.

A mensagem ensina que depois da ressurreição e da transformação, os salvos serão levados as condições de anjos celestiais: E segundo a mensagem os súditos do Reino não serão transformados. Eu também não sei de onde eles foram tirar essa de que os súditos não serão transformados. Em função de tudo isso, todos os contextos que apresentam nações na terra para aqueles dias; a mensagem passa a aplicar para a suposta conversão de súditos.

Eu não sei de onde uma mensagem foi tirar essa de que os salvos serão transformados em anjos celestiais depois da transformação; e que os súditos não passarão pela transformação. Todos podem acreditar que todas as pessoas que permanecerem na terra para o Reino milenar passarão pelo revestimento de imortalidade. Sejam elas reis, sacerdotes ou súditos. Todos serão transformados, e ninguém será anjo celestial.

E acreditar que é a mensagem do mundo religioso que acredita que vai pessoas morarem no céu, que ensina que as pessoas serão transformadas em anjos celestiais para fortalecer a idéia, e dar sentido no assunto de que as pessoas vão poder subir e morar lá Mt 22. 30. Agora dizer que vai restar pessoas no Reino de Deus a partir de aquele dia em diante sem elas serem transformadas eu não sei de onde tiraram essa. Será que copiaram da mensagem da torre de vigia?

A mensagem da torre de vigia das chamadas testemunhas de Jeová ensina assim. Ou seja, ensina que os cento e quarenta e quatro mil, são transformados em anjos celestiais e sobem para morar no céu após a morte. E a outra classe reina com Cristo na terra sem a transformação. Tanto é que para eles Cristo está reinando desde 1914, e eles continuam morrendo. Ou seja, não se dão conta de que se Cristo tivesse voltado o sistema de coisas teria mudado e, no entanto não mudou nada, e também ninguém deles desconfia.

Todos podem ter certeza que quanto Jesus disse: Que “na ressurreição, as pessoas não se casam nem são dadas em casamento; mas são como os anjos no céu” Mt 22. 30. Ele respondeu aos caduceus que fizeram a Ele uma pergunta sobre a lei de Moisés. Ou seja, Ele respondeu uma pergunta sobre a lei; e não sobre o estado físico das pessoas depois da ressurreição. Leia o versículo e responda. Onde os saduceus perguntaram a Ele sobre o estado físico das pessoas de depois da ressurreição? Em lugar nenhum; porque eles perguntaram sobre a lei de Moisés sobre o casamento, e tiveram a resposta que queriam.

Todos podem ver que a pergunta dos saduceus foi sobre a lei que Moisés deu sobre casamento; e Jesus não seria tão ingênuo a ponto de dar um desvio e responder sobre o estado físico das pessoas no seu Reino, porque seria perder o seu credito conquistado durante anos de respostas bem pensadas e objetivas Lc 2. 46, 47, 49.

“Mestre, Moisés disse: Se alguém morrer não tendo filhos, seu irmão casará com a viúva e suscitará descendência ao seu irmão. Ora, havia entre nós sete irmãos: O primeiro, tendo casado, morreu, e não tendo filhos, deixou a sua esposa a seu irmão. A mesma coisa aconteceu com o segundo, até o sétimo. Por fim morreu também o esposo” MT 22. 24 a 27.

Todos podem ver a última frase da pergunta que se trata da lei de Moisés sobre o casamento. Mediante uma pergunta dessa, Jesus se desviar e responder sobre o estado físico das pessoas para depois da ressurreição seria perder o crédito que ele tinha. Todos podem ter certeza que Jesus jamais iria escorregar a ponto de os saduceus perguntarem uma coisa, e Ele responder outra coisa fora daquilo que eles queriam saber. “Portanto, na ressurreição, de qual dos sete ela será esposa, visto que todos a possuíram”? Era de qual deles ela seria esposa que Eles queriam saber. E não o estado físico das pessoas, eles também conheciam as escrituras, e isso eles sabiam muito bem.

O que os saduceus queriam saber era de qual dos sete irmãos ela iria ser esposa depois da ressurreição no seu Reino. E a resposta de Jesus foi que a lei que Moisés deu por causa da dureza do coração dos judeus sobre o casamento e o divórcio não vai ser aplicada no seu Reino. Eu não sei como pode uma mensagem que defende o Reino milenar de Cristo na terra, levar o povo a se perverter e levar para os outros a idéia de as pessoas após a ressurreição e a transformação serem anjos celestiais. E que os súditos do Reino não passarão pelo revestimento de imortalidade.

Todos sabem muito bem que o contexto de Isaias que diz que: “Não haverá ali crianças de poucos dias; nem velho que não cumpra os seus dias; porque o menino morrerá aos cem anos; e o pecador de cem anos será amaldiçoado” Is 65. 20. Poderia uma pessoa não passar pelo revestimento de imortalidade, e morrer aos cem anos ainda menino? Se uma pessoa que aqui neste sistema de coisas, chega aos oitenta anos num bagaço; poderia no Reino de Cristo alguém sem ser transformado chagar aos cem anos ainda menino sem o revestimento de imortalidade? É óbvio que não.

Todos podem crer que a vida do homem no Reino milenar Messiânico será sobre condições de obediência aos mandamentos e a lei de Deus, como é neste sistema de coisas. Adão e Eva eram revestidos Sl 8. 5. Pecaram e morreram em função de Deus ter criado um elemento chamado morte Gn 3. 19, 22 a 24. E sabem que a morte só vai ser eliminada no fim do reinado de Cristo. E a Bíblia garante que pessoas dentre as salvas vão se levantar conta Ele no seu reinado. “Eles virão e verão os corpos mortos dos homens que se rebelaram contra mim” Is 66, 24.

De uma coisa todos podem ter certeza. Se pessoas vão se levantar contra Ele serão pessoas que passarem pela transformação. Porque no seu reinado todos serão transformados. Os mil anos será um período de transição de todos as coisas At 3. 21. E se fosse para as pessoas que Ele deixar no Reino não morrer, Ele destruiria a morte no início dos mil anos e não no fim. A diferença dos mil anos de reinado dele è que aqui neste sistema de coisas a pessoa não precisa pecar para morrer. E lá quem não pecar não morrerá.

Exemplo; “Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é diabo e satanás, e o acorrentou por mil anos” Ap 20.2. Se para evitar um desvio maior das nações nos mil anos, Ele vai prender o dragão, não poderia fazer o mesmo com a morte se fosse para uma pessoa transformada não morrer ali? Adão era coroado de glória e de honra, pecou e morreu. Os anjos caídos eram superiores a Adão e também pecaram e vão perecer a pena do fogo eterno.

Deus sabedor de tudo isso com certeza Ele dará um tempo de mil anos para os salvos reinarem Com Cristo e provarem para Deus que são dignos de fazer parte do Reino eterno. Aquele que não vigiar e pecar, não entrará ali. Is 66. 24; Zc 14. 17. Ap 20, 7 a 10.

O reinado deles com Cristo com certeza será condicional, ou seja, não podem fazer o que fizeram Adão e Eva. As pessoas para fazerem parte do Reino eterno, com certeza Deus irá prová-los um pouco mais. E nada melhor do que os mil anos de reinado de Cristo para uma melhor provação dos participantes do Reino eterno. Ele vai coroar as pessoas de glória e de honra para eles terem condições de viverem o reinado de Cristo, e chegarem ao Reino eterno com vida; se vigiarem e não pecarem.

Aquele que não vigiar e pecar com certeza morrerá. Tanto é que a morte vai estar em atividade no Reino messiânico. Com uma diferença. Neste sistema de coisas os justos não pecam e também morrem como morre o ímpio. No Reino de Cristo só morrerá quem pecar. Essa será a grande diferença da transformação. O revestimento dará condições de o homem viver longos anos se não pecar. “Os dias do meu povo será como os dias da árvore” Is 65. 22.

O revestimento de imortalidade será para dar condições de o homem que não pecar nos mil anos não morrer, e chegar ao Reino eterno com vida. Ali sim não haverá mais mortes; não pelo fato de eles serem revestidos, mais pelo fato de que a morte não vai existir ali 1 Co 15. 26. E também pela água da vida, e a árvore da vida que vai ter ali para a saúde deles. Ap 22. 1, 2. Isso justifica o fato de o Senhor Deus no dia em que lançou Adão fora do jardim do Éden, ter colocado querubins para guardar o caminho da árvore da vida Gn 3. 23.

Os povos podem acreditar que só Deus possui a imortalidade da alma 1 Tm 6. 16. E Deus não é ingênuo para fazer o homem imortal incondicionalmente. Ele sabe que se Ele fizer isso Ele vai ter problema. Ele deu prova disso quando colocou anjos guardando o caminho da árvore da vida Gn 3. 3. 24.

Todos podem ver que “o Senhor Deus disse: Eis que o homem é como um de nós conhecedor do bem e do mal. Para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente no pecado” Gn 3. 22. O Senhor Deus o lançou fora do Jardim do Éden. Essa é a razão de a pessoa que pecar nos mil anos morrerem. Para não chegarem ao Reino eterno, comerem da árvore da vida e viverem eternamente no pecado. As pessoas que viverem os mil anos sem pecar, com certeza terão condições de viverem eternamente no Reino eterno, onde não haverá mais morte.

Todos sabem muito bem que para os seus escolhidos reinarem com Ele os mil anos do seu reinado, será necessário eles serem revestidos para poderem viver como os dias da Árvore, ou seja, uma árvore de grande porte vive mais de mil anos.“Porque os dias de meu povo serão como os dias da árvore e meus escolhidos aproveitarão as obras de suas mãos” Is 65. 23. Ou seja, eles não edificarão para que outros habitem, e nem plantarão para que outros comam como acontece com os justos neste sistema de coisas em que “um homem a quem Deus deu riqueza, bens e honra, de maneira que nada lhe falta de tudo quanto ele deseja, contudo Deus não lhe dá poder para daí comer, antes é o desconhecido que come” Ec 6. 2, 12. Ele mal chega aos oitenta anos e morre. Ou seja, tudo o que ele edifica deixa para outros habitarem. A transformação fará a diferença se o homem não pecar. Se pecar morrerá.

Salomão chegou a dizer: Que aqui neste sistema de coisas: Aquilo que o homem edifica não lhe dá prazer em função da curta vida do homem; ainda que ele pratique a justiça. Abraão foi justo e viveu pouco mais de cem anos Gn 26. 5. “Então não tive prazer na vida, porque o trabalho que fiz debaixo do sol me era penoso, pois, tudo é vaidade. Então não tive prazer em todo o trabalho que produzi debaixo do sol, eu o deixarei ao homem que vier depois de mim. E quem sabe se será sábio ou tolo? Todavia, ele se apossará de todo o meu trabalho que trabalhei arduamente, o qual me dedicou habilmente debaixo do sol; também isso é vaidade Ec 2. 17, 18, 19.

Isso equivale a dizer que a mensagem está blefando em dizer: Que os súditos não serão transformados para viverem o reinado de Cristo na qualidade de súditos. Se eles não forem transformados como poderão viver os mil anos? Se o menino morrerá aos cem anos é porque passará pelo processo de revestimento de imortalidade. Do contrário não seria menino aos cem anos. Morrerá se pecar ali. Do contrário não morreria. A outra diferença é que aqui neste sistema de coisas morre crianças de poucos dias, ainda que não peque. Ali no de Cristo não Is 65.20. As coisas caminham para a perfeição. Nos reinos dos homens, os homens morrem ainda que não pequem. No de Cristo só morrerá quem pecar, e no de Deus ninguém morrerá Ap 21. 4. Aleluia por isso.

Todos sabem muito bem que Cristo é semelhante a Moisés Dt 18. 15. E assim como teve gente do povo que se levantou contra Moisés e murmuraram contra Ele Ex 16. 7, 8, 9, 12; Nm 14. 27; 17. 10. Mais para o final de Reino Messiânico vai ter gente murmurando e se levantando contra Jesus Ap 21. 7 a 10.

A mensagem que leva os súditos do Reino para homens não transformados está blefando, porque Cristo não vai levar ninguém para o seu Reino sem a transformação; porque não mudaria em nada, ou seja, Seria perda de tempo, porque poucos viveriam mais de oitenta anos, e a missão dos reis e dos sacerdotes seria fazer enterros de súditos ainda que não pecassem.

A mensagem para fortalecer a idéia de que os súditos não serão transformados, aplica o contexto que diz que: “Satanás sairá a enganar as nações que estão nos quatros cantos da terra”. Ap 20. 7 a 9. E aplicam para os súditos pelo fato de a Bíblia os chamar de nações.

Se pelo fato de a Bíblia os chamar de nações eles serão súditos não transformados; o que dizer do contexto que diz: Que no Reino eterno “as nações andarão em sua luz” Ap 21. 24, 26? Se os de Ap 20. 7. A mensagem aplica para os súditos não transformados pelo fato de a Bíblia os chamar de nações; o mesmo não deveria aplicar para os de Ap 21. 24, 26? Será que não sabem que eles serão nações, pelo fato de as pessoas que vão reinar com Cristo serem de todas as nações? O povo pode crer que as pessoas que formarão as nações do Reino milenar e do eterno, serão os reis, os sacerdotes e os súditos, eles são de todas as nações, e todos serão transformados.

O povo precisa desconfiar e entender que a Bíblia chama as pessoas dos mil anos de reinado de Cristo, e as do Reino eterno de nações; pelo fato de os Reinos serem por toda a terra, e também pelo fato de as pessoas dos Reinos serem de todas as nações e serem os únicos que Ele vai deixar na terra.

“Porque o mesmo Senhor descerá do céu com grande brado, com voz de arcanjo e com a trombeta de Deus, e os motos em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos seremos”… 1 Ts 4. 16, 17. O pronome nós, Paulo se refere aos escolhidos e fala também do som da trombeta, da ressurreição, mas não da transformação.

Aos coríntios ele fala do som da trombeta, da ressurreição e da transformação e não diz que vai ter pessoas não transformadas no Reino com cristo. “Em um momento, num piscar de olhos, ao som da última trombeta. Pois ela soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. 1 Co 15. 52.

Ele repete o pronome e diz: Nós seremos transformados. Ou seja, se dentre os mortos Paulo diz que apenas os que morreram em Cristo ressuscitarão para o Reino; porque Deus usaria de dois pesos e duas medidas e dentre os vivos levaria os seus escolhidos, Ou seja, os da transformação e mais os súditos. Deus jamais seria injusto a ponto de agir assim para agradar a quem quer que seja, e tapar equívoco de mensagem.

Se Cristo fizer isso, a justiça de Deus com certeza será contestada pelos patriarcas… Pelo fato de os parentes deles que morreram fora da lei não levantar nenhum para o Reino por terem morrido na injustiça. E Ele escorregar e formar o Reino dele de súditos injustos e incrédulos que violam a lei. Imaginem uma mensagem maluca ensinar que os súditos vão se converter após a vinda. Se Cristo vai se deixar ser levado e vai usar de dois pesos e duas medidas para agradar a homens e fazer cumprir mensagens equivocadas.

A mensagem parece que esquece que o Senhor disse: Que naquele dia todo aquele que profana o santo sábado será morto Ex 31. 14, 15. . E também os que comem carne de porco serão consumidos… Is 66. 17. .Como Cristo vai cumprir a palavra de Deus, dentre os homens vivos, vai ficar na terra um remanescente que não profana a lei; mais os mortos no Senhor que ressuscitarão na ressurreição dos justos por obediência a lei. E esse negócio de injustos se convertendo após a vinda é conversa fiada de mensagem que não sabe o que fala.

Voltando a resposta de Jesus para os saduceus todos podem ver que a resposta do mestre foi sobre a lei, e não sobre o estado físico de quem quer que seja para depois da ressurreição. No princípio as pessoas não iam a cartório oficializar casamentos. Tanto é que Ele antes havia respondido aos fariseus uma pergunta sobre a lei do casamento e sobre carta de divórcio.

“Então vieram até ele alguns fariseus para testá-lo, e perguntaram: É permitido ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo”? Mt 19. 8. Vejam que Ele disse: Que no princípio o homem deixava pai e mãe, para se unir a sua mulher Mt 19. 5, 6.Foi assim com Isaque e Jacó… Gn 22. 67; 29. 2, 29… Viveram como marido e mulher sem oficializar casamento em cartório.

No princípio Ele disse que era assim: E com certeza será assim depois da ressurreição. A lei que Moisés deu sobre o casamento, permitindo os israelitas dar cartas de divórcio foi por causa da dureza do coração deles mesmos. Mas Ele respondeu para os saduceus que a lei que Moisés deu foi para o povo da época, e não vai valer para o seu Reino. Pelo menos foi à resposta dele ao saduceus.

Todos podem ver que a lei do casamento e do divórcio, foi exigência do povo para com Moisés. “Perguntaram-lhe: por que mandou Moisés dar carta de divórcio?Vejam a resposta dele. “Por causa da dureza do vosso coração que Moisés permitiu repudiar as vossas mulheres; entretanto do princípio não era assim” Mt 19.8. Se os saduceus perguntaram a Ele sobre a lei de Moisés sobre o casamento, e queriam saber “de qual dos sete ela seria esposa”, depois da ressurreição; teria algum sentido Ele desviar a resposta que eles queriam, e responder sobre o estado físico das pessoas salvas depois da ressurreição? É óbvio que não.

O que os espertinhos querem é justificar os meios de eles dizerem que Jesus levará o povo de Deus para o céu: Aplicam a resposta para afirmar que as pessoas que herdarem a transformação serão anjos celestiais. Deveriam levar a vida espiritual a sério e saber que Ele jamais vai deixar de cumprir o que está escrito nos profetas e nos apóstolos, para agradar a quem quer que seja.

Quem conhece Jesus sabe muito bem que Ele não usava se desviar assim das perguntas de quem quer que fosse. Quem está fazendo isso são mensagens que querem a todo custo colocar as pessoas no céu para poder justificar os meios de a mensagem dizer: Que as pessoas salvas vão virar anjos para morar lá. O mesmo equívoco a mensagem comete ensinando que a alma vive fora do Corpo. Dando um jeitinho de antecipar a ida das pessoas para o céu.

A mensagem faz a mesma coisa com o contexto que Jesus disse que o menor no Reino dos céus será maior do que João batista: Aplicam para dizer que no céu o menor será maior do que João batista. E para dizer que as pessoas depois da ressurreição serão levadas as condições de anjos celestiais, tudo para justificar os meios.

“Em verdade vos digo, entre os nascidos de mulher, não surgiu nenhum maior do que João Batista, mas o menor no Reino dos céus será maior do que ele” Mt 11. 11. Será que Jesus está se referindo que no seu Reino, o menor será maior do que João Batista no sentido de serem anjos celestiais?

Na época que Jesus falou estas palavras, João estava no cárcere Jo 1. 2. E mandou os seus discípulos fazerem algumas perguntas para Jesus que em resposta disse: Que “o menor no Reino do céu será maior do que João”. Todos podem ter certeza que Jesus quis dizer: Que as pessoas depois de transformadas, serão perfeitas como eram Adão e Eva no Éden. E como é Jesus nos dias de hoje.

Os povos que têm esperança de subir acreditam que lá no céu as pessoas serão maiores do que João Batista; porque aprendem com a mensagem que ensina que as pessoas serão transformadas em anjos celestiais. Como pode o menor lá no céu, ser maior do que João batista também lá? Se João batista foi o maior de todos os homens nascidos de mulher, o menor vai ser maior do que ele por quê? Mt 11.11.Responda para você mesmo. Teria algum objetivo à inversão das coisas?

Paulo disse que: Agora “sofremos neste tabernáculo, desejando ser revestido do nosso lugar para viver, que é do céu” 2 Co 5. 2. A transformação é algo que é do céu, mas o homem não é de lá. A transformação levará o homem de volta à perfeição e vai descer de lá, ou seja, a imortalidade está guarda lá para os justos, e aplica-se ao tesouro que os justos acumulam no céu Mt 6. 19, 20; 1 Tm 6.19. Mas nós fomos criados por Deus e colocados aqui. Gn 2. 8; At 17. 26.

Todos sabem muito bem que enquanto Jesus não voltar, continuaremos sofrendo neste corpo corruptível, sujeito a toda sorte de enfermidades e males, desejando ser revestidos de imortalidade que é do céu. Isso significa dizer que a imortalidade da alma será só para depois da ressurreição, por meio da transformação. E ela levará o homem a perfeição, e não a qualidade de anjos celestiais.

Pois também nós, que somos do tabernáculo, sofremos pesadamente, porque não queremos ser despidos, mas revestidos de novo” 2. Co 5. 4. Adão era revestido de imortalidade e morreu por conta do pecado que cometeu. Se Adão era revestido, pecou e morreu; os homens revestidos dos mil anos não podem pecar e nem morrer por quê? Os anjos caídos não pecaram? Ap 12. 9. Eles não foram feitos superior a Adão na sua perfeição? Pecaram e vão ser exterminados. Adão era inferior aos anjos mais era perfeito, pecou e morreu Hb 2. 7. Só porque uma mensagem diz: Que os homens transformados não podem pecar e nem morrer por quê? Responda para você mesmo.

Na nova terra com certeza não haverá mais morte. Mas nos mil anos da restauração de tudo sim. Os homens que não se levantarem contra o Cristo, e não pecarem contra as leis de Deus nos mil anos, e chegarem com vida ao Reino eterno; com certeza não morrerão nunca mais.

Alguns temas doutrinários meus vem esclarecendo que o homem será transformado para não morrerem nunca mais, mas isso é condicionalmente. Aqueles que pecarem no período em que a morte ainda estiver em ação, com certeza morrerá. As pessoas vão ser transformadas para não morrerem mais, condicionalmente se não pecarem. Se o salário do pecado é a morte, valerá por todo o tempo em que a morte existir em ação. Se fosse para o homem não morrer no seu Reino; Cristo a tiraria de ação no seu Reino até o Juízo final.

O homem possuía a imortalidade da alma: Perdeu, e agora deseja ser revestido de novo. Sl 8. 5 a 8. Na vinda de Cristo os justos ressuscitarão e herdarão a imortalidade que Adão e Eva perderam em função do pecado. Chegarão ao Reino eterno se não fazerem o que eles fizeram.

“Se a nossa casa deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício” 2 Co 5. 1. Ou seja, o apóstolo Paulo fez comparação da casa corruptível, ou seja, do nosso corpo perecível e mortal, e comparou com o homem que havemos de ser e disse: Que o corpo dos justos depois da transformação será incomparável com o nosso corpo atual, ou seja, o estado de um homem perecível e de alma mortal, não dá para fazer comparações com o corpo de um justo depois de transformado. Isso dará condições de o homem viver os mil anos sem pecar, se ele for determinado a não pecar. E com certeza as pessoas que chegarão ao Reino eterno não serão poucas.

O corpo mortal é frágil e se desfaz, mas quando os justos alcançarem a imortalidade, eles serão semelhantes o Cristo no presente 1 Jo 3. 2 Fl 3. 11, 12, 21. Somos considerados casas de Deus Mt 24. 45; 1 Tm 3. 15; Hb 3. 5; Nm12. 7; Hb 3. 6.

Se antes da transformação, os justos são considerados casas de Deus! Imaginem depois de transformados? Cristo Jesus foi transfigurado para dar uma demonstração de como serão os homens no seu Reino. “E ali foi transfigurado diante deles, o seu resto resplandeceu como o sol e as suas vestes tornaram-se alvas como a luz” Mt 17. 2; Mc 9. 2; Lc 9. 29. O povo pode ver que o seu rosto brilhou como o sol. “Seu rosto era como o sol, que brilhava em seu resplendor” Ap 1. 16; 10. 1. É disso que o apóstolo Paulo se referiu. Todo aquele que for determinado viverá os mil anos, e chegará ao Reino eterno.

Na época que Jesus falou que o menor no Reino dos céus seria maior do que João: A Igreja ainda não tinha saído da Galiléia . Ou seja, o Reino ainda estava restrito a Israel. João tinha passado pelo nascimento do Espírito, mais ainda estava com o corpo corruptível, ou seja, perecível; e ainda não era manifesto o que João vai ser no Reino de Deus. Se João foi tudo aquilo, e os homens transformados serão maiores do que ele; significa que aquele que pecar e merecedor da morte e não tem do que reclamar.

O que Jesus quis comparar seria pegar o menor na Igreja, ou seja, uma pessoa com menos talentos espiritual do que João Batista levá-lo a transformação do corruptível para a incorruptibilidade e do mortal para a imortalidade, e comparar com João ainda corruptível e perecível para que os seus discípulos pudessem entender como serão as pessoas depois da ressurreição. Ou seja, dizer: Que a pessoa depois de transformada e revestida de imortalidade, será incomparável com a pessoa no corpo perecível e mortal.

Se aqui neste corpo e neste sistema de coisas a alma que pecar morrerá: Quem pecar depois de transformados e perfeitos, e morrer por conta do pecado que cometeu, terá direito de reclamar? Será injustiça da parte de Deus ou de Cristo? Responda para você mesmo e não seja injusto com você.

Ele quis dizer: Que depois de transformadas, as pessoas serão perfeitas como Ele é. “Porque assim como Ele é”; os salvos serão 1 Jo 3. 2. Ele vai fazer parte do Reino e com certeza não vai pecar. E todo aquele que imitá-lo também não vai pecar. Aquele que se deixar ser levado por satanás não terá do que reclamar. O que se pode aprender com isso é que se no Reino milenar os participantes não vão poder relaxar, aqui também não se pode dar trégua para o pecado. O relaxamento todos devem deixar para o Reino eterno.

Todas as pessoas têm possibilidades de chegarem lá se não derem lugar ao diabo. Pedro disse que ele anda rugindo como um leão procurando a quem possa tragar 1 Pe 5. 8. Aquele que vigiar e não der tréguas para ele, com certeza chegará ao Reino eterno, mais não pode relaxar e precisa cuidar com certas mensagens que leva as pessoas a ficarem contra a razão. Os meus temas doutrinários dão várias dicas; sejam atentos a todas elas.

Todos pedem crer que os justos vão ser transformados para não dar lugar ao pecado. “O qual transformará o nosso corpo de nossa humilhação, para assemelhá-lo ao corpo de sua glória, conforme a eficácia do seu poder de sujeitar a si todas as coisas” Fl 3. 21. Jamais Deus sujeitou todas as coisas aos anjos; mas aos homens que vencerem este mundo de trevas Deus vai sujeitar. Somos considerados casas de Deus Mt 24. 45; 1 Tm 3. 15; Hb 3. 5; Nm12.7; Hb 3. 6. Se antes da transformação, os justos são considerados casas de Deus! Imaginem depois de transformados e imortalizados? Com certeza serão homens perfeitos capaz de sujeitar a si todas as coisas. E capazes de não pecar, como pecou Adão.

Todos sabem muito bem que João Batista provou a corrupção e morreu. Jesus estava comparando e dizendo: Que a pessoa depois de transformada do corruptível para a incorruptibilidade, e do mortal para a imortalidade, será maior do que João Batista, ou do que qualquer outro da Igreja fisicamente perecível e mortal.

Jesus quis dizer: Que a diferença é incomparável. E não que no seu Reino terá alguém maior do que o outro, e nem que lá eles serão anjos celestiais. Com certeza Adão antes de Pecar era incomparável com o Adão perecível e mortal depois do pecado, mas não era um anjo celestial, e nem alto suficiente para pecar e não morrerGn 3. 22 a 24. É disso que todos os contextos estão falando.

Voltando nas pessoas que acreditam na mensagem que ensina que todos os salvos serão reis e sacerdotes, eles deveriam desconfiar que se Cristo fosse colocar todos os vencedores para reis e sacerdotes; seria óbvio que Ele teria que dar um jeito de converter os súditos do Reino na vinda.

Como a mensagem ensina que os súditos não vão herdar a imortalidade depois da ressurreição: Fica fácil de a mensagem colocá-los numa posição inferior aos vencedores. E neste sentido todos os contextos que a Bíblia apresenta nações na terra no Reino Messiânico, a mensagem aplica para os súditos sendo regidos pelos vencedores. Todos podem ter certeza que é Cristo que vai reger as nações salvas Ap 12. 5…

E leia o contexto e responda onde o versículo está dizendo que os salvos regerão nações? “Ao vencedor, ao que guardar as minhas obras até o fim, eu lhe darei autoridade sobre as nações, e com cetro de ferro as regerá” Ap 2. 26, 27. Em nenhum, e nem poderia dizer: Porque o versículo está dizendo que Jesus vai reger as nações que Ele deixar na terra: E as nações aplicam-se para os salvos de todas as nações, pelo fato de eles serem de todas as nações da terra. Todos podem acreditar que eles serão os únicos que Ele deixará na terra a partir de aquele dia em diante. Cristo será o regente; e eles serão as nações regidas.

Eu sou do povo, e leio o contexto e entendo que Jesus está dizendo: Que vai dar poder aos vencedores, para eles sujeitar a si todas as coisas, e vai regê-los com cetro de ferro. E não vejo nada de vencedor regendo nações.

Todos podem ter certeza que os vencedores serão às nações que reinarão com Ele sobre a terra. Ou seja, as pessoas justas de toda a história da humanidade, desde Adão até a sua segunda vinda. Todos que Ele deixar no Reino, reinarão com Ele, sejam eles reis, sacerdotes ou súditos.

Leia o texto e responda: Onde o texto está dizendo que os salvos reinarão sobre nações? “E eles cantavam um novo cântico: És digno de receber o livro e de abrir os seus selos, pois você foi morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo língua, povo e nação. E para o nosso Deus os constituístes reis e sacerdotes, e eles reinarão sobre a terra” Ap 5. 9, 10. Em lugar nenhum. Porque o texto está dizendo: Que eles reinarão sobre a terra, e não sobre nações. Os salvos serão as nações; e Cristo o regente.

Na sua volta Ele vai revestir a todos de imortalidade para dar condições de eles viverem os mil anos com Ele na terra. Eles serão os mansos que Jesus disse: Que herdarão a terra Mt 5. 5; Sl 25. 12, 13; 37. 9, 10, 22, 29, 34; 105. 11; PV 2. 21,22; 10. 30; Is 60.21; 57. 13; At 17. 26 1 Cr 16. 28; Dn 2. 35; 7. 27. E o poder que Cristo vai dar a cada um deles, sobre os ímpios, será o poder sobre natural de sujeitar a si todas as coisas como Deus deu a Adão no princípio. Adão pecou porque foi ingênuo e não vigiou.

Alguém além dos vencedores tem promessa de habitar a terra? Deus prometeu a terra para alguém além daqueles que vencer este mundo de trevas? Não foi para as pessoas que aceitam as condições e colocam em prática que Deus prometeu a terra como habitat para sempre? 1 Cr 16.16 a 18; Sl 105. 8 a 11; Hb 6. 17,18. É óbvio que sim.

São certas picuinhas que a mensagem inventa como as pessoas depois da transformação vão ser transformadas em anjos celestiais, vencedores reger nações, conversão de almas para depois da vinda de Cristo, súditos se convertendo depois da vinda e não serem transformados, todos serem reis e sacerdotes, as pessoas que subirão a Jerusalém adorar o Rei ser os súditos e não os salvos, Judeus incrédulos se convertendo depois da vinda para chorar amargamente, cidade literal imóvel descendo do céu… Que leva o povo a ficar contra a razão.

O povo pode ter certeza que o poder que Jesus vai dar para os vencedores sobre as nações que não obedecem 2 Ts 1. 8. Mq 5. 15. Será no sentido de eles passarem pelo processo de revestimento de imortalidade para reinar com Ele sobre a terra. E as pessoas das nações que não obedecem ao evangelho, não vão receber o poder da imortalidade, e perecerão por conta disso.

Os reis e os sacerdotes serão pessoas que Ele vai separar dentre os salvos para ajudá-lo no governo do Reino, visto que o seu reinado será abrangente. O tema vai comparar com os governos que Deus colocou na Igreja e vos mostrar que com os súditos do Reino não será diferente. “E uns Deus colocou na Igreja primeiramente Apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro mestres” 1 Co 12. 28. Estes formam o corpo governante da Igreja. “Ele deu uns para apóstolos, e outros como profetas, e outros como pastores e mestres Ef 4. 11. Para a preparação dos santos para a obra do ministério” Ef 4. 13.

Estes formam o ministério e governam na Igreja um número ilimitado de membros. Assim será no Reino Messiânico. Os reis e os sacerdotes serão pessoas separadas dentre os salvos para governo das pessoas salvas que vão reinar espalhadas por toda a terra. E os súditos do Reino também serão pessoas dentre os salvos, transformadas e separados para este fim. E o povo pode acreditar que não haverá conversões de pessoas após a vinda. LE acreditar que se os súditos não fossem transformados as varoas estariam perdidas. Como reinariam elas os mil anos de Cristo sem a transformação?

A mensagem aplica também este texto para dizer: Que haverá conversões de almas após a vinda de Cristo para serem súditos. “Todos os limites da Terra se lembrarão e se converterão ao Senhor” Sl 22. 27. Todos podem ter certeza que começou também com Cornélio e os da sua casa, eles foram os primeiros estrangeiros, ou seja, gentios a se converterem ao Senhor Jesus Cristo At 10. 28, 34, 47, 48. O texto já teve, e está tendo o seu comprimento na vida daqueles gentios que se convertem ao Senhor Jesus.

A mensagem para dizer: Que haverá conversões de almas na vinda aplica também este contexto. “todos os que restarem de todas as nações que subirem contra Jerusalém, subirão de ano em ano para adorar o Senhor dos exércitos, o Rei, e celebrar as festas a festa das cabanas” Zc 14. 16. Com certeza o contexto se cumprirá com os seus escolhidos que residirem fora de Jerusalém no Reino milenar, eles subirão de ano em ano ali em Jerusalém adorar o Rei. No governo de Arão era assim. .

Todos podem ter certeza que o profeta Isaias falou que na sua vinda poucos homens restarão na terra: E aplicando para os dias do fim deste sistema de coisas, os homens vivos que Cristo vai deixar na terra, aplicam-se para todos aqueles que aceitam o Senhor Jesus como Salvador e as condições. Mais os justos que serviram a Deus nas suas leis, desde Adão até a sua vinda que dormem no pó da terra, ressuscitarão na vinda e se juntarão aos poucos homens que restarão dentre os vivos para compor o Reino.

Na sua vinda todos os que dormem no pó da terra se levantarão da sepultura para a ressurreição da vida Jo22. 29. A E se juntarão aos poucos homens vivos que remanescerá a catástrofe da saraivada de pedras e a ceifa dos anjos. Para reinar com Ele os mil anos e adorá-lo no seu Reino. Todo aquele que residir fora de Jerusalém, subirão ali em Jerusalém de ano em ano fazer cumprir o contexto Bíblico de Zc 14. 16.

Para que todos possam entender melhor o assunto; Isaias disse que: “A maldição consome a terra, e o povo é culpado. Por isso os moradores da terra serão queimados e poucos homens restarão” Is 24.6. Isaias deixou bem claro que as pessoas que contaminam a terra em função da transgressão da lei perecerão e poucos homens restarão nela. Isaias falou: Que se converterá alguém dentre eles na vinda? É óbvio que não. Nos dias de Noé se converteu alguém? Deus poupou alguém para se súditos de Noé? É óbvio que não e os dias da sua vinda será assimMt 24. 37. Das virgens despreparadas ficará alguém para súditos? Mt 25. 11, 12. Os elaboradores da mensagem parecem que se esqueceram do que a Bíblia diz.

Atualmente o trigo e o joio estão juntos na terra que está bastante contaminada pela ação do homem. Na sua vinda, “dois estarão no campo: Um será tomado, e deixado o outro Mt 24. 40. Duas estarão trabalhando no moinho: Uma será tomada e deixada à outra” Mt 24. 41. Quem restará ali não serão as árvores frutíferas? É obvio que sim Mt 13. 43.

Todos podem ter certeza que restará na terra, os poucos homens que Isaias se referiu, mais as pessoas justas que serviram a Deus nas suas leis, que dormem no pó da terra. Na vinda eles ressuscitarão para reinar com Ele. E como o seu Reino será abrangente a toda a terra, aqueles que residirem fora de Jerusalém, com certeza de ano em ano subirão ali em Jerusalém para fazer cumprir a profecia.

O povo pode ter certeza, que está escrito que aqueles que são contra a lei, serão arrancados da terra e serão queimados MT 13. 41,42. Mt 5. 5; Sl 25. 12, 13; 37. 9, 10, 22, 29, 34; 105. 11; PV 2. 21,22; 10. 30; Is 60.21; 57. 13; At 17. 26 1 Cr 16. 28; Dn 2. 35; 7. 27. E também os judeus que conhecem a lei, e negam o Cristo e o batismo. Quem nega o Cristo nega a Deus Lc 10. 16. E como os anjos serão enviados para colher os incrédulos e queimar, o resto, mais os fiéis que serão ressuscitados, serão as árvores de bons frutos, que ficarão na terra para reinar e adorar o Rei. E todos serão transformados e sabedores que não poderão pecar ali, como pecaram Adão e Eva lá.

Todos podem ver que Jesus ao falar dos bons frutos do seu povo, Ele comparou cada um deles com árvores. Mt 7. 19; 12. 33 E disse: Que as árvores que Ele vai deixar na terra, serão as árvores de bons frutos. Ele disse que naquele dia restarão os melhores, ou seja, as árvores costumadas a dar frutos dignos de arrependimentoMt 7. 19; Lc 3. 9. Todos sabem muito bem que Cristo Jesus vai mandar arrancar o joio da terra e mandar queimar. E como ele vai fazer isso, só as árvores que obedecem as condições serão poupadas.

O ramo que dá bom fruto, Ele disse que deixará na terra para que dê mais frutos Jo 15. 2. Os espertinhos para aplicar o resto para judeus e gentios incrédulos que se converterão após a vinda. Ensinam que a Igreja não pode ser resto. O tema vai esclarecer a todos, que o resto aplica-se aos poucos homens dentre os vivos que Ele poupar com vida no dia da vinda. E são os poucos homens que Isaias disse: Que observam as suas leis.

Aqueles dentre os judeus que negam o Cristo e o batismo, têm frutos dignos de arrependimento? E os frutos de um gentio que nega um ou mais mandamentos é bom? A Bíblia diz: Que não. “Produzir frutos digno de arrependimentos” Luc 3. 8; Mt 3. 2. Se fosse Isaias não diria que eles estão contaminando e poluindo a terra. Se Cristo não voltar em breve, eles destruirão o planeta e os que nele habitam.

Como Cristo voltará em breve, Ele disse: Que só as árvores boas permanecerão nela. E os espertinhos para dar sentido no que pregam, dizem que o trigo não será resto: E aplicam a mensagem para ensinar que vai se converter judeus e gentios incrédulos após a vinda. Judeus incrédulos para se cumprir a restauração de Israel. Dê uma olhadinha no tema , e vejam que a restauração de Israel está se cumprindo com a missão da Igreja. E gentios incrédulos para exercerem o papel de súditos. Dê uma olhadinha também no tema  . que ali contém toda a explicação.

Os povos podem ter certeza que o direito de adorar o Rei de aquele dia em diante, será somente para os mansos que Ele disse: Que herdarão a terra Mt 5. 5. Porque só eles herdarão a incorrupção. E quem não for transformado não vai ficar no Reino. Vocês sabiam que carne e sangue não herdam o Reino de Deus?

Como pode o povo aceitar passivamente uma mensagem que aplica as nações que a Bíblia apresenta na terra para aqueles dias de depois da ressurreição e da transformação para os súditos dizendo: Que eles não vão ser transformados pelo fato de ser resto? Se carne e sangue não herdam o Reino de Deus, os meninos que Isaias disse: Que morrerão com cem anos fazem parte dos transformados Is 65. 2. E as nações que satanás vai seduzir para cercar Jerusalém também serão pessoas que passaram pela transformação, e pecarão por não vigiar Ap 20.7 a10.

Se carne e sangue não herdarão o Reino de Deus, poderão pessoas sem a transformação restar na terra para quaisquer fins no Reino? É óbvio que não. A mensagem aplica o resto para os súditos não transformados; e para as pessoas que subirão adorar o Rei. Se “carne e sangue não pode herdar o Reino de Deus” 1 Co 15. 50. Poderá pessoas sem a transformação restar aqui, e subir lá adorar o Rei? Responda para você mesmo. Se não encontrar respostas dê uma olhadinha no temaO Que as respostas estão todas ali.

Outra coisa que eu não sei, foi de onde eles foram tirar essa de que os súditos do Reino não herdarão a transformação. Se carne e sangue não herdará o Reino de Deus poderá os súditos não ser transformados? As pessoas deveriam se tocar, e não se deixarem ser levados por mensagens assim. Se não mudarem de pensamento, e um dia perecerem não poderá reclamar. Se todo aquele que pratica a mentira ficará de fora do Reino de Deus; quem leva uma mensagem assim em frente, poderá ser julgado como mentiroso e ser condenado por isso.

“Bem aventurados os mansos, porque herdarão a terra” Mt 5. 5. Foi com conhecimento de causa que Jesus falou: Que “os mansos herdarão a terra”. “Qual é o homem que teme ao Senhor? Este ensinará o caminho que deve escolher, sua alma descansará no bem e sua descendência herdará a terra” Sl 25. 12, 13.

“Os céus são os céus do Senhor, mas a terra deu Ele aos filhos dos homens Sl 115. 16. Os humildes herdarão a terra, e se deleitarão em paz abundante Sl 37. 11.Pois, aqueles que são abençoados pelo Senhor herdarão a terra Sl 37. 22. Os justos herdarão a terra e nela habitarão para sempre” Sl 37. 29. Alguém além deles poderá herdar a terra? Se não herdarão é porque ali todos serão transformados. E como vai gente pecar ali; esse alguém será dentre os transformados. E como a morte nos mil anos estará em ação, quem pecar morrerá.

“Confia no Senhor, e guarda o seu caminho, e Ele te exaltará para herdares a terraSl 37. 34 Porque os retos habitarão a terra, e os íntegros permanecerão nela” Pv 2. 21. “E todos os do teu povo serão justos, para sempre herdarão a terra Is 60. 21.Aquele que confia em mim herdará a terra, e possuirá o meu santo monte” Is 58. 13.

“Eu porém ungi o meu Rei no monte santo em Jerusalém Sl 2. 6. E o Senhor será Rei por toda a terra Zc 12. 9. Onde está o Rei dos Judeus que acaba de nascer? Mt 2. 2. Não jureis por Jerusalém , por ser a cidade do grande Rei Mt 5. 35. “Jesus, sabendo que estavam para vir com a intenção de proclamarem Rei retirou-se” Jo 6. 15.

Como todos puderam ver, Isaias falou: Que restarão poucos homens na terra, aplica-se para os homens dentre os vivos que herdarão a transformação. Tanto é que ele disse: Que o que está contaminando a terra são os homens que transgridem a lei; e deixou bem claro que eles serão ceifados.

“E a terra é profanada sob a ação de seus habitantes, porque eles transgridem as leis e alteram os decretos. Por isso, a maldição consome a terra e seus habitantes serão castigados; Por isso os seus habitantes serão queimados e poucos homens restarão” Is 24. 5, 6. Se fizermos um levantamento a nível mundial, será constatado que Isaias falou a verdade. E seria constatado que poucos homens obedecem às leis de Deus que contem em Ex 20. 1 a 17… Sem alterações.

O povo pode ter certeza que os salvos serão como a areia do mar. E aplica-se para os homens e mulheres que serão transformados e revestidos de imortalidade na vinda. E ter certeza que os súditos também serão transformados. É por isso que os elaboradores da mensagem levam todas as varoas salvas, para a qualidade de reis e sacerdotes. As varoas podem ter certeza que elas no Reino serão súditas, mas serão transformadas. E saber que uma mensagem que ensina que os súditos não passarão pelo processo de transformação não sabe o que está ensinando.

O apostolo Paulo falou que os justos que dormem no pó da terra, ressuscitarão para se juntarem aos poucos homens que restarão vivos 1 Ts 4. 16, 17. Da catástrofe da saraivada de pedras Ap 16. 21. E da ceifa dos anjos Mt 13. 41, 42. Dê uma olhadinha no tema E verá que dentre os mortos, apenas os justos ressuscitarão e todos passarão pela transformação. A mesma aplicação se faz para os vivos. O pronome nós, ou seja, “depois nós, os que ficarmos vivos seremos transformados”; aplicam-se para todos aqueles dentre os vivos que Ele poupar com vida, e os transformará para reinar com Ele 1 Co 15. 52.

Eles serão as nações que reinarão com Cristo os mil anos na terra. E todos serão súditos do grande Rei Ap 2. 26. 27; 12. 5. E os que residirem fora de Jerusalém subirão de ano em ano ali em Jerusalém para fazer cumprir a palavra falada, e adorar o grande Raí…

 IDSD

Tags: