Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
O SIGNIFICADO DA PALAVRA ELOHIM

O SIGNIFICADO DA PALAVRA ELOHIM

O Significado da palavra hebraica ELOHIM

Pensamento Chave:

“Shemá Yisrael, Adonai Eloheino, Adonai Echad / Ouve ó Yisrael, Adonai nosso Deus é somente UM”(Deuteronômio6:4/Marcos12:29)
OBJETIVOS:
* Analisar como um erro de compreensão gera novas doutrinas.

* Verificar que o contexto explica todo o texto.

* Compreender que, quando se dá um novo significado, cria-se uma nova ideia.

* Ajudar a entender melhor a natureza do Eterno e de seu filho.

* Olhar para o D’us Eterno como um D’us Único e não como uma tríade.
Considerações Iniciais:
Durante séculos o povo judeu foi o depositário dos Oráculos do Eterno Deus(Romanos3:1e2), Deus elegeu este povo para ser suas testemunhas, aqueles que levariam o conhecimento de Deus ao mundo mergulhado no paganismo, por isso, eles tinham que ser bem orientados por Deus para realizarem esta nobre missão.

Porém Yisrael falhou muitas vezes nesta missão se envolvendo com o paganismo dos gentios até ao desterro de Babilônia, quando então, após esta experiência terrível de viver entre um povo místico como os Babilônico, tornaram-se legalistas e perdendo de vista o objetivo fundamental de quando foram chamados, assim, Yisrael reteve o conhecimento de Deus só para si, deixando os gentios de fora das verdades eternas.

Após a vinda do Mashiach(Messias), o conhecimento de D’us foi levado aos gentios pelos apóstolos de Yeshua, enquanto a Igreja do Primeiro século estava sob a supervisão dos apóstolos, que eram todos judeus e conhecedores dos Oráculos do Senhor, a Igreja de D’us se manteve na mesma linha de pensamento judaico da qual ela era originária, ou seja:

* Acreditava em um Único Deus Eterno (Marcos 12:29 / I Coríntios 8:6/I Timóteo 2:5 / Tiago 2:19 / Romanos 3:30 e 16:27 / Efésios 4:6)

* Acreditava em Yeshua como sendo o Ungido/Mashiach, o enviado do Eterno (João 17:3/Atos 3 :21 a 26 / Atos 4:26 a 27 / Atos 10:38 a 43)

* Mantinha o mesmo culto igual ao da sinagoga e no mesmo dia santificado (Atos 13:42 a 44 / Atos 16:13)
* Não havia diferenças e nem divergências entre gentios e judeus crentes (Atos 15:9 / Colossenses 3:11)

Após a morte dos apóstolos e com o surgimento da igreja romana, tudo se modificou, costumes pagãos, festividades espúrias, doutrinas heréticas, superstições, lendas e mitos oriundos da cultura Greco-romana e do gnosticismo abundante na cultura grega, penetraram no pensamento dos cristãos pela influência de Roma, o panteão de deuses, uma divindade dividida, os cristãos esqueceram dos Oráculos do Eterno e aceitaram o conhecimento grego.

Por isso, o cristianismo atual não consegue, mesmo utilizando o seu teologismo, explicar certos assuntos de difícil compreensão, simplesmente porque não possuem mais o conhecimento do Oráculo do Senhor.
Elohim, uma palavra misteriosa:

A palavra Elohim no Hebraico אלהים, não é um nome próprio e sim um título, é traduzido erroneamente como “D’us” quando não se conhece a real função deste título, e esta palavra está no plural, significando multiplicidade de obra, o próprio Eterno nunca se apresentou como um “deus”, justamente porque esta palavra é de origem pagã e designa uma divindade falsa, foi o pensamento cristão Greco-romano que começou a chamar o Eterno de deus e traduziu a palavra Elohim também com o mesmo nome, pois o Eterno tem o seu nome próprio pelo qual ele se apresentou ao longo das Escrituras.
O Nome do Eterno é – יהוה – YHWH(Isaías 42:8), assim ele se apresentou em toda a Escritura, quatro letras ou tetragrama impronunciáveis, este é o único nome pelo qual as Escrituras chamam o Eterno, mesmo no dia em que Ele se apresentou a Moisés como “Eu Serei o que Serei” (Êxodo 3:14), “Yheye ashe Yheye”, traduzido erroneamente como eu sou o que sou.
Afora o tetragrama, todos os outros supostos nomes atribuídos ao Eterno são apenas títulos de poder, entre eles podemos citar El Shadai, Elyion, Elohim, Eterno.

Não há exatamente uma tradução única para a palavra Elohim, ela designa algo que está na pessoa e no caráter do Eterno, ou seja, a palavra Elohim aparece quando o Eterno se apresenta no meio de seus súditos ou mensageiros, ou servos, em fim, quando o Eterno está envolvido ou envolvendo-se com seus seres criados, ou sua criação, ou seja, esta palavra pode significar o Poder, a Autoridade, a Representatividade ou o Senhorio do Eterno.
Isto é tão complexo que a palavra Elohim pode ser atribuída não apenas ao Eterno, mas também aqueles nos quais o Eterno demanda autoridade, isto é, o Reino de Deus é governado por um único ser Universal, o Eterno, porém ele tem à sua disposição auxiliares que o auxiliam nesse governo, sendo assim, quando o Eterno quer fazer algo, como por exemplo, falar com suas criaturas, Ele nunca se apresenta pessoalmente, sempre se utiliza de seus representantes oficiais, pois o Eterno é Grandiosíssimo, Sublime, de uma Poderosa Magnitude, Salomão disse que nem os Céu dos Céus podem contê-lo(I Reis 8:27), se o Eterno se apresentasse às suas criaturas pessoalmente Ele as mataria só com fulgor de sua Glória(Êxodo 33:20)
Desta maneira, todas as obras e todos os eventos, nos quais teve a intervenção do Eterno, na verdade foram os seus representantes oficiais que o fizeram, por exemplo, quando se diz que o Eterno acompanhava o povo de Yisrael no deserto, na verdade era um Elohim, um anjo designado pelo Eterno para esta finalidade e também a própria Toráh foi proclamada por meio de anjos/Elohin (Gálatas 3:19):

“Vayd’aber Elohim êt kol hadebarym ha’eleh lemor”(Êxodo 20:1)

Assim, podemos ver claramente exposto nas Escrituras, que o Eterno pode delegar o título de Representatividade e Autoridade, ou seja, de ser também um Elohim representante dele, para os:

* SERES CELESTES como Anjos e Arcanjos:
“Apareceu o Anjo do Eterno numa chama de fogo, no meio de uma sarça que ardia em fogo e a sarça não se consumia…….vendo o Eterno que Moisés se aproximava para ver, o Elohim que estava na sarça lhe chamou e disse: Moisés, Moisés! E ele respondeu: eis-me aqui! E ele continuou: não te aproximes, tira as sandálias dos pés, porque o lugar em que estás é terra santa” / ”Vayar Adonai kiy sar lirot vayikra elayv Elohim mitok hasene vayomer Mosheh, Mosheh! Vayomer hineny” (Êxodo 3:2 a 5)
* SERES HUMANOS:
“Ele falará por ti ao povo, ele te será por boca, e tu lhe serás um Elohim” / ”Vediber hu leka El hâ amvehaya hu yhye leka lepe ve’ata tiye-lo Elohim” (Êxodo 4:16)
*JUÍZES que representam a autoridade do Eterno:
“Elohim assiste na Congregação Divina, no meio dos seus Elohim estabelece o seu julgamento” / ”Mizmor le’asaf Elohim nitsab ba adat el bekereb Elohim yishpot” (Salmos 82:1)

Observamos que, o Eterno é chamado de o Elohim Supremo, ou seja, é o Maior deles, assim, quando o Eterno está no meio de seus subordinados Ele se apresenta também como Elohim Supremo, a autoridade Máxima e Suprema que delega autoridade aos seus ministros(Hebreus1:14), aí está o erro de se traduzir a palavra “Elohim” como “deus”, esta falsa tradução da a entender que podem existir vários deuses ao se verificar estas passagens citadas acima, distorcendo completamente o sentido hebraico desta palavra, quanto que a palavra hebraica mais aproximada para Elohim é Autoridade, Representatividade, Governo.
Por isso que, uma pessoa que não conhece hebraico e nem a Midrash hebraica, que é a Ciência judaica que interpreta a Bíblia, acaba cometendo erros fatais e dando novos sentidos às palavras da Bíblia e o que pior, criando doutrinas espúrias como o trinitarismo, o deísmo e o unicismo, nem a palavra Adonai, que os judeus usam para substituir o tetragrama, não quer dizer “deus” e sim “Senhor”, e não é usada apenas para o Eterno, pois é um pronome de tratamento sendo usado também para seres humanos, como podemos verificar nas palavras de Sara, chamando para Abraão de seu senhor/adonai:
“Riu-se pois, Sara no seu íntimo, dizendo consigo mesma: depois de velha, e velho também o meu adonai, terei ainda prazer?” / ”Vatitscha K’sara bekirbah lemor acharey belotiy hayetah liy ednah v’adonai zaken?” (Gênesis 18:12)

A única diferença é que os tradutores traduzem para o Eterno com letra maiúscula “Adonai” e para seres humanos com minúsculas.

O Mashiach/Messias e a palavra Elohim:

Muito misticismo e muita mitologia vem sendo acrescentada à pessoa do Mashiach/Messias ao longo dos séculos, porém é válido ressaltar que toda esta confusão se deu pelo fato do cristianismo ter sido influenciado pelo paganismo da igreja católica e sua cultura Greco-romana, o povo de Yisrael sempre esperou um messias salvador, porém, não um “deus”, mas alguém que viria em Nome e Autoridade do Eterno, alguém que iria estabelecer o Governo do Eterno entre eles, trazendo de volta a realeza perdida da casa de David, por isso, haviam vários pensamentos judaicos em torno do Messias, uns grupos como os essênios, imaginavam um Messias rei, que iria trazer de volta o status de Yisrael como uma nação Real, já os fariseus esperavam um Messias profeta, com poderes iguais ou maiores do que Moisés, os saduceus, menos religiosos e mais materialistas, não esperavam um Messias literal, ou seja, uma pessoa e sim uma era de paz e felicidade.
Como vemos, os judeus nunca esperavam um Messias “deus”, porque simplesmente eles já sabiam, pelos Oráculos do Senhor, que o Eterno não poderia estar corporalmente entre os homens, por sua Grande Magnitude e Poder, e que o Messias seria mesmo um Elohim vindo em nome da autoridade do Eterno, como sempre ocorreu ao longo da história do povo eleito.
Esta “ideia” de ter deus ou deuses habitando entre os homens, vivendo como homem, participando da vida comum dos homens, é idéia da cultura grega, podemos verificar pela mitologia que eles deixaram, vejam o exemplo da mitologia do Monte Olimpo, o grande Zeus coabita com uma mulher da terra, Alcmena e ela engravida e dá a luz a um semi-deus chamado Hércules, ele tem certos poderes herdados de seu pai Zeus, porém tem também sentimentos humanos, após participar de vários desafios a favor dos homens, Hércules vai morar com seu pai no monte Olimpo.
Roma pega exatamente esta “ideia” de deuses morando e vivendo entre os homens, e transforma o Messias das Escrituras em uma figura mitológica, um ser que ao mesmo tempo é deus e também homem, exatamente como a mitologia grega demonstra as suas divindades, esta ideia jamais passou pela cultura judaica e nem pela mente dos apóstolos e da Igreja Inicial que tinha origem e raízes judaicas.

O Messias Yeshua nunca poderia ser o Eterno, simplesmente pela Grandeza e Magnitude do Todo Poderoso, o Eterno, como já disse antes, nunca lidou com o homem pessoalmente, isto seria impossível, Adoani sempre se relacionou com seus filhos por meio de seus representantes, os Elohim, que não são deuses, mas os representantes do Eterno, seus Procuradores que o Representam em todas as questões terrestres e celestes, segundo alguns eruditos, Satã, antes de sua queda deveria ter sido um elohim, um ser a quem Adonai delegou muitos poderes, dentre os seres celestes criados pelo Eterno, depois de Yeshua apenas Miguel consegue derrotar Satã, ele tem o atrevimento de barrar até o caminho dos anjos, Satã impediu, por 21 dias, que o anjo Gabriel levasse a mensagem de Deus ao profeta Daniel, atacando-lhe e barrando-lhe o caminho, Gabriel teve que pedir ajuda ao Ark’Anjo Miguel para poder vencer e afastar Satã do seu caminho (Daniel 10:10 a 14)

Yeshua foi criado pelo Eterno para ser o Elohim que traria a salvação de D’us aos seres humanos, a salvação do Eterno, pois seu nome já demonstra de quem vem esta salvação: Yehôshua = “O Eterno é Salvação”, todos os nomes dos profetas de Deus levam uma mensagem de Deus, como por exemplo Jeremias-Yehemiya = O Eterno é o meu escudo.
Não devemos confundir a missão do Messias com sua própria pessoa, Yeshua trouxe a salvação do Eterno, isto não faz dele divino, e sim um servo obediente(Isaías 53:11), o caso dele ser chamado de o Filho de Deus dar-se ao fato dele ter sido gerado para esta finalidade, levar a salvação do Eterno aos seres humanos(Hebreus 1:5), e a epístola aos Hebreus que foi direcionada ao povo de Yisrael declara bem explicitamente que Yeshua é menor do que o Eterno:
“Pois não foi a anjos que sujeitou o mundo que há de vir, sobre o qual estamos falando; antes, alguém, em certa passagem, deu pleno testemunho, dizendo: Que é o homem, que dele te lembres, ou o Filho do Homem, que o estimes? Fizeste-o, por um pouco menor do que Deus, de Glória e de Honras o coroastes e o constituístes sobre as obras de tuas mãos” (Hebreus 2:6 e 7)
Os dois primeiros capítulos da epístola aos Hebreus, dizem TUDO sobre a verdadeira natureza do Mashiach, sem deixar nenhuma dúvida, por isso, quanto mais um judeu lê sobre o messias pelos Oráculos do Eterno, sem a mística de Roma, mais ele se convence de que o Mashiach JAMAIS poderia ser o Eterno Todo Poderoso, por uma questão de missão, o Eterno é a Inteligência maior, o Ser que comanda tudo e tem o controle de tudo, os Elohim são seus ministros que o auxiliam nesse Império Universal, onde tudo e todos estão em suas mãos.

O Salmo 82 demonstra claramente esta obra do Eterno com seus Elohim, vamos ver no original hebraico este Salmo:

מזמור לאסף אלהים נצב בעדת אל בקרב אלהים ישׂפט – Salmos 82:1
“Mizmor le’asâf Elohim nitsab ba adat êl beqkereb Elohim ishpot” – Salmos 82:1
“Elohim assiste na congregação Divina, entre os seus Elohim estabelece o seu Juízo” (Salmos 82:1)

O Salmo começa declarando que o Eterno é o Elohim Supremo e que está sempre presente no meio de seus ministros dando-lhes suas ordens e seus comandos(verso 1), depois Adonai repreende os juízes que receberam Autoridade de Julgar em seu Nome, porém estavam cometendo injustiças, então Adonai declara dizendo: “Eu não constituí vocês meus Elohim, por serem todos meus Filhos criados, todavia não pensem que, por terem recebido de mim esta autoridade vocês não morrerão, sim vocês morrerão em vossos pecados”(versos 6 e 7), então aqueles que estavam sendo injustiçados pelos maus juízes clamam:
“Levanta-te, ó Eterno e julga tu mesmo a terra, pois a ti compete dar recompensa a todas as nações”(verso 8).
Yeshua usou este mesmo Salmo para demonstrar a sua real MISSÃO aqui na terra, quando foi questionado pelos fariseus que se irritavam quando Yeshua dizia ser o Filho do Eterno, Yeshua disse:
“Não está escrito na Palavra Sagrada que o Eterno chama de Elohim para aqueles que Ele deu AUTORIDADE para dirigir sua Palavra?, assim as Escrituras não podem falhar, então, a mim, aquém o Pai Santificou e Enviou ao mundo, vocês dizem: tu és blasfemo!!, só porque eu declarei que também sou um Elohim filho do Eterno??, Se eu não sigo as ordens que Ele me deu, então não creiam em mim, mas se faço exatamente o que o Eterno me mandou fazer e ainda não acreditam em mim, creiam pelo menos nas obras que faço, para que possam entender de vez que eu fui enviado pelo Pai e que estou inteiramente em comunhão com Ele”(João10:34a38)

Adonai já havia declarado no Salmo 82:6 que todos os Elohim são chamados de filhos de Deus, então Yeshua se admira da BURRICE dos fariseus, que se diziam conhecedores das Escrituras e não conseguiam entender a sua missão de Elohim salvador, quando ele dizia: sou filho do Eterno, eu também fico muito admirado com certas pessoas que se dizem conhecer a Palavra de D’us e ainda querem fazer de Yeshua um deus ou confundi-lo com o próprio Eterno, uma coisa que é anatomicamente IMPOSSÍVEL pela lógica da Bíblia.

Conclusão:

A Palavra de Deus não deve NUNCA ser lida sob a ótica de qualquer teologia humana, pois todas são falhas e estão recheada de misticismo pagão, a Palavra Sagrada deve ser lida e entendida sob o ponto de vista dos Oráculos do Eterno, pois era esta a regra em que a Igreja Inicial sempre utilizava, pois foi ensinada pelos apóstolos:
“Se alguém quer ensinar, ensine de acordo com os Oráculos do Eterno; se alguém quer servir, faça na força que o Eterno supre, para que, em todas as coisas, seja o Eterno Glorificado, pelo qual pertence o domínio e a glória pelos os séculos dos séculos em nome de Yeshua ha Mashiach. Amém!” (I Pedro4:11)
Este artigo teve por objetivo elucidar mais um mistério teológico criado pelo pensamento greco-romano, aí está a utilidade de se conhecer a língua original da Bíblia para não se cometer equívocos doutrinários, o contexto hebraico leva ao real conhecimento dos fatos que estão inseridos dentro das Escrituras, só lembrando novamente, a Bíblia é uma literatura hebraica, escrita por hebreus, para entendimento dos israelitas, em ambientes e cultura judaica, quem desejar conhecer realmente a fundo esta literatura Sagrada, terá que reconhecer estes fatos, hoje a Bíblia está disponível a todos e em qualquer idioma, mas será que todos a compreendem???
Que o Eterno, em sua Ruach Kodesh(Espírito Santo), abra as mentes e os corações de seus amados para que possam entender pelo Espírito que só o Eterno é o Supremo Elohim, Todo Poderoso, Grande em Magnitude e Glória e que concedeu a Yeshua a tarefa de trazer a salvação do Eterno à humanidade.
“Entende pelo Espírito, ó Yisrael, o Eterno é o nosso ÚNICO Deus, o Eterno é só Um” (Deuteronômio 6:4)
Rosh: Marlon Trocolli

Tags: