Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
Lei Torah em pleno vigor

Lei Torah em pleno vigor

Alguns dizem que, uma vez que não estamos debaixo da lei, não somos obrigados a mantê-la. Vamos ver o que Yahushua disse sobre essa doutrina da ilegalidade:

Matitiyahu 7:22 – “muitos me dirão naquele dia: “Mestre, Mestre, não profetizamos nós em teu nome e em teu nome não expulsamos demônios e em teu nome não fizemos muitos milagres? E então direi-lhes: “nunca vos conheci: apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade“.

Vamos ver qual é a palavra correspondente a iniqüidade, na tradução grega:

Και τότε ομολογήσω αυτοίσ ότι ουδέποτε έγνων υμάσ αποχωρείτε απ εμού οι εργαζόμενοι την ανομίαν

A tradução grega diz “anomia”. Mas o que significa anomia? Vamos consultar o dicionário priberam:

Anomia
(grego anomía, -as, violação da lei, ausência de leis)

s. m. ausência de leis ou de organização = anarquia

Veja o significado de anomia, de acordo com o “pocket lexicon greek new testament“, pg. 24:
anomia, injustiça; desobediência a lei divina; pecado.

Partindo da etimologia da palavra anomia, o prefixo “a” é de negação e a palavra “nomos” significa lei. Associando o prefixo de negação (a) à palavra lei (nomos), anomia significa transgressão da lei. Então, vamos ver o que significa “transgressão”:

Transgressão do lat. transgressione s. f., ato ou efeito de transgredir; infração.

Agora que sabemos que anomia significa desobedecer à lei, entendemos que Yahushua, literalmente, disse:

“afastem-se de mim, vocês que desobedecem à lei!”

Veja o que Yahushua diz que vai acontecer aos que praticam a iniqüidade, ou seja, aos que desobedecem à lei:

Matityahu 13:41-42 – “mandará o filho do homem os seus mensageiros, que ajuntarão do seu reino todos os escândalos e os que praticam a iniqüidade e os lançarão na fornalha acesa; ali haverá choro e ranger de dentes”.

O próprio mashiach disse que a lei é eterna:

Matityahu 5:18 – “porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um yod ou um til jamais passará da lei, até que tudo se cumpra.”

O céu e a terra ainda não passaram, portanto, a lei continua valendo.

Uri / Lucas 16:17 – “é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til sequer da lei.”

Yahushua diz que somente aqueles que fizerem a vontade de YAH entrarão no reino dos céus.

Matityahu 7:21 – “nem todo aquele que me diz: Mestre, Mestre! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade do meu pai, que está nos céus”.

O que é fazer a vontade de YAH? Obedecê-lo! A vontade de YAH é que seus servos obedeçam a sua lei. Ele nos deu mandamentos, mas muitos os tem desprezado.

O seguinte é o maior mandamento:

Devarim 6:5 – “Amarás, pois, YHUH com todo o teu coração, e com toda a tua alma e com todas as tuas forças.”

Este mandamento foi repetido por Yahushua, em Mattityahu 22:36-38. Mas o que significa este mandamento? Como amar a YAH com todo o coração e com toda força?

Devarim 11:13 – “Se diligentemente obedeceres a meus mandamentos que hoje vos ordeno, de amar YAH, e de o servir de todo o vosso coração e de toda a vossa alma.”

Devarim 11:22 – “Porque, se diligentemente guardares todos estes mandamentos que vos ordeno para os guardardes, amando YAH, andando em todos os seus caminhos, e a ele vos achegardes.”

Osheahu 22:5 – “tende cuidado, porém, de guardar com diligência o mandamento e a lei que Moshe, servo de YAH, vos ordenou: que ameis YHUH, andeis em todos os seus caminhos, guardeis os seus mandamentos, e vos achegueis a ele, e o sirvais de todo o vosso coração e de toda a vossa alma.”

De acordo com esses versos, o que precisamos fazer para amar a YAH com todo nosso coração e todas as nossas forças é manter os seus mandamentos. Temos de nos esforçar para não pecar, mas se pecarmos (não por rebeldia ou desobediência), temos Yahushua como advogado junto ao pai (Yochanan 2:4). Temos de obedecer à lei e evitar o pecado ao máximo para nos achegarmos ao pai. Isto não só é possível, como é nosso dever!

Assim como o pai, Yahushua também diz que amá-lo é obedecer aos seus mandamentos.

Yochanan 14:15 – “Se me amais, guardareis os meus mandamentos.”

Yochanan 14:21 – “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele.”

Alguns usam o argumento de que, na dispensação da graça, só há dois mandamentos: amar YAH de todo o coração e amar o próximo como a ti mesmo.

Já vimos que amar o altíssimo é obedecer aos seus mandamentos, mas o que é amar ao próximo?

Yochanan alef 5:2 – “Nisto conhecemos que amamos os filhos de YAH: quando amamos a YAH e praticamos os seus mandamentos. Porque este é o amor de YAH: que guardemos os seus mandamentos ora, os seus mandamentos não são penosos.”

Amar ao próximo é obedecer à lei do altíssimo, então, não tem como dizer que não precisa mais obedecer à lei e que basta amar ao próximo porque quem não obedece à lei não ama o próximo verdadeiramente, até porque não sabe.

Repare que este verso não foi retirado do “velho testamento” (Tanakh) e sim do próprio “novo testamento” (Brit Chadashah), e ele diz que amar o próximo é obedecer os mandamentos.

Mas porque as escrituras dizem que amar a YAH, amar Yahushua e amar o próximo é obedecer à lei?

A primeira coisa a entender, em relação a palavra lei, é saber o verdadeiro sentido desta palavra no original hebraico, que é o idioma em que as escrituras sagradas originais foram escritas.

O termo “lei”, usado nas bíblias, é um termo limitado e inadequado, pois não expressa com exatidão seu sentido original. A palavra hebraica usada no chamado “antigo testamento” (Tanakh) é o substantivo “Torah”, que significa “instrução”. Sem dúvida, é importante observar que só nesta adequada definição do termo “Torah” teremos removido toda a idéia de legalismo associada à expressão “lei”. Estas traduções equivocadas estão sob influência da vulgata latina de jerônimo, em que a palavra Torah é traduzida tendenciosamente por “lex”, carregando um sentido negativo que transmite a idéia de jugo, peso e legalismo, como se a Torah tivesse somente aplicação legal, o que é uma inverdade.

Torah é a palavra n° 8451 do dicionário bíblico strong. Ela deriva da palavra yarah, que significa ensinar, instruir, apontar para o alvo, estabelecer uma fundação. Então, a palavra Torah fala da instrução, do ensino de YAH ao seu povo. A Torah é a instrução de YAH dada, primeiramente, à beit Yahshurun (casa de Yisrael) com o objetivo de preservar o povo, como um povo separado (santo) dentre todos os povos do mundo. Uma cultura com princípios morais, espirituais, sanitários, administrativos, alimentares e também legais. A Torah possui leis, mas ela não é somente “leis” como alguns pensam. É um engano achar que ela é apenas legal. Pior ainda é acreditar que o termo Torah pode ser traduzido por “lei”. Para esta palavra existe um termo apropriado chamado “daat”, em hebraico, que tem o sentido legal. Mas Torah, sem dúvida, é melhor traduzida como “instrução” ou “ensino”. Então, o que as bíblias chamam de lei é um conjunto de instruções que ensinam o homem a amar corretamente e verdadeiramente. O homem não sabe amar. Cada um ama do seu jeito, da maneira que lhe convém, de forma egoísta. A chamada “lei” ensina o homem a amar verdadeiramente e servir a YAH da maneira correta. A lei se resume no amor.

Leia os 613 itens da Torah ou lei e verá, com seus próprios olhos, que os mandamentos que Yahushua deixou (amar YAH sobre todas as coisas e amar ao próximo como a ti mesmo) são o resumo exato dos primeiros mandamentos. Na lei, isso está descrito item por item, exemplo: não empreste dinheiro a juros; não minta nem use de falsidade para com o teu próximo; não oprima o teu próximo; não amaldiçoe o surdo, nem ponha tropeço diante do cego; não cobre dinheiro da viúva; não ande como mexeriqueiro entre o teu povo; não te vingarás, nem guardarás ira contra os filhos do teu povo e etc… portanto, os mandamentos de Yahushua são um resumo da chamada lei de Moshe (Moisés).

Já vimos, no início deste estudo, que iniquidade significa desobediência à lei. Yahushua disse que a maior causa do abandono da emunah (fé), nos últimos dias, é a desobediência à lei.
Matityahu 24:12 – “e, por se multiplicar a iniqüidade, o amor se esfriará de quase todos”.

As escrituras não se contradizem. Não existe divisão entre velho testamento e novo testamento. A escritura é uma só. Não foi Moshe (Moisés) que fez a lei. Quem criou a lei foi o próprio altíssimo e Yahushua nunca foi contra a lei de seu pai, muito pelo contrário, ele obedeceu, ele cumpriu a lei, ou seja, ele honrou a lei do pai. Yahushua nunca disse que devemos escolher entre ele a lei do altíssimo porque ele nunca foi contra a lei e contra nada que o pai disse ou criou.

Os mandamentos de YAH ainda devem ser obedecidos ou se tornaram obsoletos pela morte de seu filho?

O povo de Yahshurun (Yisrael) era governado por vários tipos de leis:

Tipos Exemplos de instruções Referências
Lei moral Proibido assassinar, roubar, adulterar Êxodo 20
Lei de saúde Proibido comer gordura Levítico 7:23-24
Lei social Proibido colher bagos caídos. Deixar para os pobres Levítico 19: 9,10
Lei civil Permitido repudiar uma esposa estrangeira Deuteronômio 21:10-14
Lei cerimonial Regulamentava toda a prática do culto e da adoração. Levítico 16

Na verdade, a lei é uma coisa só, mas a divisão por categoria facilita a compreensão. A lei que caducou, quando Yahushua foi sacrificado, foi a lei cerimonial. Duas das razões pelas quais a lei cerimonial caducou são:

1) Os israelitas não estão em sua terra natal. Eles foram dispersos (espalhados) pelo mundo e estão em cativeiro, portanto, é impossível obedecer algumas leis como, por exemplo, as festas, porque elas devem ser celebradas em Yarushalayim (Jerusalem). O mesmo acontece com o restante das nações, que também estão distantes de Yarushalayim (Jerusalem). Algumas coisas só podiam ser praticadas no Templo, mas o Templo foi derrubado e YAH não deu autorização para construirmos outro.

2) Yahushua é o sacrifício perfeito e mais valioso, portanto, não há mais necessidade de sacrificar animais.

Mas o restante da lei continua valendo, como disse Yahushua, pois o céu e a terra ainda existem (Matitiyahu 5:18).

Yeshayahu / Isaías 24:5 – A terra está contaminada por causa dos seus moradores, porquanto transgridem as leis, mudam os estatutos, e quebram a aliança eterna.

O termo “eterna” significa perpétua / imortal / dura para sempre / nunca acaba.

Tehilim / Salmo 111:7-8 – “as obras das suas mãos são verdade e justiça, fiéis, todos os seus preceitos. Estáveis são eles para todo o sempre, instituídos em fidelidade e retidão”.

Ele diz para todo o sempre!

Tehilim / Salmos 19:7-8 – “a lei de YAH é perfeita, e refrigera a alma: o testemunho de YAH é fiel, e dá sabedoria aos simples. Os estatutos de YAH são retos e alegram o coração; o mandamento de YAH é puro e ilumina os olhos”.

Por que manter algo que é perfeito deixaria de ser necessário?

Tem gente que usa o argumento de que os dez mandamentos fazem parte da lei real que foi dada por YAH e escrita com seu próprio dedo, já os estatutos fazem parte da lei de Moshe (Moisés).

Esse pensamento está completamente equivocado porque:

1) Os estatos não foram criados por Moshe (Moisés); foi YAH quem criou os estatutos e deu ordem a Moshe (Moisés) que os transmitisse aos israelitas para que os obedecessem.

2) os estatutos que foram dados ao povo para proporcionar qualidade de vida decente e justa fazem parte da Torah (instrução), assim como os dez mandamentos.

3) Yahushua e os apóstolos ensinaram que devemos obedecer a toda a Torah, incluindo os estatutos, e não apenas os dez mandamentos.

No “novo testamento” (Brit Chadasha), a “lei” (Torah) ainda é mantida.

A “lei” (Torah) diz que há necessidade de duas ou três testemunhas para que um fato se estabeleça, uma palavra seja confirmada ou uma acusação seja aceita e a Brit Chadasha (aliança renovada), erroneamente chamada de novo testamento, segue esta instrução. Veja:

Devarim 19:15 – “uma só testemunha contra alguém não se levantará por qualquer iniqüidade, ou por qualquer pecado, seja qual for o pecado que cometeu; pela boca de duas testemunhas, ou pela boca de três testemunhas, se estabelecerá o fato”.

1 Timoteos 5:19 – “não aceites acusação contra o presbítero, senão com duas ou três testemunhas”.

Matityahu 18:1 – “mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada”.

Então, os emissários (apóstolos), Yahushua e seus seguidores obedeciam a lei.

A lei (Torah) diz que devemos honrar pai e mãe, e a Brit Chadasha segue esta instrução. Veja:

Shemoth / Êxodo 20:12 – “honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o YAH, teu altíssimo te dá”.

Ephesiyah / Efésios 6:2 – “honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa”.

A doutrina da ilegalidade diz que a lei não deve ser obedecida porque ela era somente para os israelitas e que agora, que estamos na graça, o mandamento é amar o próximo como a ti mesmo, mas honrar pai e mãe é um mandamento da chamada lei de Moshe (Moisés) e Yahushua ensinou que devemos obedecê-lo.

Matityahu 19:19 – “honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo”.

E agora??? Os mandamentos são só para israelitas? A graça anulou a lei?

A “lei” (Torah) é para todos que amam a verdade, e a graça não anulou a lei.

Honrar pai e mãe é uma mandamento da chamada lei de Moshe (Moisés), mas Yahushua e seus discípulos continuaram observando este mandamento, na Brit Chadasha (aliança renovada). YAH é o mesmo ontem, hoje e sempre; ele não muda, e nele não há sombra de variação.

A Torah era e continua sendo a sã doutrina de Yahushua e dos emissários (apóstolos).

Mesmo após o sacrifício de Yahushua, desobedecer à lei continua sendo pecado porque, no “novo testamento” (Brit Chadasha), yochanan (Yochanan) diz que pecado é a transgressão da lei.

Yochanan alef / 1 Yochanan 3:4 – “todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei.”

Shaul (Paulo) disse que o fato de não estarmos debaixo da lei não nos dá o direito de pecar (transgredir da lei).

Romyah / Romanos 6:14,15 – “porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça. E daí? Havemos de pecar porque não estamos debaixo da lei e sim da graça? De modo nenhum!

Para entender o significado disso, é preciso entender a definição da palavra “graça”. Na versão da bíblia em português, é usada a palavra graça, mas na versão grega, é usada a palavra “charis”. De acordo com ao dicionário bíblico strong, charis é a palavra n°5485 e significa perdão. Perdão é o resultado da expiação realizada por Yahushua, quando ele morreu por nossos pecados. O significado de “estar sob o perdão de YAH,” é que fomos perdoados por nossos pecados.

Quando Shaul (Paulo) disse que não estamos mais debaixo da lei, e sim do perdão (comumente chamado de “graça”), ele não estava dizendo que a lei foi abolida, mas sim que, se não fosse o sacrifício de Yahushua, seríamos condenados a morte ao desobedecer determinadas leis. Então, após o sacrifício de Yahushua, não é mais necessário sacrificar animais em expiação ao pecado, e nem somos condenados a morte pelos pecados que cometemos no passado, mas isso não significa que podemos continuar pecando. Yahushua fez a parte dele se sacrificando por nós e a nossa parte é manter a lei do altíssimo.

Romyah / Romanos 3:31 – “anulamos, pois a lei pela emunah (fé)? Não, de maneira nenhuma! Antes, confirmemos a lei”.

Yochanam (Yochanan) diz que desobedecer a lei é pecado (1 Yochanan 3:4). Veja o que Shaul (Paulo) diz sobre isso:

Romyah / Romanos 6:1-2 – “que diremos, pois? Permaneceremos no pecado (desobediência à lei), para que seja a graça mais abundante? De modo nenhum! Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos”?

Yahushua disse que todo aquele que comete pecado é escravo do pecado (Yochanan 8:34) e (Yochanan) disse que cometer pecado é desobedecer à lei (1 Yochanan 3:4), então, todo aquele que desobedece à lei é escravo do pecado.

Romyah / Romanos 6:6 – “sabendo isto: que foi executado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado (desobediente à lei) seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos”.

Agora, preste atenção no que Shaul (Paulo) diz no verso 14:

Romyah / Romanos 6:14 – “porque o pecado não terá mais domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça”.

Já vimos que pecado é desobediência à lei e que quem desobedece à lei é escravo do pecado. Agora, Shaul (Paulo) está dizendo que, se debaixo da lei não tínhamos forças para obedecê-la, após o sacrifício de Yahushua, passamos a ter, então na graça (perdão), devemos, mais do que nunca, obedecer à lei.

Yahushua se sacrificou por nós. Ele fez a parte dele e a nossa parte é obedecer à lei, ou seja, não pecar mais. Se estamos na Brit Chadasha (aliança renovada) e somos seguidores de Yahushua, devemos a ele obediência, por isso não devemos pecar, pelo contrário, devemos obedecer à lei, não por obrigação, mas de coração, por amor.

Romyah / Romanos 6:16-17 – “não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como servos para obediência, desse mesmo a quem obedeceis sois servos, seja do pecado para a morte ou da obediência para a justiça? Mas graças a YAH porque, outrora, escravos do pecado, contudo, viestes a obedecer de coração à forma de doutrina a que fostes entregues”.

Muitos já descobriram que jesus não é o Mashiach e tomaram conhecimento de que o nome do salvador é Yahushua, mas saber o nome e continuar em pecado, seguindo as mentiras do sistema religioso, não adianta nada. O verdadeiro seguidor de Yahushua obece à “lei” (Torah). Se não obedece, então ainda não o conhece.

Yochanan alef / 1 Yochanan 2:3-4 – “ora, sabemos que o temos conhecido por isto: se guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz: eu o conheço e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não há verdade”.

Uma vez que somos seguidores de Yahushua, temos de obedecer à lei porque ele mesmo disse:

Mattityahu 5:17-20 – “não penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim para revogar, mas cumprir.

Para uma compreensão exata deste texto deve-se observar as palavras-chaves, neste caso “revogar” e “cumprir“. A palavra grega usada nesta passagem que foi traduzida por “revogar” é o verbo grego katalisai (katalusai) que pode ser traduzido como: anular, abolir, destruir, desfazer, revogar, acabar, etc.

A edição bíblica de almeida revista e corrigida traduz primeiramente a palavra como “destruir”, que é mais clara.

Com base neste princípio, deve-se entender que:

1) Yahushua disse, claramente, que ele não veio para destruir, abolir, anular, derrubar ou acabar com a “lei” (Torah).

2) Yahushua disse que veio fazer outra coisa: cumprir a lei (Torah).

Em grego, a palavra usada no lugar de cumprir é plerosai (plerwsai), que significa completar, acrescentar, aperfeiçoar, “plenificar”, etc.

Yahushua, em nenhum momento, foi contra a “lei” (Torah), muito pelo contrário, ele veio apresentar o sentido pleno da torá, veio completar seu significado, ele veio “plenificar” seu objetivo. Yahushua veio ensinar o povo a obedecer a lei da maneira correta porque tudo já estava tão contaminado pelas sedarim (ordenanças) da tradição dos fariseus (que hoje é a tradição judaica) que o povo já não sabia mais obedecer a “lei” (Torah) de YAH.

Yahushua combatia a tradição farisaica. Ele não era contra a “lei” (Torah) e sim contra a tradição dos parushim (fariseus), que é esta mesma tradição judaica que existe até hoje, a lei oral que, tempos depois, acabou sendo transcrita. Estas sedarim (ordenanças) da tradição oral dos fariseus já existia no séc. 1 a.e.c. E depois foram transcritas em escritos como midrash, talmud, mishnah, guemará, baraita…

Estas sedarim (ordenanças) não foram criadas por YAH e sim pelos soferim (escribas) e parushim (fariseus). Eles inventaram uma lenda que diz que YAH revelou uma série de conhecimentos complementares, que eles chamavam de lei oral, que deviam ser passados de pai para filho. A figura utilizada para esta descrição é que YAH teria escrito a Torah em fogo negro sobre o fogo branco. Enquanto as letras preciosas eram o fogo negro, formando a Torah, o “papel” usado para este escrito era o fogo branco, formando a tradição oral.

Os parushim (fariseus) aplicavam a lei oral, criada por eles mesmos, a todas as situações possíveis e imaginárias, criando centenas de regras minúsculas e ridículas, muito difíceis de cumprir.

No tempo do ministério de Yahushua, a lei oral acompanhava sempre, obrigatoriamente, a “lei” de YAH (Torah) e era tida como de valor igual ou superior as escrituras sagradas. Yahushua não aceitava este absurdo.

Certa vez, os talmidim (discípulos) sentaram-se para comer sem lavar as mãos, não seguindo a tradição religiosa daquele tempo. Este lavar das mãos não era simplesmente uma questão de higiene, e sim um ritual de purificação. Este ritual fazia parte das ordenanças da tradição farisaica, a lei oral, mas nunca fez parte da instrução de YAH (Torah). Então, os soferim (escribas) e os prushim (fariseus) perguntaram a Yahushua porque é que os discípulos não viviam segundo as tradições dos anciãos.

Mordecai / marcos 7:5 – “interpelaram-no os fariseus e os escribas: por que não andam os teus discípulos de conformidade com a tradição dos anciãos, mas comem com as mãos por lavar?

Yuhushua reprovava as ordenanças da lei oral dos parushim (fariseus), por isso ele respondeu o seguinte:

Mordechai / marcos 7:6-8 – “bem profetizou Yeshayahu (Is. 29:13) acerca de vós, hipócritas, como está escrito: este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Em vão, porém, me honram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens. Negligenciando o mandamento de YAH, guardais a tradição dos homens”.

YAH não tinha ordenado esta tradição na Torah. Mas, mesmo hoje em dia, quando os judeus ortodoxos lavam as mãos, pronunciam a seguinte benção: “bendito és tu, hashem, rei do universo, que…nos mandaste lavar as mãos”. Por que é assim? Explicam que a lei oral ordena que se obedeça aos rabis e, ao obedecer aos rabis, estão obedecendo, indiretamente, a YAH. Portanto, a benção que pensam que YAH lhes ordenou para quando lavassem as mãos é, de fato, uma declaração da sua obediência à autoridade que crêem que YAH deu aos rabis, para decretarem novos mandamentos. Do Mesmo modo, os israelitas estavam tão contaminados pelas ordenanças dos parushim (fariseus) que já não sabiam como obedecer corretamente a Torah, por isso foi necessário que Yahushua viesse, não para revogar, destruir, abolir ou acabar com a “lei” (Torah), mas sim para ensinar os israelitas a obedecê-la de maneira correta.

A tradição dos parushim (fariseus) eram como as tradições dos rabinos judeus de hoje. Assim como os judeus dizem seguir fielmente a Torah, mas eles colocam em primeiro lugar as tradições e doutrinas que vão contra a Torah, como as descritas no talmud, mishnah, siddur, zohar, kabalah e etc. Os parushim (fariseus) faziam o mesmo, naquela época. Eles seguiam tradições de homens. Essas tradições vão contra a Torah de YAH.

Os judeus dizem que obedecem a Torah, mas a Torah diz para não retirar nem acrescentar nada à palavra de YAH.

Devarim 4:2 – “Nada acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos de YAH, vosso altíssimo, que eu vos mando”.

Mas as doutrinas dos parushim (fariseus) daquela época e dos rabinos de hoje são acréscimos. Por isso é que Yahushua disse aos parushim (fariseus) que eles invalidaram a palavra de YAH, pela tradição deles.

Mordecai / marcos 7:9-13 – “E disse-lhes ainda: jeitosamente rejeitais o preceito de YAH para guardardes a vossa própria tradição. Pois Moshe disse: honra a teu pai e a tua mãe, e: quem maldisser a seu pai ou a sua mãe seja punido de morte. Vós, porém, dizeis: se um homem disser a seu pai ou a sua mãe: aquilo que poderias aproveitar de mim é corbã, isto é, oferta para YAH, então, o dispensais de fazer qualquer coisa em favor de seu pai ou de sua mãe, invalidando a palavra do altíssimo pela vossa própria tradição, que vós mesmos transmitistes; e fazeis muitas outras coisas semelhantes”.

Era contra essas leis que Yahushua lutava, e não contra a “lei” (Torah) de YAH, o seu próprio pai.

Os soferim (escribas) e os parushim (fariseus) diziam que YAH rejeitava todos aqueles que não conseguiam guardar a lei, tal como eles a entendiam. Pensavam que, uma vez que as pessoas comuns não podiam estudar a lei, tanto na forma escrita, como na forma oral, eram ignorantes daquilo que YAH queria delas e, por isso, nunca conseguiam agradar a YAH. Consideravam-se a si próprios como os únicos que eram dignos, por isso, desprezavam as pessoas comuns referindo-se a elas como “os pecadores”.

Os fariseus, que passavam a vida a debater pontos minúsculos da lei, diziam que o povo de YAH devia ter orgulho em carregar o jugo da lei. Mas esta lei, como já afirmamos, não era a lei que YAH tinha dado originalmente, através de Moshe (Moisés), mas era a lei oral, sendo esta muito mais exigente. Yahushua criticou-os com severidade, dizendo:

Uri / Lucas 11:46 – “ai de vós, também, doutores da lei, que carregais os homens com cargas difíceis de transportar; e, vós mesmos, nem ainda com um dos vossos dedos tocais essas cargas.”

Com os acréscimos das ordenanças da tradição oral ensinada pelos parushim (fariseus), ficou muito difícil obedecer a “lei” (Torah). Foi por isso que Yahushua disse:

Matityahu 11:28-30 – “vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”.

Os parushim (fariseus) exigiam que o povo suportasse esta carga da sua lei, mas nem eles mesmos faziam isso. Yahushua disse o seguinte a respeito deles: “…dizem e não praticam” (Mat. 23:3). Yahushua criticou-os:

Matityahu 23:13 – “mas, ai de vós, soferim e parushim, hipócritas! Pois que fechais aos homens o reino de YAH; nem vós entrais, nem deixais entrar aos que estão entrando.”

Ezra (Esdras), que era cohen (sacerdote) e sofer (escriba), não era assim. Ele mesmo vivera em estreita comunhão com YAH e exortara o povo a voltar a YAH (neem. 8:1-18). Os soferim (escribas) e parushim (fariseus) estavam na letra e não no Ruach (espírito).

De fato a letra mata, sabe por quê? Tinham deixado de permitir que o Ruach hakodesh (espírito santo) lhes falasse pelas escrituras e tinham imposto as suas próprias tradições como um filtro, pelo qual as liam. Eles próprios não recebiam a benção de YAH e, além disso, impediam que outros a recebessem.

Mattityahu 5:17-20 – “não penseis que vim revogar a Torah ou os neviim (profetas); não vim para revogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um yod ou um acento jamais passará da lei, até que tudo se cumpra. Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus. Porque vos digo que, se a vossa justiça (obediência à lei) não exeder em muito a dos soferim e parushim, jamais entrareis no reino dos céus.”

Yahushua está dizendo que se alguém desobedecer à “lei” (Torah) e ensinar os outros a fazerem o mesmo, esse será indigno do reino dos céus. Mas quem obedecer à “lei” (Torah) e a ensinar será grande no reino dos céus. Porque se a nossa obediência à “lei” (Torah) não for muito maior do que a dos soferim (escribas) e parushim (fariseus), jamais entraremos no reino dos céus.

Na verdade, Yahushua não acabou com a lei. Ele a reforçou e ensinou como obedecê-la corretamente, sem os acréscimos da doutrina e da tradição dos homens. Veja:

Matityahu 5:21 ouvistes que foi dito aos antigos: não matarás (“lei de Moisés“); mas qualquer que matar será réu de juízo.

22 – eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão será réu de juízo, e qualquer que chamar a seu irmão de raca será réu do sanhedrim; e qualquer que lhe chamar de louco será réu do sheol.

27 – ouvistes que foi dito aos antigos: não cometerás adultério (“lei de Moisés“).

28 – eu porém, vos digo que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar já em seu coração cometeu adultério com ela.

Como você pode ver, nos versos acima, Yahushua manteve a instrução (Torah) de YAH, conhecida como lei de Moisés, e ensinou ao povo a maneira correta de obedecê-la.

Yahushua pregava ao povo de sua época, os princípios da Torah através de suas elucidativas parábolas. Ele seguiu os mesmos princípios dos neviim (profetas), quando escreviam ou falavam ao povo. Tudo precisava estar respaldado pela Torah.

O “novo testamento” (Brit Chadashah), incluindo as cartas de Shaul (Paulo), Kefá (Pedro), yochanan (Yochanan) foram escritas dentro dos princípios da lei (Torah). Dos 406 versos de Gilyahna (Apocalipse), 278 são repetições do texto da Torah.

Yahushua ensinou que, para alcançar a vida eterna, é necessário obedecer aos mandamentos.

Matityahu 19:17 – “respondeu-lhe Yahushua: por que me perguntas acerca do que é bom? Bom só existe um. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos”.

Somos justificados pelo perdão, mas isso não nos dá o direito ao pecado. Uma vez que somos perdoados por nossos pecados, nós então, provamos nossa emunah (fé) mantendo a lei.

Yaaqov / Tiago 2:18 – “sim, um homem pode dizer: tu tens emunah, e eu tenho obras; mostra-me tua emunah sem as obras, e eu te mostrarei a minha emunah pelas minhas obras”.

Você viu isso? Yaaqov (Tiago) disse que vai mostrar a sua emunah (fé) por suas obras!

Atos 13:39 diz que não podemos ser justificados pelas obras da lei, mas a emunah (fé) sem obras é morta.

Yaaqov / Tiago 2:14 – “meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem emunah, e não tiver as obras? Porventura a emunah pode salvá-lo?

17 – assim também a emunah, se não tiver obras, é morta em si mesma.

19 – tu crês que há um só altíssimo; fazes bem. Também os demônios crêem, e estremecem.

20 – mas, ó homem vão, queres tu saber que a emunah sem obras é morta?

21 – porventura o nosso pai Avraham não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Yitzhak?

22 – bem vês que a emunah cooperou com as suas obras, e que pelas obras a emunah foi aperfeiçoada.

23 – e cumpriu-se a escritura, que diz: e creu Avraham no altíssimo, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo do altíssimo.

24 – vedes, então, que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela emunah.

Em Romanos 4:2-3, Shaul (Paulo) diz que Avraham (abraão) foi justificado pela emunah (fé). Mas como ele exerceu esta emunah (fé)? Praticando obras! Foi praticando a obra que ele mostrou sua emunah (fé).

Yaaqov / Tiago 2:25 – e de igual modo raabe, a meretriz, não foi justificada pelas obras, quando recolheu os emissários, e os despediu por outro caminho?

26 – Porque, assim como o corpo sem o Ruach está morto, assim também a emunah sem obras é morta.

Shaul (Paulo) também ensina que somos justificados pela “lei” (Torah).

Romyah / Romanos 2:13 – “porque os simples ouvidores da Torah não são justos diante de YAH, mas os que praticam a Torah hão de ser justificados”.

Muitos recorrem às epístolas de Shaul (Paulo) para mostrar que não precisamos mais guardar a lei, mas, de acordo com as próprias palavras de Shaul (Paulo), se ele ensinou contra a lei, isso faria dele um falso profeta.

Galutyah / Gálatas 1:8 – “mas ainda que nós ou mesmo um malak vindo do céu vos pregue bessorah que vá além do que vos temos pregado, seja anátema.”

Anátema vem do grego antigo ἀνάθεμα e significa maldição, excomunhão, abominação, opróbrio, reprovação.

Veja o que Shaul (Paulo) realmente diz a respeito da “lei”(Torah):

Romiyah / Romanos 7:12 – “e assim a lei é santa e o mandamento santo, justo e bom.”

Como você pode ver, Shaul (Paulo) era a favor da lei; não só era a favor como também obedecia. Veja: Maaseh Shlichim / Atos dos emissários 21:14 – “mas confesso-te isto que, conforme aquele caminho que chamam seita, assim sirvo ao altíssimo de nossos pais, crendo tudo quanto está escrito na Torah e nos neviim”.

De acordo com Kefá (Pedro), quem usa as epístolas de Shaul (Paulo) para ensinar contra a lei é ignorante e instável.

Kefá beit / 2 Pedro 3:15,16 – “e tende por salvação a longanimidade de nosso Mestre, como igualmente o nosso amado irmão Shaul vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada, ao falar acerca destes assuntos, como, de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam, como também deturpam as demais escrituras, para a própria destruição deles.”

Existe uma crença popular que diz: “quem guarda a lei, está sob a maldição da lei”.

Galutyah / Gálatas 3:13 – “o mashiach nos resgatou da maldição da lei”.

A pergunta que não quer calar: “qual é a maldição da lei?”

O pecado, maligno como é, serviu-se da lei para nos condenar. Através de leis justas, o pecado revela-se extremamente perverso.

Yochanan diz que pecar significa desobedecer à lei.

Yochanan alef 3:4 – “todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei.”

E YAH diz que aquele que pecar morrerá.

Yechezkel / Ezequiel 18:4 – Yechezkel / Ezequiel 18:4 -“eis que todas as almas são minhas; como a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá“.

Quem pecar morrerá, e pecar é desobedecer a lei, então, quem desobedecer à lei morrerá. A maldição da lei é a morte! É lógico que a lei em si não é maldição.

Quem cria rivalidade entre a lei e Yahushua são os falsos profetas. Eles pregam a doutrina da ilegalidade para que as pessoas pequem e se desviem do caminho da verdade e da justiça do altíssimo. Lembre-se que a Brit Chadasha diz que pecado é a transgressão da lei.

Kefá alef / 1 Pedro 4:18 – “e, se é com dificuldade que o justo (quem obedece a lei) é salvo, onde vai comparecer o ímpio, sim, o pecador (quem desobedece a lei)?”

Os líderes religiosos ensinam as pessoas a desprezarem a lei para que elas caiam em pecado e percam a salvação. Não caia nesta armadilha, irmão!

Matityahu 7:13-14 – “entrai pela porta estreita: porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela. E porque estreita é a porta, e apertado é o caminho que conduz à vida, e poucos há que a encontrem”.

Yochanan / Yochanan 8:31-34 – “então disse Yahushua aos hebreus que nele creram: se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Responderam-lhe: somos descendência de Avraham e nunca fomos escravos de ninguém; como dizes tu: sereis livres? Yahushua respondeu-lhes: em verdade, em verdade vos digo: todo aquele que comete pecado (desobedece a lei) é escravo do pecado.”

Temos de nos esforçar para viver uma vida livre do pecado, através do poder do altíssimo!

Yaaqov / Tiago 1:22-25 – “tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvinte, enganando-vos a vós mesmos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra e não praticante, assemelha-se ao homem que contempla, num espelho, o seu rosto natural; pois a si mesmo se contempla, e se retira, e para logo se esquece de como era a sua aparência. Mas aquele que considera, atentamente, na lei perfeita, lei da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte negligente, mas operoso praticante, esse será bem-aventurado no que realizar”.

Você acha que o altíssimo é tão cruel a ponto de dar uma lei maldita ao povo que ele diz amar tanto? Você acha que o criador é tão falho e incompetente que nos deu uma lei ineficaz? Quem criou a lei não foi Moshe (Moisés) e sim o próprio altíssimo.

Raciocine comigo: se a lei não prestava, por que o Yahushua e os apóstolos obedeciam à lei, e ensinavam o povo a obedecer também?

YAH é o mesmo ontem, hoje e sempre. Ele é o mesmo no Tanakh e na Brit Chadasha. Brit Chadasha significa aliança renovada. A aliança foi renovada e não destruída. O povo não soube lidar com a lei, ou melhor dizendo, não souberam lidar com a Torah, e desobedeceram, invalidando a aliança que YAH firmou com eles, mas Yahushua ensinou ao povo a maneira correta de obedecer a Torah.

Antigamente, as leis de YAH eram escritas em tábuas, em couro de animal, em papiros, em papel… mas YAH disse que iria imprimir suas leis em nossas mentes e inscrever suas leis em nossos corações.

Yiermyahu / Jeremias 31:31-33 – “eis aí vem dias, diz YAH, em que firmarei nova aliança com a casa de Yahshurun e com a casa de yahudah. Não conforme a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra de mitszrayim; porquanto eles invalidaram a minha aliança, não obstante eu os haver desposado, diz YAH. Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Yahshurun, depois daqueles dias, diz YAH: na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhes inscreverei; eu serei o seu altíssimo e eles serão o meu povo”.

Devemos guardar as leis de YAH na mente e no coração.

Sempre enganando, os líderes religiosos costumam usar o seguinte verso, mas não o apresentam na íntegra (preste bem atenção no que diz o final do verso):

Hoshea / Oséias 4:6 – “o meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu criador, também eu me esquecerei de teus filhos”.

YAH esquecerá daqueles que esquecem (desprezam / rejeitam) a sua lei.

A lei de YAH não é um jugo, não é um fardo pesado, não é maldição, não mata e não está ultrapassada. Ela é perfeita, santa, nos liberta da escravidão do pecado, aperfeiçoa a emunah (fé), nos conduz à vida eterna, ainda está em vigor e devemos guardá-la em nossos corações.

Que YAH te abençoe com entendimento e te guie no caminho da verdade e da justiça.
Postado por Gaspar Queiroz

Tags: Lei Torah em pleno vigor

Lei Torah em pleno vigor

Alguns dizem que, uma vez que não estamos debaixo da lei, não somos obrigados a mantê-la. Vamos ver o que Yahushua disse sobre essa doutrina da ilegalidade:

Matitiyahu 7:22 – “muitos me dirão naquele dia: “Mestre, Mestre, não profetizamos nós em teu nome e em teu nome não expulsamos demônios e em teu nome não fizemos muitos milagres? E então direi-lhes: “nunca vos conheci: apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade“.

Vamos ver qual é a palavra correspondente a iniqüidade, na tradução grega:

Και τότε ομολογήσω αυτοίσ ότι ουδέποτε έγνων υμάσ αποχωρείτε απ εμού οι εργαζόμενοι την ανομίαν

A tradução grega diz “anomia”. Mas o que significa anomia? Vamos consultar o dicionário priberam:

Anomia
(grego anomía, -as, violação da lei, ausência de leis)

s. m. ausência de leis ou de organização = anarquia

Veja o significado de anomia, de acordo com o “pocket lexicon greek new testament“, pg. 24:
anomia, injustiça; desobediência a lei divina; pecado.

Partindo da etimologia da palavra anomia, o prefixo “a” é de negação e a palavra “nomos” significa lei. Associando o prefixo de negação (a) à palavra lei (nomos), anomia significa transgressão da lei. Então, vamos ver o que significa “transgressão”:

Transgressão do lat. transgressione s. f., ato ou efeito de transgredir; infração.

Agora que sabemos que anomia significa desobedecer à lei, entendemos que Yahushua, literalmente, disse:

“afastem-se de mim, vocês que desobedecem à lei!”

Veja o que Yahushua diz que vai acontecer aos que praticam a iniqüidade, ou seja, aos que desobedecem à lei:

Matityahu 13:41-42 – “mandará o filho do homem os seus mensageiros, que ajuntarão do seu reino todos os escândalos e os que praticam a iniqüidade e os lançarão na fornalha acesa; ali haverá choro e ranger de dentes”.

O próprio mashiach disse que a lei é eterna:

Matityahu 5:18 – “porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um yod ou um til jamais passará da lei, até que tudo se cumpra.”

O céu e a terra ainda não passaram, portanto, a lei continua valendo.

Uri / Lucas 16:17 – “é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til sequer da lei.”

Yahushua diz que somente aqueles que fizerem a vontade de YAH entrarão no reino dos céus.

Matityahu 7:21 – “nem todo aquele que me diz: Mestre, Mestre! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade do meu pai, que está nos céus”.

O que é fazer a vontade de YAH? Obedecê-lo! A vontade de YAH é que seus servos obedeçam a sua lei. Ele nos deu mandamentos, mas muitos os tem desprezado.

O seguinte é o maior mandamento:

Devarim 6:5 – “Amarás, pois, YHUH com todo o teu coração, e com toda a tua alma e com todas as tuas forças.”

Este mandamento foi repetido por Yahushua, em Mattityahu 22:36-38. Mas o que significa este mandamento? Como amar a YAH com todo o coração e com toda força?

Devarim 11:13 – “Se diligentemente obedeceres a meus mandamentos que hoje vos ordeno, de amar YAH, e de o servir de todo o vosso coração e de toda a vossa alma.”

Devarim 11:22 – “Porque, se diligentemente guardares todos estes mandamentos que vos ordeno para os guardardes, amando YAH, andando em todos os seus caminhos, e a ele vos achegardes.”

Osheahu 22:5 – “tende cuidado, porém, de guardar com diligência o mandamento e a lei que Moshe, servo de YAH, vos ordenou: que ameis YHUH, andeis em todos os seus caminhos, guardeis os seus mandamentos, e vos achegueis a ele, e o sirvais de todo o vosso coração e de toda a vossa alma.”

De acordo com esses versos, o que precisamos fazer para amar a YAH com todo nosso coração e todas as nossas forças é manter os seus mandamentos. Temos de nos esforçar para não pecar, mas se pecarmos (não por rebeldia ou desobediência), temos Yahushua como advogado junto ao pai (Yochanan 2:4). Temos de obedecer à lei e evitar o pecado ao máximo para nos achegarmos ao pai. Isto não só é possível, como é nosso dever!

Assim como o pai, Yahushua também diz que amá-lo é obedecer aos seus mandamentos.

Yochanan 14:15 – “Se me amais, guardareis os meus mandamentos.”

Yochanan 14:21 – “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele.”

Alguns usam o argumento de que, na dispensação da graça, só há dois mandamentos: amar YAH de todo o coração e amar o próximo como a ti mesmo.

Já vimos que amar o altíssimo é obedecer aos seus mandamentos, mas o que é amar ao próximo?

Yochanan alef 5:2 – “Nisto conhecemos que amamos os filhos de YAH: quando amamos a YAH e praticamos os seus mandamentos. Porque este é o amor de YAH: que guardemos os seus mandamentos ora, os seus mandamentos não são penosos.”

Amar ao próximo é obedecer à lei do altíssimo, então, não tem como dizer que não precisa mais obedecer à lei e que basta amar ao próximo porque quem não obedece à lei não ama o próximo verdadeiramente, até porque não sabe.

Repare que este verso não foi retirado do “velho testamento” (Tanakh) e sim do próprio “novo testamento” (Brit Chadashah), e ele diz que amar o próximo é obedecer os mandamentos.

Mas porque as escrituras dizem que amar a YAH, amar Yahushua e amar o próximo é obedecer à lei?

A primeira coisa a entender, em relação a palavra lei, é saber o verdadeiro sentido desta palavra no original hebraico, que é o idioma em que as escrituras sagradas originais foram escritas.

O termo “lei”, usado nas bíblias, é um termo limitado e inadequado, pois não expressa com exatidão seu sentido original. A palavra hebraica usada no chamado “antigo testamento” (Tanakh) é o substantivo “Torah”, que significa “instrução”. Sem dúvida, é importante observar que só nesta adequada definição do termo “Torah” teremos removido toda a idéia de legalismo associada à expressão “lei”. Estas traduções equivocadas estão sob influência da vulgata latina de jerônimo, em que a palavra Torah é traduzida tendenciosamente por “lex”, carregando um sentido negativo que transmite a idéia de jugo, peso e legalismo, como se a Torah tivesse somente aplicação legal, o que é uma inverdade.

Torah é a palavra n° 8451 do dicionário bíblico strong. Ela deriva da palavra yarah, que significa ensinar, instruir, apontar para o alvo, estabelecer uma fundação. Então, a palavra Torah fala da instrução, do ensino de YAH ao seu povo. A Torah é a instrução de YAH dada, primeiramente, à beit Yahshurun (casa de Yisrael) com o objetivo de preservar o povo, como um povo separado (santo) dentre todos os povos do mundo. Uma cultura com princípios morais, espirituais, sanitários, administrativos, alimentares e também legais. A Torah possui leis, mas ela não é somente “leis” como alguns pensam. É um engano achar que ela é apenas legal. Pior ainda é acreditar que o termo Torah pode ser traduzido por “lei”. Para esta palavra existe um termo apropriado chamado “daat”, em hebraico, que tem o sentido legal. Mas Torah, sem dúvida, é melhor traduzida como “instrução” ou “ensino”. Então, o que as bíblias chamam de lei é um conjunto de instruções que ensinam o homem a amar corretamente e verdadeiramente. O homem não sabe amar. Cada um ama do seu jeito, da maneira que lhe convém, de forma egoísta. A chamada “lei” ensina o homem a amar verdadeiramente e servir a YAH da maneira correta. A lei se resume no amor.

Leia os 613 itens da Torah ou lei e verá, com seus próprios olhos, que os mandamentos que Yahushua deixou (amar YAH sobre todas as coisas e amar ao próximo como a ti mesmo) são o resumo exato dos primeiros mandamentos. Na lei, isso está descrito item por item, exemplo: não empreste dinheiro a juros; não minta nem use de falsidade para com o teu próximo; não oprima o teu próximo; não amaldiçoe o surdo, nem ponha tropeço diante do cego; não cobre dinheiro da viúva; não ande como mexeriqueiro entre o teu povo; não te vingarás, nem guardarás ira contra os filhos do teu povo e etc… portanto, os mandamentos de Yahushua são um resumo da chamada lei de Moshe (Moisés).

Já vimos, no início deste estudo, que iniquidade significa desobediência à lei. Yahushua disse que a maior causa do abandono da emunah (fé), nos últimos dias, é a desobediência à lei.
Matityahu 24:12 – “e, por se multiplicar a iniqüidade, o amor se esfriará de quase todos”.

As escrituras não se contradizem. Não existe divisão entre velho testamento e novo testamento. A escritura é uma só. Não foi Moshe (Moisés) que fez a lei. Quem criou a lei foi o próprio altíssimo e Yahushua nunca foi contra a lei de seu pai, muito pelo contrário, ele obedeceu, ele cumpriu a lei, ou seja, ele honrou a lei do pai. Yahushua nunca disse que devemos escolher entre ele a lei do altíssimo porque ele nunca foi contra a lei e contra nada que o pai disse ou criou.

Os mandamentos de YAH ainda devem ser obedecidos ou se tornaram obsoletos pela morte de seu filho?

O povo de Yahshurun (Yisrael) era governado por vários tipos de leis:

Tipos Exemplos de instruções Referências
Lei moral Proibido assassinar, roubar, adulterar Êxodo 20
Lei de saúde Proibido comer gordura Levítico 7:23-24
Lei social Proibido colher bagos caídos. Deixar para os pobres Levítico 19: 9,10
Lei civil Permitido repudiar uma esposa estrangeira Deuteronômio 21:10-14
Lei cerimonial Regulamentava toda a prática do culto e da adoração. Levítico 16

Na verdade, a lei é uma coisa só, mas a divisão por categoria facilita a compreensão. A lei que caducou, quando Yahushua foi sacrificado, foi a lei cerimonial. Duas das razões pelas quais a lei cerimonial caducou são:

1) Os israelitas não estão em sua terra natal. Eles foram dispersos (espalhados) pelo mundo e estão em cativeiro, portanto, é impossível obedecer algumas leis como, por exemplo, as festas, porque elas devem ser celebradas em Yarushalayim (Jerusalem). O mesmo acontece com o restante das nações, que também estão distantes de Yarushalayim (Jerusalem). Algumas coisas só podiam ser praticadas no Templo, mas o Templo foi derrubado e YAH não deu autorização para construirmos outro.

2) Yahushua é o sacrifício perfeito e mais valioso, portanto, não há mais necessidade de sacrificar animais.

Mas o restante da lei continua valendo, como disse Yahushua, pois o céu e a terra ainda existem (Matitiyahu 5:18).

Yeshayahu / Isaías 24:5 – A terra está contaminada por causa dos seus moradores, porquanto transgridem as leis, mudam os estatutos, e quebram a aliança eterna.

O termo “eterna” significa perpétua / imortal / dura para sempre / nunca acaba.

Tehilim / Salmo 111:7-8 – “as obras das suas mãos são verdade e justiça, fiéis, todos os seus preceitos. Estáveis são eles para todo o sempre, instituídos em fidelidade e retidão”.

Ele diz para todo o sempre!

Tehilim / Salmos 19:7-8 – “a lei de YAH é perfeita, e refrigera a alma: o testemunho de YAH é fiel, e dá sabedoria aos simples. Os estatutos de YAH são retos e alegram o coração; o mandamento de YAH é puro e ilumina os olhos”.

Por que manter algo que é perfeito deixaria de ser necessário?

Tem gente que usa o argumento de que os dez mandamentos fazem parte da lei real que foi dada por YAH e escrita com seu próprio dedo, já os estatutos fazem parte da lei de Moshe (Moisés).

Esse pensamento está completamente equivocado porque:

1) Os estatos não foram criados por Moshe (Moisés); foi YAH quem criou os estatutos e deu ordem a Moshe (Moisés) que os transmitisse aos israelitas para que os obedecessem.

2) os estatutos que foram dados ao povo para proporcionar qualidade de vida decente e justa fazem parte da Torah (instrução), assim como os dez mandamentos.

3) Yahushua e os apóstolos ensinaram que devemos obedecer a toda a Torah, incluindo os estatutos, e não apenas os dez mandamentos.

No “novo testamento” (Brit Chadasha), a “lei” (Torah) ainda é mantida.

A “lei” (Torah) diz que há necessidade de duas ou três testemunhas para que um fato se estabeleça, uma palavra seja confirmada ou uma acusação seja aceita e a Brit Chadasha (aliança renovada), erroneamente chamada de novo testamento, segue esta instrução. Veja:

Devarim 19:15 – “uma só testemunha contra alguém não se levantará por qualquer iniqüidade, ou por qualquer pecado, seja qual for o pecado que cometeu; pela boca de duas testemunhas, ou pela boca de três testemunhas, se estabelecerá o fato”.

1 Timoteos 5:19 – “não aceites acusação contra o presbítero, senão com duas ou três testemunhas”.

Matityahu 18:1 – “mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada”.

Então, os emissários (apóstolos), Yahushua e seus seguidores obedeciam a lei.

A lei (Torah) diz que devemos honrar pai e mãe, e a Brit Chadasha segue esta instrução. Veja:

Shemoth / Êxodo 20:12 – “honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o YAH, teu altíssimo te dá”.

Ephesiyah / Efésios 6:2 – “honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa”.

A doutrina da ilegalidade diz que a lei não deve ser obedecida porque ela era somente para os israelitas e que agora, que estamos na graça, o mandamento é amar o próximo como a ti mesmo, mas honrar pai e mãe é um mandamento da chamada lei de Moshe (Moisés) e Yahushua ensinou que devemos obedecê-lo.

Matityahu 19:19 – “honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo”.

E agora??? Os mandamentos são só para israelitas? A graça anulou a lei?

A “lei” (Torah) é para todos que amam a verdade, e a graça não anulou a lei.

Honrar pai e mãe é uma mandamento da chamada lei de Moshe (Moisés), mas Yahushua e seus discípulos continuaram observando este mandamento, na Brit Chadasha (aliança renovada). YAH é o mesmo ontem, hoje e sempre; ele não muda, e nele não há sombra de variação.

A Torah era e continua sendo a sã doutrina de Yahushua e dos emissários (apóstolos).

Mesmo após o sacrifício de Yahushua, desobedecer à lei continua sendo pecado porque, no “novo testamento” (Brit Chadasha), yochanan (Yochanan) diz que pecado é a transgressão da lei.

Yochanan alef / 1 Yochanan 3:4 – “todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei.”

Shaul (Paulo) disse que o fato de não estarmos debaixo da lei não nos dá o direito de pecar (transgredir da lei).

Romyah / Romanos 6:14,15 – “porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça. E daí? Havemos de pecar porque não estamos debaixo da lei e sim da graça? De modo nenhum!

Para entender o significado disso, é preciso entender a definição da palavra “graça”. Na versão da bíblia em português, é usada a palavra graça, mas na versão grega, é usada a palavra “charis”. De acordo com ao dicionário bíblico strong, charis é a palavra n°5485 e significa perdão. Perdão é o resultado da expiação realizada por Yahushua, quando ele morreu por nossos pecados. O significado de “estar sob o perdão de YAH,” é que fomos perdoados por nossos pecados.

Quando Shaul (Paulo) disse que não estamos mais debaixo da lei, e sim do perdão (comumente chamado de “graça”), ele não estava dizendo que a lei foi abolida, mas sim que, se não fosse o sacrifício de Yahushua, seríamos condenados a morte ao desobedecer determinadas leis. Então, após o sacrifício de Yahushua, não é mais necessário sacrificar animais em expiação ao pecado, e nem somos condenados a morte pelos pecados que cometemos no passado, mas isso não significa que podemos continuar pecando. Yahushua fez a parte dele se sacrificando por nós e a nossa parte é manter a lei do altíssimo.

Romyah / Romanos 3:31 – “anulamos, pois a lei pela emunah (fé)? Não, de maneira nenhuma! Antes, confirmemos a lei”.

Yochanam (Yochanan) diz que desobedecer a lei é pecado (1 Yochanan 3:4). Veja o que Shaul (Paulo) diz sobre isso:

Romyah / Romanos 6:1-2 – “que diremos, pois? Permaneceremos no pecado (desobediência à lei), para que seja a graça mais abundante? De modo nenhum! Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos”?

Yahushua disse que todo aquele que comete pecado é escravo do pecado (Yochanan 8:34) e (Yochanan) disse que cometer pecado é desobedecer à lei (1 Yochanan 3:4), então, todo aquele que desobedece à lei é escravo do pecado.

Romyah / Romanos 6:6 – “sabendo isto: que foi executado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado (desobediente à lei) seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos”.

Agora, preste atenção no que Shaul (Paulo) diz no verso 14:

Romyah / Romanos 6:14 – “porque o pecado não terá mais domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça”.

Já vimos que pecado é desobediência à lei e que quem desobedece à lei é escravo do pecado. Agora, Shaul (Paulo) está dizendo que, se debaixo da lei não tínhamos forças para obedecê-la, após o sacrifício de Yahushua, passamos a ter, então na graça (perdão), devemos, mais do que nunca, obedecer à lei.

Yahushua se sacrificou por nós. Ele fez a parte dele e a nossa parte é obedecer à lei, ou seja, não pecar mais. Se estamos na Brit Chadasha (aliança renovada) e somos seguidores de Yahushua, devemos a ele obediência, por isso não devemos pecar, pelo contrário, devemos obedecer à lei, não por obrigação, mas de coração, por amor.

Romyah / Romanos 6:16-17 – “não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como servos para obediência, desse mesmo a quem obedeceis sois servos, seja do pecado para a morte ou da obediência para a justiça? Mas graças a YAH porque, outrora, escravos do pecado, contudo, viestes a obedecer de coração à forma de doutrina a que fostes entregues”.

Muitos já descobriram que jesus não é o Mashiach e tomaram conhecimento de que o nome do salvador é Yahushua, mas saber o nome e continuar em pecado, seguindo as mentiras do sistema religioso, não adianta nada. O verdadeiro seguidor de Yahushua obece à “lei” (Torah). Se não obedece, então ainda não o conhece.

Yochanan alef / 1 Yochanan 2:3-4 – “ora, sabemos que o temos conhecido por isto: se guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz: eu o conheço e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não há verdade”.

Uma vez que somos seguidores de Yahushua, temos de obedecer à lei porque ele mesmo disse:

Mattityahu 5:17-20 – “não penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim para revogar, mas cumprir.

Para uma compreensão exata deste texto deve-se observar as palavras-chaves, neste caso “revogar” e “cumprir“. A palavra grega usada nesta passagem que foi traduzida por “revogar” é o verbo grego katalisai (katalusai) que pode ser traduzido como: anular, abolir, destruir, desfazer, revogar, acabar, etc.

A edição bíblica de almeida revista e corrigida traduz primeiramente a palavra como “destruir”, que é mais clara.

Com base neste princípio, deve-se entender que:

1) Yahushua disse, claramente, que ele não veio para destruir, abolir, anular, derrubar ou acabar com a “lei” (Torah).

2) Yahushua disse que veio fazer outra coisa: cumprir a lei (Torah).

Em grego, a palavra usada no lugar de cumprir é plerosai (plerwsai), que significa completar, acrescentar, aperfeiçoar, “plenificar”, etc.

Yahushua, em nenhum momento, foi contra a “lei” (Torah), muito pelo contrário, ele veio apresentar o sentido pleno da torá, veio completar seu significado, ele veio “plenificar” seu objetivo. Yahushua veio ensinar o povo a obedecer a lei da maneira correta porque tudo já estava tão contaminado pelas sedarim (ordenanças) da tradição dos fariseus (que hoje é a tradição judaica) que o povo já não sabia mais obedecer a “lei” (Torah) de YAH.

Yahushua combatia a tradição farisaica. Ele não era contra a “lei” (Torah) e sim contra a tradição dos parushim (fariseus), que é esta mesma tradição judaica que existe até hoje, a lei oral que, tempos depois, acabou sendo transcrita. Estas sedarim (ordenanças) da tradição oral dos fariseus já existia no séc. 1 a.e.c. E depois foram transcritas em escritos como midrash, talmud, mishnah, guemará, baraita…

Estas sedarim (ordenanças) não foram criadas por YAH e sim pelos soferim (escribas) e parushim (fariseus). Eles inventaram uma lenda que diz que YAH revelou uma série de conhecimentos complementares, que eles chamavam de lei oral, que deviam ser passados de pai para filho. A figura utilizada para esta descrição é que YAH teria escrito a Torah em fogo negro sobre o fogo branco. Enquanto as letras preciosas eram o fogo negro, formando a Torah, o “papel” usado para este escrito era o fogo branco, formando a tradição oral.

Os parushim (fariseus) aplicavam a lei oral, criada por eles mesmos, a todas as situações possíveis e imaginárias, criando centenas de regras minúsculas e ridículas, muito difíceis de cumprir.

No tempo do ministério de Yahushua, a lei oral acompanhava sempre, obrigatoriamente, a “lei” de YAH (Torah) e era tida como de valor igual ou superior as escrituras sagradas. Yahushua não aceitava este absurdo.

Certa vez, os talmidim (discípulos) sentaram-se para comer sem lavar as mãos, não seguindo a tradição religiosa daquele tempo. Este lavar das mãos não era simplesmente uma questão de higiene, e sim um ritual de purificação. Este ritual fazia parte das ordenanças da tradição farisaica, a lei oral, mas nunca fez parte da instrução de YAH (Torah). Então, os soferim (escribas) e os prushim (fariseus) perguntaram a Yahushua porque é que os discípulos não viviam segundo as tradições dos anciãos.

Mordecai / marcos 7:5 – “interpelaram-no os fariseus e os escribas: por que não andam os teus discípulos de conformidade com a tradição dos anciãos, mas comem com as mãos por lavar?

Yuhushua reprovava as ordenanças da lei oral dos parushim (fariseus), por isso ele respondeu o seguinte:

Mordechai / marcos 7:6-8 – “bem profetizou Yeshayahu (Is. 29:13) acerca de vós, hipócritas, como está escrito: este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Em vão, porém, me honram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens. Negligenciando o mandamento de YAH, guardais a tradição dos homens”.

YAH não tinha ordenado esta tradição na Torah. Mas, mesmo hoje em dia, quando os judeus ortodoxos lavam as mãos, pronunciam a seguinte benção: “bendito és tu, hashem, rei do universo, que…nos mandaste lavar as mãos”. Por que é assim? Explicam que a lei oral ordena que se obedeça aos rabis e, ao obedecer aos rabis, estão obedecendo, indiretamente, a YAH. Portanto, a benção que pensam que YAH lhes ordenou para quando lavassem as mãos é, de fato, uma declaração da sua obediência à autoridade que crêem que YAH deu aos rabis, para decretarem novos mandamentos. Do Mesmo modo, os israelitas estavam tão contaminados pelas ordenanças dos parushim (fariseus) que já não sabiam como obedecer corretamente a Torah, por isso foi necessário que Yahushua viesse, não para revogar, destruir, abolir ou acabar com a “lei” (Torah), mas sim para ensinar os israelitas a obedecê-la de maneira correta.

A tradição dos parushim (fariseus) eram como as tradições dos rabinos judeus de hoje. Assim como os judeus dizem seguir fielmente a Torah, mas eles colocam em primeiro lugar as tradições e doutrinas que vão contra a Torah, como as descritas no talmud, mishnah, siddur, zohar, kabalah e etc. Os parushim (fariseus) faziam o mesmo, naquela época. Eles seguiam tradições de homens. Essas tradições vão contra a Torah de YAH.

Os judeus dizem que obedecem a Torah, mas a Torah diz para não retirar nem acrescentar nada à palavra de YAH.

Devarim 4:2 – “Nada acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos de YAH, vosso altíssimo, que eu vos mando”.

Mas as doutrinas dos parushim (fariseus) daquela época e dos rabinos de hoje são acréscimos. Por isso é que Yahushua disse aos parushim (fariseus) que eles invalidaram a palavra de YAH, pela tradição deles.

Mordecai / marcos 7:9-13 – “E disse-lhes ainda: jeitosamente rejeitais o preceito de YAH para guardardes a vossa própria tradição. Pois Moshe disse: honra a teu pai e a tua mãe, e: quem maldisser a seu pai ou a sua mãe seja punido de morte. Vós, porém, dizeis: se um homem disser a seu pai ou a sua mãe: aquilo que poderias aproveitar de mim é corbã, isto é, oferta para YAH, então, o dispensais de fazer qualquer coisa em favor de seu pai ou de sua mãe, invalidando a palavra do altíssimo pela vossa própria tradição, que vós mesmos transmitistes; e fazeis muitas outras coisas semelhantes”.

Era contra essas leis que Yahushua lutava, e não contra a “lei” (Torah) de YAH, o seu próprio pai.

Os soferim (escribas) e os parushim (fariseus) diziam que YAH rejeitava todos aqueles que não conseguiam guardar a lei, tal como eles a entendiam. Pensavam que, uma vez que as pessoas comuns não podiam estudar a lei, tanto na forma escrita, como na forma oral, eram ignorantes daquilo que YAH queria delas e, por isso, nunca conseguiam agradar a YAH. Consideravam-se a si próprios como os únicos que eram dignos, por isso, desprezavam as pessoas comuns referindo-se a elas como “os pecadores”.

Os fariseus, que passavam a vida a debater pontos minúsculos da lei, diziam que o povo de YAH devia ter orgulho em carregar o jugo da lei. Mas esta lei, como já afirmamos, não era a lei que YAH tinha dado originalmente, através de Moshe (Moisés), mas era a lei oral, sendo esta muito mais exigente. Yahushua criticou-os com severidade, dizendo:

Uri / Lucas 11:46 – “ai de vós, também, doutores da lei, que carregais os homens com cargas difíceis de transportar; e, vós mesmos, nem ainda com um dos vossos dedos tocais essas cargas.”

Com os acréscimos das ordenanças da tradição oral ensinada pelos parushim (fariseus), ficou muito difícil obedecer a “lei” (Torah). Foi por isso que Yahushua disse:

Matityahu 11:28-30 – “vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”.

Os parushim (fariseus) exigiam que o povo suportasse esta carga da sua lei, mas nem eles mesmos faziam isso. Yahushua disse o seguinte a respeito deles: “…dizem e não praticam” (Mat. 23:3). Yahushua criticou-os:

Matityahu 23:13 – “mas, ai de vós, soferim e parushim, hipócritas! Pois que fechais aos homens o reino de YAH; nem vós entrais, nem deixais entrar aos que estão entrando.”

Ezra (Esdras), que era cohen (sacerdote) e sofer (escriba), não era assim. Ele mesmo vivera em estreita comunhão com YAH e exortara o povo a voltar a YAH (neem. 8:1-18). Os soferim (escribas) e parushim (fariseus) estavam na letra e não no Ruach (espírito).

De fato a letra mata, sabe por quê? Tinham deixado de permitir que o Ruach hakodesh (espírito santo) lhes falasse pelas escrituras e tinham imposto as suas próprias tradições como um filtro, pelo qual as liam. Eles próprios não recebiam a benção de YAH e, além disso, impediam que outros a recebessem.

Mattityahu 5:17-20 – “não penseis que vim revogar a Torah ou os neviim (profetas); não vim para revogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um yod ou um acento jamais passará da lei, até que tudo se cumpra. Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus. Porque vos digo que, se a vossa justiça (obediência à lei) não exeder em muito a dos soferim e parushim, jamais entrareis no reino dos céus.”

Yahushua está dizendo que se alguém desobedecer à “lei” (Torah) e ensinar os outros a fazerem o mesmo, esse será indigno do reino dos céus. Mas quem obedecer à “lei” (Torah) e a ensinar será grande no reino dos céus. Porque se a nossa obediência à “lei” (Torah) não for muito maior do que a dos soferim (escribas) e parushim (fariseus), jamais entraremos no reino dos céus.

Na verdade, Yahushua não acabou com a lei. Ele a reforçou e ensinou como obedecê-la corretamente, sem os acréscimos da doutrina e da tradição dos homens. Veja:

Matityahu 5:21 ouvistes que foi dito aos antigos: não matarás (“lei de Moisés“); mas qualquer que matar será réu de juízo.

22 – eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão será réu de juízo, e qualquer que chamar a seu irmão de raca será réu do sanhedrim; e qualquer que lhe chamar de louco será réu do sheol.

27 – ouvistes que foi dito aos antigos: não cometerás adultério (“lei de Moisés“).

28 – eu porém, vos digo que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar já em seu coração cometeu adultério com ela.

Como você pode ver, nos versos acima, Yahushua manteve a instrução (Torah) de YAH, conhecida como lei de Moisés, e ensinou ao povo a maneira correta de obedecê-la.

Yahushua pregava ao povo de sua época, os princípios da Torah através de suas elucidativas parábolas. Ele seguiu os mesmos princípios dos neviim (profetas), quando escreviam ou falavam ao povo. Tudo precisava estar respaldado pela Torah.

O “novo testamento” (Brit Chadashah), incluindo as cartas de Shaul (Paulo), Kefá (Pedro), yochanan (Yochanan) foram escritas dentro dos princípios da lei (Torah). Dos 406 versos de Gilyahna (Apocalipse), 278 são repetições do texto da Torah.

Yahushua ensinou que, para alcançar a vida eterna, é necessário obedecer aos mandamentos.

Matityahu 19:17 – “respondeu-lhe Yahushua: por que me perguntas acerca do que é bom? Bom só existe um. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos”.

Somos justificados pelo perdão, mas isso não nos dá o direito ao pecado. Uma vez que somos perdoados por nossos pecados, nós então, provamos nossa emunah (fé) mantendo a lei.

Yaaqov / Tiago 2:18 – “sim, um homem pode dizer: tu tens emunah, e eu tenho obras; mostra-me tua emunah sem as obras, e eu te mostrarei a minha emunah pelas minhas obras”.

Você viu isso? Yaaqov (Tiago) disse que vai mostrar a sua emunah (fé) por suas obras!

Atos 13:39 diz que não podemos ser justificados pelas obras da lei, mas a emunah (fé) sem obras é morta.

Yaaqov / Tiago 2:14 – “meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem emunah, e não tiver as obras? Porventura a emunah pode salvá-lo?

17 – assim também a emunah, se não tiver obras, é morta em si mesma.

19 – tu crês que há um só altíssimo; fazes bem. Também os demônios crêem, e estremecem.

20 – mas, ó homem vão, queres tu saber que a emunah sem obras é morta?

21 – porventura o nosso pai Avraham não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Yitzhak?

22 – bem vês que a emunah cooperou com as suas obras, e que pelas obras a emunah foi aperfeiçoada.

23 – e cumpriu-se a escritura, que diz: e creu Avraham no altíssimo, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo do altíssimo.

24 – vedes, então, que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela emunah.

Em Romanos 4:2-3, Shaul (Paulo) diz que Avraham (abraão) foi justificado pela emunah (fé). Mas como ele exerceu esta emunah (fé)? Praticando obras! Foi praticando a obra que ele mostrou sua emunah (fé).

Yaaqov / Tiago 2:25 – e de igual modo raabe, a meretriz, não foi justificada pelas obras, quando recolheu os emissários, e os despediu por outro caminho?

26 – Porque, assim como o corpo sem o Ruach está morto, assim também a emunah sem obras é morta.

Shaul (Paulo) também ensina que somos justificados pela “lei” (Torah).

Romyah / Romanos 2:13 – “porque os simples ouvidores da Torah não são justos diante de YAH, mas os que praticam a Torah hão de ser justificados”.

Muitos recorrem às epístolas de Shaul (Paulo) para mostrar que não precisamos mais guardar a lei, mas, de acordo com as próprias palavras de Shaul (Paulo), se ele ensinou contra a lei, isso faria dele um falso profeta.

Galutyah / Gálatas 1:8 – “mas ainda que nós ou mesmo um malak vindo do céu vos pregue bessorah que vá além do que vos temos pregado, seja anátema.”

Anátema vem do grego antigo ἀνάθεμα e significa maldição, excomunhão, abominação, opróbrio, reprovação.

Veja o que Shaul (Paulo) realmente diz a respeito da “lei”(Torah):

Romiyah / Romanos 7:12 – “e assim a lei é santa e o mandamento santo, justo e bom.”

Como você pode ver, Shaul (Paulo) era a favor da lei; não só era a favor como também obedecia. Veja: Maaseh Shlichim / Atos dos emissários 21:14 – “mas confesso-te isto que, conforme aquele caminho que chamam seita, assim sirvo ao altíssimo de nossos pais, crendo tudo quanto está escrito na Torah e nos neviim”.

De acordo com Kefá (Pedro), quem usa as epístolas de Shaul (Paulo) para ensinar contra a lei é ignorante e instável.

Kefá beit / 2 Pedro 3:15,16 – “e tende por salvação a longanimidade de nosso Mestre, como igualmente o nosso amado irmão Shaul vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada, ao falar acerca destes assuntos, como, de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam, como também deturpam as demais escrituras, para a própria destruição deles.”

Existe uma crença popular que diz: “quem guarda a lei, está sob a maldição da lei”.

Galutyah / Gálatas 3:13 – “o mashiach nos resgatou da maldição da lei”.

A pergunta que não quer calar: “qual é a maldição da lei?”

O pecado, maligno como é, serviu-se da lei para nos condenar. Através de leis justas, o pecado revela-se extremamente perverso.

Yochanan diz que pecar significa desobedecer à lei.

Yochanan alef 3:4 – “todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei.”

E YAH diz que aquele que pecar morrerá.

Yechezkel / Ezequiel 18:4 – Yechezkel / Ezequiel 18:4 -“eis que todas as almas são minhas; como a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá“.

Quem pecar morrerá, e pecar é desobedecer a lei, então, quem desobedecer à lei morrerá. A maldição da lei é a morte! É lógico que a lei em si não é maldição.

Quem cria rivalidade entre a lei e Yahushua são os falsos profetas. Eles pregam a doutrina da ilegalidade para que as pessoas pequem e se desviem do caminho da verdade e da justiça do altíssimo. Lembre-se que a Brit Chadasha diz que pecado é a transgressão da lei.

Kefá alef / 1 Pedro 4:18 – “e, se é com dificuldade que o justo (quem obedece a lei) é salvo, onde vai comparecer o ímpio, sim, o pecador (quem desobedece a lei)?”

Os líderes religiosos ensinam as pessoas a desprezarem a lei para que elas caiam em pecado e percam a salvação. Não caia nesta armadilha, irmão!

Matityahu 7:13-14 – “entrai pela porta estreita: porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela. E porque estreita é a porta, e apertado é o caminho que conduz à vida, e poucos há que a encontrem”.

Yochanan / Yochanan 8:31-34 – “então disse Yahushua aos hebreus que nele creram: se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Responderam-lhe: somos descendência de Avraham e nunca fomos escravos de ninguém; como dizes tu: sereis livres? Yahushua respondeu-lhes: em verdade, em verdade vos digo: todo aquele que comete pecado (desobedece a lei) é escravo do pecado.”

Temos de nos esforçar para viver uma vida livre do pecado, através do poder do altíssimo!

Yaaqov / Tiago 1:22-25 – “tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvinte, enganando-vos a vós mesmos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra e não praticante, assemelha-se ao homem que contempla, num espelho, o seu rosto natural; pois a si mesmo se contempla, e se retira, e para logo se esquece de como era a sua aparência. Mas aquele que considera, atentamente, na lei perfeita, lei da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte negligente, mas operoso praticante, esse será bem-aventurado no que realizar”.

Você acha que o altíssimo é tão cruel a ponto de dar uma lei maldita ao povo que ele diz amar tanto? Você acha que o criador é tão falho e incompetente que nos deu uma lei ineficaz? Quem criou a lei não foi Moshe (Moisés) e sim o próprio altíssimo.

Raciocine comigo: se a lei não prestava, por que o Yahushua e os apóstolos obedeciam à lei, e ensinavam o povo a obedecer também?

YAH é o mesmo ontem, hoje e sempre. Ele é o mesmo no Tanakh e na Brit Chadasha. Brit Chadasha significa aliança renovada. A aliança foi renovada e não destruída. O povo não soube lidar com a lei, ou melhor dizendo, não souberam lidar com a Torah, e desobedeceram, invalidando a aliança que YAH firmou com eles, mas Yahushua ensinou ao povo a maneira correta de obedecer a Torah.

Antigamente, as leis de YAH eram escritas em tábuas, em couro de animal, em papiros, em papel… mas YAH disse que iria imprimir suas leis em nossas mentes e inscrever suas leis em nossos corações.

Yiermyahu / Jeremias 31:31-33 – “eis aí vem dias, diz YAH, em que firmarei nova aliança com a casa de Yahshurun e com a casa de yahudah. Não conforme a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra de mitszrayim; porquanto eles invalidaram a minha aliança, não obstante eu os haver desposado, diz YAH. Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Yahshurun, depois daqueles dias, diz YAH: na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhes inscreverei; eu serei o seu altíssimo e eles serão o meu povo”.

Devemos guardar as leis de YAH na mente e no coração.

Sempre enganando, os líderes religiosos costumam usar o seguinte verso, mas não o apresentam na íntegra (preste bem atenção no que diz o final do verso):

Hoshea / Oséias 4:6 – “o meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu criador, também eu me esquecerei de teus filhos”.

YAH esquecerá daqueles que esquecem (desprezam / rejeitam) a sua lei.

A lei de YAH não é um jugo, não é um fardo pesado, não é maldição, não mata e não está ultrapassada. Ela é perfeita, santa, nos liberta da escravidão do pecado, aperfeiçoa a emunah (fé), nos conduz à vida eterna, ainda está em vigor e devemos guardá-la em nossos corações.

Que YAH te abençoe com entendimento e te guie no caminho da verdade e da justiça.
Postado por Gaspar Queiroz

Tags: