Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
O sábado como sinal do povo de Deus

O sábado como sinal do povo de Deus

Esta escola visa dar ênfase ao sábado, como guardá-lo o que ele representa para todo aquele que quer servir a Deus verdadeiramente.

 

  1. Deus planejou este mundo e seu filho o executou, e fê-lo em seis dias não literais. No sétimo Deus descansou de toda a sua obra, abençoou este dia e o santificou. Assim os céus, a terra e todo o seu exército foram acabados. (Genesis 2:1-3).

E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou de toda a sua obra, que havia feito. E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra . Vejamos como isto aconteceu:

  1. Gênesis 2:1-3; Êxodo 16:4-5,22-30

 Antes que a criação fosse acabada Adão pecou! O que foi criado de bom antes do pecado permaneceu, depois do pecado Deus disse agora a terra produzirá espinhos e abrolhos (arvores infrutíferas) (Gênesis 3:17-19), por causa do pecado o paraíso foi maculado antes de completar os 6 anos, portanto não foi concluído a obra de  Deus na perfeição como ele planejará, pois o homem pecou.   

Terminada a sua obra Deus descansou no sétimo dia de toda a obra que ele criou em seu plano (Êxodo 20:8-11), mas Adão foi expulso do paraíso e perdeu o descanso com Deus por causa do pecado (Gênesis 3:23-24 ).

Deus fez outras promessas para o homem de dar o paraíso e para isso continua trabalhando com seu filho para este descanso eterno  (Isaías 32:16-19, 51:3-11, 53:4-12; Hebreus 4:7-13). Muito tempo depois do pecado de Adão Deus jurou que os que não obedecessem como Adão não entrariam no seu descanso ( Jó 31:33; Salmos 90:9-11; Oseías 6:7; Hebreus 3:10-12; 4:1-6).  Vemos, pois que o descanso do sétimo dia é uma alegoria para o futuro  descanso permanente com Deus. Em todas estas passagens vemos Deus falando de um descanso eterno de um repouso para aqueles que o obedecerem. Deus criou o sétimo ano chamado sábado de descanso da terra, a terra descansava no sétimo ano (Levitico 25:1-46). O dia de descanso eterno no paraíso surgirá quando o terminar os 6000 anos de trabalho no velho mundo (Atos 1:6-7; Hebreus 4:7-11), a terra entrará em descanso, e o aqueles que obedecem a Cristo em seu reino, entrarão também no   descanso de Deus.

Portanto, O sábado foi instituído como monumento comemorativo do  poder de criar de Deus. Foi estabelecido por ele na criação. O sábado deve também ser como um Oasis para a alma do homem, no qual possa encontrar repouso e refrigério mediante a comunhão com o seu Criador. A relação da criatura para com o Criador é a verdadeira base de todo culto divino e neste dia esta relação é maior.

Vamos prestar atenção no que os textos nos aponta: Deus  Abençoou, santificou, e descansou  neste dia.

Deus trouxe o sábado para os dez mandamentos, sendo explicita a  sua ordem  (Êxodo 20:8-11), aqui é repetido o mandamento com o acréscimo: que o sétimo dia é o “sábado do Senhor” (Levítico 23:3-10,37-38, 19:3;Deuteronômio 5:12-14).

 Portanto concluímos nesta pergunta que o sábado é um memorial da criação, sendo estabelecido no momento em que Deus terminou toda a obra planejada por ele, e que o sábado é o dia do “Senhor e não nosso”. É um dia de descanso do nosso corpo e mente das coisas materiais, mas é um dia de atividade espiritual, ou seja, devemos nos voltar neste dia para Deus e a sua obra. Em todos os textos do mandamento Deus reafirma que o sábado é do Senhor e não nosso.

Esta afirmação é muito mais profunda do que podemos imaginar. Deus não se cansa

        Isaías 40:26-31 diz expressamente de  Deus não se cansa fisicamente. Vejamos:

 O autor de Hebreus usa este mesmo raciocínio para falar da salvação em Cristo por meio da fé: A profundidade do texto percebemos quando analisarmos com outros textos. Em Hebreus faz-se uma analogia ao descanso, mas com outra conotação.

“Visto que nos foi deixado a promessa de entrarmos nos descanso de Deus, que nenhum de vocês pense que falhou… Pois nós os que cremos, é que entramos naquele descanso, conforme Deus disse: “Assim jurei na minha ira: Jamais entrarão no meu descanso“,  (Hebreus 4 :1 em diante)embora as obras de Deus estivessem concluídas desde a criação do mundo.

Pois em certo lugar ele falou sobre o sétimo dia, nestas palavras: “No sétimo dia descansou de toda a obra que realizara” e de novo, na passagem citada há pouco, diz: “Jamais entrarão no meu descanso“…
Portanto, resta entrarem alguns naquele descanso, e aqueles a quem anteriormente as boas novas foram pregadas não entraram, por causa da desobediência…

Assim ainda resta um descanso sabático para o povo de Deus; pois todo aquele que entrar no descanso de Deus, também descansará das suas obras, como Deus descansou das suas.

O autor de Hebreus usa o exemplo sabático justamente para destacar que o descanso aqui não tem nada a ver com cansaço físico.

Ele usa este exemplo para exemplificar a salvação, ou seja, aqueles que creem descansam de suas obras como meio de salvação. É disto que o texto está falando e usando como referência (Genesis 2. Ou seja, Genesis  2 ou Êxodo 31:12-17),não está falando de cansaço “físico” e sim apenas de algo terminado que não resta mais nada a fazer a não ser descansar.

Em conclusão a analogia de que Deus descansou das suas obras, tem a conotação de que nos imitadores dele devemos descansar de todas as nossas obras físicas neste dia e nos voltarmos para o descanso de Deus aqui, ou seja, a sua obra espiritual, para que possamos entrar no descanso eterno.

 Veja Deus abençoou este dia, santificou e descansou de todas as suas obras. Devemos-nos abençoar este dia em que Deus nos tira a carga física do nosso labor, nos coloca em um dia abençoado, santificado onde devemos ter a certeza de que Deus como santo santificou este dia e descansou de todas as suas obras.

Deus terminou a criação, nos findamos o nosso labor no sexto dia, cansados porque somos humanos e pecadores com corpo mortal, e devemos descansar este corpo do labor físico, mas voltarmos para o labor espiritual, que é a nossa dedicação a Deus neste dia, pois este dia é do Senhor e não nosso.

 

  Sábado como selo de salvação (Êxodo 31:12-18; Ezequiel 20:12-20).

Promessas   para àqueles que guardam o sábado

( Isaías 56:3-7; 58:13-14; Deuteronômio 5:13-15  ).

A guarda do sábado é um sinal eterno, como dia santificado para descanso do homem e adoração de Deus, em reconhecimento a Deus e seu Filho como os criadores do mundo. È um selo tão importante que foi estabelecido por Deus antes da Lei dada a Moises, ou seja, na criação do mundo. Foi dado como um sinal entre Deus e seu povo (Êxodo 31:12-18;Levítico 23:3;). Como uma promessa para àqueles que o guardarem. Este é um dos sinais em que o homem será reconhecido no juízo, pois é um sinal eterno entre Deus e o homem.

 

Esta provado cientificamente que o homem não tem forças para trabalhar todos os dias sem nenhum descanso.

Historicamente a origem do repouso semanal é essencialmente religiosa. Mesmo antes de haver leis obrigando a concessão do repouso, a força da religião já impunha a observância da suspensão das atividades obreiras em um dia da semana, a fim de que as pessoas pudessem participar das cerimônias religiosas.

 Arnaldo Sussekind[1], jurista trabalhista, afirma que com o advento da Revolução Industrial, o instituto do repouso semanal passou a se sustentar em outros fundamentos:

Biológicos, que visam eliminar a fadiga gerada pelo trabalho;

Sociais, que possibilitam a prática de atividades recreativas, culturais e físicas, bem como o convívio familiar e social;

Econômicos, que tem por escopo aumentar o rendimento no trabalho, aprimorar a produção e restringir o desemprego.

A Lei humana dá as suas razões para o descanso em um dia, afirmando inicialmente a importância religiosa baseada na própria bíblia, os juristas e os biólogos  apontam a fadiga pelo trabalho  todos os dias, além das relações  sociais recreativas culturais, e mesmo a economia afirma que o homem descansado um dia terá a sua força recomposta e haverá maior produtividade.

Do aspecto bíblico não podemos descartar a reposição das forças físicas do homem, mas a questão é um pouco mais complexa. A partir do seu desligamento do trabalho físico você passa a ter uma ligação espiritual com Deus, este descanso para a sua alma cansada dos problemas da rotina, não significa que você tem que parar e nada fazer. O seu desligamento material deve ser substituído pelo ligamento espiritual, você deixa de viver um dia seu para viver um dia para Deus.

Concluindo muitos aspectos são citados para a guarda do sábado ou de um dia semanal, são válidos os aspectos apontados quer sejam biológicos, culturais e econômicos, mas a verdadeira razão pauta-se na ordem divina na criação.

 Deus descansou da sua obra no sétimo dia, ordenou ao homem nos dez mandamentos que observasse este mandamento, colocando-o como um sinal entre ele e o homem (Êxodo 31:12-18; Ezequiel 20:12-20)., este sinal é perpétuo e esta ligação com Deus deve ser espiritual, e ela só acontecerá quando o sábado for observado como ensina o mandamento. Não podemos negar que o trabalhar todos os dias sem nenhum descanso é prejudicial ao homem, encurtando-lhe o tempo de vida pela exaustão, mas o desligamento material para um ligamento espiritual é o maior balsamo que se sobrepõe a todas as outras razões já expostas.

5) Qual a ordem de Deus  e o que diz a bíblia sobre a forma da guarda do sábado? Como deve ser guardado?

O sétimo dia, o sábado, é o dia do repouso cristão, abençoado por Deus desde a fundação do mundo. Foi guardado pelo povo de Deus antes de ser ordenado a Moisés no Monte Sinai, Deus estabeleceu como o quarto mandamento de Sua lei (Êxodo 16:23-30,  20:8-11, 35:2-3).

 É um dia abençoado, santificado e celebrado como concerto perpétuo entre Deus e aqueles que o temem. Foi confirmado por Cristo e pelos apóstolos na nova aliança, como o dia do Senhor para o descanso do homem. Vejamos:

  1. a) É um dia de reverência e adoração a Deus, deve ser guardado como santo e solene.

A guarda do sábado é um sinal eterno, como dia santificado para descanso do homem e adoração de Deus, em reconhecimento que Deus e seu Filho são os criadores do mundo (Gênesis 2:1-3, Êxodo 20:8-11, 31:12-18).

  1. Nele deve haver a total abstenção de quaisquer obras materiais: Não podemos trabalhar, não podemos fazer obras matérias e nem a nossa própria vontade( Êxodo 20:8-11).

Devemos fazer todos os preparativos de alimentos para o sábado antes do pôr do sol da sexta-feira.

Estar não somente com a alimentação preparada, mas cuidar para que a roupa que  se irá usar  no dia seguinte esteja em ordem (passada), não é dia para obra material.

Estar preparado no por do sol da sexta feira para receber este dia com reverência, evite estar no transito do trabalho para a casa, faça a compensação de horário para que você possa guardar o sábado como Deus requer (Levítico 23: 3).

 Fazer todo o trabalho durante a semana para se dedicar a Deus, no sábado. “Seis dias o trabalho, mas o sétimo dia é o sábado do descanso, santo, santo dia de reunião. Deve fazer nenhum trabalho.”

Devemos ter em mente que durante a semana não podemos chegar à exaustão no trabalho de maneira que não possamos honrar o dia que é de Deus.

c))Devemos reservá-lo para Deus

  Participando dos trabalhos na igreja, este dia não é nosso, mas do senhor, portanto, é dia de    santificação  e reverência. “Fiquei feliz quando disse: ‘Vamos à casa do Senhor” (Salmos 122:1).

 Deve haver abstenção de todo labor nas nossas casas e transações normais do dia-a-dia  Em resumo:

Aqui surge a questão séria, aqueles que têm filhos, maridos ou mulheres descrentes o que fazerem já que a ordem é nem tu nem teu filho nem tua filha nem teu estrangeiro que esta dentro de  suas portas?

Se não posso deixar nem meu visitante trabalhar nem meu servo, o que fazer com a família descrente?

Você tem a obrigação de ensinar aquele que esta dentro da tua casa à importância da guarda do sábado dos dias de festa, mas não pode obrigá-los.

 Não pode obrigá-lo, assim como não se pode obrigar a mulher, mas as regras de convivência no lar quanto à santificação do dia devem ser mantidas com diálogo e oração.

       7) Posso trabalhar no sábado? Qual a postura de Jesus quanto à guarda do sábado? O que podemos fazer no sábado?

Vejamos ( Mateus 12:1-14; João 7:222-23)

Deste texto podemos extrair

  1. Jesus foi claro ao dizer que o bem deve ser feito aos sábados

Em estado de necessidade podemos praticar atos no sábado que não poderíamos fazer em situação normal, como foi no caso de Jesus e os apóstolos que apanharam espigas no sábado para matarem a fome.

  1. Vamos deixar claro necessidade que não pode ser suprida na sexta feira, ou seja, se você tem necessidade imperiosa de fazer alguma coisa, que não pode ser feito não pela tua vontade, pode fazê-lo sem que isso seja imputado como transgressão. Exemplo você necessita de um remédio que lhe foi prescrito no sábado por ter ficado doente, você pode comprar no sábado se lhe causa riscos ficar sem tomá-lo.

c)Você pode cozinhar se chegar alguém inesperado na sua casa e você não tem comida?

 d)Você pode em uma calamidade publica ajudar as pessoas mesmo que seja trabalho manual?

O que Jesus veio ensinar é que em caso de necessidade você pode fazer alguma coisa no sábado. Quando ele cita Davi que entrou na casa de Deus e comeu os Paes da preposição que não era lícito comê-lo,  vem mostrar que não era lícito comer, mas comeu por causa da fome, ou seja, não é lícito trabalhar no sábado, mas fazer o bem ou fazer algum ato material por necessidade é desculpável perante Deus.

(“Lucas 6:3 e 10. Marcos 2:23 e 28”).

O sábado foi feito por causa do homem e não o homem por causa do sábado?

O sábado além de ser um memorial da criação foi criado para que neste dia o homem descanse das suas obras, santifique este dia e reverencie a Deus.

O homem precisa do Sábado!  Não só para descanso físico, mas para ter tempo de reverenciar a Deus ajudar o próximo, e estar em comunhão com o seu criador.

Jesus reafirmou o princípio de que o descanso  sabático foi instituído para aliviar o homem de seus trabalhos.

  1. e) Os fariseus haviam taxado o sábado em um dia de regulamentações onerosas. Jesus veio para nos libertar da rigidez da lei, da lei acima do bem do ser humano (João 1:17; 6:14 Romanos). Ele é o Senhor do sábado, o qual nos alivia de tentar alcançar a nossa própria salvação. Nele podemos descansar de nossos trabalhos e confiar em sua obra a nosso favor.

    O que nunca posso fazer?

  2. f) Transgredir o sábado porque minha empresa me obrigou a ir trabalhar.

  3. g) Arrumar um emprego que trabalha no sábado porque a proposta é boa e estou desempregado.

  4. h) ) Na empresa em que se trabalha até o por do sol, você deve propor fazer compensação de horário e sair nos dias curtos mais cedo da empresa, se o seu horário é 18 horas e o por do sol chega a se 17h20, no dia 30 dos meses de junho, deve negociar, a lei dá esta possibilidade a você.

8)  Como podemos argumentar que o sábado deve ser guardado por todos e que não foi somente dado ao povo judeu.?

             Primeiramente vamos  ver quem é judeu?

Gênesis 17:2-7;Efésios 2:11-13,18-19, Romanos 2:28-29,11:13-19;Gálatas 3:27-29, Colossenses 3:11

 9) Qual foi a postura de Jesus frente a guarda do sábado? Como foi guardado por Jesus e pelos Apóstolos?

Durante a vida humana de Jesus aqui na terra, Ele também guardou o sábado e reafirmou-o como um dia que beneficia aos cristãos dia e Jesus se reportou ao sábado em muitas situações:

                  (Lucas 6:1-2,7-9; 13:14-16; 14:1-5; João 5:9-16,9:14; Atos 16:13-16)

Vários textos no livro de Atos mostram que os discípulos de Cristo adoravam no sábado depois de sua ressurreição Jesus tinha grande preocupação; temia que seus discípulos transgredissem o sábado.
 (Marcos. 15:42; 16:1; Lucas 23:54-56; Atos 13:14,27-42,44; 15:21; 18:1-4, 17:2; Mateus. 24:20-21).

Jesus reafirmou o zelo  sobre a guarda do sábado,mas deixou claro que o entendimento dos fariseus não adiantava, já que só o que importava para eles era o formalismo.

 (João 5:10, 16, 18; 7:22 -23; 9:16; 19:31.)

Veja o que Jesus disse a respeito da guarda da Lei:

“Não penseis que vim revogar a Lei ou os profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um j ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.”  ( Mateus 5:17-18).

“Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; assim como também eu tenho guardado os mandamentos do meu Pai e no seu amor permaneço.”  ( João 15:10).

Hoje, o Sábado não é diferente: é o mesmo Sábado guardado por Jesus.
Seu mandamento é tão eterno como os outros mandamentos de Deus e Seu caráter.
Repare que até nas profecias sobre a Nova Terra, o Sábado está presente como dia especial, como dia de honra dentre os outros da semana (Isaías 66:22 ).

No quarto mandamento, Deus nos instrui:

“Lembra-te do dia de sábado, para santificá-lo. Trabalharás seis dias e neles farás todos os teus trabalhos, MAS O SÉTIMO DIA É O SÁBADO DEDICADO AO SENHOR, O TEU DEUS. Nesse dia não farás trabalho algum… Pois em seis dias o Senhor fez os céus e a terra, o mar e tudo o que neles existe, mas no sétimo dia DESCANSOU. Portanto, o Senhor ABENÇOOU o sétimo dia e o SANTIFICOU” (Êxodo 20:8-11)

Quando Deus deu os Dez Mandamentos a Seu povo, Ele também deixou claro que nenhum ser humano deveria revisar ou editar qualquer instrução dada por Seus lábios.

NADA ACRESCENTEM às palavras que eu lhes ordeno e delas NADA RETIREM, mas obedeçam aos mandamentos do Senhor, o Seu Deus, que eu lhes ordeno”( Deuteronômio 4:1-2).

O próprio Deus promete não alterar Seus mandamentos:

NÃO VIOLAREI A MINHA ALIANÇA NEM MODIFICAREI AS PROMESSAS DOS MEUS LÁBIOS”.

( Salmos 89:34)

O NOVO TESTAMENTO  E A GUARDA DO SABADO

10)O que podemos inferir no Novo Testamento sobre o sábado e a sua guarda?

Tiago, o primeiro líder da igreja cristã primitiva, escreveu sobre os  Mandamentos: (Tiago 2:10-11).

 Lucas, o médico e evangelista da igreja primitiva, relata: ( Atos 16:13)

O livro de Atos no Novo Testamento menciona  84 vezes que o sábado era observado pelos seguidores de Cristo, (Atos 16:13;17:2-3; 18:4);

 João, o último dos doze apóstolos a morrer, guardou o sábado. Ele escreveu na ilha onde teve a visão do apocalipse:

“No dia do Senhor achei-me no Espírito”( Apocalipse 1:10)

Uma pesquisa sobre as evidências na Escritura revela que os apóstolos não fizeram nenhuma tentativa de mudar o dia de descanso de Deus do sétimo para o primeiro dia da semana. O Novo Testamento menciona o primeiro dia da semana oito vezes. Vê-se alguns dizendo que o sábado começou a ser mudado logo após os Apóstolos, a historia nos comprova que isto é uma inverdade.

 Em nenhuma delas o primeiro dia da semana é chamado de dia santo, nem apresenta qualquer indicação de que deveria ser separado como um dia de adoração. Um exame crítico dos oito textos que mencionam o primeiro dia da semana mostra os seguintes eventos que ocorreram no domingo:  As mulheres visitaram o túmulo de Jesus no primeiro dia (Mateus 28:1)

Quando terminou o sábado”, mulheres voltaram a fazer suas atividades seculares no primeiro dia da semana (Marcos 16:1, 2).

 Jesus apareceu primeiro a Maria Madalena na madrugada do primeiro dia da semana (Marcos 16:9).

Os seguidores de Jesus voltaram às suas atividades seculares no primeiro dia da semana (Lucas 24:1).

 Maria foi ao túmulo de Jesus e o encontrou vazio no primeiro dia da semana (João 20:1).

 Os discípulos se reuniram “por medo dos judeus” (não para adoração) no primeiro dia da semana (João 20:19).

 Paulo pediu aos membros da igreja para consultarem suas economias no primeiro dia da semana e, de acordo com sua renda, separarem “uma quantia” para enviar aos pobres em Jerusalém (I (Coríntios 16:1, 2). A passagem não menciona qualquer indício de encontro religioso.

 Em Atos 20:7, Lucas fala de uma pregação de Paulo feita no primeiro dia da semana num encontro casual de despedida. Além disso, Paulo pregava todos os dias, e os apóstolos repartiam o pão diariamente (Atos 2:46).

Nenhuma dessas passagens da escritura sugere que os apóstolos pretendiam cessar a observação do sábado. Os apóstolos não mencionaram nenhuma mudança do descanso sabático do sétimo para o primeiro dia da semana. Não há nenhuma evidência clara no Novo Testamento de que tenha havido essa mudança, vejamos como isto ocorreu e quando:

      MUDANÇA DO SÁBADO PARA O DOMINGO

11)11) Quando, como, e com que autoridade foi mudado  o  Sábado para o Domingo?

História

·                     O primeiro dia da semana era considerado, pelos antigos Babilônicos, como dia de culto ao Sol.

·                     No ano de 274 depois de Cristo, o Imperador romano Aureliano adotou o culto ao Sol como religião oficial. O imperador instituiu o primeiro dia da semana, o Domingo, como o venerável dia do Sol, ou DIES SOLIS no Latim.

·                     Ainda hoje, em algumas línguas, o Domingo mostra suas origens: SUNDAY (em Inglês) e SOONTAG (em Alemão) querem dizer “Dia do Sol”. Sábado em Hebraico quer dizer “descanso”.

Em 321 D.C, o Imperador Constantino, baixou um decreto obrigando a todos os que viviam sob seus domínios a honrar o dia do Sol:

“ Que os juízes e o povo das cidades,bem como os comerciantes, repousem no venerável dia do Sol. Aos moradores dos campos, porém, conceda-se atender, livre e desembaraçadamente, aos cuidados da lavoura”

·                No ano 100 D.C, a religião Cristã era veementemente perseguida por Roma, e que centenas de milhares perderam suas vidas defendendo e provando sua fé diante dos leões e das labaredas de fogo.
Esta perseguição só teve fim com a “conversão” do imperador Constantino ao Cristianismo. Esta “conversão” política tinha o claro objetivo de apaziguar as perseguições, bem como o de conceder poder à ascendente e poderosa religião Cristã.

·                Mas nessa ocasião, muitos dos costumes da religião oficial de Roma, o culto ao Sol, foram mescladas ao Cristianismo com o objetivo de atingir mais facilmente os pagãos
Um desses costumes foi a guarda do Domingo junto com a do Sábado, ou seja, a criação do novo final de semana.
Tiveram origem, a partir dessa data, várias festas religiosas, que utilizaram motivos e datas pagãs, para converter os incrédulos, mais facilmente, como por exemplo:

·         A Páscoa Cristã no lugar do ritual de fertilidade ( havia a rainha da fertilidade)
O Natal de Jesus no lugar do solstício de outono.

·                Cerca de 40 anos mais tarde, a Igreja Cristã, já mais poderosa e organizada, através de seus Bispos, realizou o Concílio de Laodicéia, onde, oficialmente e sem nenhuma intervenção Divina, mudou o Santo dia de guarda do Sábado para o Domingo: Veja o texto da mudança:

“ Os cristãos não devem judaizar,ou estar ociosos no Sábado, mas trabalharão nesse dia; o dia do Senhor (Domingo), entretanto, honrarão especialmente, e, como Cristãos, não devem, se possível, fazer qualquer trabalho nele. Se, porém, forem achados judaizando, serão separados de Cristo.”  (Cânon 29, do Concílio de Laodicéia, em 364 d.C.)”.

Este surpreendente decreto nos apresenta duas verdades:

A primeira é que, ao contrário do que muitos afirmam, o Sábado era observado e honrado pelos Cristãos até o quarto século depois de Cristo
Se não fosse o caso, não haveria necessidade de um decreto para desobrigá-lo. 
A segunda verdade é que não houve qualquer base bíblica para a mudança do dia de adoração. O objetivo aqui era que os Cristãos não fizessem nada que lembrasse o Judaísmo, ou seja, o povo que matou o Senhor Jesus Cristo.

Este ato revela o grande sentimento anti-semita vigente na época, e a ânsia, a qualquer preço, de distinguir os Cristãos desse povo. Notem que a ordem do Concílio é guardar o Domingo “se possível”, enquanto é bem enérgico em dizer que quem guardar o Sábado “será separado de Cristo”.

Como vemos, a mudança foi gradativa do Sábado verdadeiro para o Domingo. Foi também forçada e sem qualquer base nas Escrituras. Vejamos algumas opiniões:

Veja o que disse o Cardeal Gibbons, arcebispo de Baltimore e primaz da Igreja Católica nos Estados Unidos:

“Podereis ler a Bíblia de Gênesis ao Apocalipse, e não encontrareis uma única linha que autorize a santificação do Domingo. As escrituras ordenam a observância religiosa do Sábado, dia que nós nunca observamos.” (Faith of our fathers, Pg. 89, 1896).

Nunca foi da vontade de Deus que sua Santa Lei fosse revogada e reescrita, embora esses atos humanos já fossem previstos tanto no Novo, como no Velho Testamento: A bíblia já previa estes acontecimentos:

“Eu sei que, depois da minha partida, entre vós penetrarão lobos vorazes, que não pouparão o rebanho. E que, dentre vós mesmos, se levantarão homens falando coisas pervertidas para arrastar os discípulos atrás deles.” (Atos 20.29-30)

“Todo aquele que nega o Filho, esse não tem o Pai; aquele que confessa o Filho tem igualmente o Pai. Permaneça em vós o que ouvistes desde o princípio. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis vós no Filho e no Pai.” (I João 2.23-24)

“Proferirá palavras contra o Altíssimo, magoará os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a Lei; e os santos lhe serão entregues por um tempo, dois tempos e metade de um tempo.” (Daniel 7.25)

Em todas essas passagens vemos a preocupação de Jesus quanto a mudanças, assim como, Daniel havia previsto as mesmas há muito antes de Cristo.

AGORA RECENTEMENTE: MUITAS MUDANÇAS FORAM FEITAS PELO PARA JOÃO PAULO EM VÁRIAS ENCICLICAS. SOBRE O SÁBADOELE DIZ:

1999 – “O papa João Paulo II contraria a ordem bíblica exarada nos dez mandamentos e emite uma encíclica de 40 páginas intitulada “Dies Domini”, sobre a importância de guardar o domingo. Reafirma neste documento que o dia estabelecido por Deus é o sábado, mas que a igreja achou conveniente mudar o dia de guarda e todos devem guardar o domingo e não o sábado.”

2000 – Em setembro de 2000 o papa João Paulo II emite um outro documento intitulado “Dominiun Jesus”. “este documento enfatiza que a igreja católica é a única igreja verdadeira e o único instrumento de salvação. Sabemos que esta igreja tem a pretensão de afirmar que tem autoridade para mudar o que tem nas escrituras. Não só afirmaram como fizeram muitas mudanças  que afeta diretamente a salvação do homem: o batismo em nome nenhum portanto nulo. 

 O QUE ALGUMAS IGREJAS PROTESTANTES DIZEM SOBRE A GUARDA DO SABADO?

Os documentos oficiais que resumem as crenças de várias denominações protestantes concordam que a Bíblia não oferece nenhum tipo de ocorrência que legalize a observância do domingo.

Martinho Lutero, o fundador da Igreja Luterana, escreveu na Confissão de Augsburg, Artigo 28, parágrafo 9:
“Eles [os Católicos Romanos] alegam que o sábado foi mudado para o domingo, o dia do Senhor, que é contrário ao decálogo [os Dez Mandamentos],… nem há qualquer exemplo maior de prepotência do que essa mudança do dia de descanso. Com isso, eles dizem que grande é o poder e a autoridade da igreja, pois ela dispensou um dos dez mandamentos”. [tradução livre]

Os teólogos metodistas Amós Binney e Daniel Steele observaram:
“É verdade, não há nenhuma ordem bíblica que assevere o batismo de crianças… nem que seja santificado o primeiro dia da semana”. Theological Compend (Nova Iorque: Methodist Book Concern, 1902), págs. 180, 181. [tradução livre].

O Dr. N. Summerbell, historiador dos discípulos de Cristo e da igreja cristã escreveu:
“A igreja Romana havia se apostatado totalmente… Ela alterou o Quarto Mandamento, trocando o descanso do sábado ordenado na Palavra de Deus, e instituindo o domingo como dia santo”.

 O protestantismo atual diz: Cristo cravou as leis e  com sua morte as cumpriu tudo na cruz, nada mais e necessário guardar, não somos justificados pelas obras da lei, a salvação é pela graça, somente temos que aceitar a Jesus para sermos salvos. Muitas outras justificativas são dadas para se eximir da guarda do sábado, há quem afirme ainda que todos os mandamentos foram ratificados no Novo Testamento menos a guarda do sábado.

O que todos esquecem é que a bíblia nos afirma que se guardarmos todos os mandamentos, mas tropeçarmos em um, somos culpados de todos.

FINALIZANDO ESTE TRABALHO ACONSELHAMOS E ARGUMENTAMOS:

•       1)  Que é  dever de todo o homem observar aquilo que Deus determinou

•       2) Deus instituiu o sábado na criação, repetiu o ordenamento nos 10 mandamentos escritos pelo seu próprio dedo.

•       3) Portanto, temos que reverenciar e guardar o sábado como Deus determina, não fazendo a nossa vontade mas a de Deus.

•       4) Ficar alerta as passagens na bíblia qual era a sentença de Deus para os transgressores do sábado.

•       Hoje Deus não pune quando pecamos, mas a sentença será no juízo.

•        

•       NO NOVO CEU E NA NOVA TERRA COMO SERÁ O SÁBADO?

•       ISAÍAS 66:22-23

•       Porque, como os novos céus, e a nova terra, que hei de fazer, estarão diante da minha face, diz o Senhor, assim também há de estar a vossa posteridade e o vosso nome.

•       E será que desde uma lua nova até à outra, e desde um sábado até ao outro, virá toda a carne a adorar perante mim, diz o Senhor.·.

Musicas sobre o sábado
https://www.youtube.com/watch?v=wEwjbIBvRS4

https://www.youtube.com/watch?v=xw21JwNpYss

Fontes  de pesquisa

 Estudos  do Pastor José Leitão Duarte Filho

http://jonatanconceicao.blogspot.com/
http://pt.wikipedia.org/wiki/cr%c3%adticas_%c3%a0_doutrina_da_trindade
http://pt.wikipedia.org/wiki/natal

http://www.jesusvoltara.com.br/sabado/05_sabado_ou_domingo.htm

 A True History of the Christian and the Christian Church, pg. 417, 418 [tradução livre].

Copyright © 2004 The Voice of Prophecy Radio Broadcast Los Angeles, California,

 

 

Tags: