Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
A IMPORTÂNCIA DA ORAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DA ORAÇÃO
1 Timóteo 2.1-7
1 – Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens,
2 – em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito.
3 – Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador,
4 – o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.
5 – Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem,
6 – o qual a si mesmo se deu em resgate por todos: testemunho que se deve dar prestar em tempos oportunos.
7 – Para isto fui designado pregador e apóstolo (afirmo a verdade, não minto), mestre dos gentios na fé e na verdade.

Na semana passada aprendemos sobre conceitos e qualidades que estão presentes num bom líder. Vimos que para ser um bom líder é necessário:

1 – CUMPRIR NOSSA TAREFA SEGUNDO A ORIENTAÇÃO DE DEUS
2 – MANTER A FÉ E A BOA CONSCIÊNCIA

A partir de agora, Paulo passa abordar uma série de instruções sobre a oração e culto, provavelmente em reposta aos abusos causados pelos falsos mestres. Não sabemos exatamente o que eles afirmavam quanto a este assunto, mas pelas ênfases que Paulo dá, provavelmente esses falsos mestres de alguma forma colocavam restrições na oração ou nas formas que oração deveria ser feita.

Por isso temos aqui uma exortação prática quanto a importância da oração. E como pastor, Timóteo precisava estar atento para que a oração fosse corretamente compreendida e praticada na sua igreja.

Frase de ligação: Que lições práticas aprendemos sobre a oração?

1ª lição
1 – A ORAÇÃO PRECEDE A AÇÃO

1 Timóteo 2.1-7
1 – Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças
Ilustração
Eu gosto muito de fotografia. Certa vez fiz um curso básico de fotografia e estávamos com várias máquinas fotográficas. E me lembro que certos recursos da minha máquina nem eu mesmo tinha aprendido, da mesma forma os outros. E o nosso professor nos falou sabiamente. Tente fazer funcionar, se não der certo, CONSULTE O MANUAL.

E esta é uma verdade que nos acompanha, não é mesmo? São poucas as pessoas que lêem o manual de algum aparelho para só depois experimentarem. A gente já quer ir usando. Se não der certo o uso, aí a gente vai para o manual.

Parece que acontece a mesma coisa na oração. Tentamos resolver as coisas do nosso próprio jeito, pelo nosso próprio mérito. Se não der certo, aí a gente ora. Só então buscamos a vontade de Deus.

Mas as primeiras palavras do versículo 1, o conselho que Paulo dá a Timóteo.

1 Timóteo 2.1
1 – Antes de tudo…

Timóteo precisava de firmeza na luta contra falsa doutrina, contra os falsos mestres. Paulo o exortou que começasse “antes de tudo” a ORAR.

Orando “antes de tudo” daria a Timóteo a perspectiva certa. Ele não precisava lutar para defender a si mesmo, mas para defender a verdade de Deus.

A ORAÇÃO PRECEDE NOSSAS AÇÕES, NOSSAS DECISÕES E NÃO O CONTRÁRIO.

O cristianismo é uma religião que promove oração. E os discípulos de Cristo precisam ser pessoas de oração. O próprio Jesus falou muito da importância da oração, temos como exemplo a parábola do juiz iníquo em Lucas 18.1-8.

E vemos a evidência da oração constante na vida dos próprios discípulos

Atos 1.12,14
12 – Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado das Oliveiras, que está perto de Jerusalém, à distância da jornada de um sábado.
14 – Todos estes perseveravam unanimemente em oração, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele.

Efésios 6.18
18 – com toda a oração e súplica orando em todo tempo no Espírito e, para o mesmo fim, vigiando com toda a perseverança e súplica, por todos os santos,

APLICAÇÃO
Antes de decidir alguma coisa, antes de tomar alguma atitude, ore. Peça direção a Deus, mesmo quando, sua vida esteja tão difícil que não haja aparentemente caminhos a seguir.

Isaías 43.19
19 – Eis que faço coisa nova, que está saindo à luz; porventura, não percebeis? Eis que porei um caminho no deserto e rios, no ermo, para dar de beber ao meu povo, ao meu escolhido, ao povo que formei para mim, para celebrar o meu louvor
Deus é capaz de preparar caminho onde aparentemente não há nada. Portanto confie em Deus. A ORAÇÃO PRECEDE A AÇÃO
2ª lição
2 – A ORAÇÃO DEVE SER EXERCIDA EM TODAS AS SUAS FORMAS

1 Timóteo 2.1-7
1 – …exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças…

Sabemos que existem vários tipos de orações. Vemos isso já na liturgia.

• Quando pedimos que alguém faça uma oração de adoração, esta oração irá glorificar, louvar a Deus.
• Quando a oração é de contrição, ela se detém especificamente no arrependimento e pedido de perdão de pecados.
• Quando a oração é de intercessão, pedimos por outras pessoas.

Paulo apresenta algumas formas de oração e a intenção é mostrar que nossa oração não pode ser restrita a um só modelo.

Ela deve ser exercida em todas as suas formas:: súplicas, orações, intercessões e ações de graças.

• SÚPLICAS – É a oração de caráter pessoal. É aquilo que se deseja conseguir. São aqueles pedidos específicos, baseados em necessidades.

Como exemplo desse tipo de oração temos Ana que pediu a Deus um filho.

1º Samuel 1:10,11
10 – Ela, pois, com amargura de alma, orou ao Senhor, e chorou muito,
11 – e fez um voto, dizendo: ó Senhor dos exércitos! se deveras atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva não te esqueceres, mas lhe deres um filho varão…

• ORAÇÕES – É a oração de caráter público, que faz parte do culto de adoração.

• INTERCESSÃO – É a oração feita com o caráter específico de mediar, de pedir em favor de outras pessoas. O cristão tem acesso ao Pai através de Jesus e deve ajudar aos outros que estão perdidos.

Como exemplo de intercessão, lembremos da oração que Jesus fez por mim e por você na oração sacerdotal. Ele intercedeu por nós.

João 17:20 e 21
20 – E rogo não somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim;
21 – para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste.

• AÇÕES DE GRAÇA – É a oração de gratidão. Quando agradecemos a Deus pela sua misericórdia, pela salvação, pelas bênçãos, pelo fato de Deus ter nos chamado para a vida junto dele.

Como exemplo desse tipo de oração temos Ana, era uma viúva, que aos 84 anos não se apartava do templo, servia a Deus, de dia e de noite, em jejum e oração.

Lucas 2.38
38 – E, chegando naquela hora, dava graças a Deus e falava a respeito do menino a todos os que esperavam a redenção de Jerusalém.

Aplicação
Nós devemos pedir a Deus que nos ensine a orar. Não devemos orar usando vãs repetições. Devemos orar com o coração e estar atentos não só a nossos pedidos, mas as necessidades de outras pessoas. Devemos constantemente agradecer a Deus. A ORAÇÃO DEVE SER EXERCIDA EM TODAS AS SUAS FORMAS

3ª lição
3 – A ORAÇÀO DEVE ABRANGER TODOS OS TIPOS DE PESSOAS

1 Timóteo 2.1
1 – …em favor de todos os homens,

A oração certa não pensa em si só, mas é feita em favor de outros. Nas suas orações cristãos devem ter uma preocupação generosa para com os outros igual a que tem consigo mesmo.

Por isso é que a oração deve se estender a todas as classes de homens e mulheres, não só a amigos e pessoas do próprio contexto social ou àqueles os quais nós simpatizamos.

E isso tem a ver com a própria visão e função da igreja. Porque quando a oração fica limitada a um grupo de pessoas, a igreja acaba orando por si mesma apenas, e se esquece da sua função e vocação no mundo.

Em tal abrangência Paulo especifica uma classe de pessoas pelas quais a igreja deve orar:

1 Timóteo 2.2
2 – em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito.

Interessante esse pedido de Paulo, pois, os governos e autoridades na sua época eram pessoas em sua maioria afastadas de Deus, eram ímpios. Muitos deles inimigos do cristianismo e perseguidores dos cristãos.

Ao invés de sugerir uma revolta dos cristãos perseguidos pelo império para que fizessem uso da espada, Paulo os exorta a usarem a oração.

E temos aqui alguns motivos para tal pedido:

PRIMEIRO, porque os que governam encontram sempre muitas dificuldades. Governar não é tarefa fácil. Pessoas públicas são pessoas expostas, especialmente à críticas. Geralmente vemos os presidentes entrando com o cabelo normal e terminando o mandato cheio de rugas e de cabelos brancos. O próprio Lula está envelhecendo rapidamente. São as pressões do poder. ESSAS PESSOAS PRECISAM DA NOSSA ORAÇÃO.

EM SEGUNDO LUGAR, devemos orar pelo governo e pelas autoridades para que governem pacificamente. Um governo pacífico traz coisas boas, inclusive em relação à igreja, pois quando se impera a agitação, a confusão e o descontentamento, tanto mais se limita a possibilidade de gozar da liberdade para servir a Deus e levar um estilo de vida cristão. É o que diz o versículo 2.

1 Timóteo 2.2
…para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito.

APLICAÇÃO
Geralmente reclamamos do governo. E, de fato, não faltam motivos para a gente reclamar, não é mesmo?

A gente não pode ser acrítico ou ignorar a política. Mas também não podemos nos limitar a sermos críticos e esquecermos de nossa parcela de responsabilidade como cristãos, que é a oração. Devemos orar pelo governo e pelas autoridades constantemente, para o bem da sociedade como um todo, para o bem de nosso bem-estar.

4ª lição
4 – A ORAÇÃO FAVORECE A ACEITAÇÃO DO EVANGELHO

1 Timóteo 2.1-7
3 – Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador,
4 – o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.

Quando a igreja ora pela salvação daqueles que a perseguem e se opõe a ela, não ora contra a vontade de Deus. Não será uma oração que desagrada a Deus, pois Deus é quem salva e Ele se caracteriza como Salvador, Redentor e Libertador.

Universalismo
Muita gente usa o versículo 4 para defender o universalismo, a idéia de que Deus quer e vai salvar todas as pessoas, de forma que o inferno no final ficará vazio. Mas esta não é a interpretação correta, conforme o contexto do versículo 1, no qual Paulo também diz que devemos orar por todos os homens.

Tanto ali como aqui, a referência não é a todos os seres humanos, MAS SIM A TODAS AS CLASSES DE PESSOAS.

Isso quer dizer que Deus deseja que todos os tipos de pessoas sejam salvas. Em outras palavras, Deus não escolhe os seus eleitos de um grupo de pessoa apenas, mas de todos os povos, de todas as classes sociais.

E o próprio Deus deseja que estas pessoas cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Qual verdade? A verdade pregada no evangelho!

1 Timóteo 2.5
5 – Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem,

Esta é a verdade. HÁ UM SÓ DEUS. Isso no mundo e no contexto de Paulo era uma mensagem diferente. Pois ia contra o pensamento coletivo das pessoas, de que havia muitos deuses. A BÍBLIA AFIRMA QUE SÓ HÁ UM DEUS.

E o homem por si mesmo não pode ter contato algum ou comunhão com este Deus. Para que isso seja possível é necessário um MEDIADOR. Alguém que estabeleça a comunicação e a relação entre si e ambas as partes. E só há um MEDIADOR, JESUS CRISTO.

Desta forma, a comunicação com Deus não pode ser levada a efeito de diversas maneiras como quer o romanismo por meio de santos ou pela mariolatria. Não existem diversos caminhos que levam a Deus. Só há um caminho, só há uma maneira. Jesus Cristo. Afinal, foi Jesus e não Maria, nem qualquer outro que disse o seguinte:

João 14:6
6 – Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

Não importa o lugar ou a religião. Onde tal verdade não é tida como absoluta, não se crê ou não se quer crer que Jesus é o único MEDIADOR, portanto não existe neste lugar ou religião o reconhecimento da verdade e tampouco em tal lugar pode haver salvação alguma.

Humanidade de Cristo
Cristo só poderia ter nos substituído naquela cruz se de fato ele fosse humano, se tornasse em um homem. E é o que aconteceu. Cristo encarnou, se tornou homem.

Os falsos mestres na igreja de Éfeso não criam nisso. Tinham aquela idéia do corpo como sendo mau. E aí ficavam com a questão: Como é que Cristo, sendo Deus poderia ter se encarnado? Deus não se mistura com o mau, que é o corpo. Por isso, muitos deles afirmavam que Jesus era uma espécie de fantasma, não era humano, não havia se encarnado.

Mas Paulo reitera que a plena humanidade de Cristo é essencial ao seu serviço de mediador da aliança da graça. Cristo Jesus, HOMEM.

Resgate
Por que é tão importante afirmar que Jesus é o ÚNICO MEDIADOR? Por causa da obra que ele fez. Ninguém conseguiria fazer aquilo que ele fez:

1 Timóteo 2.6
6 – o qual a si mesmo se deu em resgate por todos: testemunho que se deve dar prestar em tempos oportunos.

A nossa salvação não está baseada nos atos Jesus Cristo, que se deu a si mesmo em resgate de todos.

Essa palavra RESGATE tem um significado profundo. No mundo greco-helenístico que Paulo pregou, um escravo podia obter sua liberdade, se pagasse uma quantidade determinada. Essa quantidade era em dinheiro, era chamada O PREÇO DO RESGATE.

A idéia se aplica também a Cristo. O próprio Jesus se constituiu no preço que deveria ser pago para nos resgatar do poder de Satanás e do pecado. Sem o pagamento do resgate não haveria possibilidade alguma de liberdade para nada.

Por isso que quem busca liberdade fora de Cristo permanece sendo prisioneiro. Para esta pessoa as portas continuam trancadas, não há possibilidade de evasão do cárcere. Não há uma só possibilidade de sair dali sem Cristo. Só fazendo uso do resgate que foi pago em nosso favor.

Isso é um testemunho que deve ser pregado a todos! Era essa a tarefa de Paulo:

1 Timóteo 2.7
7 – Para isto fui designado pregador e apóstolo (afirmo a verdade, não minto), mestre dos gentios na fé e na verdade.

A declaração entre parênteses no versículo é um tanto estranha, pois Paulo escrevia a Timóteo, seu filho na fé. Era um amigo íntimo, não precisava reafirmar que estava dizendo a verdade.

Mas aqui a reafirmação é dirigida aos falsos mestres. Possivelmente eles estariam colocando em dúvida o chamado e a missão de Paulo.

Tudo indica então que esta carta seria lida para toda a igreja e aqueles que tinham se deixado influenciar pelos falsos mestres veriam que Paulo era realmente chamado por Deus num ministério específico com gentios e estava embasado na verdade.

E a oração é o ponto chave, pois favorece a transmissão desta verdade. FAVORECE A ACEITAÇÃO DESTA VERDADE, DESTE EVANGELHO.

CONCLUSÃO
Podemos concluir nosso estudo afirmando que hoje aprendemos a respeito da importância da oração.

Como pastor, Timóteo precisava estar atento para que a oração fosse corretamente compreendida e praticada na sua igreja.

Aprendemos 4 lições práticas sobre a oração:

1 – A ORAÇÃO PRECEDE A AÇÃO
2 – A ORAÇÃO DEVE SER EXERCIDA EM TODAS AS SUAS FORMAS

• Súplicas
• Orações públicas
• Intercessão
• Ações de graças

3 – A ORAÇÀO DEVE ABRANGER TODOS OS TIPOS DE PESSOAS
4 – A ORAÇÃO FAVORECE A ACEITAÇÃO DO EVANGELHO

Tags: