Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
O QUE DIZEM SOBRE JESUS É REALMENTE O QUE A BÍBLIA QUER DIZER?

O QUE DIZEM SOBRE JESUS É REALMENTE O QUE A BÍBLIA QUER DIZER?

O QUE DIZEM SOBRE JESUS É REALMENTE O QUE A BÍBLIA DIZ E O QUE ELA QUER DIZER?
23 de janeiro de 2013 às 12:05
1) Jesus e o Pai são um, portanto Pai e filho representam um Deus.
Refutação: O fato de haver realmente uma unidade entre Pai e filho não prova que Jesus é Deus com o Pai, pois em João 17:21 Jesus disse que os servos de Deus seriam um com o Pai e com ele mesmo, pelo fato dos servos de Deus serem um com Deus lhes dão autoridade para serem Deus?

Quando a Bíblia diz que vários membros pertencem a uma unidade, não quer dizer que todos os membros estão no mesmo nível ou posição. As escrituras dizem que o homem e a mulher é uma só carne. Duas pessoas e um só governo um só propósito. Mas dessas duas pessoas quem é o cabeça? O homem, e ainda diz que o homem tem autoridade sobre a mulher. Jesus e Deus Pai não é um? Sim, mas quem exerce governo sobre o outro? O Pai exerce autoridade sobre o Filho I Coríntios 11:3.

Em Gênesis 41: 39-44 conta a história de um homem que pode ser considerado como um anti-tipo de Cristo no Egito. O relato diz que ele ganhou autoridade e prerrogativas de um Faraó. As pessoas o reverenciaram como um Faraó. José do Egito. José e Faraó eram um, pois a palavra de José era a mesma de Faraó. No entanto, o texto diz que Faraó seria maior que José somente no trono. Quem entende os significados espirituais nos textos Bíblicos entendem que nesse relato estava implícita a relação do Pai no lugar de Faraó e de Jesus no lugar de José. Jesus é um com o Pai, é a mão direita do Pai e recebeu o Governo do mundo vindouro, porém no trono o Pai é maior que ele, o filho é submisso a Deus.

Além do mais, em todas as passagens que Jesus se refere a Deus, ora se refere a uma terceira pessoa, ELE, ora se refere a uma segunda pessoa, TU, e nunca se refere a primeira pessoa, EU ou NÓS, isto é, não se inclui como Deus:
Jesus disse: “Que conheçam a TI (O PAI) como ÚNICO DEUS verdadeiro” E NÃO “Que conheçam a NÓS (PAI E FILHO) como o único Deus verdadeiro” João 17:3
Jesus disse: “Vocês não leram que O CRIADOR (ELE), desde o princípio, os FEZ (ELE) homem e mulher” E NÃO “Vocês não leram que NÓS criadores, desde o princípio, FIZEMOS homem e mulher” Mateus 19:3-6
Jesus disse: “Retira-te Satanás porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ELE (O PAI)darás culto” E NÃO “Retira-te Satanás porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a NÓS (PAI E FILHO) darás culto” Mateus 4:9, 10

O adjetivo EHAD (ÚNICO) em hebraico só está no plural para fazer concordância com a palavra ELOHIN (DEUS) que também está no plural. Como se sabe, os Israelitas usavam o plural para indicar qualidade de Elevadíssimo, Altíssimo e não necessariamente que havia quantidade. Abraão, por exemplo, tinha dois filhos, Ismael e Isaque, e Deus chamou Isaque de único Filho, ou seja, entre os dois irmãos, Isaque era único e singular, sem comparações Gênesis 22:2. Assim, quando o Pai disse que ele é o ÚNICO DEUS estava se referindo a ele próprio, não há mais ninguém como ele! Não queria dizer que esse ÚNICO, que está no plural, é dois, ou três.

A unidade verdadeira ensinada por Jesus é que o único Deus, o Pai, está em seu filho, está também nos seus servos formando um só corpo de membros. Nesse corpo há posições e hierarquias. O cabeça de todos é o Pai, o Eterno e Elavadíssimo Senhor. Jesus, o cabeça da Igreja, veio para ser um meio, o único, de se chegar até Deus. Infelizmente Satanás trocou a posição, o que era para ser o meio se tornou o fim e em muitas das vezes o que é o fim, Deus, se torna o meio, já que dão a Glória devida do Pai ao Filho. Assim, milhares de Cristãos que pensam estar adorando um só Deus, tornam-se idolatras ao transgridirem o primeiro mandamento “não terás outro deus diante de mim” ao dizerem que quando as escrituras rezam que DEUS É UM ela quer dizer que esse UM é TRÊS (TRINO). Tem dificuldades em entender a palavra ÚNICO quando se refere a Deus.

2) Jesus Cristo só era submisso a Deus porque estava como homem na terra, tinha deixado sua Glória no céu. Filipense 2: 6-11
Refutação: Perceba que o texto não diz que Jesus era Deus. Diz que ele tinha a forma de Deus, é diferente. É uma comparação em termos. Quando Deus disse que Arão seria como boca e Moises como Deus usou uma comparação em termos (Êxodo 4:16; 7:1). Pelo fato de Moisés está usando uma prerrogativa divina que é a de transmitir a palavra a um profeta, foi comparado com Deus. Somente por isso foi feito a comparação. Em sentido amplo ninguém pode se comparar ao Eterno. Jesus tinha a forma de Deus, em comparação, porque a Glória e o nome do Pai estavam nele e ainda recebeu do Pai algumas prerrogativas que só pertence a Deus.

Por analogia podemos dizer que José subsistiu na forma de Faraó quando julgava a terra do Egito, era como Faraó, e não achou por usurpação ser igual a Faraó, reconheceu que Faraó era maior que ele, principalmente quando precisou da autorização de Faraó para trazer sua família para viver no Egito.

Assim, Jesus era como Deus, por ganhar algumas prerrogativas que só pertencem a Deus, e mesmo assim, com todas essas prerrogativas, não quis se colocar numa posição que não lhe pertencia, ser Deus no sentido amplo da palavra. Quando disse que tinha na terra autoridade para perdoar pecados, mostrou como que ele subsistiu na forma de Deus, pois só Deus perdoa pecados. Mas quando ele orou suplicando ajuda para suportar as provações, demonstrou sua condição de humilde servo, de alguém limitado, de alguém que é como todos os homens: necessitado de Deus. Ao demonstrar essa humildade, Cristo quis dizer que embora tivesse a forma de Deus, não era Deus.

Então dizer que Jesus era Deus e que ele deixou sua divindade para se tornar homem humilde com base nesse texto, é um erro grotesco de interpretação. O texto diz que ele tinha a “forma de Deus” uma comparação, não está dizendo que ele era Deus de fato.

Ademais, no próprio texto diz que a Glória que Jesus recebeu quer no céu quer na terra foi porque Deus o exaltou, o exaltou pela sua fidelidade, porque ele foi fiel e humilde. Diz que ele ganhou um nome que está acima de todo nome e que todo joelho vai adorá-lo para Glória do pai, veja PARA A GLÓRIA DO PAI!!

Textos que indicam que Jesus é subordinado a Deus mesmo depois de sua exaltação:
Hebreus 1: 3,4 – “Depois que ele fez a purificação dos pecados se assentou a destra de Deus tornando-se superior a anjos” O fato de uma pessoa ser o braço direito de seu chefe, por exemplo, já mostra que ela é subordinada, uma vez que ser o funcionário mais importante, o número um, não indica que ela seja o chefe.
Hebreus 7:20-28 – O Pai constituiu, após a ressurreição, Jesus como Sumo Sacerdote. Esse serviço faz com que pela intercessão do filho de Deus as pessoas se cheguem a Deus. Isso não é demonstrar subordinação? Um Deus no sentido amplo da palavra pode interceder por alguém?
I Pedro 1:3 – Após a ressurreição Jesus chamou o Pai de seu Deus e mesmo muito tempo depois da ressurreição os apóstolos continuaram dizendo que o Pai é Deus de Jesus. Assim, pressupõe que Jesus também adora ao Pai e lhe é submisso, caso ele fosse Deus em pé de igualdade com o Pai, poderíamos trocar as posições, o Pai também poderia chamá-lo de ” seu Deus” já imaginou? O Pai olha para seu filho e diz: “Meu filho, você é meu Deus!” O que você acha?
I Coríntios 15: 24-28 – Primeiro diz que o Pai vai sujeitar todas as coisas ao filho para ele reinar. Deus precisa que alguém lhe sujeite alguma coisa? Depois diz que o próprio filho se sujeitará a Deus para que Deus seja tudo em todos, inclusive nele próprio. Isso aponta para o futuro e mesmo assim Jesus continua com mesmo espírito de quando esteve aqui: dependendo de seu Deus.

3) Jesus é Deus, pois aceitou adoração.
Refutação: Acontece que o mesmo tipo de adoração que Jesus aceitou o Rei Davi também aceitou e isso não indica que Davi é Deus. (I Samuel 25:23). Essa adoração é um tipo de reverencia e inclinação que se fazia aos Reis (Salmos 45:11) Nos originais grego a palavra para essa adoração é PROSKUNEO. O problema é que como os originais do novo testamento foram traduzidos por homens que criam na trindade na hora que eles viam PROSKUNEO para um rei eles traduziam com INCLINAR e na hora que a mesma palavra estava se referindo a Jesus eles traduziam como ADORAR. Para confundir mesmo.

Assim como Davi foi “adorado” como rei mesmo antes de ser rei de fato, tendo somente a unção de Rei, “adoramos” o nosso Grande Rei, mesmo antes de sua entronização no trono de Davi seu pai, por já possuir a unção de Grande Rei sobre monte de Sião.

Agora quando o termo adorar se refere a prestar culto a uma divindade o termo original não é somente PROSKUNEO, mas também LATRÉIA. Esse tipo de adoração é somente a Deus, o Eterno e Bendito, amém. Quando Jesus repreendeu Satanás usou essas duas palavras. Jesus não aceitou essa adoração. Uma porque ele é sacerdote de Deus, isto é, ele faz intercessão para que as adorações cheguem ao trono do Pai. Então ele não recebe as adorações para ele, mas as leva pelo seu mérito até o trono de Deus. Outra que ele próprio adora o pai diante do trono, afinal o Pai é Deus dele também. Há alguém sentado no trono que é maior que Jesus e esse alguém é ciumento não quer dividir a glória que só a ele pertence com ninguém, tudo que filho tem foi ele quem deu, então muito mais honrado e Digno é o Pai que o filho.

4) Jesus Cristo é Deus e também criou o mundo? – João 1-3
Refutação: No texto de João é importantíssimo entender a linguagem do texto, ou seja, se o texto traz uma linguagem literal (denotativa) ou uma linguagem figurada (conotativa). Quando dizemos que Jesus era aquele Pão que desceu do céu no deserto estamos usando uma linguagem figurada, pois Jesus não pode ser um pão no sentido literal. Esse tipo de associação, relacionar duas coisas diferentes pelo fato das duas possuírem algum traço comum, é chamado de Metáfora. Pão é uma coisa, um alimento, Jesus é outra coisa, um homem, mas os dois possuem algo em comum: alimentar as pessoas. Um alimenta fisicamente e outro espiritualmente.

Desse modo, fica claro que a linguagem de João é conotativa (figurada), uma vez que não tem como um homem ser “verbo” ( palavra) no sentido literal. A metáfora compara a palavra de Deus usada para dar vida e criar todas as coisas no princípio do mundo, com o Salvador, o Messias que viria na plenitude dos tempos.

Além do mais, a palavra verbo ( logos em grego que é traduzida por palavra) tem seu referencial na língua hebraica com o termo sabedoria, porque é por meio da palavra de Deus que a sabedoria é expressa. Portanto, Deus estava criando o mundo por intermédio da “palavra” e da “sabedoria” e não de Jesus. Esses instrumentos usados, a palavra e a sabedoria, é Jesus somente no sentido Metafórico. Palavra e sabedoria é uma coisa, Jesus é outra, mas possuem algo em comum: instrumentos para revelar Deus ao mundo. Enquanto uma revela Deus na criação do mundo natural, a outra, Jesus, revela Deus na criação do novo mundo, o espiritual.

Qual é o sentido da PALAVRA-VERBO ser Deus? O vocábulo usado para “DEUS” é “ELOHIN” e essa palavra é usada para representar o” Eterno” como alguém elevadíssimo, altíssimo e Criador do Universo, por isso que ela está no plural. Mas também esse vocábulo é atribuído com um sentido menor: um representante do grande ELOHIN um tipo de instrumento usado por Deus. Como dizemos e vamos estar sempre batendo nessa tecla, uma vez que acreditamos que os erros de interpretações são justamente pelo desconhecimento do significado que algumas palavras tinham na antiga aliança, o fato de alguém ser chamado de “elohin- deus” não queria dizer necessariamente que essa pessoa era ELOHIN-DEUS no sentido amplo da palavra. Tinha que considerar o sentido em que a palavra estava sendo usada. Um mesmo vocábulo pode ganhar dois ou mais sentido de acordo com o contexto.

Por exemplo, Jesus disse em Mateus 23:9 que não deveríamos chamar ninguém de Pai, porque o único Pai é Deus e ele está nos céus. Será que quando chamamos nossos pais terrestre de “pai” estamos cometendo algum pecado? Então quando no quarto mandamento Deus diz para honrarmos nossos pais, Deus estava cometendo algum erro em usar a palavra “pai” para se referir a nossos progenitores? A palavra Pai quando se refere ao Criador e Fundador do Universo é única e especial. Porém, para se referir aos nossos progenitores, quem nos gerou, a palavra pai pode ser usada sem problemas. Assim, uma mesma palavra pode ter dois ou mais sentido.

Veja a palavra mestre. Há mais de 12 acepções para a palavra mestre. Desde mestre de cerimônias, mestre professor universitário até mestre sacerdotal. Não é errado chamar o professor que terminou o mestrado de mestre, afinal ele é mestre em sua área de formação. Jesus proibiu chamar mestre a qualquer pessoa que se coloque como o líder principal da Igreja, pois sabemos que o cabeça da Igreja é o próprio Cristo. Dessa forma, a mesma palavra “mestre” ,dependendo do contexto, apresenta referencial diferente.

Na língua Portuguesa, para distinguir um termo e dizer que ele tem uma acepção especial, usamos a palavra em maiúscula. Usa-se “mestre” , com minúscula, para indicar o professor de faculdade e “Mestre”, com maiúscula, para se referir ao grande líder espiritual, Jesus de Nazaré, “pai” em minúscula para nossos pais terrestres e “PAI” em maiúscula para indicar o Pai celestial.

A palavra “Deus”, que é Elohin em Hebraico, também possuía na Antiga Aliança mais de uma acepção. Poderia tanto se referir ao Eterno e Altíssimo, o Criador do céu e da terra, como também poderia se referir a algum representante em que se percebia alguma autoridade divina. Os anjos foram chamados de Deus (elohin) Salmo 8:5. Os juízes humanos foram chamados de “elohin-deus” Salmo 82:1,6-8 / I Samuel 2:25. Veja como está o salmo 82 nos originais: “Elohin (DEUS) preside a assembléia divina; ali, com os elohin (juízes), ele julga” e “Vos sois elohin-deus (Juízes de Israel) sois todos filhos do Altíssimo … Levanta-te, ó, Elohin-DEUS e julga a terra.” – Jesus inclusive comentou esse texto João 10:34-35 – Entenda que há dois “Deus” aí, um representando os juízes e outro representando o Pai Eterno. Um para se referir aos instrumentos e meios utilizados por Deus e outro para o próprio Deus. Veja também que o termo em hebraico é usado em maiúsculo para indicar o Criador e em minúsculo para indicar seus representantes.

Logo, a sabedoria usada na criação de tudo que existe, exprimida pelo verbo (Palavra), era chamada de “deus” (elohin), no sentido figurativo, por ser o canal de Deus (Elohin) na revelação de sua vontade. Daí vem o sentido de Jesus ser a sabedoria de Deus I Coríntios 2:6-8 , Provérbios 8, de ser a palavra (verbo de Deus) e de ser “deus” (elohin), pois por meio dele Deus se revelou a um mundo em pecado, iluminando-o . Por meio dele, uma nova Criação surgiu, os nascidos do Espírito cuja família não é a terrena, mas a celestial. Por isso que é o verbo era “deus” (elohin) e o verbo estava com “Deus” (Elohin), isto é, em algum momento da Eternidade Jesus passou a existir na mente do Eterno como o “deus” (elohin) que haveria de representá-lo na terra e por causa dessa ideia, desse plano, criou todas as coisas. São João 1:18

5) Havia mais de uma pessoa na criação?
Refutação: A palavra hebraica para Deus é “Elohin” e essa palavra está no plural. O fato de ser usada no plural não quer dizer que há mais de uma pessoa como Deus. Os israelitas usam as palavras no plural para dizer que algo era elevadíssimo e grandioso. Quando o texto mencionou “façamos o homem a nossa imagem” foi só uma forma de enfatizar e engrandecer o momento. Perceba que em todo o capítulo 1 de Gênesis se faz referencia a uma pessoa criando “E disse Deus” e” criou Deus” e” viu Deus” a exceção é justamente na hora de criar a obra prima da criação, o homem, o verbo aparece no plural,” façamos.” Será que o Pai criou tudo sozinho e na hora de criar o homem chamou o filho para participar? Claro que não, queria dizer em linguagem hebraica que o momento era ainda mais solene. Em Daniel capítulo 2: 24 o profeta diz: “REVELAREI (uma só pessoa) o sonho ao rei”, mas quando foi colocado diante do rei, diante da importância do momento disse:” Este é o sonho, e a sua interpretação DIREMOS (mais de uma pessoa) ao rei verso 36” Havia outra pessoa dizendo o sonho ao rei? Não, é só uma forma judaica de engrandecer o momento colocando as palavras no plural. O fato das conjugações verbais estarem, em poucas vezes, no plural não indica que faz referencia a mais de uma pessoa, claro que para uma pessoa de cultura ocidental entender isso é um pouco difícil, deveria conhecer um pouquinho da cultura israelita e do povo que foram os guardadores dos oráculos de Deus durante mais 1500 anos. Quando eles liam essa parte da escrituras nas sinagogas eles não entendiam como sendo mais de um criador lá no Gênesis.

E como já até comentamos acima, Jesus quando se referiu à criação do homem fez referencia a um só Criador, o Pai, excluindo-se, “Vocês não leram que O CRIADOR (ELE – o Pai), desde o princípio, os FEZ (ELE – o Pai) homem e mulher” e “Portanto, o que Deus uniu (ELE) não separe o homem.” E certamente que essas mesmas palavras se fossem ditas pelo o Pai, assim seriam ditas: “Vocês não leram que EU, o Criador, desde o princípio, os fiz homem e mulher. Portanto, o que eu, teu Deus, uni, não deve separar o homem.” Viu a diferença? Jesus apontou para ELE como o Criador do homem, se fosse o Pai apontaria para EU como o Criador do homem e da mulher.

Ademais, o Eterno deixa bem claro em Isaias 44:24 que ele criou tudo sozinho. Acreditamos que não precisamos pegar um dicionário para entender o significado de “sozinho.”

6) Jesus Cristo é Deus Eterno e Pai da eternidade? – Isaias 9:6
Refutação: Dizer que Jesus é Deus é Pai da Eternidade com base nesse verso é demonstrar realmente nenhuma intimidade com a linguagem Bíblica. Na antiga aliança chamar alguém com nome divino era uma forma de louvar a Deus. E nunca o louvor era para quem recebia o nome.

Em Isaias 7:10-16 há um fato que serviu de anti-tipo do nascimento de Cristo. Esse acontecimento que aconteceu nos tempos do profeta Isaias e do rei Acaz teve duplo significado: um para o contexto em que foi dada a profecia e outro para o surgimento do Messias. O Emanuel que nasceu nos tempos do Rei Acaz, nos tempos de Isaias, no passado, era uma figura de Cristo – veja que o texto diz que antes que o menino aprendesse a reconher o bem ou mal, a terra seria desamparada diante dos olhos do Rei Acaz. Claro que a virgem aí no contexto queria dizer apenas que uma determinada moça que ainda não tinha contato com homem iria ter e se engravidar. Não quer dizer que ficou grávida virgem como Maria – O fato é que houve no passado um homem que também foi chamado de Emanuel-Deus conosco. Será que esse homem, que viveu cerca de 500 anos antes de Jesus viver aqui na terra, era Deus por ser chamado de “Emanuel-Deus conosco”? Receber um nome com significado espirituais no Antigo Testamento era uma forma de louvar a Deus pelo nome. O significado do nome não se referia à pessoa que o carregava, mas sim a pessoa que o dava, no caso, Deus. Desse modo, ser chamado de “Deus conosco” era uma forma de dizer que Deus era visto por intermédio da pessoa que carregava o nome e não que essa pessoa era Deus. Jesus foi chamado de Pai da Eternidade, Príncipe da Paz, Deus Forte porque por meio dele as pessoas viram a Glória de Deus. Deus estava no filho. Os significados desses títulos se referiam ao Pai e não ao filho.

Outra passagem que ilustra muito mais esse conceito é Jeremias 33:16 em que Deus diz que Jerusalém seria chamada de “YHVH” (Jeová) justiça nossa (o nome de Deus) pelo fato da Jerusalém ser chamada de YHVH (nome do Eterno) quer dizer que Jerusalém é Deus? Vamos ter que adorar a Cidade agora? Haveria um louvor a Deus na cidade. A Glória do Eterno estaria nela.

7) Jesus Cristo é identificado como sendo o Jeová (YHVH) do antigo testamento
Refutação: E para falar sobre a questão de representatividade na antiga Aliança é importante entender que homem algum jamais viu a Deus pessoalmente I Timotéo 6.15,16 Êxodo 33:20-23) O mais sortudo foi Moisés que viu o Eterno pelas costas.

Então como entender alguns textos que dão a entender que o próprio Deus descera a terra para interagir com os seres humanos? (Gênesis capítulos 18:2 20-22 Gênesis 32:29-32 Juízes 6 Juízes 13:3; 6; 9; 13; 16,21, 21,22 / ) Jacó chegou a exclamar que iria morrer por ter visto Deus face a face. Abraão recebeu “Jeová” em sua própria casa e lhe serviu comida e bebida. Em todos esses textos vemos Deus falando diretamente com seus interlocutores e observando o diálogo entre eles realmente parece que Deus está frente a frente com as pessoas.

A maioria das vezes que Deus queria transmitir uma informação importante ao seu povo ele transmitia por meio de seus profetas. Através de sonhos e visões o profeta recebia a mensagem e a retransmitia ao povo de Deus. Só que em algumas vezes a interação entre Deus e as pessoas pareciam ser pessoal, ou seja, realmente parecia que Deus estava no mesmo lugar que seus interlocutores e isso tem causado extrapolações interpretativas das escrituras ao dizerem que o Deus que descia na terra na forma de Anjo era o próprio Jesus.

Por que esse Deus que descia para interagir com os homens não era Jesus? Por que em todos esses textos a escritura fala que o “homem” ou o “mensageiro” que lhes aparecera era realmente o Anjo do Senhor. Jesus só é mencionado como o Anjo da Aliança (Malaquias 3:1) nas escrituras pelo significado da palavra, mensageiro, mas Jesus não tinha natureza de Anjo. Veja em Hebreus capitulo 1:5 Paulo dizendo que não foi aos Anjos que Deus fez a promessa: “eu lhe serei Pai, ele me será filho” observe que os verbos estão no futuro porque a promessa foi feita no passado. Se Jesus era um Anjo antes de descer do céu, então o Pai fez a promessa enquanto ele tinha a natureza de Anjo. Paulo não poderia ter feito esse comentário como fez em Hebreus. Logo, Jesus não tinha a natureza dos espíritos ministradores que são enviados para auxilio dos que herdarão a vida eterna! (Hebreus 1:14)

Além do mais, não podemos esquecer que quando Deus descia para dialogar diretamente com os seres humanos, num primeiro momento, quem testemunhara o encontro dizia que tinha visto um Anjo na forma humana. Seria loucura dizer que essas pessoas só falaram que viram a Deus porque, à medida que iam interagindo com o ser celestial, percebiam que a pessoa que lhes falara era Jesus. Elas não conheciam a imagem de Jesus!!

A impossibilidade de Jesus ter tido uma natureza de Anjo na antiga Aliança faz alusão, também, a impossibilidade de Jesus ter sido o Arcanjo Miguel das escrituras, uma vez que todo Arcanjo também é um Anjo, um chefe de Anjos, mas com natureza de Anjo. Muitos dizem que pelo fato do nome “Miguel” ter o significado de “ quem é como Deus?” prova que Miguel é Jesus, pois ninguém é como Deus a não ser Jesus, o que não é verdade. Já comentamos que quando uma pessoa recebia um nome com significado não queria dizer que o significado se referia a própria pessoa, mas que os significados eram um tipo de louvor a Deus. Então o nome Miguel dado a esse Arcanjo era apenas um louvor ao Eterno nosso Deus, pois sabemos que ninguém, nem na terra e nem no céu, nem o próprio filho é semelhante ao altíssimo em sentido amplo da palavra.

Qual é a chave para se entender essas passagens? Simples, usando, por associação, o uso das tecnologias humanas para se entender um pouco mais a tecnologia celestial. Quando você liga para uma pessoa que estar no Japão, por exemplo, você faz com que a sua presença, não pessoal, a sua presença virtual esteja lá. A pessoa olha para o celular e, caso o telefone tenha recurso como Skype, consegue até te visualizar. Alguém que ouve o diálogo sem notar o contexto, isto é, que a comunicação está se dando pela mediação de um aparelho, a jugar pelas vozes, pode até pensar que realmente as duas pessoas estão face a face e de certo modo estão face a face, só que uma se faz presente pela presença física e real e a outra se faz presente pela mediação de um aparelho. Assim, há possibilidade de uma pessoa dizer que me viu e falou comigo lá no Japão sem eu nunca ter saído do Brasil.

Da mesma forma que a tecnologia e o aparelho telefônico liga duas pessoas que estão em pontos diferentes para se comunicar, os Anjos faziam a conexão entre o trono do Altíssimo e os filhos dos homens.

No episódio da Sarça Ardente (Êxodo 3:1-6), por exemplo, diz que apareceu o Anjo do Senhor na Sarça e de repente Deus começa a falar do meio da sarça “Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abrão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó.” Na entrega dos dez mandamentos, em todo momento parece que o próprio Deus está ali pessoalmente falando e interagindo com as pessoas (Êxodo 19:18 -21, 20:1,19,24:16,24:12). No entanto, o discípulo Estevão diz em Atos que realmente quem falou e entregou as tábuas da lei foi o Anjo do Senhor (Atos 7:30,35,38,53) e Paulo acrescenta “ a lei foi entregue por meio de Anjos” (Gálatas 3:19).

Alguém pode perguntar: “Era Deus ou os Anjos que esteve diante do povo na entrega dos mandamentos?” Claro que era Deus, agora a pergunta chave é “ Era Deus de que forma? Pessoalmente? Não. Era Deus usando seus instrumentos como meio de comunicação. As palavras que saiam da boca do Anjo eram diretas do céu, “ viste que dos céus eu vos falei” (Êxodo 20:22). Se a tecnologia humana, que é infinitamente menor que a celestial, é capaz de te fazer “onipresente”, Deus não seria capaz de estar sentado em seu trono no céu e ao mesmo tempo interagindo com os seres humanos aqui na terra? Desse modo, era assim que Deus descia para falar com as pessoas e não que Deus desceu pessoalmente à terra ou que o Deus visto era Jesus.

JESUS NÃO FOI O ANJO MEDIADOR DA ANTIGA ALIANÇA!!! O autor de Hebreus contrasta muito bem o que aconteceu no Sinai com que aconteceu no ministério da Nova Aliança: ” Você não estão se achegando a fumaça e ao fogo palpável ou ao som das palavras ,ao Sinai” continua ” Mas vocês chegaram ao Monte Sião, à cidade do Deus vivo,a Jerusalém celestial, e aJESUS O MEDIADOR DA NOVA ALIANÇA!!! Hebreus 12:18-24 Viu? Somente na nova aliança é que nos achegamos ao Messias. O salvador na Antiga Aliança se deu somente pela figura do cordeiro que foi morto como testamento.

Usando o mesmo conceito que aprendemos sobre como Deus estava nos Anjos visitando as pessoas, podemos entender porque algumas passagens da Antiga Aliança dão a entender que o Messias é próprio Deus ou o próprio “Jeová”:
“Preparei o caminho para YHVH (Senhor)” Isaias 40:3 “ YHVH ( Senhor) justiça nossa” Jeremias 23:5,6 “YHVH( Senhor) “é avaliado por 30 moedas” Zacarias 11:12-13 “ Virá o YHVH ( Jeová) com todos os seus santos” Zacarias 14:5. Interessante que essa passagem de Zacarias fala da volta de Jesus.
Assim como as pessoas viram a Deus na representação dos Anjos que lhes apareceram como porta-vozes direto do céu, assim se vê também Deus, (YHVH), na pessoa de Jesus. Isso é bem explicado pelo Mestre quando ele diz que quem o ver ver o Pai. Isso jamais quis dizer que Jesus é próprio YHVH( Deus).

8) Jesus é o verdadeiro Deus e a vida eterna – I João 5:20
Refutação: Esse verso deve ser entendido dentro do contexto do capítulo. No verso 3 e 4 fala algo sobre o amor de Deus e sobre as pessoas que são nascidas de Deus. No verso 9 fala sobre o testemunho de Deus que é seu filho. E o tema Deus Pai aparece como ideia principal em todo o texto, verso 11 é Deus que nos deu a vida Eterna por meio do filho, verso 16 e 18 aparece que Deus dá a vida quando oramos por uma pessoa e no verso19 diz que somos de Deus.

O verso 20 é uma continuação do tema Deus Pai dos versos anteriores. Uma leitura superficial desse verso pode parecer que o tema principal do verso é Jesus, o que não é verdade.

Leia o texto e faça uma pergunta para compreensão do texto: Quem é que deu entendimento para reconhecermos o verdadeiro, o filho de Deus? Só pode ser Deus, afinal o filho não poderia dar entendimento para reconhecer seu Filho Jesus não é? Ou seja, a correta paráfrase do texto é: Esse Pai que nos deu entendimento para reconhecermos o verdadeiro que é seu filho é o verdadeiro Deus e a vida Eterna. O termo Deus é dado ao Pai celestial e não ao filho.

Querido irmão, a Bíblia diz que a grande prostituta embebedou todas a nações com o vinho da sua prostituição. Se você tem ouvido para entender, ouça, e fuja de Babilônia. Deus é um só, o Pai. Jesus veio para nos aproximar e nos reconciliar com Deus. Jesus não veio para dizer que ele é Deus. Não adianta distorcer as escrituras para apoiar uma doutrina pagã, a doutrina de um só Deus, o Pai, é desde os tempos antigos. O Deus de Abraão, Isaque e Jacó, o Deus de Israel. Esse Deus que Jesus também exaltou. Eu te convido a adorar esse Deus, único. Agora se você quiser continuar adorando um Deus triúno, lavo minhas mãos por você.

Tags: