Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
A VERDADE SOBRE O REINO DOS CÉUS

A VERDADE SOBRE O REINO DOS CÉUS
O objetivo de mais este tema é esclarecer um pouco mais a todos sobre o Reino de Deus, e dizer: Que a promessa de vida eterna na terra brota de uma raiz Divina, ou seja, o Senhor Deus plantou um jardim no Éden Gn 2. 8. Na porção seca Gn 1. 9, 10.A porção seca é o habitat do homem. A terra foi criada no terceiro dia da criação, porque no segundo dia “Deus fez o firmamento e separou as águas que estavam debaixo do firmamento das águas, e foi assim. Ao firmamento chamou Céu” Gn 1. 6 a 8. Estabeleceu o céu para ser o seu trono. “O trono de Deus está nos Céus Sl 11. 4. O Senhor estabeleceu seu trono nos céus Sl 103. 19. É assim que diz o Senhor: “Quem jurar pelo céu, jura pelo trono de Deus Mt 23. 22. “O céu é o meu trono, e a terra o estrado dos meus pés” At 7. 49; Is 66.1.
E dizer: Que a terra Deus criou para ser o seu Reino. Todos precisam saber que é para este fim que ela deve ser habitada para sempre. E quem vai ficar na terra para sempre serão a grande nação que Deus jurou fazer do crente Abraão, de todas as nações da terra. “E o Senhor disse a Abraão: Sai da tua terra, da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E eu farei de ti uma grande nação; e eu te abençoarei, e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma benção. E eu abençoarei aos que te abençoares, e amaldiçoarei aqueles que te amaldiçoares; e serão benditas em ti, todas as famílias da terra” Gn 12. 1 a 3.
Como todos podem ver muito bem, a promessa de o homem habitar a terra para sempre, foi uma aliança que Deus fez com Abraão, Isaque e Jacó, e Deus não irá quebrá-la de jeito nenhum. “E eu farei minha aliança entre mim e ti, e eu te multiplicarei grandemente. Eis que esta é a minha aliança contigo: Tu serás pai de muitas nações Gn 17 2, 4. E todos os povos da terra serão benditos por causa da tua descendência” Gn 22. 18.
“Eu sou o Senhor, o Deus de Abraão teu pai, e o Deus de Isaque, a terra em que estás deitado, eu darei a ti, e á tua descendência. A tua descendência será como o pó da terra; tu te estenderás para o oriente, para o ocidente, para o norte e para o sul, e serão benditas todas as famílias da terra por ti e por tua descendência” Gn 28. 13, 14.
Como os povos podem ver, o Reino vai abranger o oriente, ocidente, norte e sul. Deus determinou que o Reino do Messias seja abrangente a toda a terra Ap 15. 3, 4; Sl 78. 8 a 11; Dn 7. 14, 27 Zc 14. 9. “E Deus lhe disse: Eu sou o Deus TODO-PODEROSO; frutifica e torna-te numeroso; sairá de ti uma nação, uma multidão de povos, e reis procederá de teus lombos”. Deus falou também a Jacó que a terra que Ele deu “a Abraão e a Isaque, eu te darei á tua descendência depois de ti” Gn 35. 11, 12.
Estes reis tanto podem ser aplicados para o Rei Jesus, para os grandes reis que reinaram em Israel, como também para os reis que com o Messias governarão o Reino em toda a terra no Reino milenar Messiânico. Ap 5. 9. 10. Porque Ele será Rei de reis Ap 1. 5; 17. 14. . “E Ele me disse: Eu te farei frutificar e te multiplicarei; e te farei uma multidão de povos e darei esta terra á tua descendência depois de ti, em possessão perpétua” Gn 48. 3.
Como todos podem ver, o objetivo do tema é fazer os povos que têm esperança de subir e morar no céu saber, que o povo que almeja habitar a terra para sempre, estão fundamentados em um juramento Divino aos patriarcas Abraão, Isaque e Jacó. E entenderem também que Deus não vai faltar com o seu juramento para agradar a ninguém, e nem poderá falhar. “E desci para salvá-lo da mão dos egípcios, e para fazer subir daquela terra para uma terra sobre a qual corra leite e mel” Ex 3. 7, 8.Porque quase todos os profetas, e boa parte dos apóstolos falaram da “aliança e do juramento que Deus jurou a Abraão” da grande nação prometida habitar a terra da promessa para sempre.
“Lembrai-vos que fez aliança com Abraão, e de seu juramento a Isaque. E confirmou a Jacó por estatuto, e a Israel por aliança eterna. Dizendo a ti darei a terra de Canaã, quinhão da vossa herança” 1 Cr 16. 16 a 18. Deus fez o Juramento e deu por estatuto e por aliança eterna, a qual diz: Que a terra é o quinhão dos justos.
“Lembrou-se de sua aliança perpetuamente a palavra que ordenou para mil gerações; da aliança que fez com Abraão, e de seu juramento a Isaque; Ele confirmou a Jacó um estatuto, e a Israel como aliança eterna, dizendo: A ti darei a terra de Canaã, como quinhão de tua herança” Sl 105. 8 a 11. O Messias na sua vinda vai ocupar o trono de Davi seu pai, e reinar sob a casa de Jacó. A casa de Jacó é o Israel espiritual que está sendo restaurado por meio da mensagem da Igreja, que Ele enviou ao mundo para expandir o Reino a todas as nações da terra. Ele enviou a Igreja no objetivo de tornar o Reino abrangente a toda a terra Mt 28. 19.20; Mr 16. 15; Lc 24.47.
“De um só fez toda a raça humana para habitar sobre a terra, fixando os tempos previamente estabelecidos e os limites exatos em que deveriam habitar e os limites de seus territórios At 17. 26. Por isso, quando Deus quis mostrar aos herdeiros da promessa, de forma bem clara, a imutabilidade do seu propósito, confirmou com juramento, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos um fortíssimo consolo, nós que já corremos para o refúgio, para tomar a esperança proposta” Hb 6. 17,18. A esperança proposta que Paulo se refere, aplica-se para a terra do juramento que Deus prometeu que os descendentes justos de Abraão herdarão para sempre. Todos podem ver que o apóstolo também se incluiu na promessa dizendo: “Nós os que pomos o nosso refugio em reter a esperança proposta” Hb 6. 18.
Deus criou o homem à sua imagem Gn 1. 27. E colocou nela o homem que criara Gn 2. 8. E Deus disse: “Enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os outros seres vivos” Gn 1. 28. E sob condições de obediência, deu condições para o homem continuar vivendo para sempre na terra dizendo: “Podes comer livremente do fruto de toda a árvore Gn 2. 16. Mas não comerás do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal; porque no dia em que comeres dela, com certeza morrerás” Gn 2. 17.
O primeiro casal violou a lei e morreram, e por conta do pecado que eles praticaram violando a ordem de Deus, entrou a morte a todos os homens. .Deus disse pela tua desobediência, “voltarás ao pó” Gn 3.19. Ao violarem a lei, foram sentenciados a morte Gn 3. 1 a 7. Os olhos de ambos foram abertos para o mal, ou seja, para a prática do pecado Gn 3. 7. Pecado é transgressão da lei 1 Jo 3. 4. E por meio do pecado a morte passou a todos os homens.
Como o tema fala do Reino de Deus, todos sabem muito bem, que somente aqueles que observam a lei, terão vida eterna no Reino de Deus, ou seja, na terra amada. Enquanto aqueles que observam em partes, ou seja, observam alguns mandamentos, e violam outros, serão exterminados para sempre da face da terra amada.
Todos sabem muito bem que a maior parte da humanidade se deixa ser levados por determinadas mensagens que omitem boa parte da lei de Deus. Entre eles os principais mandamentos são. O santo sábado . Alimentos impuros. O Dízimo . E ver também E imagens de esculturas… E
“Entretanto, a morte imperou desde adão até Moisés, mesmo sobre aqueles que não pecaram de modo semelhante á transgressão de Adão, o qual é tipo daquele que havia de vir, ou seja, Jesus Cristo Rm 5. 14. Se pela ofensa de um, a morte imperou por meio dele, muito mas agora os que recebem a abundancia da graça, e o dom da Justiça reinarão em vida por meio de um único Homem, Jesus Cristo Rm 5. 17. De modo que assim, como por um homem, muitos foram feitos pecadores, assim também por meio da obediência de um único Homem, muitos serão feitos justos Rm 6. 19. Pois da mesma forma que veio a morte por um homem, também por meio de um Homem veio à ressurreição dos mortos” 1 Co 15. 21.
Todos devem saber, que “A terra é profanada sob a ação de seus habitantes, porque eles transgridem as leis, alteram o decreto, e mudam a aliança eterna. Por isso a maldição devora a terra; e seus habitantes serão castigados; por isso serão queimados e poucos homens restarão” Is 24. 5, 6. Aqueles que serão queimados são todos aqueles que violam a lei, ainda que seja em partes. Tiago disse que se o homem “guardar toda a lei e tropeçar em um ponto, É culpado de quebrá-la inteiramente” Tg 2. 10.
Como todos estão vendo, Deus criou os céus para ser o seu trono, e a terra para ser o seu Reino. O homem não foi fiel ao Criador, e no momento que o inimigo investiu contra o mesmo, ele foi infiel e violou a lei de Deus. Ou seja, transgrediu as ordens do Criador e caiu em pecado. Cedendo com isso o Reino que Deus lhe confiara a satanás. O homem pecou e a terra que foi criada para ser o Reino de Deus, foi contaminada sob a ação do pecado Is 24. 3 a 6. E passou a ser o reino de satanás. Os poucos homens que Isaias disse: Que restarão na terra, aplicam-se para os homens vivos que observam à lei completa, mais os homens que dormem no pó da terra, desde Adão até a vinda de Cristo que foram fiéis as condições.
Até o momento que o inimigo semeou o joio, a terra era o Reino de Deus. Mas a partir do momento que satanás semeou o Joio na terra, satanás deu inicio no seu reino na terra por meio do Joio, ou seja, por meio daqueles que são contra a lei por completa. E também por aqueles que dizem: Que são conhecedores da lei, mas negam o Cristo e o batismo. Como no caso do judaísmo como nação que conhecem a lei, mas negam o Cristo e o batismo de João. E também por todos aqueles que não acreditam que foi Deus o Criador de todas as coisas.
As águas do dilúvio foram mais uma tentativa de Deus, no objetivo de formar o seu Reino na terra, só com pessoas que aceitam as condições e colocam em prática. Ali todos os joios foram mortos, sobrando apenas à família de Noé Gn 7.1;10. 1. Que descendeu de Sete Gn 3. 3 que gerou Enoque Gn 5 1 a 18. E Enoque gerou Noé Gn 5. 19 a 32. Noé por meio de Sem Gn 11. 10 a 27. Gerou a Abraão que gerou Jesus o descendente Maior de Abraão, que na sua vinda destruirá o joio que nasceu de novo na terra. Principalmente pelas gerações de outros dois filhos de Noé, Cam e Jafé Gn 10.1 a 9.
Jesus na sua segunda e última vinda implantará o seu Reino, restaurará a terra e fará o Reino voltar a Deus como no início. Jesus nasceu de Maria que descendeu de Davi, da casa de Abraão. “Eis que você conceberá e dará a luz a um Filho, a quem porás o nome Jesus Lc 1. 30,31. Bem aventurado, aquela que te concebeu, e os seios que te amamentaram” Lc 11.27; Mt 1. 18. Para a serpente Deus disse: A semente da mulher “te ferirá a cabeça”. Referindo-se á Cristo que na sua vinda desfará o reino de satanás, ou seja, aqueles que são contra as condições que Deus determinou. Todos aqueles que não aceitam o Cristo, o batismo de ligação e a lei por completa perecerão. Negar o Cristo equivale a negar o Criador dos céus e da terra. “Quem, porém me rejeita, rejeita aquele que me enviou”, o seja, a Deus Lc 10. 16.
Aqueles que aceitam o Cristo, o batismo de ligação e obedecem as condições, alcançarão a perfeição. A perfeição equivale à estatura completa de Cristo 1 Jo 3. 2.Assim como era Adão antes de pecar, o povo de Deus será. Com a transformação o homem que pela transgressão da lei, tornou-se perecível e mortal, pela obediência as condições será transformado e levado de novo à perfeição. Continuará sendo homem, mas com uma diferença, será perfeito como é Jesus 1 Jo 3.2. E também como era Adão antes de pecar Sl 8. 6 a 8. O revestimento de imortalidade dará ao homem condições de ele viver para sempre na terra amada da promessa. Ou seja, daí em diante o homem em geral não será mais sujeito a morte como é no presente.
Eu quero ressaltar que Jesus ainda não pisou totalmente a cabeça da serpente, Ele esmagará totalmente quando aniquilar a morte 1 Co 15. 26. E quando colocar todos os inimigos de Deus debaixo de seus pés 1 Co 15.25. “O último inimigo a ser destruído será a morte” 1 Co 15. 26.
Quando Pilatos perguntou se Ele era o Rei dos judeus, Ele disse: Que foi para este fim que Ele veio ao mundo, ou seja, para reinar e aniquilar de vez com satanás e seu reino. Assim que Ele aniquilar o reino de satanás, Ele entregará o Reino a Deus o seu Pai. 1 Co 15. 28. Daí em diante não haverá mais morte para os santos. Sendo assim, a partir do momento que o inimigo semeou o Joio, a terra deixou de ser o Reino de Deus, e deu lugar ao reino de satanás. Foi questão de tempo para o reino de o diabo crescer. As quarto bestas de Dn 7. 1 a 7. E as duas de Ap 13. 1 a 17.Representam o reino de satanás na terra. As pessoas que compõem estas feras, são chamadas de Joio da terra e formam um reino rebelde.
O Reino de Deus será composto de pessoas de todas as raças que se submetem as condições. Enquanto o reino de satanás também é composto de pessoas de todas as raças que rejeitam as condições, ou seja, se desviam de alguns dos mandamentos. . O Messias na sua segunda e última vinda, removerá todos estes reinos Dn 2. 34, 35; Mt 41, 42; 2 Ts 2. E esmagará para sempre a cabeça de satanás.
A terra é um Reino extenso, e a milhares de anos vem sendo dominada pelo antigo dragão a astuta serpente. “Novamente o diabo o levou, para um monte muito alto, e lhe mostrou todos os reinos do mundo e a glória deles. E lhe disse dou tudo isso a você, se prostrado me adorares” Mt 4. 8, 9. Lc 4. 5, 6. Isso equivale a dizer: Que os reinos atuais a ele pertencem. São estes reinos que Jesus vai destruir na vinda para implantar o seu Reino na terra Ap 20. 1 a 4. Será para restaurar a terra e entregar o Reino restaurado ao Pai que Jesus virá. Jesus reinará os mil anos na terra, sob a nação prometida, e depois entregará o Reino ao Pai, depois que tiver aniquilado todos os inimigos de Deus, inclusive a morte. 1 Co 15. 24. “E nos dias destes reis, o Deus do céu levantará um Reino que será para sempre, jamais será destruído; este Reino não passará a outro povo; Ele esmagará e consumira todos esses reinos, enquanto Ele mesmo permanecerá para sempre” Dn 2. 44.
“O Reino dos céus no início, era semelhante a um homem que semeou boa semente no seu Campo Mt 13. 24. Mas veio o inimigo e semeou o joio no meio do trigo” Mt 13. 25. O trigo é composto de pessoas obedientes às leis de Deus. Aqueles que obedecem alguns mandamentos e transgridem outros, serão exterminados da terra amada. O Reino do Messias se aplica não somente ao território que Ele vai dominar, mas também para as pessoas que vão compor o Reino com Ele, e que serão regidas por Ele Ap 2. 26, 27; 12. 5.
Quero ressaltar que todos aqueles que estão querendo morar no céu, estão ferindo em cheio um mandamento da lei, ou seja, “não cobiçarás”. “Mas ira e indignação aos contenciosos, que rejeitam a verdade, e amam a iniqüidade Rm 2. 8. Iniqüidade é aquilo que é contra a lei” 1 Jo 3. 4. Na vinda de Cristo, todos aqueles que violam as leis serão arrancados da terra e queimados, para dar lugar ao Reino de Cristo e de Deus.
Tem mensagem que diz: Que de início não tinham leis lá no Eden. Mas na verdade tinham sim. “Deus havendo completado a criação, descansou no dia de sábado de toda obra que tinha feito. E abençoou o sétimo dia, e o santificou, porque nele descansou de toda sua obra que fizera e criara” Gn 2,3. Os povos podem ver que Deus bem depois do dilúvio, mandou Moisés dizer: Ao povo de Israel lembrar que o sábado foi santificado para o homem descansar. Se Deus os mandou lembrar; é porque eles tinham esquecido o mandamento, e precisavam voltar a santificá-lo.
“Lembra-te do dia de sábado, para ser santificado. Trabalharás durante seis dias, e farás todo o teu trabalho; mas o sétimo dia é santo, é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhum trabalho. Porque o Senhor criou o céu e a terra, o mar e tudo o que há neles, durante seis dias, mas descansou no sétimo dia” Ex 20. 8 a 12. Jesus disse: Que “o sábado foi estabelecido por causa do homem”, ou seja, para o homem descansar em memória da criação Mc 2. 27. Como todos sabem muito bem, têm povo que santifica outros dias comuns da semana, e abrem mão de santificar o santo sábado do Senhor. Sobre argumentação de que Jesus aboliu. Deveriam saber que os sábados que Jesus aboliu foram os cerimoniais e festivos, que Isaias e Oséias disseram que estavam enfadando o Senhor Is 1. 13, 14; Os 2. 11.
Os povos precisam saber fazer diferença entre as leis cerimoniais abolidas, da lei que permanece para sempre, para não ser enganados por mensagens duvidosas. E saber que os mandamentos que Jesus aboliu na sua morte foram os sábados cerimoniais e festivos, e todo o sistema cerimonial de coisas contido nas festas cerimoniais dos judeus. Todo aquele sistema cerimonial de coisas cessaram com o último sacrifício do Cordeiro de Deus Lv 23.7, 8, 21, 27, 35, 36. Aqueles sábados cerimoniais que cessaram com a morte de Cristo, eram além dos sábados do Senhor Lv 23.38. E os povos não sabem separar uma coisa da outra. Ou seja, não sabem fazer separação entre os mandamentos cerimoniais provisórios, dos mandamentos morais permanentes. E a mensagem os coloca contra a razão, e vivem pecando transgredindo boa parte da lei.
Paulo mandou não julgar ninguém por causa dos sábados festivos. Foram àqueles sábados que Cristo aboliu na sua morte Gl 4.9; Cl 2. 16, 17. Aplica-se para a lei que Cristo aboliu e cravou no madeiro Ef 2.15; Cl 2.14. Aqueles sábados festivos que Cristo cravou na cruz, não tinham, e nem poderiam ter nada a ver com o santo sábado do Senhor, com a lei dos alimentos, com imagens de esculturas e nem com os dízimos…
Os povos podem ter certeza, que quando Paulo disse: Que Cristo é o fim da lei Rm 10. 4. Ele se referiu à lei cerimonial, das festas, dos sábados cerimoniais, dos sacrifícios de cordeiros, dos dízimos cerimoniais e festivos, dos dízimos dos dízimos, das luas novas e da circuncisão… Tanto é que em Rm 2. 13, Ele disse que: “Não são justos diante de Deus os que ouvem a lei, mas os que praticam é que serão justificados”. A lei que Cristo cravou no madeiro, foi à lei cerimonial contida nas festas. Ele falou também, “Anulamos a lei pela fé? Não de modo nenhum! Antes estabelecemos a lei Rm 3. 31… Por ai todos podem ver que a lei que Cristo aboliu, foi à lei cerimonial e festiva.
Para que todos possam ter uma idéia, só nas três grandes festas, e no dia da expiação, continham seis sábados cerimoniais… E foram eles que cessaram com o último sacrifício do Cordeiro de Deus Lv 23.7, 8, 21, 27, 35, 36.
A prolongação da vida do homem na terra, a partir do momento que Jesus voltar e implantar o seu Reino na terra, vai depender do cidadão obedecer às leis de Deus e as demais condições. Farão parte do Reino aqueles que obedecem as condições, entre elas está o santo sábado, por ser um dia santificado e estabelecido por Deus, para o povo de Deus descansar em memória da criação. “Observa o sábado, porque é santo para vós; quem o profanar, este morrerá” Ex 31. 14 a 16. “E lhes dei minhas leis, e fiz-lhes conhecer minhas decisões, por cujo comprimento o homem viverá” Ex 20. 11, 21. Assim como aqueles que observam a lei receberão o galardão na vinda, os desobedientes vivos serão condenados também na vinda.
Mensagens que procuram justificar os povos de se desviarem de alguns dos mandamentos da lei têm muitas, algumas procuram justificar os meios dizendo: Que Jesus aboliu a lei de Deus. E assim que conseguem os seus objetivos, passam a ensinar a maior parte dos mandamentos da lei para o povo observar. Como todos podem ver, a lei que Cristo aboliu foi às leis cerimoniais e festivas. Tanto é que a lei manda não cometer adultério Mt 5. 27. E Jesus disse que: “Qualquer que olhar para uma mulher para cobiçá-la, no coração já cometeu adultério” Mt 5. 28.
Isso quer dizer: Que Jesus não aboliu a lei, Ele fixou mais ainda. Ou seja, a lei determina o homem não cometer adultério. Jesus determina que ambos não devem olhar um para o outro com um olhar de adultério. Isso evidencia que Ele não aboliu a lei. O que se vê, são mensagens justificando povos que se desviam de determinados mandamentos da lei de Deus que eles estão em falta.
O santo sábado faz parte da lei que Deus escreveu nas taboas de carne do coração do seu povo. Elas foram escritas a partir do sacrifício do último Cordeiro pascoal.Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel após aqueles dias, diz o Senhor: Darei meu ensinamento, e sobre seus corações escreverei e serei o seu Deus, e eles serão o meu povo Jr 31. 33.
“Sendo manifestas como cartas de Cristo, ministradas por nós escrita não com tinta, mas com o Espírito vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do nosso coração” 2 Co 3. 3.
“Não segundo a aliança que fiz com seus pais no dia em que os tomei pela mão, para tirá-los da terra do Egito; como não permaneceram naquele meu concerto Eu para eles não atentei, diz o Senhor: Porque este é o concerto que depois daqueles dias farei com a casa de Israel, diz o Senhor: Porei as minhas leis no seu entendimento e em seu coração às escreverei, e Eu lhes serei por Deus e eles me serão por povo” Hb 8. 9 10.
Todos podem ter certeza que é sob condições de obediência as leis de Deus, que o Cordeiro da “nova aliança” tem purificado o coração do povo de Deus com o seu sangue. É por isso que os povos devem entender que para o homem ser salvo, ele tem que aceitar o Cristo, o batismo e obedecer a lei de Deus que está em vigor, menos as leis cerimoniais. Este é o novo concerto que Ele estabeleceu com a Igreja na “Nova aliança”. Ele Escreveu as suas leis no coração do seu povo. Isso não caracteriza alteração, pois Deus escreveu os mandamentos que devem ser observados, nas “tábuas de carne dos corações” daqueles que estão sendo santificados.
Tem mensagem que também diz: Que a lei Deus deu para o povo judeu, aplica desta foram para desviar o povo do santo sábado, e da lei da alimentação… E o povo não se dá conta de que se Cristo fosse o fim da lei como a mensagem diz: Deveria valer para toda a lei, e não para alguns mandamentos que eles são faltosos.
O objetivo do tema é esclarecer a todos e dizer: Que na vinda do Messias, Ele vai estabelecer de inicio o Reino Messiânico na terra. E a Bíblia diz: Que a partir do momento que Ele implantar o seu Reino na terra . Aqueles que irão compor o Reino com Ele; não terão mais que dividir o espaço no Reino com o Joio. Até então eles estão crescendo juntos na terra. Naquele dia o joio será ceifado e exterminado até se tornar em cinzasMl 4. 1.
“Deixai-os crescer ambos juntos até a colheita. E por ocasião da ceifa, direi aos anjos: colhei primeiro o Joio, para serem queimados” Mt 13. 30. Como todos sabem, ambos estão juntos no mesmo habitat. Jesus determinou os discípulos deixar “crescer juntos até a ocasião da ceifa”. Ou seja, no dia da vinda no momento que Ele se manifestar, Ele mandará colher do seu Reino, ou seja, da terra o joio para serem queimados. Quero lembrar os povos que no céu não têm joios. O céu é o trono de Deus . Foi no Reino que o inimigo semeou a sua planta, ou seja, a palha que será queimada. Naquele dia: “O Filho do homem enviará os seus anjos e eles colherão do seu Reino tudo o que causa escândalo e os que praticam a iniqüidade. E os lançarão na fornalha de fogo” Mt 13. 41, 42. Como todos estão vendo, os anjos vão receber ordem do Rei Jesus, para colherem do seu Reino, todos aqueles que cometem iniqüidade, ou seja, aquilo que é contra a lei para queimar. No céu existe alguém cometendo iniqüidade? Ou seja, transgredindo a lei? É óbvio que não. É no Reino, ou seja, na terra amada que o joio pratica iniqüidades. “Bem aventurados os pobres em espírito, pois deles é o Reino dos céus” Mt 5. 3.
Para os povos entenderem melhor o versículo, antes leiam de novo e respondam: Onde está falando que o “céu é dos “pobres de espírito”? Em nenhum texto. E nem poderia falar. Pois Jesus está falando: Do Reino dos céus, e não do céu. O céu é trono de Deus, e o texto está falando do Reino dos céus, ou seja, onde está sendo pregado o evangelho do Reino. O evangelho do Reino está sendo pregado no Reino, onde o joio pratica aquilo que é contra a lei. O contexto mostra “bem aventurados os pobres em espírito, pois eles receberão a terra por herança” Mt 5. 5. (nvi). Alguém leu o céu por herança? É obvio que não. Foi à terra que Deus criou para o homem habitar.
“Reino dos céus” se aplica para “Reino de Deus”, que é a porção seca, e também para todos os salvos que serão revestidos para permanecer no Reino Sl 37. 29,34; Pv 2. 21; Is 60. 21. Aquele que sair da terra, sairá por transgredir as condições. “E lhe foi dado o domínio, a honra e o Reino; e todos os povos, nações e línguas o adorem, seu domínio é um domínio eterno, que não passará; e seu Reino jamais será destruído” Dn 7. 14; Sl 2. 6; 110. 2. Todos podem ver nos contextos a seguir a respeito do trono de Davi, que se aplica para o domínio do Rei. Quando Jesus fala: Que dos “pobres em espírito é o Reino dos céus”, Ele se refere da terra que será de todo aquele que aceita Ele como Salvador e as condições. Ele está falando do trigo da terra e dizendo: Que o Reino dos céus, ou seja, a terra é o quinhão deles.
“Ele será grande e será chamado filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi seu pai Lc 1. 32,33. Seja-me permitido dizer-vos francamente sobre o patriarca Davi: Ele morreu, foi sepultado, e o seu túmulo está até hoje entre nós. Sendo, pois ele profeta, e sabendo que Deus lhe havia prometido sob juramento que um dos seus descendentes se sentará no seu trono At 2. 29,30; Hb 6. 16 a 18.um dentre a tua descendência, que sair das tuas entranhas, estabelecerei no teu trono 2 Sm 7. 12. Não violarei minha aliança, nem alterarei o que meus lábios proferiram, uma vez para sempre jurei por minha santidade; não mentirei a Davi. A sua descendência continuará e seu trono será estável perante mim, será estabelecido para sempre” 89. 34 a 37.
“O Senhor Jurou a Davi uma verdade, e não a revogará: Colocarei sobre teu trono, o fruto das tuas entranhas Sl 132. 11. Eis que vem dias, diz o senhor, e levantarei a Davi um renovo Justo, e reinará o Rei e será bem sucedido, e fará juízo e justiça na terra Jr 23. 5. Assim diz o Senhor: Se anularem minha aliança com o dia, e com a noite, de modo que nem o dia nem a noite aconteçam no tempo que lhes está determinado, então poderá ser quebrada a minha aliança com o meu servo Davi”Jr 33. 20 a 22; Mq 5. 2 a 4. Todos estão podendo ver, que o Senhor jurou que dará ao Messias o trono de Davi seu Pai. E o Messias disse: Que ao vencedor concederá que se sente com Ele no seu trono, que é o de Davi seu pai Ap 3. 26, 27.
“Estabelecerei depois de ti um dentre a tua descendência, ele construirá uma casa ao meu nome” 2 Sm 7. 13. O texto aplica-se para Salomão que saiu da descendência de Davi. Reinou em Israel e construiu uma casa imóvel, ou seja, um templo para habitação de Deus, no reino de Davi seu pai. Mas também para o descendente maior de Abraão, ou seja, Jesus Cristo que está edificando uma casa móvel, ou seja, o tabernáculo de Davi que estava caído At 15. 16.
O tabernáculo de Davi está sendo restaurado com a missão da Igreja que Jesus enviou a evangelizar o mundo E na segunda e última vinda Ele vai reinar sobre eles na terra da promessa que eles tanto amam. São eles as pessoas pobres de espírito, que Jesus se refere que delas é o Reino de Deus. Como foi falado o domínio do Rei Jesus não se aplica apenas para o território que Ele vai governar, ou seja, toda a terra Dn 2. 35; 7. 25; Ap 1. 5; 11. 15. Mas também para todos aqueles que Ele deixar na terra na sua vinda.
“Meu Reino não é deste mundo” Jo 18. 36. Aqueles que tentam de todas as maneiras dizer: Que o Reino do Messias não é terreno. Sem conhecimento de causa, aplicam esse texto para contrariar os fatos. Todos podem ver, que “Jesus foi apresentado perante o governador, Pilatos, que lhe perguntou: Você é o Rei dos Judeus? Respondeu Jesus: Tu o dizes:”, Ou seja, confirmou Mt 27. 11. Foi à mesma pergunta que João mostra que “Pilatos voltou a entrar no pretório, chamou Jesus, e lhe perguntou: Tu és o Rei dos judeus? Resposta: “Tu o dizes que sou: Eu para isso nasci e por isso vim ao mundo” Jo 18. 37.
O bom entendedor percebe que a pergunta de Pilatos para Ele, se refere se Ele é realmente o Rei dos judeus. A questão era o Rei, e não o Reino, ou seja, era o rei que estava sendo julgado e não o Reino. Jesus confirmou que sim. Agora pergunto, Jesus reinou sobre os Judeus? É óbvio que não. Ele vai reinar na sua segunda e última vinda. E foi do Rei Jesus, é da época do seu reinado que Pilatos interrogou, Foi a respeito dele, e da época do seu reinado que Ele respondeu; E não do Reino. E quando Ele voltar, Ele vai implantar o seu Reino na terra amada, e não vai levar ninguém para o céu como advogam os povos que têm esperança de subir para lá.
“Meu Reino não é deste mundo”. Todos podem ver muito bem, que Jesus tentou esclarecer Pilatos que não era para ele se preocupar, porque o seu reinado não era para aqueles dias, ou seja, para aquela época. Porque antes Ele terá que tornar o seu Reino abrangente a toda a terra. Ou seja, Ele teria de enviar a Igreja evangelizar o mundo inteiro, no objetivo de expandir o Reino a todas as nações e voltar depois para reinar. Foi isso e Pilatos não entendeu.
Outra pergunta é sobre a época. “Então os que estavam reunidos lhe perguntaram: Senhor é neste tempo”, ou seja, nesta época, “que restaurarás o Reino a Israel? “Ele respondeu: não vos compete saber os tempos e épocas” At 1. 6, 7. Se Ele tivesse reinado naquela época, o seu Reino teria sido restrito a Israel, e não foi para este fim que Ele veio ao mundo. Ou seja, Ele veio para tornar o Reino abrangente a toda terra. Ele morreu por toda a humanidade, e não só por Israel. Esta é a razão de Ele ter dito a Pilatos que o seu Reino não era para aqueles dias.
Tanto é que Ele enviou a Igreja para evangelizar o mundo no objetivo de expandir o Reino por todas as nações da terra. Se Ele tivesse reinado naquela época, o seu Reino teria sido restrito a Israel. Foi isso que Ele tentou dizer e Pilatos não entendeu: E as escrituras confirmam. “Este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo, como testemunho em todas as nações Mt 24. 14. E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho do Reino a toda a criatura Mc 16. 15. E que em seu nome se pregasse o evangelho para o arrependimento, a todas as nações” Lc 24. 47.
Os quatros Reinos de Daniel, conhecidos como reinos da besta, ou seja, Babilônia, ano 538 a 603 a C. Representado pelas feras Dn 7. 4. Média e Pérsia, ano 331 a 538 a C. Dn 7. 5. Grécia, ano 168 a 331 a C. Dn 7. 6. Roma, 476 d C a 168 d C. Dn 7. 7.Roma, 476 d C a 168 a C Dn 7. 7. Foram reinos mundiais, ou seja, abrangeram todos os reinos da época. Se aqueles reinos foram abrangentes, porque o do Messias teria que ser restrito a Israel? Ele quis dizer: Pilatos não te preocupa, porque Eu não vou remover você do Reino. Devo antes enviar a Igreja evangelizar todo o mundo, e assim que a Igreja expandir o Reino por toda a terra, voltarei depois e reinarei sobre a terra.
Como todos podem ver, Daniel também falou do quinto Reino, ou seja, o Messiânico.“E o Reino, e o domínio, e as grandezas dos reinos sob todo o céu serão entregues ao povo do Altíssimo. Seu Reino será um Reino eterno, e todos os domínios o servirão e lhe obedecerão” Dn 7. 22. Ap 5. 10; 11. 15. Foi isso que Jesus tentou fazer Pilatos entender, que faltava Ele expandir o Reino e por isso Ele não poderia reinar naquela época.
“Então disse: Um homem nobre partiu para uma terra distante, com o fim de ser coroado Rei e voltar” Lc 19. 12. Jesus está se referindo dele mesmo, dizendo: Que Ele iria subir para os céus para ser coroado Rei, e assim que a Igreja terminar a missão e tornar o Reino abrangente a toda terra, Ele voltará para reinar sob Ela… Foi isso que Ele tentou convencer Pilatos que a exemplo daqueles que têm esperança de morar no céu, não entendeu nada a respeito do assunto. Ou seja, fez perguntas e não entendeu as respostas. E hoje têm povos querendo falar no assunto, sem entender nada a respeito do Reino dos céus. Confundem o Reino de Deus que é a terra, com o trono de Deus, que é o céu.
“Em verdade vos digo, entre os nascidos de mulher, não surgiu nenhum maior do que João Batista, mas o menor no Reino dos céus é maior do que ele” Mt 11. 11.Será que Jesus está se referindo que no seu Reino, o menor será maior do que João Batista? Na época que Jesus falou estas palavras, João estava no cárcere Jo 1. 2. E mandou os seus discípulos fazerem algumas perguntas para Jesus, que em resposta disse: Que “o menor no Reino do céu será maior do que João”. Todos podem ter certeza que é por não levar a época em consideração, que muitos ficam sem entender o assunto.
Os povos que têm esperança de subir e morar no céu têm atitudes iguais a de Pilatos. Como pode o menor lá no céu, ser maior do que João batista também lá? Na época que Jesus falou estas palavras: A Igreja ainda não tinha saído da Galiléia, ou seja, o Reino ainda estava restrito a Israel. E João ainda estava com o corpo corruptível, ou seja, perecível, e ainda não era manifesto o que João vai ser no Reino dos céus.
O que Jesus está comparando, seria pegar o menor na Igreja, ou seja, uma pessoa com menos talentos espiritual do que João Batista, levá-lo a transformação do corruptível para a incorruptibilidade e do mortal para a imortalidade, e comparar com João ainda corruptível e perecível, para que os seus discípulos pudessem entender que a pessoa depois de transformada e revestida de imortalidade, será incomparável com a mesma no corpo perecível e mortal.
Tanto é que João Batista provou a corrupção e morreu. Ele estava comparando e dizendo: Que a pessoa depois de transformada do corruptível para a incorruptibilidade e do mortal para a imortalidade, será maior do que João Batista, ou do que qualquer outro da Igreja fisicamente perecível e mortal. Jesus quis dizer: Que a diferença é incomparável. Ele não disse: Que no Reino de Deus terá alguém maior do que o outro. Com certeza Adão antes de Pecar era incomparável com o Adão perecível e mortal depois de pecar. E Jesus no presente com certeza é incomparável com aquele Jesus que os judeus contemplaram e rejeitaram.
Vou mostrar um exemplo de Jesus fisicamente perecível e mortal, e comparar com Ele transformado, para que os povos possam entender melhor o assunto. “Em verdade vos digo, alguns dos que estão aqui, não provarão a morte até que vejam o Filho do homem no seu Reino” Mt 16. 28. Vejam que Jesus está falando do seu Reino, ou seja, futuro. A transfiguração ocorreu antes de Ele falar para Pilatos que o Reino dele não era para aqueles dias. “Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro Tiago e João, e os levou para um lugar à parte, sobre um alto monte. E ali Foi Transfigurado diante deles. O seu rosto resplandeceu como o sol” Mt 17.2.
Como o povo pode ver, o que o contexto está mostrando, equivale a uma pessoa transformada para comparar com a mesma fisicamente perecível e mortal. Veja que o rosto de Jesus depois de transformado resplandeceu como o sol. Da mesma forma que se vê Ele em apocalipse “Ele tinha na mão direita sete estrelas, e de sua boca saia uma espada afiada de dois gumes. Seu rosto era como o sol, que brilha em seu resplendor” Ap 1. 16. O povo pode ver que Jesus transfigurado, não dá para fazer comparação com aquele Jesus que viveu o dia a dia com os apóstolos fisicamente perecível. A transfiguração foi uma demonstração de como o homem será depois de transformado no Reino.
O que Jesus fez em particular no monte com os três discípulos, seis dias depois de Ele ter falado que alguns dos discípulos não provariam a morte, sem antes ver Ele no seu Reino Mt 16. 28. Foi dar uma demonstração de como será o homem depois de transformado, ou seja, mostrou que o menor depois de transformado, será maior do que João, ou de qualquer justo fisicamente perecível e mortal. É assim que será o povo de Deus no Reino. Todos podem ver que os discípulos se maravilharam, não entendendo que Jesus estava dando uma demonstração do futuro, ou seja, de como Ele e as pessoas que vão compor o Reino com Ele serão depois de transformados.
Foi exatamente o que Ele disse para os discípulos quando falou: Que o menor no Reino do céu, será maior do que João Batista. Com certeza depois os apóstolos entenderam o que Ele estava querendo dizer. E entenderam também o que tentou dizer para Pilatos quando disse: “Meu Reino não é deste mundo”. E estava afirmando que o seu Reino será para o futuro. E na transfiguração demonstrou fisicamente como serão os participantes do Reino. Com certeza serão superiores a qualquer Justo no tabernáculo perecível e mortal.
“Percorria Jesus toda a Galiléia, ensinado nas sinagogas, pregando o evangelho do Reino Mt 4. 23. Depois que João foi preso, Jesus foi para a Galiléia, pregando o evangelho do Reino” Mc 1. 14. O evangelho do Reino é pregado na terra, ou no céu? É óbvio que é na terra, ou seja, no objetivo de expandir o Reino a todas as nações da terra. Eu não entendo como pode ter mensagem que prega o evangelho que dizem ser o do Reino em um habitat: E querem habitar em outro.
Para finalizar eu quero dizer: Que o homem é cidadão terreno, e como todos estão vendo, Deus fez o homem para habitar a terra At 17. 26… Espero que todos reflitam e entendam que o Reino de Deus que os salvos herdarão será na terra, onde está sendo pregado o evangelho do Reino. Todas as pessoas têm possibilidades de habitar a terra para sempre, se aceitarem as condições e observarem os mandamentos e as leis de Deus por completa. Quem rejeita em parte, tropeça em toda e perecerá por conta disso Tg 2. 10.
Os povos deveriam refletir que isso é ambição pelo trono de Deus. Nos mandamentos da lei diz: Não cobiçarás, ou seja, a lei proíbe cobiçar as coisas concernentes ao próximo Ex 20. 17. Os povos que têm esperança de morar no céu estão cobiçando o trono de Deus, e rejeitando o habitat que Deus criou para o homem habitar. Todos têm direito de lutarem para entrar no Reino de Deus, não somente direito, mas também possibilidades, se aceitarem as condições Jo 3. 16 a 18. Mas querer morar no céu, ninguém tem direito e nem possibilidades. Por se tratar do trono de Deus, e também pelo fato de o homem ser cidadão terreno, e ter sido criado para habitar a terra prometida.

IDSD

Tags: