Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
FALSOS PILARES DA IMORTALIDADE

FALSOS PILARES DA IMORTALIDADE

O Eterno prometeu imortalidade ao homem se na verdade houvesse
obediência, mas por seu livre arbítrio este escolheu o cam inho para a
morte. Elohim disse: „certamente morrerás , (Bereshit 2.16,17), enquanto
que o inimigo dizia o oposto: „certamente não morrerás. (Bereshit 3.4).

A doutrina da imortalidade da alma vem do filósofo grego Platão,
nascido em Atenas por 457aC e morreu em 347aC. Viveu na era ouro da
cultura grega e foi um discípulo de Sócrates. Um estudante dos ensinos de
Platão, chamado Aristóteles foi o instrutor de Alexandre o Grande.
Platão menciona a imortalidade da alma em escritos como: Phaedrus,
Apologia, Phaedo, A República, Leis e a Sétima Carta. Em Phaedo
relata um diálogo entre Sócrates e seus amigos.
Mais tarde, os pensadores gregos também começaram a adoptar a crença
da imortalidade da alma. O livro “Vida Presbitereana” diz o seguinte: “A
mortalidade da alma é uma ideia grega concebida nos antigos cultos de
mistério e elaborada pelo filósofo Platão.” Isso está em harmonia com o que o
próprio Platão escreveu: “Cremos que há tal coisa como a morte? . . . Não ela
a separação entre a alma e o corpo? E estar morto é o término disso; quando a
alm a existe dentro de si mesma, e é libertada do corpo e o corpo é libertado da
alm a, o que é isso senão a morte? . . . E admite a alma a morte? Não. Então é
a alma imortal? Sim.”
Posteriormente, ao passo que Alexandre, o Grande prosseguia
conquistando grande parte do mundo até então conhecido, o pensam ento
grego foi se espalhando. Este tipo de conceito acabou até mesmo por
influenciar o pensamento dos judeus.
A Nova Enciclopédia Católica mostra como os cristãos acabaram por
adoptar o conceito de alma imortal: “O conceito cristão de uma alm a espiritual
criada por Deus e im plantada no corpo por ocasião da concepção, para fazer
do hom em um todo vivente, é fruto de um longo desenvolvimento de filosofia
cristã. Foi só com Orígenes [falecido em c. 254 EC], no Oriente, e S. Agostinho
[falecido em 430 EC], no Ocidente, que se estabeleceu ser a alma uma
substância espiritual e se formou um conceito filosófico de sua natureza… Sua
doutrina [de Agostinho]… devia muito (incluindo algumas falhas) ao
neoplatonismo.”
Inácio de Antioquia (68 – 107 d.C) escreveu a Policarpo (69 d.C –
155 d.C), dizendo:
”Uma vez que a Igreja de Antioquia da Síria está em paz, como fui
informado, graças à vossa oração, fiquei mais confiante na
serenidade de Deus, se com o sofrimento eu o alcançar, para ser
encontrado na ressurreição como vosso discípulo” (Carta de
Inácio a Policarpo, 7:1)
FALSOS PILARES DA IMORTALIDADE 1

WWW.YESHUACHAI.COM.BR

Polícrates de Éfeso (130 – 196 d.C), que foi um líder do Cristianismo
primitivo que ficou conhecido por sua carta a Vítor, o bispo de Roma,
conservada por Eusébio de Cesareia, também declara que a esperança dos
cristãos no retorno à existência não se dá através de uma alma imortal que se
despreende do corpo no momento da morte física, mas sim pela ressurreição
dentre os mortos. Ele, então, cita nominalmente pelo menos seis grandes
nomes do Cristianismo primitivo de sua época e com nenhum deles há a
menção de já estar habitando no Céu, mas há sempre a referência a estar
“dormindo”, “descansando” ou “esperando a ressurrei ão”. Vejamos o que ele
afirma: “Nós observamos o dia exato, sem tirar nem por. Pois na Ásia grandes
lum inares também caíram no sono [morreram], do qual devem despertar
novamente no dia da volta do Senhor, quando ele virá em toda sua glória do
céu e irá procurar por todos os santos. Dentre eles estão Filipe, um dos doze
apóstolos e que dormiu em Hierápolis, suas duas filhas virgens e idosas, e
outra filha, que viveu no Espírito Santo e que agora descansa em Éfeso. E,
adicionalm ente, João, que foi tanto uma testemunha quanto um professor, que
se deitou no peito do Senhor e, sendo um padre, vestiu a placa sacerdotal. Ele
também caiu no sono em Éfeso. E Policarpo, que foi bispo e mártir; e Tráseas,
bispo e mártir de Eum ênia, que dormiu em Esmirna. Por precisaria eu
mencionar o bispo e mártir Sagaris, que se deitou em Laodiceia, ou o
abençoado Papirius ou Melito, que viviam juntos no Espírito Santo, que
repousa em Sardes, esperando o episcopado do céu, quando ele se
levantará dos mortos? Todos estes observavam o décimo-quarto dia da
Páscoa judaica de acordo com o evangelho, não desviando em nenhum
aspecto, mas segundo a regra de f ” (Conservado por Eus bio de Cesareia em
História Eclesiástica, Livro V, Cap. 24)

O Evangelischer Erwachsenenkatechismus (Catecismo Evangélico Para
Adultos), da Igreja Luterana, admite abertamente que “a fonte de ensino de que
a alma humana é im ortal não é a Bíblia, e sim o filósofo grego Platão (427-
347 AC), que sustentava enfaticam ente que havia uma diferença entre o corpo
e a alma”. Prossegue dizendo: “Os teólogos evang licos dos tempos modernos
questionam esta combinação de conceitos grego e bíblico… rejeitam a
separa ão do homem em corpo e alma”. E mais adiante: “Visto que o homem,
como um todo, é pecador, portanto, na morte, ele falece completamente, com
corpo e alma (morte total). Entre a morte e a ressurreição há uma lacuna; no
melhor dos casos, a pessoa continua sua existência na memória de Deus”.

ELOHIM É IMORTAL, MAS NÃO O HOMEM…

Que homem há, que viva e não veja a morte? Ou que livre a sua alma do
poder do mundo invisível? (Salm os 89: 48)

E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo, depois
disso, o juízo,(Hebreus 9: 27)

FALSOS PILARES DA IMORTALIDADE 2

E, se o Espírito daquele que dos mortos ressuscitou a Yeshua
habita em vós, aquele que dos mortos ressuscitou ao Messias também
vivificará o vosso corpo mortal,…(Romanos 8: 11)

O qual recompensará cada um segundo as suas obras, a saber: a
vida eterna aos que, com perseverança em fazer bem, procuram
excelência, e honra, e incorrupção;(Romanos 2: 6,7)

Se a recompensa do que persevera em fazer o bem é a vida eterna,
conclui-se com facilidade que o homem não imortal.

Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última
trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão
incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto
que é corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é
mortal se revista da imortalidade.(I Coríntios 15: 52,53)

Observe quem ressuscita. Não são os mortos?
Não ressuscitam para que o que é corruptível se faça incorruptível? Ou se
revista da imortalidade?

Não está aí a razão da ressurreição?

O que dizer se afirmar que o homem é imortal?

Qual seria a razão da ressurreição?
Não acaba por anular promessas de Elohim e ainda negar a ressurreição de
Yeshua?

Porque, assim como a morte veio por um homem, também a
ressurreição dos mortos veio por um homem. Porque, assim como
todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados no
Messias.

O mesmo livro de Coríntios nos traz esta citação, mas:

Como dizer que a morte veio por Adão se o homem fosse imortal?
Como dizer que todos serão vivificados na vinda de Cristo se o homem
fosse imortal?
Como entender Hebreus que diz que está ordenado aos homens
morrerem? (Heb. 9:27,28)

A BREVIDADE DA VIDA DO HOMEM

Faze-me conhecer, ADONAI, o meu fim, e a medida dos meus dias
qual é, para que eu sinta quanto sou frágil. Eis que fizeste os meus
dias como a palmos; o tempo da minha vida é como nada diante de ti;
na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é totalmente
vaidade. (Selá) Na verdade, todo homem anda como uma sombra; na
verdade, em vão se inquietam; amontoam riquezas e não sabem quem
as levará.(Salmos 39: 4- 6)
FALSOS PILARES DA IMORTALIDADE 3

WWW.YESHUACHAI.COM.BR

ADONAI, que é o homem, para que o conheças, e o filho do
homem, para que o estimes? O homem é semelhante à vaidade; os
seus dias são como a sombra que passa.(Salmos 144: 3, 4)

Porque toda carne é como erva, e toda o esplendor do homem,
como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor;(I Pedro 1: 24)

A promessa da imortalidade ao homem está dependente do encontro
das condições do Eterno para a salvação. Somente os que têm um
relacionamento apropriado com o Filho de Elohim poderão receber a vida
eterna. O Mashiach ressurgiu da morte para a vida e seremos vivificados
nEle, na Sua vinda. O Senhor Yeshua tem da parte de Elohim , a liberdade
para dar a vida eterna aos que seguem a verdade e perseveram nos
caminhos de retidão.

E o testemunho é este: que Elohim nos deu a vida eterna; e esta
vida está em seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o
Filho de Elohim não tem a vida.(I João 5: 11, 12)

O QUE ACONTECE NA MORTE?

Na morte, ocorre o oposto do que aconteceu quando Elohim deu vida
a Adão, o primeiro homem. Na criação o fôlego de vida foi unido ao corpo
formado do pó e a vida resultou. Na morte o fôlego de vida deixa o homem
e resulta a m orte.

Escondes o teu rosto, e ficam perturbados; se lhes tiras a
respiração, morrem e voltam ao próprio pó.(Salmos 104: 29)

Portanto pó mais fôlego, resulta em pessoa vivente. Este foi o processo da
criação.

E pó menos fôlego, resulta em pessoa morta. Este é o processo da morte.

Não confieis em príncipes nem em filhos de homens, em quem não
há salvação. Sai-lhes o espírito, e eles tornam para sua terra; naquele
mesmo dia, perecem os seus pensamentos.(Salmos 146: 4)

E o pó volte a terra, como o era, e o espírito volte a Elohim, que o
deu.(Eclesiastes 12: 7)

Elohim tornou a Adão a vida no momento em que lhe deu o fôlego
soprando em suas narinas, fazendo-o assim alma vivente.

E formou ADONAI Elohim o homem do pó da terra e soprou em
seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma
vivente.(Gênesis 2: 7)

FALSOS PILARES DA IMORTALIDADE 4

WWW.YESHUACHAI.COM.BR

É por isso que Eclesiastes diz que quando o espírito (fôlego de vida, ar)
volta para Elohim, a criatura volta ao pó, e sem este fôlego o homem está
morto.

Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim
também a fé sem obras é morta.(Tiago 2: 26)

Nos verso acima notamos que o espírito é o fôlego de vida que retorna
para Elohim ; é impessoal, e o que representa a força vital que permite ao
homem estar vivo.

NATUREZA DO HOMEM NA MORTE

Na morte o homem está sem consciência. Ele não tem vida. Seu cérebro
e sistema nervoso cessaram o funcionamento. Sem cérebro o homem não
pensa, sem o sistema nervoso, o homem não sente dor ou prazer. O
intelecto e sensibilidade só existem quando o homem está em vida. Na
sepultura o homem está inconsciente, o homem está morto.

Porque na morte não há lembrança de ti; no sepulcro quem te
louvará? (Salmos 6: 5)

Os mortos não louvam a ADONAI, nem os que descem ao silêncio.
(Salm os 115: 17)

Sai-lhes o espírito, e eles tornam para sua terra; naquele mesmo
dia, perecem os seus pensamentos.(Salmos 146: 4)

Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não
sabem coisa nenhuma, nem tampouco eles têm jamais recompensa, mas
a sua memória ficou entregue ao esquecimento. Até o seu amor, o seu
ódio e a sua inveja já pereceram e já não têm parte alguma neste século,
em coisa alguma do que se faz debaixo do sol. (Eclesiastes 9: 5, 6)

Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças,
porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra, nem indústria,
nem ciência, nem sabedoria alguma. (Eclesiastes 9: 10)

MORTE COMPARADA AO SONO INCONSCIENTE

A m orte é como um sono inconsciente. Não há consciência com relação
ao tempo. Para o que morreu há anos, assim como para o que morreu no
segundo anterior o tempo não mostrará sua extensão. A consciência só
existirá quando nos colocarmos diante do Messias.

Se fiel ao Messias, o homem estará perante Ele na primeira ressurreição,
e se infiel, o homem estará diante do Messias na ressurreição final. O servo
FALSOS PILARES DA IMORTALIDADE 5

 

WWW.YESHUACHAI.COM.BR

 

Tags: FALSOS PILARES DA IMORTALIDADE

FALSOS PILARES DA IMORTALIDADE

O Eterno prometeu imortalidade ao homem se na verdade houvesse
obediência, mas por seu livre arbítrio este escolheu o cam inho para a
morte. Elohim disse: „certamente morrerás , (Bereshit 2.16,17), enquanto
que o inimigo dizia o oposto: „certamente não morrerás. (Bereshit 3.4).

A doutrina da imortalidade da alma vem do filósofo grego Platão,
nascido em Atenas por 457aC e morreu em 347aC. Viveu na era ouro da
cultura grega e foi um discípulo de Sócrates. Um estudante dos ensinos de
Platão, chamado Aristóteles foi o instrutor de Alexandre o Grande.
Platão menciona a imortalidade da alma em escritos como: Phaedrus,
Apologia, Phaedo, A República, Leis e a Sétima Carta. Em Phaedo
relata um diálogo entre Sócrates e seus amigos.
Mais tarde, os pensadores gregos também começaram a adoptar a crença
da imortalidade da alma. O livro “Vida Presbitereana” diz o seguinte: “A
mortalidade da alma é uma ideia grega concebida nos antigos cultos de
mistério e elaborada pelo filósofo Platão.” Isso está em harmonia com o que o
próprio Platão escreveu: “Cremos que há tal coisa como a morte? . . . Não ela
a separação entre a alma e o corpo? E estar morto é o término disso; quando a
alm a existe dentro de si mesma, e é libertada do corpo e o corpo é libertado da
alm a, o que é isso senão a morte? . . . E admite a alma a morte? Não. Então é
a alma imortal? Sim.”
Posteriormente, ao passo que Alexandre, o Grande prosseguia
conquistando grande parte do mundo até então conhecido, o pensam ento
grego foi se espalhando. Este tipo de conceito acabou até mesmo por
influenciar o pensamento dos judeus.
A Nova Enciclopédia Católica mostra como os cristãos acabaram por
adoptar o conceito de alma imortal: “O conceito cristão de uma alm a espiritual
criada por Deus e im plantada no corpo por ocasião da concepção, para fazer
do hom em um todo vivente, é fruto de um longo desenvolvimento de filosofia
cristã. Foi só com Orígenes [falecido em c. 254 EC], no Oriente, e S. Agostinho
[falecido em 430 EC], no Ocidente, que se estabeleceu ser a alma uma
substância espiritual e se formou um conceito filosófico de sua natureza… Sua
doutrina [de Agostinho]… devia muito (incluindo algumas falhas) ao
neoplatonismo.”
Inácio de Antioquia (68 – 107 d.C) escreveu a Policarpo (69 d.C –
155 d.C), dizendo:
”Uma vez que a Igreja de Antioquia da Síria está em paz, como fui
informado, graças à vossa oração, fiquei mais confiante na
serenidade de Deus, se com o sofrimento eu o alcançar, para ser
encontrado na ressurreição como vosso discípulo” (Carta de
Inácio a Policarpo, 7:1)
FALSOS PILARES DA IMORTALIDADE 1

WWW.YESHUACHAI.COM.BR

Polícrates de Éfeso (130 – 196 d.C), que foi um líder do Cristianismo
primitivo que ficou conhecido por sua carta a Vítor, o bispo de Roma,
conservada por Eusébio de Cesareia, também declara que a esperança dos
cristãos no retorno à existência não se dá através de uma alma imortal que se
despreende do corpo no momento da morte física, mas sim pela ressurreição
dentre os mortos. Ele, então, cita nominalmente pelo menos seis grandes
nomes do Cristianismo primitivo de sua época e com nenhum deles há a
menção de já estar habitando no Céu, mas há sempre a referência a estar
“dormindo”, “descansando” ou “esperando a ressurrei ão”. Vejamos o que ele
afirma: “Nós observamos o dia exato, sem tirar nem por. Pois na Ásia grandes
lum inares também caíram no sono [morreram], do qual devem despertar
novamente no dia da volta do Senhor, quando ele virá em toda sua glória do
céu e irá procurar por todos os santos. Dentre eles estão Filipe, um dos doze
apóstolos e que dormiu em Hierápolis, suas duas filhas virgens e idosas, e
outra filha, que viveu no Espírito Santo e que agora descansa em Éfeso. E,
adicionalm ente, João, que foi tanto uma testemunha quanto um professor, que
se deitou no peito do Senhor e, sendo um padre, vestiu a placa sacerdotal. Ele
também caiu no sono em Éfeso. E Policarpo, que foi bispo e mártir; e Tráseas,
bispo e mártir de Eum ênia, que dormiu em Esmirna. Por precisaria eu
mencionar o bispo e mártir Sagaris, que se deitou em Laodiceia, ou o
abençoado Papirius ou Melito, que viviam juntos no Espírito Santo, que
repousa em Sardes, esperando o episcopado do céu, quando ele se
levantará dos mortos? Todos estes observavam o décimo-quarto dia da
Páscoa judaica de acordo com o evangelho, não desviando em nenhum
aspecto, mas segundo a regra de f ” (Conservado por Eus bio de Cesareia em
História Eclesiástica, Livro V, Cap. 24)

O Evangelischer Erwachsenenkatechismus (Catecismo Evangélico Para
Adultos), da Igreja Luterana, admite abertamente que “a fonte de ensino de que
a alma humana é im ortal não é a Bíblia, e sim o filósofo grego Platão (427-
347 AC), que sustentava enfaticam ente que havia uma diferença entre o corpo
e a alma”. Prossegue dizendo: “Os teólogos evang licos dos tempos modernos
questionam esta combinação de conceitos grego e bíblico… rejeitam a
separa ão do homem em corpo e alma”. E mais adiante: “Visto que o homem,
como um todo, é pecador, portanto, na morte, ele falece completamente, com
corpo e alma (morte total). Entre a morte e a ressurreição há uma lacuna; no
melhor dos casos, a pessoa continua sua existência na memória de Deus”.

ELOHIM É IMORTAL, MAS NÃO O HOMEM…

Que homem há, que viva e não veja a morte? Ou que livre a sua alma do
poder do mundo invisível? (Salm os 89: 48)

E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo, depois
disso, o juízo,(Hebreus 9: 27)

FALSOS PILARES DA IMORTALIDADE 2

WWW.YESHUACHAI.COM.BR

E, se o Espírito daquele que dos mortos ressuscitou a Yeshua
habita em vós, aquele que dos mortos ressuscitou ao Messias também
vivificará o vosso corpo mortal,…(Romanos 8: 11)

O qual recompensará cada um segundo as suas obras, a saber: a
vida eterna aos que, com perseverança em fazer bem, procuram
excelência, e honra, e incorrupção;(Romanos 2: 6,7)

Se a recompensa do que persevera em fazer o bem é a vida eterna,
conclui-se com facilidade que o homem não imortal.

Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última
trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão
incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto
que é corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é
mortal se revista da imortalidade.(I Coríntios 15: 52,53)

Observe quem ressuscita. Não são os mortos?
Não ressuscitam para que o que é corruptível se faça incorruptível? Ou se
revista da imortalidade?

Não está aí a razão da ressurreição?

O que dizer se afirmar que o homem é imortal?

Qual seria a razão da ressurreição?
Não acaba por anular promessas de Elohim e ainda negar a ressurreição de
Yeshua?

Porque, assim como a morte veio por um homem, também a
ressurreição dos mortos veio por um homem. Porque, assim como
todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados no
Messias.

O mesmo livro de Coríntios nos traz esta citação, mas:

Como dizer que a morte veio por Adão se o homem fosse imortal?
Como dizer que todos serão vivificados na vinda de Cristo se o homem
fosse imortal?
Como entender Hebreus que diz que está ordenado aos homens
morrerem? (Heb. 9:27,28)

A BREVIDADE DA VIDA DO HOMEM

Faze-me conhecer, ADONAI, o meu fim, e a medida dos meus dias
qual é, para que eu sinta quanto sou frágil. Eis que fizeste os meus
dias como a palmos; o tempo da minha vida é como nada diante de ti;
na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é totalmente
vaidade. (Selá) Na verdade, todo homem anda como uma sombra; na
verdade, em vão se inquietam; amontoam riquezas e não sabem quem
as levará.(Salmos 39: 4- 6)
FALSOS PILARES DA IMORTALIDADE 3

WWW.YESHUACHAI.COM.BR

ADONAI, que é o homem, para que o conheças, e o filho do
homem, para que o estimes? O homem é semelhante à vaidade; os
seus dias são como a sombra que passa.(Salmos 144: 3, 4)

Porque toda carne é como erva, e toda o esplendor do homem,
como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor;(I Pedro 1: 24)

A promessa da imortalidade ao homem está dependente do encontro
das condições do Eterno para a salvação. Somente os que têm um
relacionamento apropriado com o Filho de Elohim poderão receber a vida
eterna. O Mashiach ressurgiu da morte para a vida e seremos vivificados
nEle, na Sua vinda. O Senhor Yeshua tem da parte de Elohim , a liberdade
para dar a vida eterna aos que seguem a verdade e perseveram nos
caminhos de retidão.

E o testemunho é este: que Elohim nos deu a vida eterna; e esta
vida está em seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o
Filho de Elohim não tem a vida.(I João 5: 11, 12)

O QUE ACONTECE NA MORTE?

Na morte, ocorre o oposto do que aconteceu quando Elohim deu vida
a Adão, o primeiro homem. Na criação o fôlego de vida foi unido ao corpo
formado do pó e a vida resultou. Na morte o fôlego de vida deixa o homem
e resulta a m orte.

Escondes o teu rosto, e ficam perturbados; se lhes tiras a
respiração, morrem e voltam ao próprio pó.(Salmos 104: 29)

Portanto pó mais fôlego, resulta em pessoa vivente. Este foi o processo da
criação.

E pó menos fôlego, resulta em pessoa morta. Este é o processo da morte.

Não confieis em príncipes nem em filhos de homens, em quem não
há salvação. Sai-lhes o espírito, e eles tornam para sua terra; naquele
mesmo dia, perecem os seus pensamentos.(Salmos 146: 4)

E o pó volte a terra, como o era, e o espírito volte a Elohim, que o
deu.(Eclesiastes 12: 7)

Elohim tornou a Adão a vida no momento em que lhe deu o fôlego
soprando em suas narinas, fazendo-o assim alma vivente.

E formou ADONAI Elohim o homem do pó da terra e soprou em
seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma
vivente.(Gênesis 2: 7)

FALSOS PILARES DA IMORTALIDADE 4

WWW.YESHUACHAI.COM.BR

É por isso que Eclesiastes diz que quando o espírito (fôlego de vida, ar)
volta para Elohim, a criatura volta ao pó, e sem este fôlego o homem está
morto.

Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim
também a fé sem obras é morta.(Tiago 2: 26)

Nos verso acima notamos que o espírito é o fôlego de vida que retorna
para Elohim ; é impessoal, e o que representa a força vital que permite ao
homem estar vivo.

NATUREZA DO HOMEM NA MORTE

Na morte o homem está sem consciência. Ele não tem vida. Seu cérebro
e sistema nervoso cessaram o funcionamento. Sem cérebro o homem não
pensa, sem o sistema nervoso, o homem não sente dor ou prazer. O
intelecto e sensibilidade só existem quando o homem está em vida. Na
sepultura o homem está inconsciente, o homem está morto.

Porque na morte não há lembrança de ti; no sepulcro quem te
louvará? (Salmos 6: 5)

Os mortos não louvam a ADONAI, nem os que descem ao silêncio.
(Salm os 115: 17)

Sai-lhes o espírito, e eles tornam para sua terra; naquele mesmo
dia, perecem os seus pensamentos.(Salmos 146: 4)

Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não
sabem coisa nenhuma, nem tampouco eles têm jamais recompensa, mas
a sua memória ficou entregue ao esquecimento. Até o seu amor, o seu
ódio e a sua inveja já pereceram e já não têm parte alguma neste século,
em coisa alguma do que se faz debaixo do sol. (Eclesiastes 9: 5, 6)

Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças,
porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra, nem indústria,
nem ciência, nem sabedoria alguma. (Eclesiastes 9: 10)

MORTE COMPARADA AO SONO INCONSCIENTE

A m orte é como um sono inconsciente. Não há consciência com relação
ao tempo. Para o que morreu há anos, assim como para o que morreu no
segundo anterior o tempo não mostrará sua extensão. A consciência só
existirá quando nos colocarmos diante do Messias.

Se fiel ao Messias, o homem estará perante Ele na primeira ressurreição,
e se infiel, o homem estará diante do Messias na ressurreição final. O servo
FALSOS PILARES DA IMORTALIDADE 5

Tags: