Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
Inimigos do matrimônio

Inimigos do matrimônio

Como vencer alguns dos maiores inimigos do matrimônio

Introdução: Existem inúmeros fatores para desestabilizar o matrimônio de pessoas que contraíram núpcias. É preciso conhecer tais agentes para poder combatê-los prontamente com a graça de Deus. Eis abaixo alguns deles:

1 – EGOÍSMO. O contraditório veemente do egoísmo é o amor; ele “Não busca os seus interesses”. I Co 13. 5. O amor é altruísta; concentra-se em como servir e agradar ao próximo. Ele obedece ao preceito paulino: “Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros”. Fp 2. 4. O amor enxerga as necessidades físicas, emocionais e espirituais dos demais.

2 – INDIFERENÇA. “Eu dormia, mas o meu coração velava; eis a voz do meu amado, que estava batendo: Abre-me, irmã minha, amiga minha, pomba minha, minha imaculada, porque a minha cabeça está cheia de orvalho, os meus cabelos, das gotas da noite. Já despi as minhas vestes; como as tornarei a vestir? Já lavei os meus pés; como os tornarei a sujar? O meu amado meteu a sua mão pela fresta da porta, e o meu coração estremeceu por amor dele. Eu me levantei para abrir ao meu amado, e as minhas mãos destilavam mirra, e os meus dedos gotejavam mirra sobre as aldravas da fechadura. Eu abri ao meu amado, mas já o meu amado se tinha retirado e se tinha ido; a minha alma tinha-se derretido quando ele falara; busquei-o e não o achei; chamei-o, e não me respondeu. Acharam-me os guardas que rondavam pela cidade, espancaram-me e feriram-me; tiraram-me o meu manto os guardas dos muros”. Ct 5. 2-7. A atenção é primordial para nos darmos bem com quem amamos. Valorizar a presença e os atributos é da maior importância para o “ego” e o emocional do consorte.

3 – INGRATIDÃO. “Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas”. Mt 7. 12. Como é bom receber o reconhecimento da pessoa amada! Não sejamos omissos às boas ações de nosso cônjuge. Falemos bem! Agradeçamos! Antecipemo-nos aos desejos e anelos da pessoa amada.

4 – CRÍTICA. “Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Quem fala mal de um irmão e julga a seu irmão fala mal da lei e julga a lei; e, se tu julgas a lei, já não és observador da lei, mas juiz”. Tg 4. 11. Nada dói tanto quanto a palavra ferina da pessoa com quem nos casamos, quando nos censura de modo maldoso ou nos critica abertamente! O cônjuge precisa ser preservado. O diálogo existe para acomodar e harmonizar os relacionamentos e não para criar mágoas ou inimizades.

5 – IMATURIDADE. “Temos uma irmã pequena, que ainda não tem peitos; que faremos a esta nossa irmã, no dia em que dela se falar? Se ela for um muro, edificaremos sobre ela um palácio de prata; e, se ela for uma porta, cercá-la-emos com tábuas de cedro”. Ec 8. 8-9. A falta de maturidade causa transtornos e distúrbios nos casamentos. A idade de se casar precisa ser antecedida pelos estudos, formação profissional, experiências na vida.”Tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar”. Ec 3. 5.

6 – INTERFERÊNCIA. “Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria que fosse arrombada a sua casa”. Mt 24. 43. Os palpites sempre surgem no afã de “ajudar”, mas os resultados têm sido catastróficos. O casal deve ter condições emocionais de gerir seu destino; se precisar de ajuda, deverá procurar pessoa qualificada e de respeito para se aconselhar.

7 – DESCONFIANÇA. “Não suspeita mal”. I Co 13. 5. Eis uma planta nociva com frutos devastadores: a desconfiança! O ciúme é mais que uma lástima, é uma praga. Cria suspeições de toda sorte. Faz sombra parecer pessoa e vulto, uma ameaça. O amor tudo crê!

8 – GROSSERIA. “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira”. Pv 15. 1. A grosseria é o câncer que assassina o amor. A mágoa nasce das sementes da falta de educação. A brandura é a blindagem do coração afetivo. O amor vencerá os maiores dissabores da vida conjugal.

“Melhor é morar numa terra deserta do que com a mulher rixosa e iracunda”. Pv 21. 19. A rixa e a ira são as armas mais mortíferas que satanás usa para desestabilizar e destruir o carinho, o respeito e a consideração dos românticos. O convívio de duas partes necessita de identificação e correspondência.

9 – VÍCIO. “Para quem são os ais? Para quem, os pesares? Para quem, as pelejas? Para quem, as queixas? Para quem, as feridas sem causa? E para quem, os olhos vermelhos? Para os que se demoram perto do vinho, para os que andam buscando bebida misturada. Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. No seu fim, morderá como a cobra e, como o basilisco, picará. Os teus olhos olharão para as mulheres estranhas, e o teu coração falará perversidades. E serás como o que dorme no meio do mar e como o que dorme no topo do mastro e dirás: Espancaram-me, e não me doeu; bateram-me, e não o senti; quando virei a despertar? Ainda tornarei a buscá-la outra vez”. Pv 23. 29-35. O vício desperdiça o dinheiro do alimento; abrevia a chegada da dor e acelera o descrédito e a doença. Todo casal deveria estabelecer uma lei: Nenhum vício em nosso lar! Os mais intempestivos são: alcoolismo, tabagismo e jogos de azar. Basta ler o jornal para ver os desastres deles. “Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer?” Is 55. 2. Vejamos um vício aparentemente aceito como normal: o de gastador compulsivo. Este “quebra” qualquer orçamento e família.

10 – DESESPERANÇA. “Os meus parentes me deixaram, e os meus conhecidos se esqueceram de mim. Os meus domésticos e as minhas servas me reputaram como um estranho; vim a ser um estrangeiro aos seus olhos. Chamei a meu criado, e ele me não respondeu; cheguei a suplicar com a minha boca. O meu bafo se fez estranho a minha mulher; e a minha súplica, aos filhos do meu corpo”. Jó 19. 14-17. Sussurros das trevas surgem em momentos de intrigas que são “normais” na vida conjugal para dizerem: Você não tem mais valor nessa família! Seu final já chegou! Todos estão lhe dando as costas! Nem Deus dá mais jeito em você e sua família! O Salmo 121 é bom remédio e verdadeiro consolo nessa hora; leiamo-lo várias vezes!

Conclusão: Orar é preciso! Ler a Bíblia é necessário! Amar é indispensável! Perdoar é prudente e pedir perdão, um dever! “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo tu e tua casa!” At 16. 31.

Escrito por: Pr. Odair Alves de Oliveira (

Tags: