Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
O Espírito de Asherá – Nunca mais você verá o Natal como Antes

O Espírito de Asherá – Nunca mais você verá o Natal como Antes

Atenção, solicitamos que ao usar este estudo, citem a fonte – Apóstolo Ricardo Ribeiro, www.atosdois.com.br

A palavra “Asherá”, também conhecida como “Aserá” traduz-se como “bosque (para adoração de ídolos)”. Trata-se de uma divindade deusa babilônica conhecida como a deusa da fortuna e felicidade. Suposta esposa de Baal. Era cultuada através de árvores consideradas sagradas, ou postes erigidos junto a um altar; conhecidos na bíblia como “postes ídolos”.

Todas as vezes que a palavra “poste-ídolo” aparece na bíblia, é usado no original אשרה ’Asherah ou אשׂירה ’Asheyrah (Asherá).

Cataloguei na Biblia, em ordem sequencial, todas as vezes que esta divindade aparece, vejamos a seguir:

• Exodo 34.13 termina mandando CORTAR as Asherás.
• Deuteronomio 7.5 também fala sobre CORTAR os “postes-ídolos” – Asherá.
• Deuteronomio 12.3 fala sobre despedaçar e queimar a Asherá.
• Deuteronômio 16.21 diz para não plantar Asherá junto ao altar de Deus.
• Juizes 3.7 diz que o povo de Israel traiu a Deus, prestando culto a Asherás.
• Juizes 6.25 Deus manda Gideão arrancar a Asherá plantada por seu pai, que estava junto ao altar.
• Juizes 6.26 Deus manda Gideão fazer um altar novo, e usar os galhos da Asherá que seu pai cultuava, como lenha!
• Juizes 6.30 o povo de Israel queria que o pai de Gideão o matasse, só porque ele queimou as Asherás.
• 1 Reis 14.15 Deus diz que removerá Israel de uma boa terra, porque o povo atraiu a ira do Senhor, cultuando a Asherás.
• 1 Reis 14.23 O povo de Judá também plantou Asherás em cima de montes, e debaixo de todas as arvores verdes.
• 1 Reis 15.13 Asherá aparece na bíblia em português como “abominável imagem”. Foi queimada pelo rei Asa, no vale de Cedrom.
• 1 Reis 16.33 diz que Acabe fez Asherás, e cometeu mais abominações para irritar a Deus do que todos os reis que Israel teve antes dele.
• 1 Reis 18.19 Elias confrontou 450 profetas de Baal e mais 400 profetas de Aserá (Asherá), algumas traduções aparece o Aserá e outras aparece poste-ídolo.
• 2 Reis 13.6 diz que o tempo passou mas Asherá continuava sendo adorada em Samaria.
• 2 Reis 17.10, o povo continua plantando Asherás.
• 2 Reis 17.16 complementa dizendo que o povo plantava Asherás e adorava “todo o exercito dos céus” – astrologia.
• 2 Reis 18.4 – O rei Ezequias se destacou na história, derrubando Asherás.
• 2 Reis 21.3, Manassés,filho de Ezequias, voltou a plantar Asherás. Também adorou exércitos dos céus, e os serviu.
• 2 Reis 23.1-6 o Rei Josias queima as Asherás, e faz um ato profético lançando as cinzas sobre a sepultura do povo.
• 2 Reis 23.7 revela que haviam prostitutas-cultuais escondidas na casa de Deus, onde mulheres se prostituiam e “teciam tendas” para Asherá. No original diz: criavam abrigos para os Asherás.
• 2 Reis 23.14,15 fala de um rei que removeu e destruiu as Asherás.
• 2 Cronicas 14.3 diz que o rei Asa fez o que era reto aos olhos de Deus, destruindo Asherás.
• 2 Cronias 15.16 diz que a mãe do rei Asa era chamada de Rainha-mãe porque havia feito uma imagem abominável para Asherá. O rei Asa a “depôs” deste título.
• 2 Cronicas 17.6 diz que o rei Josafá também removeu as Asherás de Judá.
• 2 Cronicas 19.3 o profeta Jeú repreende alguns erros administrativos do rei Josafá, mas diz que Deus se agradava das boas coisas que ele fazia, removendo as Asherás do meio da nação.
• 2 Cronicas 24.18-27 morre o sacerdote Joiada, e o povo começa a sacrificar para as Asherás com toda força. O filho do falecido sacerdote Joiada (profeta Zacarias) fica de pé em meio de uma praça suplicando ao povo que não cometa este ato amaldiçoado. O povo, possuído por demônios, junto com o rei Joás, apedreja o profeta Zacarias, no pátio da casa de Deus. Como consequência o povo perdeu a proteção de Deus, e o exercido dos siros invadiu e venceu poderosamente o povo de Deus.
• 2 Cronicas 31.1 diz que o povo saiu novamente destruindo as Asherás, como consequência do que lemos nos capítulos 29 e 30, relato de que o rei Ezequias restaurou a adoração e santidade a Deus, no meio de Jerusalém.
• 2 Cronicas 33.3, após a morte de Ezequias, Manassés governa Jerusalém, e passa a levantar novamente Asherás no meio do povo.
• 2 Cronicas 33.9-13 e 19 diz que Manasses atraiu maldição por conta das Asherás, e os babilônicos entraram em Jerusalém e o levaram amarrado por correntes e ganchos. Manassés clamou a Deus, e Deus ouviu sua oração. Manassés morreu, mas foi sepultado em sua própria casa, e “descansou com seus pais”.
• 2 Cronicas 34.1-4 Após a morte de Manassés, o jovem rei Josias temeu a Deus e purificou Jerusalém e Judá das Asherás. Como de costume, após reduzir as Asherás ao pó, lançou sobre a sepultura dos que as sacrificavam.
• Isaías 17.7,8 o Profeta Isaías profetiza que devemos olhar só para Deus, e não OLHAR para as Asherás.
• Isaías 27.9 diz que o perdão de Deus só acontecerá quando todas as Asherás forem removidas do meio de seu povo.
• Jeremias 17.2 diz que a adoração a Asherá vai passando de pai pra filho, como uma cultura. Geralmente fazemos aquilo que aprendemos dentro de casa. Isso é o princípio da transferência de maldição por hereditariedade
• Miquéias 5.14 aparece uma profecia divina, dizendo que chegará o dia em que as Asherás serão removidas do meio do povo. No original está escrito: Arrancarei de ti as raízes espalhadas pelas tuas entranhas.

Essas são todas as referências no Antigo Testamento falando sobre esta maldição.
Faz-se importante relatar uma estranha curiosidade. Apesar de Asherá ser adorada através de arvores plantadas junto a altares, o símbolo desta divindade era uma uma mulher com os seios a mostra, amamentando dois lobos.

Cuirosamente o símbolo da Roma moderna (de onde veio o catolicismo e a distorção do cristianismo pregado pelos apóstolos de Yeshuw’ah – Jesus), tem um símbolo muito parecido, porém invertido. Uma loba, amamentando duas crianças (Romulo e Remo) – de onde veio a palavra ROMA.

A idéia revelada pelo mundo espiritual é a seguinte. Durante séculos, o povo “amamentou” Asherá (a mulher amamentando o lobo). Mas a cerca de 2500 anos atrás o quadro inverteu, e Asherá passou a amamentar a religiosidade da humanidade, foi aí que surgiu ROMA e consequentemente o catolicismo e a religiosidade moderna, na qual de maneira forte, nós cristãos ainda somos reflexos.

Estudos do judaísmo antigo afirmam que a influencia desta divindade no meio do povo de Deus era tão grande, que para muitos, Asherá era conhecida como a mulher de Deus, ou a parte feminina de Deus (vejam que terrível).

Em Deuteromio 16.21 Deus já havia avisado ao povo para “não plantar Asherás junto ao altar de Deus”. Este espirito gosta de ser estabelecido próximo ao altar de Deus; próximo às coisas santas, sagradas. É um demônio que absorve a adoração que damos a Deus, quando a damos sem compreensão total do que estamos fazendo.

Talvez neste momento da leitura você pode ter lembrado das famosas “Árvores de Natal”. Prefiro dizer, Árvores de Asherá. Note que estas árvores são montadas sempre durante a festa de “comemoração do nascimento de Cristo” – teria um altar maior do que esse?

Algumas pessoas guardam durante o ano todo aquela árvore, desmontada, em uma caixa. E no final do ano é sempre o mesmo ritual. Montar a árvore, colocar no centro da sala. A arvore precisa estar iluminada e cheia de “presentes”. Sei que muitos de nós já retiramos as árvores de natal de nossa cultura, mesmo sem entender o que é Asherá; mas até hoje, tem gente que se tirar a árvore de suas noites natalinas, sentem-se em pecado! É pecado mesmo: pecado contra Asherá.

Este demônio existe, está ali escondidinho. E todo ano ele exige seu ritual de renovo. Se você sente-se constrangido e incomodado ao tirar a Asherá de sua noite natalina, saiba que existe um demônio exigindo seu ritual.

A mesa de Asherá é farta:

– Precisa ter um porco abatido (representado pelo pernil). Lembrando que o porco na cultura bíblica representava a maldição e os demônios. Não estou entrando aqui na questão doutrinária, mas quero que você veja a curiosidade do fato.

– A guirlanda, colocada na porta, é uma “coroa feita de galhos da Asherá”. É um objeto de convite para os espíritos de Asherá entrarem naquela casa.

– Toda festa natalina tem o momento da falsa emoção, pois é isso que a feitiçaria oferece. Pessoas chorando, falando de “Deus”. Dizendo que um novo ano vai se iniciar e as coisas serão diferentes. Mas na maioria das vezes quando a noite passa, metade do povo está de ressaca da bebida, e a vida continua a mesma. Sempre vai aparecer um “chorador” próximo a arvore de natal. Nunca sabemos porque aquela pessoa está chorando tanto. A explicação é que no mundo espiritual, Asherá exige que seu culto tenha os “pranteadores de Asherá”. A pessoa chora, sem saber porque. A bíblia fala daqueles que choram por Tamuz. Ezequiel 8.14,18.

– O banquete de Asherá só pode ser comido depois da meia noite. Veja, é um ritual involuntário, pois as pessoas fazem sem saber, mas não conseguem deixar de fazer! Quando comemos 10 hs, 11hs, depois ficamos com uma sensação de que “quebramos o momento”. O ritual foi quebrado, e Asherá reclama terrivelmente.

– A festa do “natal cristão”, assim como algumas outras festas do nosso calendário, são festas patrocinadas por esta entidade Asherá!

– Isso sem falar da uvas passas, panetones, castanhas, e do terrível ritual da troca de presentes. Tudo isso tem um significado na mesa de Asherá. Jeremias 7.18…

– Em relação ao dia 25 de dezembro (já foi comprovado por estudiosos que Jesus nasceu na ocasião de outubro). Para as diversas religiões pagãs daquela época, o dia 25 de dezembro era um dia místico, porque do dia 24 para o 25 acontece a passagem do Solstício de Inverno para o Equinócio de Primavera nos países do Hemisfério Norte. Durante o período do Solstício de Inverno, os dias são curtos e frios porque, segundo o Observatório Astronômico da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), desta perspectiva, o Sol se move durante seis meses para o sul e fica mais fraco. Ao nascer do dia 25, ele se move um grau, mas, desta vez, para o norte, trazendo dias mais longos e quentes e, claro, a primavera com suas flores, a colheita, o acasalamento dos animais e todo o culto em torno da fertilidade. Os solstícios são as posições da Terra em relação ao Sol. Entre eles há os Equinócios de Primavera e Outono, que ocorrem quando os dois hemisférios ficam dispostos simetricamente em relação ao Sol, que sempre foi motivo de culto e adoração em inúmeros povos.
– Jesus não poderia ter nascido nesta data, pois em Israel é inverno e dificilmente pessoas peregrinam nesta época. Os pais de Jesus estavam a caminho de Belém, próximo a Jerusalém, o que só ocorria em duas ocasiões — no aniversário da segunda cidade e na Festa dos Tabernáculos, ou Sucot, a festa das colheitas do povo judaico. Os indícios apontam que o nascimento teria acontecido na segunda ocasião. Russel Shedd constatou em seus estudos para a tese de doutorado que o nascimento se deu em outubro, durante a festividade, considerando os turnos de sacerdócio de Zacarias, pai de João Batista, primo de Jesus. “Ele nasceu na época da Festa dos Tabernáculos, em outubro. Seu nascimento pode ser calculado assim: Zacarias exercia seu turno em julho (Lc. 1:5,8) por ser do turno de Abias, o oitavo turno do ano eclesiástico que começava em março (I Cr. 24:10). Foi o mês da concepção de João Batista, (Lc. 1:23-24), que nasceu, pois em abril do ano seguinte. Jesus nasceu seis meses mais tarde, (Lc. 1:26), portanto em plena Festa dos Tabernáculos.”

Talvez você seja pastor ou líder e se alegra pelo fato de já ter conseguido abolir as “Árvores de Natal” e seus agregados, do dia 25 de dezembro. Porém quero te alertar para uma terrível revelação:

“Também derribou as casas da prostituição-cultual que estavam na Casa do SENHOR,
onde as mulheres teciam tendas para o poste-ídolo.” 2Rs 23:7

Lê-se no original:

“Também derrubou as casas de prostituição-cultual, que estavam na Casa do Senhor,
onde as mulheres faziam locais de habitação para Asherás”

É isso mesmo, estou falando de prostituição dentro da igreja!

O texto revela que Satanás infiltrava dentro da igreja as chamadas “prostitutas cultuais”, e quando elas se prostituiam, abriam portas espirituais para que Asherás pudessem habitar dentro da casa de Deus.

O profeta Oséias deixa bem próximos os assuntos prostituição e Asherás:

“Comerão, mas não se fartarão; entregar-se-ão à sensualidade, mas não se multiplicarão, porque ao SENHOR deixaram de adorar. A sensualidade, o vinho e o mosto tiram o entendimento. O meu povo consulta o seu pedaço de madeira, e a sua vara lhe dá resposta; porque um espírito de prostituição os enganou, eles, prostituindo-se, abandonaram o seu Deus. Sacrificam sobre o cimo dos montes e queimam incenso sobre os outeiros, debaixo do carvalho, dos choupos e dos terebintos, porque é boa a sua sombra; por isso, vossas filhas se prostituem, e as vossas noras adulteram. Não castigarei vossas filhas, que se prostituem, nem vossas noras, quando adulteram, porque os homens mesmos se retiram com as meretrizes e com as prostitutas cultuais sacrificam, pois o povo que não tem entendimento corre para a sua perdição.” Oséias 4.10-14

A prostituição faz parte do culto a Asherá, porque aponta para a prostituição espiritual, chamada apostasia, quando a igreja como Noiva de Cristo, para de se preocupar com o que interessa a ele, e com suas leis!

A festa pagã chamada Carnaval é um ritual de toda uma nação para oferecer para Asherá o tão necessário alimento da prostituição. Devemos estar atentos para as dezenas de modalidades de culto a Asherá.

O fato é: não basta remover objetos, devemos remover PECADOS. A grande estratégia da religiosidade é essa. Remover os objetos e esconder os pecados.

A igreja cristã protestante é um reflexo da igreja católica, que por sua vez é vista como a criança alimentada pela loba (Asherá). Com as reformas de Martin Lutero e outros grandes reformadores, tiramos as imagens de esculturas do meio de nós; ensinamos ao povo a não venerar a santos.

Durante muito tempo isso fez o “cristão evangélico” se sentir orgulhoso diante dos católicos. Fizemos bem em remover os altares físicos, os “postes ídolos”. Mas a pergunta é: será que removemos os pecados ocultos? Ainda existe muita prostituição-cultual escondida no nosso coração. Asherá ainda divide altar com Deus, na maioria de nossas igrejas; na maioria de nossos cultos!

Note também que a última citação sobre as Asherás no Antigo Testamento, fala que Deus quer que as raízes de Asherá sejam removidas do CORAÇÃO (muito mais do que remover objetos). Miquéias 5.14.

Atenção, solicitamos que ao usar este estudo, citem a fonte – Apóstolo Ricardo Ribeiro, www.atosdois.com.br

Esta é apenas a introdução do assunto. Mara maiores informações, solicitem o estudo completo pelo email portal@atosdois.com.br

Escrito por: Pastor Ricardo Ribeiro

Tags: