Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
A ORIGEM DO CRISTIANISMO

A ORIGEM DO CRISTIANISMO

Geralmente acredita-se e ensina-se que o Cristianismo,tal como se ensina hoje,foi fundado pelo Salvador de Nazaré,quando esteve na Terra.Mas surge uma pergunta imediata:-“Qual foi a seita em particular
que ELE fundou?” Isto é muito importante,porque qualquer pessoa razoável sabe,que das centenas de seitas que compõem a “Cristandade”,não há duas sequer que estejam completamente de acordo em tudo.Será sensato pensar que o
Salvador não fundou tantas divisões e seitas em desacordo. A Igreja Católica Romana reclama ser a Única “Igreja de Deus”,a Única fundada pelo Nazareno e que todas as seitas Protestantes são heréticas. Pelo menos diziam isso antes,mas já estão mudando essa avaliação. Por outro lado,os Protestantes assinalam a Igreja de Roma como a “Mãe das Rameiras”,de Revelação 17:5, ignorando que a mesma passagem também os assinala a eles igualmente.
Aqueles que conhecem os factos históricos,sabem que o “Cristianismo” está composto por organizações cuja Fé se supõe que foi fundado pelo Salvador de
Nazaré mas que,no entanto,adoptou muitas ideias e crenças dos filósofos pagãos Gregos e Romanos,que vieram de uma geração depois da morte do último dos seguidores imediatos do Messias. O “Cristianismo” é uma religião bastante diferente da FÉ original dos Apóstolos,como demonstraremos mais adiante. A denominações,seitas,igrejas ou grupos que compõem a “Cristandade”,querem ser seguidores do Salvador do Mundo,mas a doutrina que ELE ensinou,a vida que viveu,a adoração que praticou,não são as
mesmas do “Cristianismo” Moderno. O “Cristianismo” actual,tem muitos elementos do Paganismo Grego, adoptado pelos Imperadores Romanos em prol da unidade nacional. É muito evidente que foi moldado pelos ensinos de Platão, de Sócrates e dos filósofos Gnósticos Gregos. O “Cristianismo” Moderno é,na realidade,um nome novo para a antiga religião dos filósofos.Está moldada à semelhança deles em doutrinas.em prática,em culto e pelo nome.
A Enciclopédia Britânica,diz o seguinte sobre esta política de se
adaptar à Igreja Moderna;-“Nada tende a corromper mais o Cristianismo do que,talvez,a introdução das superstições pagãs,que são realmente em si mesmas ou que tenham sido sugeridas por práticas pagãs. O Paganismo,incapaz de se opor com êxito ao Cristianismo,tem feito muito para o corromper e num sem número de formas,tem feito estragos na sua pureza”. O Cristianismo como se conhece actualmente,não se estabeleceu como religião firme,senão desde o tempo
do Imperador Constantino,o Grande,o qual necessitava de
uma religião a nível nacional para consolidar o seu Império. Por isso,ele adoptou a Nova Religião,que já nesse tempo,havia sofrido muitas mudanças e a transformou numa seita nacional. Não só impôs que se aceitasse como Única religião do Império,senão que edificou a sua política e fez que se aceitasse as suas doutrinas e estigmatizou como herejes os que não aceitassem a Nova Religião e os desterrava do seu seu Império ou os matava. Qualquer um poderá confirmar o anterior se consultar qualquer Enciclopédia sobre a vida do Imperador Constantino.
Assim começou a Igreja Romana,da qual surgiram as Igrejas como filhas que compõem as denominações da Cristandade. Quando Yahoshua,o Messias,nasceu para o Mundo,a sua mãe era uma virgem de Israel,da tribo de Yahudah (Judá). Nasceu numa família Santa que prestava culto a Yahweh Todo-Poderoso de acordo com a doutrina e o ritual dados pelo Altíssimo aos Profetas,por intermédio do Espírito Santo. Não existe o mínimo de evidência nas Escrituras Apostólicas ou Novo Testamento de que o Salvador se
haja desviado alguma vez da religião do Seu Povo,que era a
adoração Bíblica praticada pelos Profetas. Cada palavra e atitude sua confirmava o facto de que Yahoshua não veio para destruir a Lei,nem os Profetas,isto é,as Sagradas Escrituras,senão antes pelo contrário.OBEDECER-LHES,cumprindo-as em cada ponto e vírgula. “Vocês não acreditem,que Eu vim para tirar a Lei,nem os ensinos dos Profetas,não vim para os eliminar, senão para lhes dar o seu verdadeiro significado”.(Mateus 5:17 – Versão Popular Espanhola)
O Messias Yahoshua,ensinou os mesmos preceitos de
Santidade,praticou a mesma vida de Justiça, observou as mesmas Festas Sagradas,santificou o mesmo Dia de Repouso Semanal que os Patriarcas e os Profetas antes d’ELE. Mas para benefício da Sinagoga corrupta no seu tempo,Yahoshua enfatizou o Poder de uma vida de Santidade de tal modo que a sua influência pudesse mudar os pecadores mais duros e saná-los de novo, física e espiritualmente. A sua Mensagem era a mesma dos Profetas,posta em prática na sua vida e nas vidas dos seus seguidores
imediatos.Aquela Vida de Santidade não só influenciou os
indivíduos,senão que através deles,afectou o curso das nações e remodelou o Mundo num novo estilo. Mas o Salvador morreu,depois ressuscitou e quarenta dias depois,subiu ao Céu e os seus discípulos continuaram a Sua Obra até que eles morreram também. Enquanto viveram,os discípulos imediatos do Messias,praticavam a Sua doutrina e forma de vida segundo o Modelo do Salvador,porque eram na sua grande maioria da nação de Judá e da Fé Judaica. Continuaram vivendo,ensinando e adorando como verdadeiros Israelitas,seguindo o exemplo do Mestre.
Acerca do historiador Filon,diz o historiador Eusébio:”Além da sua descrição tão exacta da vida dos nossos ascetas se vê claramente que ele não só reconhecia a missão sagrada dos Apóstolos do seu tempo,os quais eram,parece,de origem Hebraica e preservaram a maioria dos antigos costumes num estilo estritamente Judeu”. (Eusébio,falando do Tratado de Filon sobre a Vida Contemplativa,Livro 2,cap.17. Eusébio,em História Eclesiástica). Depois da destruição de Jerusalém no ano 70 E.C.os Judeus foram dispersos por todos os cantos do
Império Romano e os discípulos de Yahoshua,o Messias,por serem,na sua maioria da nação de Yahudah, (Judá) foram dispersos com os outros.Aqueles discípulos levaram consigo a Fé Pura e Simples que haviam recebido do Salvador. Organizaram Congregações onde quer que se encontrassem e assim ficou semeada a FÉ do Messias Hebreu Yahoshua em todo o Mundo de então. O historiador Hegesipo diz:.”Até então – ano 106 ou 107 E.C. quando do martírio de Simeão,a Congregação
permaneceu como uma virgem pura,sem corrupção,porque
aqueles que procuravam corromper as regras sãs da pregação do Salvador,se havia algum,enganaram furtivamente na negra obscuridade. Mas quando o grupo sagrado dos Apóstolos e a geração daqueles que tiveram a oportunidade de ouvir com os seus próprios ouvidos,então a conjuntura do erro ímpio teve o seu início por intermédio do engano dos falsos mestres,os quais ao ver que não restava nenhum dos Apóstolos,procuravam descaradamente,
impor contra a pregação da Verdade,a contra pregação do
conhecimento,chamado assim com falsidade”. (História Eclesiástica,de Eusébio,Livro 3,cap.32). Dentre as nações para onde foram dispersos os originais,juntaram prosélitos para a FÉ Verdadeira e assim.as Congregações cresciam em número,formadas por pessoas de diversas nacionalidades que se misturaram com os Crentes da Nação de Yahudah (Judá) Aqueles novos crentes,no entanto,estiveram associados com outras religiões anteriormente,tal como sucede agora.
E naquele tempo,como agora,não tinham a doutrina pura daquelas
religiões. Quando aqueles convertidos se juntaram ao rebanho,procedentes das religiões pagás,se descuidaram quanto a deixar de fora as suas crenças antigas e assim.introduziram no novo rebanho as suas doutrinas e práticas pagãs. A Enciclopédia Britânica,comenta:- “A propensão daqueles rudes e ignorantes convertidos do Paganismo para se aferrarem aos ritos festivos dos seus antepassados,tornou-se invencível,de maneira que se considerou necessário tratar de adaptar os
velhos costumes ao novo culto,em lugar de os abolir por completo. “Além disso,ainda que o Império se havia tornado cristão,era claramente vantajoso que os antigos dias de festa (pagãos) se reconhecessem até onde fosse possível no novo arranjo do Calendário”. Com o passar do tempo,como os verdadeiros Crentes provenientes de Yahudah (Judeus) morreram e os que se aferraram à FÈ Verdadeira,diminuíram em número,os outros prosélitos que se haviam ganho das
religiões pagãs chegou a ser a força dominante na nova Fé;e,imediatamente,excepto
casos isolados,a nova religião chegou a ser uma religião mestiça,híbrida,em parte pagã e em parte Bíblica. Não era a Fé Pura de Yahoshua,o Messias,nem era o Paganismo dos tempos antigos,senão que chegou a conhecer-se como decorrer do tempo como “Cristianismo”. Esta mudança foi gradual,começando ainda no tempo do Apóstolo Paulo e culminando na Igreja Estatal Romana,durante o reinado do Imperador Constantino. Quanto a esta transição da Fé Verdadeira para a Fé da religião mestiça,o Dr.Jessé Lyman Hulbut,notável
Historiador Eclesiástico,disse:-“Passados cinquenta anos depois da vida de S.Paulo,uma certeza se suspendia sobre a Igreja através da qual nos atrevemos a olhar em vão;e quando a cortina por fim se levanta,passados cento e vinte anos depois,com os escritos dos pais da Igreja,encontramos uma Igreja diferente em muitos aspectos daquela dos dias de S.,Paulo e S.Pedro. Até esse tempo da queda de
Jerusalém no ano 70 E.C.,a Igreja havia sido considerada pelo Governo Romano e pelo povo em geral como UM RAMO DA RELIGIÃO JUDIA,mas de então
em diante,os Judeus e os Cristãos ficaram separados. “Um pequeno grupo de Cristãos Judeus permaneceu durante dois séculos,mas em número cada vez menor. Os Ebionitas constituíam em si,reconhecidos escassamente,pela Igreja geral e desprezados como apóstatas pelos da sua própria raça”. (História da Igreja Cristã,por Hulbut,pág.43). “Há uma forte base para a teoria de que o Cristianismo primitivo era Judaico em todos os aspectos;que era em essência uma reforma Judaica com a adição de princípios Messiânicos que já haviam sido correntes
entre os Judeus durante dois séculos. O Cristianismo Judaico,no entanto,desapareceu praticamente depois da queda de Jerusalém no ano 70 E.C.”. (Nova Enciclopédia Standard,de Funky Wagnail-Artigo Bíblia). Nas guerras com os Judeus,os Romanos consideravam aqueles Crentes Messiânicos como Judeus e, certamente o eram. Esta avaliação influía no Povo do Império Romano,na sua atitude para com os verdadeiros discípulos,os quais eram,na sua maioria,de Judeia.
Muitos dos cidadãos do Império recusavam ter algo que ver com a Nova Seita,porque a
consideravam Judia. Até os membros das Congregações nas nações foram influenciadas por essa animosidade e diziam: “Que não tenhamos nada em comum com esses Judeus renegados”. E assim,tudo o que tivesse um aspecto de Judaísmo era rejeitado na sua Fé e formou-se uma Nova Religião que não tinha nada em comum com o Judaísmo.A nova criação foi o “Cristianismo”,mas não era a FÉ de Yahoshua,o Messias. O “Cristianismo” actual não é a FÉ do Salvador,senão uma amálgama de Paganismo e Judaísmo,salpicada com aspectos da Fé Verdadeira que Yahoshua ensinou..
E Hurlbut diz:-“Enquanto a Igreja foi Judia observou-se,principalmente,o Sábado Hebreu;mas à medida que se tornou mais Gentia,o primeiro dia da semana -Domingo – foi tomando gradualmente o lugar do Sétimo. Não somente eliminou o Sábado e se adoptou o Domingo – dia santo dos pagãos Romanos – na nova religião. Senão que,de igual maneira rejeitaram a Páscoa e a Festa dos Pães sem Levadura e adoptaram a Quaresma e o Domingo de Páscoa ou Páscoa Florida (Easter).
A Festa das Cabanas e o Dia de Expiação foram esquecidos e tomaram o seu lugar o aniversário
do Deus Sol,chamado agora Natal. A Aspersão,tomou o lugar da Baptismo por Imersão. A imortalidade da alma adoptada do Paganismo,substituiu a doutrina da Vida Eterna condicional. A Ressurreição e o Dia do Juízo ficaram esquecidos e principiou a ensinar-se um julgamento contínuo mediante o qual os mortos entram para o Céu ou para o Inferno pela eternidade,sem que seja necessária a Ressurreição neste programa. O Reino dos Céus,como Governo Mundial Verdadeiro em toda a Terra,ficou ignorado à medida que os
membros da nova religião,procuravam agradar aos “poderes estabelecidos”. Verdadeiramente,como disse Hurbut: “Encontramos uma Igreja em muitos aspectos MUITO DIFERENTE daquela dos dias de S.Pedro e S.Paulo e do Messias. Aquela Nova Igreja tão diferente,era o “Cristianismo”, o qual adoptou como divindades os diversos ídolos dos Pagãos relegando para segundo plano a YAHWEH o Santo de Israel e o Seu Filho Humano YAHOSHUA. Uma vez mais,encontramos os membros da Igreja dando passagem a uma multidão de elementos pagãos
com o fim de ganhar os pagãos para o “Cristianismo”. Note-se esta outra de “La Rama de Oro”,de Frazaer:- “Tomadas juntas,as coincidências das Festas Cristãs e as Pagãs,são muito próximas e muito numerosas para ser acidentais. Estas são marcas do comrpomisso que a Igreja no momento do seu triunfo,se viu compelida a fazer com os rivais vencidos,mas ainda perigosos.
O inflexível Protestantismo dos Missionários Primitivos com a sua agressiva clemência do Paganismo se havia mudado pela dócil política da fácil tolerância,o compassivo amor de astutos Eclesiásticos que percebiam
claramente que se o “Cristianismo” ia conquistar o Mundo,poderia fazê-lo unicamente por meio de afluir os rígidos princípios do seu Fundador,por intermédio da alargar um pouco a porta estreita que leva à Salvação”, A Nova Religião não era o Cristianismo antigo,senão,em verdade,uma nova Criação de vários cultos antigos.Apoderaram-se de alguns,como de uns e de outros, e formaram um todo a que chamaram “Cristianismo”. O Domingo foram buscá-lo aos pagãos Romanos. EASTER,ou Páscoa Florida,dos pagãos Egípcios.
O Natal,dos pagãos de Babilónia. O Deus Trino dos pagãos gnósticos. A imortalidade da alma,dos pagãos Gregos. E tudo isto o combinaram com alguns dos ensinos do Messias e outras doutrinas; assim se formou a Religião do “Cristianismo”,a qual com o tempo chegou a ser a Religião Nacional do Império Romano. Em muitos lugares os templos pagãos passaram a ser Igrejas Cristãs. Os cultos de adoração aumentaram em esplendor,mas eram menos espirituais e de coração mais frio,que os dos tempos anteriores.
“Os formalismos e cerimoniais do Paganismo introduzíram-se gradualmente no culto. Algumas das antigas festas pagãs passaram a ser festas da Igreja com uma mudança de nome e de culto. Brothingham,diz:,falando da Catedral de S.Pedro em Roma:-“Quanto profundamente na Antiguidade se remontam estas cerimónias. Aos mistérios de Eleusis,aos rituais de sacrifícios de Fenícia;as crianças moviam os incensários,como se moviam os incensários da adoração de Baco. A faixa e a sotaina dos sacerdotes vieram da Pérsia e o véu e a tonsura eram de Egipto. A túnica e o
confessionário foram prescritos por Numa Pompilio. A estola se tomou emprestada do oficial que costumava colocá-la nas costas da vítima que ia ser sacrificada. A vestimenta branca é a mesma que foi descrita por Juvenal e Ovídio”. (Atlantis,Pág,210,211). Não só os templos pagãos se transformaram em Igrejas,porque as festas pagãs se transformaram en festas da Igreja e o Domingo substituiu o Sábado Semanal,senão que o culto pagão se transferiu para a Igreja,na medida em que o culto à virgem Maria substituiu o culto da deusa Vénus e de Diana.
Que lhes importava aos pagãos o nome do ídolo ou o nome da religião ? De qualquer modo,eles entendiam que era a mesma. Assim a nova religião adoptou as estátuas de Vénus, Diana,Júpiter ou Zeus,de Apolo,etc. e substituíram os seus nomes pagãos pelos nomes adoptados pela nova religião chamada “Cristianismo”. Os pagãos estiveram adorando Diana ou Artemisa,assim agora,passaram a adorar a virgem Maria.
Estiveram adorando Zeus ou Júpiter como divindade suprema,mas agora foram ensinados que o novo nome era
Théos ou Deus.Os templos pagãos passaram a ser Igrejas Cristãs. Os ídolos pagãos passaram a ser imagens cristãs; as divindades pagãs passaram a ser Semi-deuses Cristãos. As festas pagãs passaram a ser os dias santos cristãos;Os rituais e cerimónias pagãs tornaram-se cristãs e assim nasceu o “Cristianismo Moderno”. Os Profetas Hebreus adoravam o Criador do Universo e ELE lhes havia revelado qual é o Seu Nome: “EU SOU YAHWEH:este é o Meu Nome;a Minha Glória pois a outrem não darei,nem o Meu Louvor
às imagens de escultura”. (Isaías 42:8). Os Profetas declaravam e o Salmista confirmou,que este é o Único Nome do Criador Todo-Poderoso:- “Para que saibam que TU,a Quem só pertence o Nome de YAHWEH,és o Altíssimo sobre toda a Terra”. (Salmo 83:18) Assim como a Escritura revela que NÃO há mais que UM SÓ Todo-Poderoso,assim também declara que O Criador não tem mais que UM SÓ Nome e que esse Nome é YAHWEH. As Sagradas Escrituras revelam à Humanidade mais de sete mil vezes esse Nome Sagrado.
Os Patriarcas,os Profetas,o Salvador Yahoshua e os seus discípulos adoravam o Único Criador Verdadeiro e o invocavam pelo Seu Único Nome revelado: YAHWEH ou a forma abreviada YAH. Quando o Salvador Yahoshua esteve entre os seres humanos adorou o Todo-Poderoso de Israel, conheceu e ensinou o Seu Nome Sagrado. Yahoshua,orou:- “Manifestei o Teu Nome aos homens que do Mundo me deste:eram Teus e mos deste,e guardaram a Tua Palavra.
12-“Estando Eu com eles no Mundo,guardava-os em Teu
Nome.Tenho guardado aqueles que Tu me deste,e nenhum deles se perdeu,senão o filho da perdição,para que a Escritura se cumprisse. 26-“E Eu lhes fiz conhecer o Teu Nome,e lho farei conhecer mais,para que o amor com que me tens amado esteja neles,e Eu neles esteja”. ( João 17:6,12,26). Depois da morte dos Apóstolos deixou de se invocar a YAHWEH nas Congregações e os nomes dos deuses das nações ocuparam o seu lugar na nova religião e nas suas traduções das Escrituras. O Profeta Miquéias,disse:-
“Porque todos os povos andarão cada um em nome do seu deus;mas nós andaremos no Nome de Yahweh,nosso Todo-Poderoso,eternamente e para sempre”, (Miqueias 4:5). Quando as Sagradas Escrituras foram traduzidas para os idiomas de cada nação,os tradutores não conheciam o Nome Sagrado revelado nas Escrituras Hebraicas e Nazarenas inseriram os nomes das divindades nacionais em lugar de YAHWEH. Por isso colocaram no Nome do Criador: Adonay,Kyrius, Dominos,Senhor e mais tarde Jehovah.
Em cada caso,a divindade nacional em oposição a YAHWEH foi colocado em lugar de honra. Cada uma das nações adorava uma divindade máxima e tinha um nome para cada país. Por toda a parte onde pudesse usar-se esse Nome,foi colocado nas traduções das Escrituras.E assim,as divindades estrangeiras recebiam o louvor,a glória e a adoração que SÓ pertence justamente a YAHWEH. Não é por acaso que o Todo-Poderoso declara pela boca do Profeta Isaías:- “EU SOU YAHWEH:este é o Meu Nome;a Minha Glória pois a outrem não darei,nem o Meu Louvor
às imagens de escultura”. (Isaías 42:8). A citação seguinte soa desagradável,mas a essência é verdadeira: “O Deus de noventa e nove por cento do Mundo Cristão é simplesmente Bel.Moloque,Zeus ou,quando muito Osíris,Mitra ou Adónis,ainda que com outros nomes modernos,os quais as pessoas adoram com as antigas cerimónias pagãs e formas rituais. É a imagem de Jove Olímpico,adorado como Pai,numa Igreja cristã que foi um templo pagão: é a estátua de Vénus que passou a ser a Virgem Maria”.
(Moral e Dogma,de Pike,pág.296). YAHWEH deixou de ser a Figura Máxima do Cristianismo. Mas os cânticos,as orações,o louvor e a honra ascendeu ao nome de uma divindade estrangeira em cada país debaixo do Céu. A religião moderna ignora o Nome de Yahweh. Quando o Salvador nasceu no Mundo.a sua mãe foi uma virgem Judia da tribo de Yahudah (Judá),mas Seu Pai,cujo Nome é Verdade ou YAH. Sendo o Filho de Yahweh,era natural que usasse o Nome do Pai e isso
foi o que indicou claramente,quando disse;- “EU
vim em Nome de Meu Pai,e não me aceitais;se outro vier em seu próprio nome,a esse aceitareis”. (João 5:43). A traduções comuns das Escrituras dizem que o Nome do Filho de Yahweh é Jesus,mas recorde que a mensagem Celestial falou a uma jovem Hebréia e declarou o Nome do Bébé no idioma Hebraico,Nome que neste idioma significa YAH É SALVAÇÃO. Como o Nome Yahoshua é Judeu tornou-se uma objecção para os Gregos e para os Romanos,os quais odiavam os Judeus e por isso O eliminaram dos registos para o inserir em outro nome.
Dessa maneira o Nome Yahoshua foi substituído por IESEUS,conhecido agora como Jesus. O Nome escrevia-se originalmente Yahoshua mas,como é comum em Hebraico,mais tarde abreviou-se no uso diário e passou a ser Yahshua. Depois por influência dos Rabinos,principiou a mudar-se o “A” por “E” e a pronunciar-se YEHSHUA. Os tradutores em vez de o transliterarem assim para o seu idioma,transformaram-no em IESOUS. Daí passou para o Português antigo como IESUS e para o moderno como Jesus.
A nova religião conheceu-se como “Cristianismo” porque à divindade máxima dela deu-se o nome Grego de “CHRISTÓS”. Em Português “CRISTO”. Os Hebreus chamavam o seu Salvador futuro pelo título Messias. Os discípulos do Salvador aceitaram-no como tal e o conheciam em Hebraico como YAHOSHUA HA MASHIAJ. Em Português YAHOSHUA,o UNGIDO. Os Gregos,no entanto,em vez de usarem o título inspirado Hebraico,traduziram-no para o Grego “CHRISTOS” – UNGIDO.
O erro foi que ao traduzir o título Messias como Christos,deixaram de o considerar como título e passaram a considerá-lo como um Nome próprio do Salvador. Um erro ainda pior,porque ao traduzir as Escrituras para Português,em vez de traduzir o Grego Christos como o Ungido,o transliterou como Cristo como se isto fosse um nome próprio e de facto passou a ser o Nome do Salvador.
Entre os povos do Oriente adorava-se uma divindade solar chamada “Cristina” e alguns vêem uma relação entre o nome Hindú “Cristina” e o “Christos” dos Gregos.Se for assim,o nome sanscrito do mesmo
Hindú,passou a ser o nome do mesmo da nova religião moderna que se conhece agora como “FÉ CRISTÔ A religião revelada nas Escrituras Sagradas de Israel e a adoração do Criador,cujo Nome Único é Yahweh. Baal não é o Criador. Adónis não é o Todo-Poderoso. Pan não é o santo. Nem o é Kyrius,nem Senhor,nem Deus. YAHWEH é o Ser Supremo e só a ELE há que adorar Isaías 42:8 já citado acima. O Único Salvador nas Escrituras Nazarenas ou Hebraicas é Yahoshua,o Filho de Yahweh. O seu título real é o Messias ou o Ungido de Yahweh.
Ele não conhece aqueles nomes modernos,tais como “Jesus Cristo” ou “Cristo”. Já é tempo de se apartar dessas inovações modernas e exaltar o Salvador do Mundo pelo seu Nome Verdadeiro:Yahoshua,o Messias. Devemos reconhecer quanto se apartou o Cristianismo moderno da Senda antiga,do caminho de declaração,do caminho da adoração pura. A nossa exortação actual para o leitor é que considere bem os seus caminhos. Compare a sua religião com a Palavra Inspirada e aceite as Sendas Antigas de Santidsde.
Adore a Yahweh Todo-Poderoso de Abraão,Isaque e Jacob. Siga o Messias Yahoshua e assegure-se de que ELE seja o seu Único Salvador. Rejeite todas as traduções e mandamentos de homens e adore a Yahweh em Espírito e em Verdade: “Yahweh é Espírito,e importa que os que O adoram O adorem em Espírito e em Verdade”. (João 4:24). ============================================================================ Publicado pela Assembleia de Yahweh Internacional – AYIN – Porto Rido Tradução por: Boner Daleoni – Moita – Portugal

Tags: