Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
21 VERDADES INEGÁVEIS SOBRE O DÍZIMO.

21 VERDADES INEGÁVEIS SOBRE O DÍZIMO.

1- O dizimo era no TEMPLO, e não na Igreja.

Casa de Adonai é o TEMPLO (Malaquias 4:10)

2- Casa de Adonai não é Igreja, é o TEMPLO.

3- O TEMPLO está destruído desde o exílio do judeus.

4- O dízimo não era em dinheiro nem baseado no ganho, mas baseado na TERRA. Exemplo: Yeshua disse aos fariseus: “Vocês dão o dizimo do cominho e do coentro”.

5- Para ser realmente bíblico, o dizimo NÃO era baseado no ganho ou no dinheiro, DE MODO ALGUM!

[Dt. 14:22-23; 18:1-5; 26:12; Neemias 10:38-39; 12:44; Levítico 27:30-33; Josué 13:14].

6- O dízimo da colheita não se relacionava ao ganho [mas à TERRA]. O dinheiro era raramente uma coisa dizimada na Bíblia, se é que jamais o foi (Neemias 13:10-13).

7- Era para ser entregue nas mãos dos levitas e sacerdotes dependiam dos dízimos para COMER.

8- Levitas não são CANTORES GOSPEL, são Sacerdotes do TEMPLO.

8- A casa de Adonai era um ARMAZÉM e PONTO DE DISTRIBUIÇÃO para os sacrifícios, levitas, sacerdotes e os necessitados “Trazei todos os dízimos à CASA DO TESOURO, para que haja MANTIMENTO na Minha Casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz Adonai- Tzvaot, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes”.

9- O ato de dizimar SEMPRE foi feito para honrar ao Eterno. NUNCA foi feito para se conseguir alguma coisa de volta nem para ser equivalente a uma loteria cristã.

10- Referindo-se à oferta da viúva, o mesmo Yeshua recolhia OFERTAS E NÃO DIZIMOS. Ele falou da OFERTA da viúva pobre, pois sabia que os DIZIMOS so poderiam ser recolhidos no TEMPLO.

11- Yeshua que observou e denunciou a prática de dar a D’us, enquanto se ignoram as responsabilidades (Mc. 12:41-44; 7:10-13; Mt. 22:21; 17:25-27).

“Portanto, dai a cada um o que deveis: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra. A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei.”

Romanos 13:7-8

12- A lei do dízimo era baseada num sistema agrário (terra), dentro de um governo teocrático e uma sociedade agrícola.

A terra era propriedade oficial de ADONAI.para Israel], com os levitas recebendo os dízimos de Israel, em lugar [do uso] da terra (Levítico 25:23-24).

– Tal sistema deixou de existir, daí por que muitos judeus já não dizimam sob argumento de que uma forma de sistema agrário ainda existe com o governo foi do DIZIMO foi substituindo pelo governo que é “proprietário” da terra e a explora através de impostos e taxas. Todos os governos mundiais, Incluindo o governo de Israel. Todos pagam esse “dízimo”, direta ou indiretamente à Igreja Católica Romana, através de IPTUs, aluguéis, impostos comerciais [ICMS, IPI, etc.] e impostos agrícolas porque o Governo sustenta a Igreja Católica romana usando nossos impostos.

13- O tempo do dízimo obrigatório corresponde ao princípio da organização do governo do estado teocrático judaico, através da Lei de Moisés, da exploração agrícola da terra pelo estado teocrático de Israel, do sacerdócio levítico e do primeiro Templo judaico o TABERNÁCULO, é uma diferença muito grande de que numa teocracia falsa de igreja que hoje é o governo com todas as responsabilidades de governo.

Hoje a igreja explora a terra; e responde pelo sistema judicial, legislativo e governamental; mantém e dirige as forças armadas, e a força policial; ela decide sobre os impostos, da distribuição dos recursos públicos, dos serviços de saúde, do bem estar social, das aposentadorias, nem de outras responsabilidades governamentais.

O governo teocrático judaico fazia tudo isso, e muito mais, sob a Lei de Moisés, a Igreja Cristã Católica tomou a responsabilidade da Lei e a anulou sob alegação de que devemos viver na GRAÇA e NÃO na LEI para tomar o poder da LEI do Eterno na Torá.

Nos USA [e no Brasil, e em todos os países ocidentais], a igreja e o estado são UNIDOS e muito mais de 10% (DIZIMO) são pagos em impostos, pela substancial maioria dos americanos [e brasileiros], às funções governamentais e à igreja.

De vinte e cinco até trinta por cento das taxas americanas [e brasileiras] vão para uma variedade de causas, enquanto que muitas, se não a maioria, são manuseadas pela igreja, num governo teocrático MUNDIAL.

Hoje em dia, as deduções de pagamentos e outras taxas até isenção de impostos, diminuindo os lucros, inclusive as doações feitas às igrejas cristãs Católicas e Evangélicas que também não PAGAM IMPOSTOS porque também são organizações governamentais registradas em Cartórios.

O Governo Teocrático do Eterno e suas leis foram substituídas pelas igrejas Cristais Católicas e Protestantes

Samuel advertiu o povo de D’us no sentido de que se este abandonasse a forma de governo teocrático, os dízimos seriam cobrados do povo, levando-o a protestar em razão das exigências governamentais (1 Samuel 8:2-22).

A história está repleta de exemplos de excessivas exigências governamentais e a maioria dos americanos [e brasileiros] já é triplamente “dizimada” em seus impostos pelas funções do governo, que teriam sido antes manuseadas pelas igrejas, numa teocracia cristã.

14- O uso comunitário e a distribuição era para os levitas, sacerdotes, estrangeiros, peregrinos, órfãos e viúvas (Deuteronômio 26:12 e 14:29).

Não existem mais esses encargos para a distribuição comunitária do dízimo, na igreja de hoje. Cada igreja cristã que tem ensinando incorretamente chamando de “dízimo bíblico” e como a Lei, não está realmente dízimando, conforme os pactos exigidos (Deuteronômio 26:12-15).

A responsabilidades comunitárias e distribuição de recursos pelos Talmidim de Yeshua conforme o Livro de Atos.

No Novo testamento, as pessoas vendiam o que possuíam e entregavam o resultado aos Emissários de Yeshua, para que ninguém ficasse em falta (Atos 4:34-35).

Note que as responsabilidades comunitárias eram encargos obrigatórios, enquanto que as doações do Novo Testamento eram VOLUNTÁRIAS e o dízimo jamais foi mencionado (At. 4:34-35 e 5:4).

Pedro falou para Ananias:

“Guardando-a não ficava para TI? E, vendida, não estava em teu poder?”

Ele jamais falou: “Você era obrigado a trazer o dízimo dessa venda”. Isso foi acréscimo feito na Tradução pela Igreja Católica.

Paulo também encorajou o sistema de distribuição de recursos, na 2 Coríntios 8:13-15 e em Romanos 12:13.

O propósito do Velho e do Novo Testamentos em relação à riqueza não era ficar rico ou impressionar as pessoas, mas realizar a obra de Deus e compartilhar as necessidades (Deuteronômio 15, Levítico 25, Mateus 19:21 e Efésios 4:28).

15- O Dízimo, segundo se ensina hoje, foi modificado e já NÃO corresponde ao dízimo segundo as Escrituras Sagradas.

  1. a) D’us destinou os dízimos aos levitas em recompensa pelos seus serviços e por não terem recebido a herança pessoal da terra.

  2. b) Os levitas davam aos sacerdotes o dízimo dos dízimos que recebiam.

  3. c) O Cristianismo não tem um sistema agrícola nem levitas, e nenhum cristão é um sacerdote do TEMPLO e nem um obreiro de Yeshua, sem Nem Ele recolhia DIZIMOS.

  4. d) Os cristão trabalham para o sistema cristão romano porque são de origem dela: Roma e não dos Talmidim de Yeshua.

  5. e) A Lei de dizimar era na base agrária (da terra).

Nenhum desses dízimos era dado em dinheiro, conforme geralmente se ensina hoje.

  1. f) Os cristãos estão “criativamente inventando” uma doutrina ensinando que o dízimo bíblico é dar 10% da renda bruta ou líquida, apanhando e escolhendo qual a parte da lei que elas devem seguir, determinando quantias ou misturando a lei com a graça.

De cada judeu era exigido, pela Lei Levítica, que fossem pagos três dízimos [dos lucros] de sua propriedade:

  1. – Um dízimo para os levitas;

  2. – Um dízimo para uso do TEMPLO e para as grandes festas; e

  3. – Um dízimo para os pobres da terra. [Números 18, Deuteronômio 14]

16- Controle, ambição ou completa ignorância constituem a motivação por trás de muitas das mensagens atuais sobre o dízimo obrigatório.

Pastores usam o MEDO para MANIPULAR os cristãos dizendo:

– Se você não entregar o DIZIMO dirá o DEVORADOR e ele vai devorar o fruto do seus trabalho!

Chamar os não dizimistas de ladrões, ou pregar o dízimo junto com a condenação, com a obrigação e com o medo, com relação a específicas quantias dadas, sem o conhecimento do sacrifício, da fé e dos compromissos (que serão discutidos mais tarde), e a intenção que moveu o doador, é o mesmo que pregar a lei.

É também uma pedra de tropeço, não é da Lei do Eterno, sendo, portanto, um pecado. [Pagar] uma CONTA obrigatória [e sendo cobrada com pressão] não pode ser “dar” e “Tudo que não é de fé é PECADO”.

Ladrões são os que Roubam o DIZIMO do TEMPLO enganando o povo induzido-os pelo Medo, o Que É Opressivo e Negativo.

Eles usam até a história das duas pequenas moedas da viúva.

Uma coisa que D’us NÃO iria autorizar, visto como oprime os pobres fazendo lavagem cerebral usando o MEDO.

Eles usam a ofensiva e desavergonhadamente, o “dizimar” como Lei, mas negam a lei como Governança do Eterno e anulam o guardar o Shabbath e o resto dela.

Eles dizem que: “Todo o seu dinheiro pertence a D’us.”, convém lembrar que eles também disse: “O trabalhador é digno do seu salário” para ficar sem trabalhar usufruindo do seu trabalho.

Considerando o que demonstram os modernos líderes da prosperidade:

“Vendei o que tendes, e dai esmolas. Fazei para vós bolsas que não se envelheçam; tesouro nos céus que nunca acabe, aonde não chega ladrão e a traça não rói.

(Lucas 12:33).

O DIZIMO não é obrigatório deixando os membros de suas igrejas cada vez mais confusos quanto ao assunto. Isso precisa acabar!

Alguns chegam ao extremo de ensinar que o dízimo obrigatório é simplesmente uma “janela aberta às bênçãos” e que “dizimar além do dízimo é que produz uma tempestade de bênçãos”.

[Quem tem medo de tempestades, como eu, continue sendo não dizimista, como eu!].

[No Brasil os impostos do governo já atingem uma faixa de quase 50%. Nesse caso, o brasileiro que entrega o dízimo retém apenas 40% do que ele recebe de renda bruta…

Então é o caso de indagar: D’us deseja ver os Seus filhos passando necessidade, enquanto os líderes se locupletam de bens?]

17- Yeshua NÃO ensinou a dar 10% da renda [bruta] de alguém, contudo permanece o princípio de OFERTAR com o fim de sustentar o Ministério Congregacional.

O ministério de Yeshua era sustentado por mulheres, Paulo fabricava tendas para não ser PESADO para os irmãos. As ofertas eram usadas somente para bancar suas viagens e não o seu luxo, carros importados e mansões.

18- Malaquias 3 está sendo usado como “bruxaria cristã”.

Malaquias 3:8-12 tem sido rotineiramente retirado do contexto e usado como maldição, uma espécie de ”bruxaria cristã” pelos pastores ambiciosos e manipuladores, alguns deles cegos pela ignorância dos cristãos.

Usar Malaquias como “maldição” contra pessoas, usando a fé delas, negligenciando o TEMPLO do Antigo Testamento, é aplicar erroneamente a Palavra de D’us, visando lucro financeiro.

19- Viva erradamente ou dê erradamente, e de nada lhe aproveitará dar.

1 Coríntios 13 esclarece: “E ainda que distribuísse TODA a minha fortuna para sustento dos pobres e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, NADA disso me aproveitaria”.

Esse é o amor ÁGAPE.

Dê uma cesta básica por mês a um pobre e necessitado e verá chover bênçãos sobre a sua cabeça, não aos pastores necessitados.

O Novo Testamento é para APERFEIÇOAR a lei.

No Novo Testamento a INTENÇÃO é mais importante do que a REGRA.

20- O Dizimo antes e durante a lei JAMAIS foi o mesmo que a oferta das primícias:

Os mestres do dízimo obrigatório confundem o dízimo com a oferta das primícias. Por não saberem manejar corretamente a Palavra da Verdade, muitas escrituras com relação a dar as primícias são mal aplicadas, a fim de darem suporte à doutrina do dízimo obrigatório.

Na Lei: A oferta das primícias acontecia quando os israelitas traziam como oferta a primeira porção dos frutos colhidos. Isto era visto como um penhor-promessa referente às colheitas futuras, as quais, então, seriam dizimadas. [Era uma forma de promessa de que os dízimos das colheitas seriam entregues]. A oferta das primícias NUNCA foi dizimo, antes nem durante a vigência da Lei Mosaica.

21- A obra do Eterno Adonai não deve ser vista como promessa de que seremos bem sucedidos e nos tornaremos ricos.

Yeshua chamou a riqueza de enganosa. Ele também disse:

“Ai dos ricos’ e que ‘Não se pode servir a Deus e às riquezas” (Mateus 6:24; Lucas 16:13).

Ele jamais colocou os ricos e as riquezas num foco positivo.

Como eu podem desperdiçar tanto tempo enfatizando bênçãos financeiras?

Para o Cristianismo parece que “a riqueza é igual à piedade’. E ‘a falta de riqueza é igual à ‘maldição’ ”.

Muitos dos que são escravos da doutrina da prosperidade pensam assim:

“Ora, se eu estou faturando tanto dinheiro, isso só pode ser de D’us!”. Satanás ofereceu os reinos do mundo para quem se prostrar diante dele e o adorar.

Muitos querem buscar a Glória de Elohim do Antigo Testamento, mas ao mesmo tempo Negam a Lei afirmando que a “graça” do Novo Testamento anulou a lei de Moisés.

__________________________

( Por Wilma Ribeiro )

https://www.facebook.com/pastorawilma.ribeiro.5/posts/1226917970725972

________/)_೬☼_____/¯”‘””‘/’)

¯¯¯¯¯¯¯¯¯\)¯☼ಶ¯¯¯¯’\_„„„„\,)

__________________________

►C►O►M►P►A►R►T►I►L►H►E

Tags: