Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
O ROMANISMO E A NEGAÇÃO DA GUARDA DO SABADO

O ROMANISMO E A NEGAÇÃO DA GUARDA DO SABADO
Leia: Mateus 5: 17
Base bíblica: Gênesis 2: 1-3; Êxodo 20: 8-11
Objetivo da lição: Através do estudo dessa lição o estudante reconhecerá que a guarda do Sábado é uma realidade bíblica, dada a todos os homens, e ficará a par do por quem e por quais motivos foi mudado, pelos romanistas para o domingo, primeiro dia da semana.
1) Descaradamente muitos dizem que a mudança do sábado para o domingo se fez automaticamente com a morte do nosso Senhor Jesus Cristo, mas todos que assim o dizem não conseguem comprovar isso com as Escrituras Sagradas, já que não existe nem sequer um versículo que a isso comprove. Então que direito têm de dizer que essa mudança se deu de forma automática? Que autoridade tem de ensinar o que a Bíblia não diz? Esses devem lembrar que ao falarem sobre a Palavra de Deus tem que ter o cuidado de não misturarem a verdade com o que nasce nas mentes insanas deles, pois isso é blasfêmia. Em todo o Novo Testamento não se encontra nem um versículo sequer que diga que o Senhor Jesus Cristo tenha mudado o dia de repouso, nem ao menos algum que dê essa impressão, e que por isso quase a totalidade dos professos cristãos se equivocam nessa interpretação, muito pelo contrário, encontramos uma afirmação de Jesus que nos demonstra totalmente o contrário. Leia Mateus 5: 17.
Perguntas: a) O que dizem descaradamente alguns? b) Conseguem, eles comprovar isso nas Sagradas Escrituras? c) Por que não? d) Do que devem eles lembrar? e) Existe no NT algum versículo que comprove essa mudança? f) O que nos demonstra a leitura de Mateus 5: 17?
2) Os dez mandamentos são recomendações morais dadas por nosso Deus desde tempos muito antigos, inclusive no livro de Gênesis os encontramos, mas somente no tempo do inicio da nação de Israel é que os encontramos, dados por Deus, em ordem numérica como encontramos em Êxodo 20: 3-17. Sendo que a guarda do sábado é o quarto mandamento. Mas o fato de Deus os ter dado em ordem numérica somente no tempo dos israelitas, não quer dizer que só tenham sido conhecidos pela humanidade nessa época. È por causa de acharem que os dez mandamentos foram dados a nação de Israel pôr Moisés, que muitas das igrejas ditas cristãs (evangélicas e protestantes filhos dos católicos romanistas) não os aceita. Outras aceitam apenas nove dos dez mandamentos, pois acreditam que o sábado foi dado apenas para a nação de Israel. E outras aceitam o sábado, mas mantém em suas doutrinas dogmas e mentiras romanistas.
Perguntas: a) O que são os dez mandamentos? b) Quando foram dados? c) Quando foram dados, por Deus, em ordem numérica? d) O que isso não significa? e) Por que a maioria dos evangélicos e protestantes não os aceita? f) O que fazem outros?
3) Mas isso está certo? Está certo guardarmos nove mandamentos e excluirmos um? Ou estão certos aqueles que a nenhum guardam? Não! Claro que não! Nem um nem outro está com a razão ao fazerem e crerem no que acham mais conveniente fazer, vejam, os dois grupos acabam de certa forma guardando a nove mandamentos, uma vez que tem dentro de suas consciências gravado que não devem matar, roubar, adorar a imagens, etc… Mas guardar “de certa forma” os mandamentos de Deus, os tornará aptos para a salvação e para a vida eterna? Mais uma vez tenho que responder que com certeza não! A Bíblia diz em Apocalipse 22: 14, que são bem aventurados os que guardam os mandamentos de Deus. Também são identificados filhos de Deus aqueles que cumprem esses mandamentos leia Apocalipse 14: 12. Pergunte-se: Estará o Senhor, com tão belas palavras, referindo-se àqueles que guardam apenas nove mandamentos? Por acaso não são dez? Leia Tiago 2: 10, 11. Aqui o apóstolo diz que aquele que guardar os mandamentos todos mas deixar de cumprir a um descumpriu a todos, ou seja, é o mesmo de que se não tivesse guardado nenhum. Assim sendo, será que é aceitável para Deus aqueles que só guardam nove mandamentos rejeitando o do Sábado, sétimo dia? Deus não aceita as coisas pela metade.
Pergunta: a) Estão certos os que guardam 9 mandamentos ou nenhum? b) Guardar de “certa forma” os mandamentos os tornará aptos para a vida eterna? c) O que lemos em Apocalipse 22: 14? d) O que se entende ao ler Tiago 2: 10, 11?
4) Leia Êxodo 20: 8-11, aqui encontramos o quarto mandamento quando escrito pelo dedo de Deus em duas tábuas de pedra e entregue a Moisés para o povo de Deus, os judeus no monte Sinai… leia Gênesis 2: 1-3 e perceberá que o sábado foi dado ao homem muito antes de existir a nação de Israel. Por isso Jesus diz o que lemos em Mateus 5: 17. Ab-rogar significa terminar, tornar sem efeito. Mas ainda para aqueles que continuam enganados com os ensinos romanistas com respeito ao quarto mandamento da lei de Deus pedimos que leiam: Isaías 56: 1-8 e 58: 13, 14.
Perguntas: a) O que encontramos em Êxodo 20: 8-11? b) O que nos demonstra a leitura de Gênesis 2: 1-3? c) Qual o significado de ab-rogar? d) O que notamos com a leitura dos versículos do livro de Isaías?
5) Como e quando surgiu a guarda do domingo pelos professos cristãos? A mais antiga lei dominical conhecida pela História é a de Constantino, promulgada em 321 d.C. Assim reza ela: “Devem os magistrados e as pessoas residentes nas cidades repousar, e todas as oficinas ser fechadas no venerável dia do Sol. No campo, entretanto, as pessoas ocupadas na agricultura podem livre e licitamente continuar suas ocupações; porque acontece muitas vezes que nenhum outro dia se lhe assemelha para a semeadura de sementes ou para a plantação de vinhas; tememos que, pela negligência do momento apropriado para tais operações, as bênçãos celestiais sejam perdidas.” (Promulgada aos 7 dias de março, sendo Crispo e Constantino cônsules pela segunda vez cada um). – Codex Justinianus, liv. 3, tit. 12 e 13; traduzido em Philip Schaff, D.D., History of the Christian Church (volume sete da edição, 1902), vol. III, pág.380. A legislação iniciada por Constantino para o estabelecimento da guarda do dia do Sol é assim comentada por duas enciclopédias: “O mais antigo reconhecimento da observância do domingo como uma obrigação legal é uma constituição de Constantino, de 321 d.C., decretando que todas as cortes de justiça, habitantes de cidades e oficinas repousassem no dia do Sol (venerabili die Solis), exceção feita apenas àqueles que estivessem ocupados em trabalho de agricultura.” – Enciclopédia Britânica (11.ª ed.) art. “Domingo”.
“Inquestionavelmente, a primeira lei, seja eclesiástica ou civil, pela qual a observância sabática daquele dia é conhecida como havendo sido ordenada, é o edito de Constantino, de 321 d.C.” – Chamber’s Encyclopaedia (ed. de 1882), vol. VIII, pág. 401, art. “O Sábado”.
Que essa legislação dominical não tinha ligação com o cristianismo; nota-se claramente ao serem considerados os fatos contidos na seguinte citação: “Esta legislação de Constantino não tem certamente nenhuma relação com o cristianismo; parece ao contrário, que o imperador, na qualidade de Pontífice Máximo, estava apenas acrescentando o dia do Sol, a adoração daquilo que estava então firmemente estabelecido no Império Romano, aos outros dias festivos do calendário sagrado.” – H. Webster, Rest Days, págs. 122 e 123.
“Em 386, durante o tempo de Graciano, Valentiniano e Teodósio, foi decretado que todos os litígios e negócios cessassem [no domingo]… Entre as doutrinas estabelecidas em uma carta do papa Inocêncio I, escrita no último ano de seu pontificado (416), encontra-se aquela segundo a qual o domingo deveria ser observado como dia de jejum… Em 425, no tempo de Teodósio, o mais moço, foi imposta a abstinência de espetáculos teatrais e de circo [no domingo]… Em 538, no concílio de Orleans… foi ordenado que todas as coisas anteriormente permitidas no domingo continuassem em vigor; mas que se abstivessem do trabalho com arado, ou em vinhas, sega, ceifa, debulha, cultivo, etc., a fim de que as pessoas pudessem freqüentar a igreja convenientemente… Por volta de 590 o papa Gregório, em carta dirigida ao povo romano, qualificou como profetas do anticristo aqueles que ensinassem que o trabalho não devesse ser feito no sétimo dia.” – The Law of Sunday, págs. 265-267.
A citação acima indica que ainda havia na igreja, mesmo em 590 d.C., aqueles que, não só observavam o sábado bíblico, como ensinavam sua observância. De fato, tal observância por parte de poucos fiéis, foi sempre posta em prática através de todos os séculos cristãos. Entre os chamados valdenses haviam observadores do sétimo dia.
As próprias leis civis e eclesiásticas que fazem referência ao desenvolvimento da legislação dominical tornam claro que Eusébio, notável bispo da Igreja Católica, considerado o pai da história eclesiástica e biógrafo de Constantino, foi justificado ao afirmar: “Todas as coisas, sejam quais forem, que houvessem sido obrigatórias fazer no sábado, estas nós a transferimos para o dia do Senhor.” – Citado em Robert Cox, Literature of the Sabbath Question, vol. I, pág. 361.
Perguntas: a) Quando surgiu a lei da guarda do domingo? b) O que dizia ela? c) Qual a data de sua promulgação? d) O que lemos em três enciclopédias sobre a lei dominical de Constantino? e) O que foi decretado em 386? E em 416 e 425? f) O que foi decretado no concílio de Orleans? Por que? g) O que decretou o papa Gregório em 590? h) O que indica a citação ocorrida em 590? i) Por quem foi mudado o dia do descanso instituído por Deus? j) O que afirmou Eusébio?
6) Portanto o verdadeiro filho de Deus deve acatar as leis de Deus e não as impostas por governos e papas (Atos 4: 13-20) para que possam fazer parte do “pequeno rebanho” e ter o testemunho de Cristo. (leia Lucas 12: 32 e Apocalipse 12: 17.
Pergunta: a) O que deve fazer o verdadeiro filho de Deus?
Como guardar o sábado
7) Os dias da semana foram instituídos por Deus, na semana da criação, portanto os dias eram contados a partir do entardecer, ou seja iniciavam ao por do sol: leia Gênesis 1, 5, 8, 13, 19, 23, 31; 2: 1-3; Êxodo 20: 8-11. A semana instituída por Deus iniciava no primeiro dia (domingo hoje) e terminava no sábado, que era iniciado ao por do sol da sexta feira (6º dia). Portanto aquele que quer satisfazer à vontade do Criador deverá encerrar suas atividades seculares na sexta feira ao por do sol, quando não poderá comprar, vender, trabalhar para obter ganho material, e antes do por do sol já deverá ter tudo preparado para passar o dia de sábado em companhia da congregação, estudando a Palavra, mantendo comunhão com os irmãos e louvando ao Eterno (Efésios 5: 19). Nenhuma obra deve ser feita, leia novamente Êxodo 20: 10, 11. Lucas 4: 16. Atos 16: 13… No dia da preparação (na sexta feira antes do por do sol [Marcos 15: 42]) para o sábado deve ser incluído a preparação da alimentação para o dia seguinte: leia Êxodo 23: 22-25. Portanto o verdadeiro filho de Deus guarda o sábado desde o por do sol da sexta feira até o por do sol do sábado.
Perguntas: a) Quem instituiu os dias da semana? b) Como eram eles contados? c) Como deve proceder aquele que guarda o sábado? d) Podemos cozinhar no sábado? e) Durante que período deve ser guardado o sábado sétimo dia da semana?

http://www.igrejadedeusemsaopaulo.org.br/oromanismoeanegacao.htm

Tags: