Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
O ESPÍRITO DO PAI É UMA TERCEIRA PESSOA? Parte 1

O ESPÍRITO DO PAI É UMA TERCEIRA PESSOA? Parte 1

NaBíblia, tanto no antigo testamento quanto no novo testamentoo Espírito de Deus aparece como um agente principal de comunicação entre a divindade e os sereshumanos. Pelo Espírito de Deus homens receberam diferentes dons, sabedoria,revelação do futuro, inspiração para escrever as escrituras etc. A únicadiferença entre a manifestação no antigo testamento e a manifestação no novotestamento se dá por conta da quantidade. Enquanto antigamente o Espírito eradado somente a alguns privilegiados, reis e profetas…, agora na nova aliança,o Espírito de Deus é dado gratuitamente a todos os que recebem o Batismo nonome do Filho de Deus.

EmboraoEspírito Santo tenha as mesmas funções nos dois testamentos, suadefiniçãonão é a mesma nos dois momentos, pelo menos na interpretação da maioriados cristãos da atualidade. Na época do Antigo testamento o povo de Deusse dava pela religião judaica. O judaísmo não crer que o Espírito deDeus é umaterceira pessoa. Quando uma pessoa entrava na sinagoga (igreja) noantigotestamento e lia o profeta Isaías “Espíritodo Senhor é sobre mim e me ungiu para pregar as boas novas” ou quando lia “oEspírito do Senhor se apossou de tal maneira de Sansão” ela nãointerpretava como sendo uma outra pessoa da divindade. Então se o judaísmo nãocria e não crer na terceira pessoa da trindade, só nos resta duas conclusões:Ou Jesus ensinou uma nova doutrina ou essa doutrina apareceu como mais umadoutrina pagã introduzida na igreja pela apostasia do terceiro século.

Averdade é que se o Espírito Santo fosse outra pessoa da divindade, comodizem alguns, o nãoreconhecimento dessa doutrina geraria umatransgressão e consequentementeum pecado. Estaria os Israelitas por mais 1600 anos, desde o tempo deMoises,pecando por não reconhecer o Espírito como outra pessoa da divindade?Estaria Deus sendo cúmplice do pecado do povo? Pois não não há nenhumacondenação por parte dos profetas a forma de interpretação dosisraelitas quanto ao tema Espírito de Deus.

Sabe-seque não foi isso que aconteceu. A religião judaica, religião do povo de Israeldo antigo testamento, sempre interpretou o Espírito do Pai como algo queemanava do Próprio Pai e essa interpretação sempre trouxe a aprovação dosantigos profetas (Daniel, Isaias, Zacarias, Jeremias).E olha que a verdade da palavra foiguardada por Israel,”Aos israelitas pertencem a adoção, a glória, a aliança, o culto…”Romanos 9:4.Em nenhum momento doantigo testamento, como já dizemos,você observa os profetas condenando essa forma decompreensão.

JesusCristo, que também era Judeu, diferentemente do que dizem,não veio trazer outra doutrina sobre o Espíritode seu Pai no novo testamento. Também não veio dizer que a interpretação que opovo estava fazendo até então sobre esse tema estava errada. Amensagem do Filho de Deus era que ele era ocumprimento da profecia do antigo testamento e não uma correçãodoutrináriasobre a teologia que povo teve até em tão. Jesus Cristo era aquele queestava nos subtendidos e nas entrelinhas das profecias, o Espírito Santonão. O tema era bem entendido nas reuniões sabaticasnas sinagogas.Eles estavam acostumados a presenciarações e atuações do Espírito desdeMoisés.

Umjudeu religioso que aceitava o evangelho nos tempos de Jesus e nos tempos dosapóstolos não abandonava sua antiga forma de interpretar o tema Espírito Santo.Perceba que nos livros do novo testamento não há discussão e nem debates sobreesse tema, dando a entender que o entendimento sobre essa doutrina seguiu comoera entendida no antigo testamento. Lembrando que no meio religioso toda vezque se quer introduzir uma doutrina nova ou uma nova interpretação sobre adivindade há debates e discussões sobre o assunto como aconteceu na questão debatizar ou não as pessoas que não eram circuncidadas. Você acha que os judeusreligiosos e ultra-zelosos iriam aceitar outra forma de doutrina sem questionare discutir o assunto? Há essa discussão no novo testamento? Não. Não há porquea igreja de cristo seguiu com a mesma forma de ver o assunto que ojudaísmo doantigo testamento.

Quandoos gentios, pessoas que não eram israelitas, aceitaram o evangelho, embora foidecidido em reunião geral que estavam desobrigados de obedecer a lei dacircuncisão e as leis de sacrifícios que tinha a ver com a cerimônia do templo,seguiram com a mesma forma de entendimento dos israelitas. Quanto ao princípios teologicos,os israelitas do antigo testamento lançaram a base com a religião judaica e comos livros proféticos e em cima dessa base Jesus e os apóstolos edificaram osfundamentos da fé da Igreja.
Enquantoa igreja se mantinha nessa base teológica, estava segura. O problema é quehavia uma profecia que anunciava que tudo isso iria mudar. A sã doutrinadeveria sofrer agravos.
Compassardos anos, foram se convertendo ao cristianismo pessoas quetinhamtidoinfluência das filosofias gregas e latinas (Atanásio, Eusebio, Gregoriode Nazianzo). Junto com tudoisso se somou o fato da Igreja Cristã ter perdido o contato com osjudeus queeram seguidores de Jesus, ou seja, a forma israelita de interpretar aBíbliadesapareceu.
Comisso,surgiram vários debates e discussões sobre a teologia que nos temposdosapóstolos não havia. No século três e quatro, por exemplo, veio a tona aquestão dadivindade de Cristocom base no texto de João (o Filho deDeus passa ter a mesma posição e glória que o Pai) e consequentemente adoutrina que ensina que o Espírito do Pai é umaoutra pessoa. Pegando textos do novo testamento de forma desconecta semligaresses textos com as escrituras como um todo e sem ligá-los à fé dosisraelitasdo antigo testamento, criou-se uma doutrina que, do ponto de vistateológico,chega a ser muito estranha. Depois de muitos debates e de muitasdiscussões, a igreja romanaaprovou a doutrina da terceira pessoa datrindadeno primeiroConcílio de Constantinopla em 381 AC.
Essadoutrina é a confirmação da apostasia pré-anunciada pelos homens de Deus doprimeiro século “antes que oSenhor volte, haveráapostasia, homens, passando-se deCristão, mudarão a sã doutrina”II Tessalonicense 2:1-4, I Timóteo 4:1.A deturpação de uma doutrina milenar. Cometeram esse erro pordesconsiderar a importância de levar em conta todo o contexto das escrituras nahora de interpretar a Bíblia. Tentaram interpretar alguns versos do novotestamento sem levar em conta o que diz toda a escritura sobre o assunto. Comojá dizemos o antigo testamento não apresentava o Espírito do Pai como outrapessoa. Então se a doutrina que ensina que o Espírito Santo é uma terceirapessoa está errada, qual é a verdade sobre esse assunto, ou seja, como podemosdefinir o Espírito Santo?
Pois bem, sabe-se que o termo espírito (Pneuma:grego e Ruach: hebraico) pode teralgumas acepções: Anjo, Vento ou sopro, fôlego de vida, mente ou tudo que é invisível como o vento.
Comumenteesse termo também recebe a acepção de mente nas escrituras. “Vigiai e orai,para que não entreis em tentação;oespírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca”Mateus 26:41. Espírito pronto é uma mente preparada. “Quantoa mim, Daniel, o meuespíritofoialarmado dentro de mim…”Daniel 7:15. Ficou com o interior abalado,com a mente abalada. “O Senhor seja com teu espírito”II Timóteo 4:22ouseja, o Senhor seja com a sua mente.
Amente é o lugar dos pensamentos e onde se encontra a fonte das habilidades edas virtudes de uma pessoa. As palavras nascem no espírito ( mente) que tambémé traduzida por coração.“A boca fala o que o coração (espírito ou mente) está cheio”
Paulodiz que quem conhece o interior do próprio homem é seu próprioespíritoque nele está.I Coríntios2:11
ABíblia também menciona o espírito de Cristo. “E, porque vós sois filhos, enviouDeus ao nosso coração oEspírito de seuFilho,que clama, Pai!”Gálatas 4: 6 ver tambémAtos 16:7. Ter o Espírito deCristo é a mesma coisa de ter a mente ou o coração de Cristo.
Vale lembrar que o espírito dohomem está limitado ao âmbito natural, ou seja, a mente humana está ligada aoseu corpo físico. No falecimento do indivíduo sua mente se apagaSalmos146:4. Também o espírito humano não pode sertransferido a outro ser.
Se uma pessoa conseguissetransferir seu espírito para outra pessoa, todas as suas habilidades evirtudes, ou parte delas, iriam para o outro. O pensamento de quem recebe iriase harmonizar com o pensamento do transferidor.
Por isso que quem recebe oEspírito (mente) do Pai celestial, recebe virtudes e capacidades do próprioPai. A mente de Deus é que sabe as coisas de Deus.I Cor 2:10,11. A Sabedoria dele, que está em sua mente, étransferida aos seus servos. Suas habilidades sobrenaturais, que estárelacionada à divindade, são transmitidas aos homens. Diferentemente dos seusservos, que tem um espírito no âmbito natural, o Espírito do Pai, está ligadoao âmbito sobrenatural, não está ligado a nenhum corpo físico, pois suanatureza é espiritual. Com sua mente pode estar em todos os lugares ao mesmotempo. “Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face?Salmos 139:7A mente de Deus pode avançar ao futuro quanto ao passado. Amente de Deus é infinitamente superior a qualquer outra. “Pois quem conheceua mentedo Senhor, que o possainstruir?”I Cor. 2:16
O que sabemos é que o apóstoloPaulo na hora de dizer que ninguém conheceu amentedo Senhor no texto de Coríntios parafraseou o texto de Isaiasque em vez dementeusa o termoEspírito“ Quem guiou oEspírito do Senhor”Isaias 40:13,14.O que Isaias chamou de“Espírito doSenhor”, Paulo chamou de“mente” do Senhor”.
Parece que grande parte daconfusão sobre esse tema se dá por isso, ou seja, desconhecer a onipotência e aonisciência da mente de Deus. Para entender a mente divina não se deve levar emconta, como parâmetro, a mente humana. Concordo que é muito difícil, emlinguagem humana, descrever e definir com exatidão o que é a mente divina, comoa mente de Deus pode se transfigurar em pomba? Como a mente de Deus pode falare comunicar mensagens aos profetas? Como a mente de Deus pode levar opensamento dos profetas ao futuro em visões? Como a mente de Deus pode por naboca de seus servos uma língua nunca antes estudada? É muito difícil, pois ela atua no campo dosobrenatural e do inexplicável. Talvez por essa dificuldade, dificuldade ementender a natureza de Deus, que é Espírito, é que surgiram e surgem até hoje as diversasespeculações sobre o Espírito do Pai.
O que sabemos é que o Espírito doPai (mente) por ser tão complexo e sobrenatural e por possuir onipotência eonisciência pode ser qualquer coisa que Deus queira. Pode ser em determinadomomento uma força como a recebida por Sansão, pode ser uma virtude como a queMaria recebeu na hora de conceber Jesus, pode ser uma pessoa como a que faloucom os profetas do antigo testamento, pode ser tudo, menos outra pessoadistinta do Pai. O Espírito do Pai pode ser a própria pessoa de Deus atuando emoutra dimensão, isto é, enquanto Deus está no céu, sentando em seu trono, deuma só vez, segue também morando e influenciando os corações dos seres humanos.De certa forma, essa influencia sentida na consciência não deixa de ser umapessoa, mas a pessoa do próprio Pai.
Dizerque o Espírito do Pai éoutra pessoa com personalidade diferente da do Pai é uma aberraçãoteológicaque muito tem a ver com a apostasia que aconteceu com a igreja a partirdoterceiro século. Tem a ver também com a influência do Dragão, Satanás,quebagunçou as doutrinas da igreja. Assim, a pessoa que acredita nadoutrina daterceira pessoa da trindade e que chama o Espírito de outra pessoa estáseguindo uma doutrina humana e diabólica. Essa doutrina nada tem a vercom a fédos Patriarcas, Abraão, Isaque e Jacó, nada tem a ver com o povo deIsrael enada tem a ver com os antigos profetas. Nem Jesus e nem os apóstolosensinaramtal coisa.Sempre o povo de Deus interpretou o Espírito do Pai comoaMente daMajestade, uma vez que as virtudes e sabedoria doAltíssimo alíse encontram. O fato de não entendermos com lógicahumanacomo se dácom exatidão o trabalho da Mente da divindade não nos dá o direitodeinventarmos doutrinas estranhas como a doutrina da terceira pessoa dadivindade. Receber o Espirito do Pai não é receber outra pessoa, masreceber aquilo que esteve no mundo inefável e sobrenatural do coração deDeus, oPai.

O ESPÍRITO DO PAI É UMA TERCEIRA PESSOA? Parte 2
Geralmente as más interpretações sobre a natureza do Espírito de Deus se dão por três motivos: Primeiro: Pelo fato do Espírito de Deus apresentar características de pessoa: Falar, ficar triste, ter conhecimento, conceder dons etc. Em primeira Coríntios 2:11 fala que o espírito (mente) do homem sabe das coisas do próprio homem. A capacidade de “saber” algo e de ter “conhecimento” de alguma coisa só é dada a uma pessoa. O espírito do homem no texto é uma pessoa, mas não é outra pessoa diferente do homem. Então, podemos entender que todo espírito (mente) possui características de pessoa por que é uma pessoa, só que pessoa no âmbito mental somente. Por exemplo, quem é a pessoa que, no céu, chorou muito e ficou muito triste quando percebeu que ninguém podia abrir o livro com os sete selos? (Apocalipse 5) Essa pessoa que conversou com querubins, que ficou triste e chorou no céu era João. No entanto, a pessoa de João não se fez presente com seu corpo no céu (o corpo de João estava na Ilha de Patmos na hora da visão Apocalipse 1:10) a pessoa de João se fez presente no âmbito celestial por seu espírito (mente ). Para falar com um profeta, Deus não precisa descer de seu trono, pelo seu Espírito (mente) ele comunica sua vontade. Logo, o fato do Espírito possuir características de pessoa não prova que é outra pessoa, mas a própria pessoa do Pai atuando no campo mental e sobrenatural.

Segundo: Outra coisa que leva as pessoas aos erros teológicos na definição do que é Espírito Santo de Deus são as traduções romanas das escrituras. Na Bíblia de Jerusalém, Bíblia católica, no rodapé, diz que nos originais bíblicos o texto de Mateus 28:19 não menciona batismo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, mas somente em nome de Jesus. Alguém que desconhece isso pode ter dificuldades com a doutrina. Outro texto que também foi traduzido sob o ponto de vista católico é o texto de I João 5:7 “…há três que dão testemunho [ no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes são um. E são os três que testificam na terra] Tudo que está entre colchetes foi adulterado!
Terceiro: A falta de levar em conta todo o contexto das escrituras na hora da interpretação textual. Não podemos pegar os textos do novo testamento e dar novas interpretações, rejeitando totalmente o que o judaísmo, religião de Jesus Cristo e dos profetas do antigo testamento, diz sobre o assunto, afinal até a rejeição de Israel como nação, os judeus e israelitas, eram o povo que guardava a verdade de Deus. Se o Espírito Santo não era uma terceira pessoa no antigo testamento, porque ele passou a ser no novo? Por exemplo, as pessoas pegam o batismo de Jesus, Mateus 3:16, e mencionam a descida do Espírito Santo na forma de pomba para justificar uma outra pessoa da divindade. Falam que ali está a prova, o Pai no céu, o Filho nas águas e o Espírito pousando. Mas o fato do Pai está no céu e seu Espírito na terra prova que o Espírito Santo é outra pessoa? No antigo testamento, o Espírito do Senhor se apossou de Sansão e o ajudou a matar um Leão ( Juízes 14:5.6) A única diferença é que no tempo de Sansão o Espírito não veio na forma de pomba como no batismo de Jesus. O restante é tudo igual, enquanto o Pai continua sentando em seu trono no céu, seu Espírito atua nos homens na terra, transmitindo-lhes virtudes e capacidade do próprio Pai. A ação do Espírito em se apossar de Sansão enquanto o Pai estava no céu não dava lugar para os profetas, escribas e levitas judeus entenderem o Espírito Santo como uma outra pessoa da divindade. Os cristãos deveriam interpretar a posse do Espírito sobre Jesus da mesma forma que os judeus interpretavam a posse do Espírito sobre Sansão o que infelizmente não acontece.
Outras vezes, nem precisaria ir a todo o contexto das escrituras, somente no contexto do novo testamento já daria para entender o sentido. Em Romanos 8:27 diz que Deus conhece a mente do Espírito. Aí todos começam a pegar esse texto para provar que o Espírito é outra pessoa mesmo, pois teria mente e ainda seria conhecida por Deus. Pura falta de coesão com o restante dos textos! De que Espírito o texto está falando? Em Gálatas 4:6 está escrito: “ E, porque vós sois Filhos, enviou Deus ao nosso coração o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai! Perceba que o espírito de Cristo está falando, está clamando no interior de seus servos! É só questão de prestar um pouquinho mais de atenção para perceber que se fala do Espírito de Cristo Romanos 8:9. Conhecer a mente do Espírito no texto é uma forma do escritor dizer que Deus sabe o que está no entendimento de Cristo. Com a mente de Cristo os Filhos de Deus passam a viver na expectativa do recebimento da herança, pois tanto Jesus quanto os servos de Deus são herdeiros das mesmas promessas. É importante mencionar que o texto fala que, pela vontade de Deus, o espírito intercede pelos Santos, quem é que intercede pelos santos senão Jesus?

Até aqui vimos como que é fácil errar o sentido das escrituras quando não se leva em conta todo seu contexto, ou seja, seus 66 livros. Agora vamos analisar como que, ás vezes, a falta de compreensão do próprio capítulo engana. Jesus disse que quem pecar contra o Pai ou contra o filho ainda pode ser perdoado, mas quem pecar contra o Espírito não tem perdão. Então para muitos, se o pecado contra o Espírito é tão importante assim, ao ponto de haver uma diferenciação entre as duas pessoas, é prova que o Espírito é outra pessoa Mateus 12:32.
No capítulo, Jesus curou um endemoninhado cego e mudo e quando todos começaram a dar Glórias a Deus, os fariseus, que estavam com muito ciúme, tentaram abafar as impressões da consciência que testificava que o milagre foi pelo poder de Deus, dizendo que o milagre fora feito por Belzebu ( Satanás) . Logo, pecar contra o Espírito é pecar contra a voz de Deus na consciência e não pecar contra outra pessoa da divindade.
Outro texto muito usado fora do contexto do capítulo é o texto de João 14:16: “ O Pai vós dará outro Consolador” Então se é outro consolador, é outra pessoa além de Jesus e do Pai? No verso seguinte, verso 17, o texto diz que o outro consolador já era conhecido dos discípulos, pois esteve com eles o tempo todo na pessoa de Jesus, mas que após a ascensão de Cristo, passaria a morar nos discípulos. Foi usado o termo “outro” simplesmente para dizer que o Espírito iria mudar sua forma de consolar: Em um primeiro momento, o Pai estava no Filho confortando seus servos. Em um segundo momento, o Pai passou a estar diretamente em seus servos por meio do Filho.
Como já dissemos, as confusões religiosas sobre as doutrinas acontecem no campo das interpretações. Cada um ver as escrituras do seu ponto de vista e não aceita a do outro. Mas uma coisa que contribuiu muito para essa confusão foi o abandono da forma judaica de interpretar as escrituras. O homem passou a interpretar as escrituras segundo o padrão romano. Então um texto que seria facilmente entendido por um judeu no antigo testamento ganhou sentidos absurdos na era do Cristianismo moderno. Para se ter ideia, pessoas estudam três, quatro anos de teologia em faculdades humanas e saem dessas escolas dizendo que o Espírito do Pai é uma terceira pessoa. Isso comprava que se o Espírito do Pai não for o nosso professor, nossos olhos continuarão fechados e fixos em uma doutrina puramente humana.

Tags: