Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
OS GENTIOS ENXERTADOS NA OLIVEIRA NATURAL

OS GENTIOS ENXERTADOS NA OLIVEIRA NATURAL
Na Epístola para os Romanos,capítulo onze,o Apóstolo Paulo faz uma tipologia da Oliveira de Israel.
O uso das alegorias,parábolas e tipologias era comum entre os Mestres de Israel.
Desde o comêço,o autor faz uso da Agadá Rabínica ( interpretação comentada) para a sua prégação no
contexto do capítulo.O seu objectivo era levar uma mensagem mais clara ao tom com as vivências do dia a dia e
com as coisas que nos rodeiam.Depois desta descrição botânica vamos entender porquê o autor utilizou esta
árvore no seu ensino. A oliveira era árvore de grande valor na sociedade Hebraica pelos seus múltiplos usos,o seu
azeite era utilizado nas cerimónias religiosas,nos sacrifícios e para ungir os sacerdotes e hóspedes (Luc.7:46).
Também se misturava com vinho para se utilizar como medicamento.Misturado com mirra e outros produtos
utilizava-se para embalsamar os cadáveres.Nos candelabros ou lanternas utilizava-se para manter o esplendor ds luz e como cosmético se utilizava na pele e no cabelo. Um dado muito interessante é que a oliveira pode viver 2.000 ou 3.000 anos e possui um sistema de raízes mais desenvolvido do que as outras árvores e com pouca água.
Ainda que se corte no tronco não é fácil morrer.
O primeiro corte de oliveiras é só passados 40 a 50 anos,a sua madeira é forte e fina.Além disso os seus ramos são frondosos e fechados comparados com o tronco.
Agora podemos entender porquê Paulo compara a sua pátria,Israel,com a oliveira,árvore milenária,de raízes
profundas,de estampa sacerdotal espigada e o seu fruto símbolo do espírito,duradouro,difícil de matar,subsistente,etc
Já se havia utilizado esta tipologia no texto Hebraico:
“Denominou-te Yahweh oliveira verde,formosa por seus deliciosos frutos;mas agora,à voz dum
grande tumulto,acendeu fogo ao redor dela e se quebraram os seus ramos”.
(Jeremias 11:16).
“Eu serei,para Israel como orvalho,êle florescerá como o lírio,e espalhará as suas raízes como o
Líbano…
“Estender-se-ão as suas vergônteas e a sua glória será como a da oliveira,o seu odor como o do
Líbano”. (Oséias 14:5,6).
Com este cenário faremos uma exegese de cada um dos versículos tomando em conta os Hebraísmos e o cenário cultural do autor para não distorcer a sua mensagem.
O primeiro versículo começa com uma pergunta:-
“Porventura rejeitou Yahweh o seu povo?”. O autor responde à pergunta:-De modo nenhum;porque
também eu sou Israelita da descendência de Abraão,da tribo de Benjamim.”.
Paulo identifica-se com a sua cultura e como parte do Pacto,êle é um Judeu – Yehuoi – adorador – de linhagem
sacerdotal. Israel,como povo para se salvar e povo do Pacto,mantém o seu título honorífico de Povo de Yahweh
Todo-Poderoso. Por conseguinte,fisicamente,Israel é o Povo Eleito,ainda que a comunidade Cristã se afastasse
séculos depois da oliveira,se mantém como ramo enxertado.Ainda que a Igreja seja filha espiritual adoptada,
Israel é filho em sentido étnico – sangue – especial e distinto – para qualquer nação.
Franz Mussher comenta:- “Paulo não eliminou,quanto ao povo Judeu,do Plano de Salvação de que êle mesmo
procedia,porque o Todo-Poderoso continua estendendo para êle as suas Mãos”.
No segundo versículo.amplia o seu pensamento:-
“Yahweh não rejeitou o seu povo,que antes conheceu”.
Antes do Pacto,o Todo-Poderoso havia eleito dentre outras culturas a Israel por sua fidelidade e porque não
exigiu do Todo-Poderoso recompensa antes do Pacto.
O Todo-Poderoso escolheu a Israel e não foi por capricho.
Primeiro ofereceu a Torah (Lei) aos filhos de Esaú,mas não a aceitaram porque proibe matar.
Depois,ofereceu aos filhos de Amom,mas estes rejeitaram-na porque proíbe a transgressão sexual.
Yahweh foi aos filhos de Ismael e estes rejeitaram-na porque proibe roubar.
Não houve povo algum que Yahweh não visitasse e todos rejeitaram a Torah.
Depois foi e visitou a Israel e lhes ofereceu a Torah e êles não perguntaram nada,e disseram:Actuaremos e
aprenderemos.
Embora a Igreja se proclame povo exclusivo do Todo-Poderoso,não há nenhuma expressão no Novo Testamento
como “Novo Povo de Yahweh Todo-Poderoso”, não há substituição em função da Salvação,mas como Paulo
explica neste capítulo a Igreja é participante com outra no Plano de Salvação.
O conceito de substituição desenvolveu-se na comunidade Cristã séculos depois por exegetas da comunidade
Grega como Orígenes,Tertuliano,etc.
Nos versículos três até ao cinco,Paulo faz uma interpretação alegórica,dos tempos de Elias,quando Israel se havia
endurecido pela idolatria e como o Todo-Poderoso os rejeitou,ainda que Yahweh Todo-Poderoso tenha mantido
um Remanescente fiel no seu tempo – Judeus fiéis à Torah,por misericórdia Celestial.
Nos versículos sete ao onze,explica como Israel foi endurecido e tropeçou por decisão Celestial e não por capricho
para que os Gentios fôssem enxertados na Oliveira Natural.
Tropeçaram os de Israel – aqueles que guardavam a Torah – Lei – para que caíssem? De modo nenhum, mas pela sua queda veio a Salvação dos Gentios,para os incitar à emulação.
E no versículo doze,acrescenta:
“E se a sua queda é a riqueza do Mundo,e a sua diminuição a riqueza dos Gentios,quanto mais a
sua plenitude? (Apokatastasis).
A sua restauração completa acontecerá quando se estabelecer o Reino do Messias Yahoshúa,quando todos os
povos e nações venham adorar a Yahweh em Jerusalém.
À luz das expectativas da Restauração do Reino de David de Israel,podemos entender Paulo quando cita êste
versículo:
“E removerei o cativeiro de Judá e o cativeiro de Israel,e os edificarei como ao princípio”.
(Jeremias 33:7).
Nos versículos treze e catorze:
“Porque convosco falo Gentios,que,enquanto fôr Apóstolo dos Gentios glorificarei o meu ministério
“Para ver se de alguma maneira posso incitar à emulação os da minha carne e salvar alguns deles”.
Aqui,Paulo,identifica a sua missão com os Gentios,não rejeitando a sua cultura e o seu estilo Judaico de viver a
vida. Para o autor,a sua identidade Hebraica estava presente em tôdas as suas Epístolas e em tôda a sua vida,aqui
se identifica etnicamente como Israelita.
Dos versículos quinze ao vinte e um:usa uma série de palavras inter relacionadas:raiz,massa,ramos,oliveira,
desgarrar,enxertar, etc.etc.
” Porque,se a sua rejeição é a reconciliação do Mundo,qual será a sua admissão,senão a vida
dentre os mortos? “. (Versículo 15).
Na minha interpretação Bíblica,o Hebraico está sujeito ao Pacto Eterno da Torah e os Gentios estão ligados ao
Pacto da Graça; os dois grupos não estão separados da misericórdia e do Plano de Salvação.
E a sua admissão será a Esperança da Ressurreição.
“E,se as primícias são santas,também a massa o é; se a raiz é santa,também os ramos o são”.
(Versículo 16).
As raízes aludem aos “Pais”,o fundamento da Fé Hebraica. O Semita contempla um objectivo ou uma actividade
na forma completa. Exemplo: YAD – mão – compreende também braços; REGAL – pé – também compreende as
pernas.
Quando Paulo utiliza o conceito “raiz” na totalidade da árvore entende-se que o tronco e a raiz nesta tipologia
representam o fundamento da cultura Hebraica: o Judaísmo. Agora fala dos ramos,êstes são os Gentios enxertados
no tronco,porque os Gentios têm que enxertar-se,assim como serão enxertados outros Judeus que não praticam a
FÉ. A Igreja Gentia é o zambujeiro ou oliveira brava (silvestre) e a oliveira natural sustém os ramos e os sustenta
com a Seiva – Torah – Paulo,nesta metáfora diferencia a oliveira natural da oliveira enxertada Gentia como ramo e
diz:-“Não te glories contra os ramos;e,se contra êles te gloriares,não és tu que sustentas a raiz,mas
a raiz a ti”. (Versículo 18).
“… não te ensoberbeças,mas TEME” .( Versículo 20).
Talvez entre os Cristãos procedentes dos Gentios Romanos,começava a difundir-se um determinado anti-judaísmo
que se nutria do paganismo. O Apóstolo rejeita esta atitude e os repreende de maneira enfática.
O exegeta Franz Mussner,comenta a êsse respeito:-“A Igreja e Israel situam-se numa relação histórica de salvação
indosolúvel que vista desde o planeamento de Paulo,não supõe que o Todo-Poderoso haja substituído Israel pela
Igreja em que haja plantado no Mundo uma segunda oliveira natural junto a Israel já existente; na realidade existe
mesmo só uma oliveira natural : ISRAEL e nêle foi enxertada a Igreja.Os ramos de Israel,desgastados por algum
tempo dessa oliveira,voltarão a ser enxertados no fim.
“Porque,se tu fôste cortado do natural zambujeiro,e,contra a natureza,enxertado na boa oliveira,quanto mais êsses,que são naturais,serão enxertados na su própria oliveira ! “.
(Romanos 11:24).
O que implica claramente que êsses ramos se conservam no interior e nem se secam,nem são queimados,isto
é,precisamente,algo que temos que ter em conta. Se essa oliveira natural,com as suas raizes (sustentação) a
Igreja – os ramos – então a Igreja continua vivendo de Israel e não pode prescindir dêle,não quer manchar-se.
Se se esquecesse de Israel se desgarraria das suas raizes.
Por isso,K.Barth,observa justamente,que não pode haver ecumenismo verdadeiro sem incluir nele a Israel.
“A raiz,Israel,continua ainda hoje sustentando a Igreja, e Israel não de afundou na história,mas que se mantém
em pé ao lado da Igreja como sua raiz.”
“A Igreja deveria reconhecer por fim a Israel como companheiro no caminho. Então compreenderia com mais clareza que o Todo-Poderoso está ao lado dela,porque está ao lado de Israel”.
“Porque não quero,irmãos,que ignoreis êste segrêdo (para que não presumais de vós mesmos):
que o endurecimento veio em parte sôbre Israel,até que a plenitude dos Gentios haja entrado.
26-“E assim todo o Israel será salvo como está escrito:De Sião virá o Libertador,e desviará de
Jacob as impiedades”.
(Romanos 11:25,26)
Paulo usa um conceito tomado do Paganismo e muito utilizado em tôdas as suas Epístolas para poder ser
entendido num ambiente Gentio.
No mundo pagão proliferam os “os segrêdos” religiosos como o culto de Ìsis,Mitra, e Diana.
Estes cultos desenvolveram-se com um ritual secreto e misterioso.
Paulo usa o conceito para demonstrar a sua inquietação de como localiza a Israel em relação com os Gentios,
quanto ao Plano de Salvação. Ainda que Israel esteja endurecido perante o Evangelho, parcialmente,por vontade
Celestial não deixa de ser Santo,amado do Todo-Poderoso e fundamento para a Salvação.
Podemos interpretar que quando Paulo diz “todo o Israel” pensa escatològicamente num momento no futuro
que não se conhece. Quem são os que estão incluídos nesta frase ? E como se salvarão ?
Sôbre este ponto há diversos debates teológicos,alguns afirmam que se converteram ao Evangelho quando
ocorra a “Parousia” – Segunda Vinda – e outros afirmam que alcançarão a Salvação de maneira especial.
Em primeiro lugar,o texto não fala de uma conversão,mas sim de endurecimento e de salvação.
Endurecimento que o Todo-Poderoso tirará como está escrito em referência a Isaías 59:20,21; 29:7:
“E virá um Redentor a Sião e aos que se desviarem da transgressão em Jacob,diz Yahweh.
21-“Quanto a Mim,êste é o meu Concêrto com êles,diz Yahweh:o meu Espírito,que está sôbre ti,e as
minhas palavras,que pus na tua bôca,não se desviarão da tua bôca nem da bôca da tua
posteridade,nem da bôca da posteridade da tua posteridade,diz Yahweh,desde agora e para
todo o sempre”.
(Isaías 59:20,21).
“E como um sonho e uma visão da noite será a multidão de tôdas as nações que hão de pelejar
contra Ariel,como também todos os que pelejarem contra ela e contra os seus muros,e a
puserem em apêrto”.
(Isaías 29:7).
No versículo 27,Paulo esclarece aqueles que estejam endurecidos,os que pecaram e se afastaram da Torah:
“E êste será o meu Concêrto (Pacto) com êles,quando Eu tirar os seus pecados”.
Agora esclarece a diferença entre Gentios e Judeus:
“Assim que,quanto ao Evangelho,são inimigos por causa de vós;mas,quanto à eleição,amados por
causa dos pais”. (Pacto com Abraão).
(Rom.11:28).
As expressões “amados em relação da eleição” e os “dons e a vocação do Todo-Poderoso,são irrevogáveis”,
têm como única razão de ser o fundamental,a permanência de ser amado por Israel na ideia de ser irrevogável
em relação às Promessas de Yahweh Todo-Poderoso,ou que é o mesmo,a partir da sua fidelidade – FÉ -os pagãos
já experimentaram a misericórdia de Yahweh pelo Messias,eles também foram desobedientes noutros tempos,
como agora,ainda o é Israelç. Por conseguinte,o Todo-Poderoso incluiu a todos,pagãos e Judeus (separados) na
desobediência para lhes perdoar, “afim de se apiedar de todos”.
Israel não está excluído dela,porque o Todo-Poderoso continua fiel às suas Promessas,aquelas que noutro tempo
havia feito aos Patriarcas e que nunca revogará. É a misericórdia ou graça do Todo-Poderoso- sôbre a eleição,
vocação e promessas de Israel que se salvará por uma forma especial e não por uma conversão.
“Ó Israel,não me esquecerei de ti”. (Isa.44:21).
Israel será salvo pelo Todo-Poderoso com uma Salvação eterna:
“Mas Israel é salvo por Yahweh,com uma eterna Salvação:pelo que não sereis envergonhados
nem confundidos em tôdas as eternidades”.
(Isaías 45:17).
No Todo-Poderoso achará a Salvação e a Glória tôda a descendência de Israel:
“Mas em Yahweh será justificada e se gloriará tôda a descendência de Israel”.
(Isa.45:25).
Desde Romanos 11:22.24,Paulo fala de Bondade e Misericórdia do Todo-Poderoso,com os ramos da oliveira
natural – Hebreus sem Fé – desgarrados que no seu momento o Todo-Poderoso os restaurará.
“Porque se tu fôste cortado do natural zambujeiro,e,contar a natureza,enxertado na boa oliveira,
quanto mais êsses,que são naturais,serão enxertados na sua própria oliveira”. (Israel).
(Rom.11:24).
Porque são povo,propriedade do Todo-Poderoso.
“… então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos…”.
(Êxodo 19:5; compare com Deut.7:16; 14:21; 26:18).
No dia que Eu preparo constituirão a minha propriedade, diz Yahweh dos Exércitos.
“E êles serão Meus,diz Yahweh dos Exércitos,naquele dia que farei serão para Mim particular
tesouro;poupá-los-ei,como um homem poupa a seu filho,que o serve”.
(Malaquias 3:17).
Paulo ensina que êste endurecimento ao Pacto Messiânico está disposto pelo Todo-Poderoso e não pelos homens
para que os Gentios entrem para a Salvação.
Isto é um Segredo que aconteceu para Israel,endurecimento até que haja entrado a plenitude dos Gentios.
No fim do discurso diz:-Quanto insondáveis são os seus Juízos e Inescrutáveis, o seus caminhos,com referência
à Providência de Salvação do Todo-Poderoso no tocante às acções de Israel.
Até mesmo quando Israel não se incline para o Evangelho,nem por isso perdeu a sua natureza de Povo de
Yahweh; precisamente as circunstancias do seu “endurecimento” contribuirá de modo decisivo para que Israel
se haja considerado até hoje como “Povo peculiar de Yahweh Todo-Poderoso. É muito provável que um Israel
qie se tivesse convertido ao Cristianismo completamente,não tivesse perdido os seus traços culturais”.
O Judaísmo se haveria dissolvido no Mundo,mas o Todo-Poderoso o evitou para demonstrar perante os povos,
com o Êxodo de Israel,o seu Poder e a sua Graça.
Paulo não censurou Israel,porque o Todo-Poderoso tampouco o fêz,o que faz é reconhecer que os Judeus se
converteram em Bênção e Salvação para as nações pelo Pacto Messiânico.Todo o Israel será salvo.
Paulo não perde de vista o seu povo original,porque segundo a sua convicção, YAHOSHÚA,é o Messias também de Israel.
Recapitulando a mensagem,Paulo nunca exclui o seu Povo da Promessa de Salvação.
Paulo reconhece os privilégios do Seu Povo. Paulo contempla os povos pagãos e a sua Salvação em relação a
Israel,coisa que não fêz a teologia Cristã até aos nossos dias. Paulo não dispensa os Judeus da Lei.
Paulo faz parte da oliveira natural que sustenta os ramos.
O Todo-Poderoso de Paulo é o Todo-Poderoso de Israel
Paulo utiliza as Escrituras Hebraicas e pensou em categorias Judaicas para a sua mensagem.
Nenhum homem da Igreja Primitiva amou tanto a Israel como Paulo:
“No Messias digo a verdade,não minto,dando-me testemunho a minha consciência no Espírito Santo:
2-“Que tenho grande tristeza e contínua dor no meu coração.
3-“Porque eu mesmo poderia desejar ser separado do Messias,por amor de meus irmãos,que são meus parentes segundo a carne”.
(Romanos 9:1-3).
Paulo não paganizou a Israel nem lhe negou a sua qualidade de Povo Santo de Yahweh Todo-Poderoso.
Para Paulo,Israel continua sendo o Povo de Abraão.
A teologia Cristã deveria aprender de vez e pensar e a falar de Israel do mesmo modo que o fêz
o Apóstolo Judeu Paulo.
===========================================================
Autor: Wilfredo Torres – Ministério Bar Enosh
Fonte: Arquivo de Temas – Israel / 12 – Estudio del bueno olivo.
Publicado pela Assembleia de Yahweh Internacional – AYIN – Porto Rico
Tradutor: Boner Daleoni – Moita – Portugal
Versão Bíblica utilizada nestas citações da Escritura:
João Ferreira de Almeida,Edição revista e corrigida,em 1.971.
Sociedade Bíblica do Brasil – Rio de Janeiro

Tags: