Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
A HISTÓRIA DO NATAL

A HISTÓRIA DO NATAL
A história do Natal antecede a do Messias em dois mil anos.
Observou-se primeiramente nos ritos dos pagãos idólatras e Yahweh castigou a Israel por se envolver nestes
actos abomináveis aos olhos do Criador.
Yahweh Todo-Poderoso também o adverte a si que não se envolva nos caminhos dos pagãos.
Eis aqui a Verdade sôbre o Natal.
Neste trabalho restaurámos os Nomes Sagrados do Pai Celestial Yahweh e de Seu Filho Yahoshúa,o Messias.
Esta é a época do Natal,uma celebração que se supõe honrar o nascimento do Salvador da Humanidade.
E cada ano o entusiasmo parece surgir subtilmente, um pouco mais cedo,até que praticamente todos ficam
envolvidos no frenético “espírito festivo”. Cada vez mais os jornalistas lamentam nas revistas e jornais a excessiva
comercialização num dia que eles reconhecem ter perdido o seu significado original.
Mas,qual é o seu significado original ?
Os jornalistas conhecem-no? Conhece-o o leitor ?
De onde provém a celebração do Natal ?
Alguma vez o leitor se deteve a pensar,porquê celebra o Natal?
Se é a celebração do nascimento do nosso Salvador,o que é que faz ali o S. Nicolau ou Pai Natal ?
Porquê a Árvore de Natal,as grinaldas,a troca de presentes,as coroas,as festas familiares,o leitão assado,os
bolos,as filhós e todas restantes guloseimas que fazem parte desta celebração tão tão famosa no Mundo
“cristão” ?
Que têm a ver todas estas” loucuras” com o nascimento do Messias ?
É demasiado frequente nos deixarmos levar pela corrente,fazendo o que fazem os demais,sem sequer
perguntar-mos porquê ?
Todos os anos,em alguns países,os jornais publicam artigos que explicam as origens pagãs dos costumes do
Natal,mas nós sorrimos e dizemos:”Que curioso.E continuamos a enganar-nos a nós mesmos,pensando que
na verdade estamos a celebrar o nascimento do Salvador Yahoshúa.
Se nos déssemos ao trabalho de abrir as nossas Bíblias veríamos que a palavra Natal está mesmo ausente nas
suas páginas de ouro.
Não existe uma só passagem que nos convide a celebrar o dia do nascimento de Yahoshúa,o Messias.
Está chocado ? Talvez,mas é um facto.
A Sagrada Escritura,diz em Jeremias 10:2,o seguinte:
“Não aprendais o Caminho das nações,nem vos espanteis com os sinais dos Céus:porque com êles
se atemorizam as nações”.
A Versão Moderna,diz:
“Não aprendais os costumes dos pagãos”
Depois nos versículos 3 a 5,Yahweh Todo-Poderoso,dá uma repreensão aos que se envolvem no costume de
cortar árvores do bosque e preparar qualquer forma de culto.
A sua própria Salvação dependerá de se regressar à Verdade ou se seguirá a corrente de milhões de outras
pessoas que se divertem nos caminhos populares de um Mundo enganado.
Paulo escreveu à Assembleia do Messias em Corinto:
“Pelo que saí do meio dêles,e apartai-vos,diz Yahweh;e não toqueis nada imundo,e Eu vos
receberei” (II Cort.6:17).
Alguém poderá argumentar:Está bem,se o Natal não se encontra na Bíblia.
Mas,que há de mal em fazer o bem a outros nesta época do ano ?
Porquê há-de ser mau proporcionar alguma felicidade às crianças e eu desfrutar também?
E se não há Um Criador Todo-Poderoso nos Céus,então não importa.
Mas se há um Pai Celestial,uma pessoa não poderá misturar as práticas pagãs com as santas.
Yahweh Todo-Poderoso,disse:
“Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis;porque,que sociedade tem a Justiça com a
injustiça? E que comunhão tem a Luz com as trevas?”
(II Cort.6:14).
Ninguém se deixe enganar a si mesmo,a pensar que está a observar o Natal por motivo do nascimento de
Yahoshúa,o Messias. O nome da festividade não pode ocultar o facto de que as suas raízes estão firmemente
cimentadas num festival de inverno dos pagãos.

A LIÇÃO DE ISRAEL PARA TODOS NÓS
O Todo-Poderoso advertiu a Israel que não se deixasse cair em armadilhas,pelas práticas dos pagãos:
“Guarda-te,que te não enlaces após elas,depois que forem destruídas diante de ti;e que não
perguntes acêrca dos seus ídolos,dizendo:Assim como serviram estas nações os seus ídolos,do mesmo modo também farei eu”.
(Deut.12:30).
Que aconteceu? Que Israel fêz exactamente o que se lhe ordenou que não fizesse.
Aceitaram costumes pagãos e misturam-nos com a adoração pura:
“Então tornaram os filhos de Israel a fazer o que parecia mal aos Olhos de Yahweh,e serviram aos
Baalins,e a Astarote,e aos ídolos dos filhos de Amom,e aos ídolos dos Filisteus;e deixaram a Yahweh,e não O serviram”.
(Juízes 10:6). Veja-se também I Sam.7:3,4; 12:10; I Reis 11:5; II Reis 23:13.
Tal como fêz o antigo Israel,a nossa sociedade tem adoptado costumes pagãos e os têm introduzido na sua
adoração. As árvores de Natal decoradas são um espectáculo comum em muitas Igrejas em Dezembro.
As Festas de Natal de todos os tipos fazem parte das funções eclesiásticas.
Até o S.Nicolau (Pai Natal) tem entrado pelas portas das Igrejas carregado de prendas.
Será que a Humanidade mudou?
Deitemos uma vista de olhos de mais perto à mais popular das festividades e vejamos o que significam os seus
costumes e práticas.
O NATAL 4.000 ANOS ANTES
A palavra Portuguesa Natal provém provém do Latim “Natividade” que significa “nascimento”.
Mas palavra Inglesa “Christmas deriva do Inglês antigo “Christ-mass”,uma missa católica que derivava de uma
festividade estabelecida no ano 1,038.
Uma missa é uma oração por um morto.
Porquê,se aplica ao nascimento do Messias?
Talvez a resposta se encontre na Enciclopédia Americana de 1.942:
“O Natal,segundo muitas autoridades,não se celebrava nos primeiros Séculos da Igreja Primitiva,já que o costume
‘Cristão’ em geral era celebrar a morte de pessoas notáveis,melhor do que o seu nascimento.
“A festa em memória do nascimento do Salvador Yahoshúa se estabeleceu no Século IV.
“No Século V a Igreja Ocidental (Católica Romana),ordenou que se celebrasse para sempre no dia da antiga
festa Romana do Nascimento do Sol”.
A Enciclopédia Britanica de 1.946,diz:
“O Natal não esteve entre as mais antigas festividades da Igreja Católica.
“Durante os primeiros 300 anos brilharam pela ausência as menções de uma festa de Natal. No ano de 1.644,os
Puritanos Ingleses,nos Estados Unidos,proibiram todos os festejos ou serviços religiosos por uma acta do
Parlamento,sobre a base de que o Natal era uma festividade pagã.”
Porquê os Crentes primitivos não celebravam o Natal e o que é que o torna uma “festividade pagã”?
Para responder a isto,devemos rever a história antiga da Humanidade,à grande mãe da adoração pagã:Babilónia.
O fundador dos Mistérios Babilónicos foi Nimrode,bisneto de Noé.
O nome Hebraico Nimrode significa rebelde ou revoltado.
Nimrode edificou a cidade ímpia de Nínive,enquanto seu pai Cush,foi responsável pela Tôrre de Babel em oposição a Yahweh. Pouco depois disto,Nimrode estabeleceu o seu próprio reino baseado no governo humano e ao culto da sua pessoa.
Do culto a este “heroi” surgiu todo em si um tema religioso pagão.
Gradualmente,através do comércio,a influência de Babilónia se alargou para outras nações à medida que
adoptavam o seu governo e o seu sistema religioso.
Como veremos,os costumes,práticas e crenças daqueles Babilónicos pagãos sobreviveram até aos nossos dias e
se encontram em cada nação da Terra.

A IMAGEM DA MÃE E DO FILHO
O tema da mãe e do filho que se transmitiu através dos Séculos em muitas nações diferentes e que permanece vivo ainda hoje,teve a sua origem com a Semiramis Babilónica.
Muitos monumentos em Babilónia mostram-na com o seu filho ao colo.
À medida que os Babilónios se dispersavam pelo Mundo conhecido,levavam com êles o culto à divindade
representada pela “Madona” e seu filho. Muitas nações adoravam já a “mãe e o filho”,antes de nascer o Salvador do
Mundo.
Na Roma pagã adorava-se a Fortuna e Júpiter-puer,isto é,o bebé Júpiter.(Dicionario Clásico Dymoch).
Na China,a Deusa Mãe era Shingmeo. É representada com o filho ao colo e raios de glória à volta da cabeça.
Os antigos alemães adoravam a virgem Hertha que tinha um bébe ao colo.
Então os druídas veneravam a Virgo-Partitura como “Mãe de Deus”.
Em cada caso se considera a criança como uma reencarnação de seu pai.

O 25 DE DESEMBRO
Todo o que haja assistido a um drama de Natal na escola ou na Igreja,provavelmente, ouviu ler Lucas 2:8:
“Ora havia naquela mesma comarca pastôres que estavam no campo,e guardavam durante as
vigílias da noite o seu rebanho”.
Desde meados de Novembro até meados de Abril,é a época das chuvas na Palestina.
Os pastôres,por causa do frio,da humidade e às vezes por causa da neve,guardavam os seus rebanhos nos redis,
durante a noite. Em Esdras 10:9 se fala de pessoas que se sentavam nos lugares próximos de Jerusalém a
princípios de Dezembro e tremiam com a chuva fria. Yahoshúa tomava-a em conta a severidade do ionverno na
Palestina,quando na sua Profecia do Tempo do Fim disse:
“Orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no Sábado”,
(Mateus 24:20).
Os Historiadores têm reconhecido já há muito tempo que o Messias nasceu no Outono e não no inverno gelado,
nasceu no tempo em que as ovelhas estavam nas pastagens.
“Era costume antigo entre os Judeus daquele tempo enviar os seus rebanhos para os campos e desertos pela
Páscoa,a começar na Primavera e recolhe-los de volta para casa,no começo das primeiras chuvas”.
(Comentário de Adam Clark – Vol.5,pág.370).
Além disso no tempo quando nasceu Yahoshúa,César Augusto,estava exigindo impostos da Palestina.(Luc.2:1-5).
Cada um tinha que se deslocar para a sua “cidade natal” para se recensear para pagar os impostos.
José e Maria deslocaram-se a Belém.
Exigir que as pessoas viajassem na época mais severa do ano,no rigor do inverno,teria sido motivo para uma
revolta contra o odiado Império Romano.
Isto que acabamos de expor é apenas uma introdução.
Sôbre este tema há muitíssima mais informação do que esta que apresentamos aqui.
————————————————–
Autoria: “Candelabro de Luz”.
Publicado pela Assembleia de Yahweh Internacional – AYIN – na Secção Tratados.
Traduzido por Boner Daleoni – Moita – Portugal

Tags: