Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
Israel e as Nações: A Chave para entender a Bíblia

Israel e as Nações: A Chave para entender a Bíblia

Em meados de julho, na Conferência da União das Congregações Judaico-Messiânicas, o Dr. Craig Blaising apresentou uma teologia sobre Israel e a Igreja. Fiquei impressionado e emocionado com seu discurso. Quem é Dr. Blaising? Ele é o reitor do South Western Baptist Theological Seminary, em Fort Worth, Texas – o maior Seminário Evangélico nos Estados Unidos. A posição do Dr. Blaising concorda com os meus próprios pontos de vista enunciados em meus livros, Raízes Judaicas, uma base da Teologia Bíblica e o Chamado Irrevogável. Sua posição concorda também com o magnífico livro de R. Kendall Soulen, O Deus de Israel e a Teologia Cristã.

O Dr. Blaising vê todo o relato das Escrituras caminhando para uma ordem eterna, como visto em Apocalipse 21, onde Israel e as nações são um sob o domínio de Yeshua. Finalmente, haverá um só povo de Deus, mas dentro desse povo está a diversidade étnica, racial e social de muitos povos que ainda preservam as variedades culturais amadas por Deus.

“Então, ouvi grande voz vinda do trono dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão Seu povo e o próprio Deus estará com eles e será o seu Deus” (Apocalipse 21:3). “As nações andarão mediante a sua luz, e os reis da terra lhe trarão o seu esplendor” (Apocalipse 21:24).

 

Israel e as Nações como uma Eterna Distinção

O ponto central desse assunto é a distinção entre Israel e as nações. A palavra “nações” é uma forma abreviada de incluir cada nação preciosa para Deus sem nomear todas elas. Em Apocalipse 21, vemos que cada nação traz sua própria glória distinta dentro de Jerusalém. A imagem final é o Reino de Deus em sua plenitude, onde Deus domina completamente e Sua vontade é feita na terra como no céu. Antes de chegarmos a este fantástico final de ressurreição da vida e de alegria eterna, há desenvolvimentos históricos a serem cumpridos ao longo do caminho.

 

O Corpo de Crentes, a Comunhão entre Judeus e Gentios

O chamado de Abraão iniciou o longo processo rumo ao Reino definitivo de Deus. Israel é o instrumento de preparação, intercessão e testemunho de Deus, movendo a história inexoravelmente para esse Reino definitivo. No entanto, mesmo com Israel como um todo corporativo ainda não abraçando o Messias Yeshua, todavia, Deus levanta o corpo de crentes (Blaising usa a palavra “igreja”), que é uma comunhão entre judeus e uma vasta multidão de gentios de todas as nações. Este é um prenúncio da Era Vindoura. Entretanto, a eleição do Israel étnico-nacional ainda continua. Isso está inequivocadamente estabelecido nos termos fortes e claros em Romanos 11:28-29, e é afirmado continuamente e repetidamente por toda  a
Bíblia  hebraica. O povo judeu como um povo eleito continuará a ser distinto para sempre.

Um dos erros de teologia do passado é pensar que a Igreja substitui Israel, como uma espécie de novo ou contínuo Israel. Isto é totalmente contrário às fortes declarações bíblicas. Outro erro é pensar que o povo judeu foi deixado de lado numa prateleira por Deus, que Ele não os usa mais, e agora é a “Era da Igreja”. Esta visão errada alega que depois que a Igreja for arrebatada no início da Tribulação, Deus vai usar novamente Israel, e especialmente os 144.000 do livro de Apocalipse como Suas testemunhas para o mundo (ver, Apocalipse 7:1 ss). Não há nada na Bíblia para apoiar essa “teologia da prateleira”. Em vez disso, Israel é e continuará sendo uma testemunha e um instrumento ativo de Deus. A chave para entender o corpo de crentes é que ele é chamado a Noiva do Messias como um prenúncio do que será todo o povo de Deus no Reino definitivo de Apocalipse 21. Blaising enfatiza como eu, que judeus e gentios, embora distintos, são espiritualmente iguais no Corpo do Messias.

 

O Chamado dos Judeus Messiânicos

Isto tem grandes implicações para os discípulos judeus de Yeshua, porque eles são parte de Israel sendo ao mesmo tempo parte da Noiva do Messias, a comunhão entre judeus e todos os tipos de gentios. Dentro dessa comunhão há espaço para todos os tipos de expressões de fé, incluindo uma expressão judaica onde os judeus são encorajados a manter uma identidade corporativa judaica no Corpo do Messias, e uma conexão contínua de judeus ou Israel étnico.

 

A Era Milenar

Após o retorno do Messias Yeshua, haverá mais uma era de transição antes da Eternidade, o Reino Definitivo. Essa era de transição é o Milênio. O Milênio é esse estranho período onde aqueles que foram ressuscitados ou transladados em corpos glorificados, misturam-se com os não-ressuscitados. Esta interação é descrita nos Evangelhos entre o Yeshua ressuscitado e Seus discípulos. O Milênio é uma grande era de paz e prosperidade, mas termina com um tempo de prova, onde aqueles que não forem verdadeiros ainda poderão cair pelo grande engano daquela época (Apocalipse 20:7-10). Nessa era serão cumpridas as passagens bíblicas que descrevem a paz mundial, casamentos, nascimentos de bebês e pessoas vivendo longamente antes de morrer. Isto é diferente da eternidade, onde não haverá mais morte nos novos céus e nova terra. Muitos pensam que esta será uma terra totalmente renovada ainda mantendo a identidade da terra atual (ver, Isaías 65:20-25).

Eu adoraria ver o Dr. Blaising colocar tudo isso em um livro! As implicações de um teólogo evangélico de renome apresentando uma visão tão compatível com o Judaísmo Messiânico são encorajadoras e surpreendentes. O que mais eu poderia dizer?

 

Uma Paixão por ver os Judeus Messiânicos cumprir seu Papel no Mundo

À medida que procuramos ser um testemunho para o nosso povo e desempenhar o nosso papel como judeus messiânicos, é importante notar que, ao mesmo tempo em que o Professor Blaising abraça a legitimidade da vida judaica e as congregações judaicas messiânicas onde a vida judaica é coerente com a Bíblia, ele não mencionou uma paixão que os judeus crentes em Yeshua têm por identificar-se com e viver como parte de seu próprio povo. Pode até ser que ele acredite nisso, mas não ficou claro em seu discurso. Para os judeus, a vida judaica em Yeshua não é apenas um item de refeitório para os crentes da Nova Aliança que pode ser selecionado ou rejeitado. Nossa vida no sentido de sermos o “remanescente salvo de Israel” é a chave para a salvação de Israel, que deve ser somado ao testemunho daqueles das nações que são chamados a provocar ciúmes em Israel (Romanos 11:5,14). Paulo em Romanos 11 apresenta um testemunho de duas pontas que é para durar até todo o Israel ser salvo. Esta é a visão do nosso comitê Rumo ao Concílio de Jerusalém II. Neste grande projeto conclamamos o arrependimento e o alinhamento de toda a Igreja, em todas as suas correntes, com Israel e com os judeus messiânicos. Isso não significa aprovar tudo o que Israel faz ou tudo o que há no judaísmo. No entanto, é um fundamental alinhamento de coração com os propósitos de Deus para Israel e para as nações.

Rabino messiânico Daniel Juster – Presidente da Tikkun International em Israel e EUA. Conselheiro do CCJM-Brasil

Autor: Daniel Juster

Dr. Daniel Juster, é rabino messiânico, diretor e fundador do Tikkun Internacional em Israel e EUA.

 

Tags: