Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
O Talmud tem autoridade?

O Talmud tem autoridade?

 Imagem

Os Rabinos ensinam-nos que a suposta autoridade do Talmud (e portanto a autoridade deles), provém do próprio Altíssimo. Essa premissa baseia-se no seguinte: O Eterno deu a Tradição Oral (a base do Talmud) a Moisés; Moisés passou-a a Josué, que por sua vez passou-a aos Anciãos. Os Anciãos deram-na aos Profetas, e os Profetas passaram-na aos Homens da Grande Assembleia (nos dias de Esdras e Neemias).

Os Rabinos dizem-nos que o Talmud complementa divinamente a Torá ou ensinam-nos coisas que a Torá não menciona (como é que um Judeu deve agir em determinadas situações, como lavar as mãos, ou recitar determinada bênção divinamente aprovada antes de louvar ao Eterno pela comida, etc). E se eles não seguissem o Talmud, tal acto seria reputado como pecado. Alegadamente, todo o Talmud provém de YHWH.

De acordo com o Rabi Pinchas Kehati, um estudioso contemporâneo da Mishna em Jerusalém:

“O propósito desta declaração de abertura (em Pirke Avot), é ensinar-nos que qualquer palavra escrita neste tratado, assim como em toda a Torá Oral, possa na sua forma sistemática levar-nos de volta aos Profetas e a Moshé Rabbeinu (Moisés nosso mestre), o pai de todos os profetas que recebeu toda a Torá, as suas leis, estatutos e interpretações directamente do próprio haShem”.

O problema desse depoimento, é que é impossível voltar atrás ao tempo dos Profetas e mais ainda a Moisés. Tal “nobre” iniciativa esbarraria na Babilónia. Os Rabinos dizem que o Talmud ou a Torá Oral vem desde Moisés, que a recebeu do Altíssimo. Mas não há sequer um rabino, citado no Talmude que seja anterior ao cativeiro da Babilónia, cerca do ano 580 AEC.

Não há forma de contestar que o Talmud (Mishna) na sua origem é de facto bastante antigo; mas antigo não se equipara a divino, e na verdade, existe um grande hiato entre Moisés e a Babilónia; cerca de 900 anos.

Não há qualquer ligação de autoridade entre o que Moisés ensinou e o que defendem os rabinos de que a sua autoridade foi-lhes dada por Moisés através da Torá Oral. Os Rabinos “criaram” a história que diz que Moisés lhes ditou o que veio mais tarde a ser compilado no Talmud. Eles contam isso para impor a sua própria autoridade como sendo derivada de Moisés, que claro, recebeu a sua autoridade de YHWH.

Além disso, nós encontrámos dois grandes problemas que colidem com o facto de Moisés ter ensinado uma Torá Oral. Quando Hilquias, o Sumo-Sacerdote, durante o reinado do Rei Josias, encontrou o livro da Torá (A Lei de Moisés), no Templo (2 Reis 22-23), não existe qualquer menção a uma “Torá Oral”, se é que ela existia.

Quando eles encontraram a Torá, aperceberam-se que não seguiam nada daquilo que o Eterno em tempos lhes tinha ensinado. Agora notemos; se aquilo que estava escrito, tinha caído no esquecimento, imagine-se o que teria acontecido a uma suposta Torá oral que existia desde Moisés… Se porventura existisse uma Torá oral, certamente lhes teria sido bastante útil e não teriam descurado o seu zelo para com a Torá Escrita. Isto aconteceu cerca do ano 630 AEC, cerca de 40 anos antes do cativeiro Babilónico.

O segundo problema, é quando Josué fala por Israel reafirmando o Pacto no Monte Gerizim e no Monte Ebal (Josué 8:31-35).

O vs. 35 diz-nos que Josué leu-lhes tudo aquilo que Moisés recebeu de YHWH:

“Palavra nenhuma houve, de tudo o que Moisés ordenara, que Josué não lesse perante toda a congregação de Israel, e das mulheres, e dos meninos, e dos estrangeiros que andavam no meio deles.”

Este texto mostra que apenas o que foi escrito, foi lido, nunca havendo qualquer menção a uma suposta Torá Oral. Isto porque é nada mais, nada menos do que uma invenção dos rabinos.

Josué 8:32 Também escreveu ali em pedras uma cópia da lei de Moisés, que já tinha escrito diante dos filhos de Israel.

Josué 8:34 E, depois, leu em alta voz todas as palavras da lei, a bênção e a maldição, conforme tudo o que está escrito no livro da Lei.

Não existe absolutamente menção a qualquer Torá Oral que tenha sido dada para ser observada ou ordenada por Moisés a Josué. Finalmente, quando Josué motiva o povo, mesmo antes de morrer, ele diz-lhes para se cingirem a tudo o que está escrito na Torá de Moisés, e assim seriam bem-sucedidos. Mais uma vez não há qualquer menção à Torá Oral que o povo deveria também seguir, se é que ela existia (Josué 23:6-8).

Josué 6 Esforçai-vos, pois, muito para guardardes e para fazerdes tudo quanto está escrito no livro da Lei de Moisés, para que dela não vos aparteis, nem para a direita nem para a esquerda;

Conclusão

O facto de nenhum dos rabinos citados no Talmud ter vivido antes do cativeiro da Babilónia e também o facto do Rei Josias nem ter sequer conhecimento do que fora escrito na Torá de Moisés, fazendo com que o povo menosprezasse a sua conduta, e o facto de Josué apenas mencionar a existência da Lei escrita, são provas mais do que suficientes para demonstrar que o Talmud não tem a sua origem em Moisés.

Demonstra também que a autoridade que os Rabinos reclamam, não provém directamente de YHWH, e que o Talmud (que tanto pode ser útil em algumas ocasiões, como pode ser destrutivo em outras) não é de autoridade divina.

Ainda que reconheçamos que muitos ensinamentos do Talmud, são úteis, visto que têm o propósito de proteger o mandamento, isto é, de criar uma cerca de protecção que minimiza as probabilidades de transgressão de determinado mandamento, não podemos de forma alguma ignorar, que tais ensinamentos jamais poderão ser encarados como origem divina, ou equiparáveis à revelação do Eterno, que foi perpetuada nas Sagradas Escrituras, que hoje se conhece como Bíblia.

Relevamos ainda que ser judeu, não implica submeter-se à autoridade do Talmud, pois existem vários judeus praticantes da fé judaica, que não dão qualquer tipo de ênfase ao Talmud ou a outros escritos considerados sagrados pelo rabinismo, como é o caso da Cabala.

Além disso, não podemos ignorar que muitas das tradições tornaram os mandamentos pesados, fazendo com que as pessoas tivessem pouca disponibilidade para os seguir. Tudo isto se torna mais fácil de entender, quando lemos as palavras de Yeshua em diversos textos dos Escritos Apostólicos:

Mateus 23:4 Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem sobre os ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los.

Mateus11:28-30 Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.

Marcos 7:8-9 Porque, deixando o mandamento de Deus, retendes a tradição dos homens, como o lavar dos jarros e dos copos, e fazeis muitas outras coisas semelhantes a estas. E dizia-lhes: Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição.

Mateus 23:8-9 Vós, porém, não queirais ser chamados Rabis (Mestres), porque um só é o vosso Mestre, a saber, o Messias, e todos vós sois irmãos. E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus.

Shalom!

Deuteronómio 4:2

“Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos de YHWH vosso Elohim, que eu vos mando”.

http://emunah-fe-dos-santos.weebly.com/o-talmud-tem-autoridade.html

Tags: