Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
Os Santos Reinarão no Milênio

Os Santos Reinarão no Milênio
I – OS SANTOS IRÃO REINAR JUNTOS COM JESUS, POR MIL ANOS NA TERRA
A. Os santos reinarão sobre a terra por mil anos, juntos com Jesus durante o Reino Milenar. Jesus irá estabelecer paz e justiça, à medida que o Reino de Deus manifesta abertamente no mundo inteiro, afetando todas as esferas da vida (política, social, agrícola, econômica, espiritual, educacional, legal, familiar, mídia, artística, tecnológica, atlética, ambiental, instituições sociais, etc.) (Ap. 20:4-6).
B. Em sua visão, Daniel viu tronos governamentais dos santos durante o Reino Milenar (Dn. 7:18, 22, 27).
C. As duas funções mais enfatizados dos santos no Reino Milenar são: reis e sacerdotes (Ap. 1:6; 5:10; 20:6).
D. Na função de sacerdotes, os santos ressuscitados irão adorar, interceder e comunicar o conhecimento do Senhor a outros (pessoas não ressuscitadas na terra durante o Milênio). A intercessão contínua (noite e dia) será o principal elemento do governo da terra durante o Milênio.
E. Na função de reis, os santos ressuscitados irão avaliar o passado, determinar planos de ações futuros e nomear pessoas no serviço de infra-estrutura sujeitas a sua autoridade, que inclui o treinamento e a gerência das pessoas nomeadas (Ap. 20:4; 1 Co. 6:2-3; Mt. 19:28; 25:23; Lc. 19:17; 22:29-30).
.
II – JESUS SERÁ O REI SOBRE TODOS OS OUTROS REIS DURANTE O MILÊNIO
A. Durante o Milênio, todos os reis da terra serão salvos, adorarão Jesus e basearão seus governos nacionais na Palavra de Deus (Sl. 72:11; 102:15; 138:4; 148:11; Is. 62:2; Ap. 21:24).
B. Durante Seu Reinado Milenar, Jesus governará em parceria sobre dois tipos de reis: os reis das nações da terra, com corpos naturais e não ressuscitados, e os santos ressuscitados que operam no poder do seu sacerdócio. Cada tipo de rei terá esferas distintas e específicas de domínio, entretanto, trabalharão juntos em parceria no estabelecimento de uma nova ordem social mundial, que irá transformar e restaurar todas as esferas da vida, em conformidade com os padrões de Deus (Ap. 1:5-6).
1. Neste texto, três títulos proféticos (Fiel Testemunha, Primogênito dos mortos e Príncipe dos reis da terra, Ap. 1:5), provenientes do Salmo 89, foram atribuídas a Jesus, que apontam para a aliança Davídica (2 Sm. 7:8-16). A liderança de Jesus na terra durante o Milênio, será o melhor contexto para compreender os três títulos. Jesus tem sido a Fiel Testemunha desde o início do Seu ministério na terra, até o dia de hoje, enquanto reinando assentado à direita de Deus. Desde a ressurreição de Jesus, Ele é o Primogênito dos mortos e o Príncipe dos reis da terra. Entretanto, no exercício do Seu reinado na terra durante o Milênio, como o Rei dos reis (Ap. 19:16), estes três títulos terão expressão plena, manifestados abertamente e vistos por todas as pessoas da terra. As promessas feitas à semente de Davi, relativas ao reino eterno do Messias, segundo 2 Samuel 7, ajudam a compreensão da plenitude destes títulos.
2. O título da “Fiel Testemunha” (Ap. 3:14; 19:11) aponta para o trono de Davi, que será estabelecido para a eternidade, como o sol e a lua são fiéis testemunhas do céu (Sl. 89:36-37). O título de “Primogênito dos mortos” aponta para a promessa de Deus em fazer da semente de Davi o Seu “Primogênito”, ou “o mais elevado entre os reis da terra” (Sl. 89:27). Jesus é chamado de Primogênito dos mortos, ou Primogênito dentre aqueles que morreram (Cl. 1:18; At. 2:29-32; 4:2; 26:23; Rm. 1:4). Os santos irão ressuscitar dos mortos, porém, Jesus é a primícia da ressurreição (1 Co. 15:23). Jesus é o “Príncipe dos reis da terra”, pois Deus prometeu a Davi que a sua semente seria o “mais elevado entre os reis da terra” (Sl. 89:27).
C. Os santos com corpos ressuscitados serão apontados como reis ou governadores sobre diversas esferas da vida (Ap. 2:26-27; 5:10; Mt. 19:28; 20:21-23; 25:23; Lc. 19:17-19; 22:29-30; 1 Co. 6:2-3; 2 Tm. 2:12; Rm. 8:17).
D. Somente os santos que forem considerados dignos e fieis durante suas vidas na terra, serão apontados como reis ou governadores na era vindouro (2. Ts. 1:10-11).
.
III – O INCREMENTO PROGRESSIVO DO GOVERNO DE JESUS
A. O governo de Jesus irá crescer (expandir) progressivamente, até que todas as instituições das nações estejam plenamente discipuladas pelos Seus ensinamentos (Is. 9:7; 16:5; Jr. 23:5; Sl. 89:4; 132:17-18).
B. Jesus reinará sobre a terra com processos naturais humanos, não suspensos, porém, realçados significativamente pela dimensão sobrenatural do Espírito. Isto será possível por causa dos corpos ressuscitados de Jesus e dos santos. Podemos observar aspectos das dimensões naturais e sobrenaturais operando juntos, quando Jesus apareceu com corpo ressuscitado aos Seus discípulos (Jo. 20-21 e At. 1).
C. Jesus reinará com uma liderança governamental operacional para estabelecer as infra-estruturas de todas as esferas da vida, em todas as cidades e vilas das nações. Ele irá substituir os líderes governamentais do império mundial do Anticristo por novas pessoas em todos os níveis de vida pública em todas as cidades da terra.
D. As infra-estruturas incluirão: sistemas de suporte à vida (comida, água, eletricidade, etc.), reconstrução de projetos (prédios, estradas, pontes, etc.), sistemas econômicos (moeda, bancos, investimentos, etc.), vida espiritual (centros de adoração, escolas bíblicas, etc.), educação (elementar aos níveis universitários, etc.), legislação, agricultura (equipamento, distribuição, etc.), mídia e arte, tecnologia, meio-ambiente, instituições sociais, etc.
.
IV – A PARCERIA DOS SANTOS RESSUSCITADOS COM OS REIS DA TERRA
A. Jesus estabelecerá infra-estruturas em parceria com os santos ressuscitados. Os santos com corpos ressuscitados terão funções dinâmicas de supervisão e treinamento das pessoas com corpos não ressuscitados. As infra-estruturas necessárias para governar cada esfera da vida irão crescer e expandir gradativamente em capacidade, qualidade e quantidade, à medida do crescimento da sabedoria e do desenvolvimento de habilidades dos líderes.
B. As pessoas com corpos não ressuscitados (habitantes das nações no Milênio) serão os resistentes ou os sobreviventes da Grande Tribulação, aqueles que recusaram a adorar o Anticristo. Eles serão salvos (novo nascimento) e povoarão a terra durante o Milênio. (Is. 4:3; 10:20; 11:11; 49:6; 65:8; 66:19; Jr. 31:2; Ez. 20:38-42; 36:36; Am. 9:9-10; Jl. 2:32; Zc. 12:14; 13:8; 14:16).
C. O processo de aprendizagem, conhecimento e aplicação será necessário para a vida dos santos ressuscitados e das pessoas com corpos não ressuscitados. Os santos irão treinar os líderes não ressuscitados das nações nos caminhos de Deus. Muitas áreas da vida irão melhorar progressivamente, à medida que as pessoas obtenham conhecimento e o aplicam respectivamente. Juntos, eles irão estabelecer instituições de ensino para que todas as nações possam aprender sistematicamente os caminhos de Jesus (político, econômico, espiritual, educacional, agrícola, familiar, mídia, artístico, tecnológico, etc.) (Is. 2:3).
D. Os aprimoramentos sociais e a cura das nações serão progressivos, e não instantâneos. Os santos que irão reinar junto com Jesus serão envolvidos no processo de cura das nações (Ap. 22:2).
E. Os santos ressuscitados, em parceira com os reis da terra, irão trabalhar juntos na restauração completa das cidades da terra, que foram destruídas durante a Grande Tribulação (Ez. 36:36; Is. 61:4; 65:21).
F. Os santos ressuscitados, em parceira com os líderes da terra, irão evangelizar as pessoas necessitadas de salvação. Os perdidos não serão convertidos instantaneamente e automaticamente no momento da Segunda Vinda de Jesus. Isto também serve para as crianças que nascerem durante o Milênio. Irá levar muito tempo e esforço para converter as pessoas individualmente e discipular as nações (Is. 66:18-20).
G. Os santos ressuscitados, juntos com os reis da terra, em parceira, irão restabelecer os negócios, o comércio e a economia que irão gerar novos recursos financeiros (Is. 60:1-14). A nação de Israel será próspera durante o Milênio (Is. 4:1; 35:1-2; 30:23-25; 62:8-9; 60:1-14; 65:21-23).
H. Os santos irão supervisionar aquilo que for reedificado com esforço laboral (Is. 62:8-9; 65:21-23; Jr. 31:5; Ez. 48:18-19).
I. Os santos também irão supervisionar o trabalho necessário na restaurarão da ordem de Deus na agricultura, atmosfera e vida animal, etc. (Ap. 20:1-6; Is. 2:1-4; 9:6-9; 11:1-16; 51:1- 8; 60-62; 65:17-25; Sl. 2:6-12; 110:1-7; Dt. 8; 28; Mt. 5:5; 6:10; 17:11; 19:28; 28:19; At. 1:6; 3:21).
J. Os santos irão supervisionar, sujeitos à autoridade de Jesus, o trabalho requerido para restaurar a justiça em todas as esferas da vida (Is. 9:7; 11:3-5; 10:22; 28:17; 32:16; 42:1-4), o estabelecimento de juízes e governadores (Jr. 30:21; 45:8; Is. 24:23, 32:1; Ez. 45:8-9; Mt. 19:28; Lc. 22:30; 19:12-28) e o estabelecimento do governo mundial (Zc. 14:9; Ez. 37:13-28, Ap. 19:16).
K. Durante o Milênio, as pessoas com corpos não ressuscitados serão sujeitas ao pecado, porém, se pecar, pecados serão castigados e punidos. O pecado continuará durante o Milênio, somente para os não ressuscitados. Inclusive, haverá falsos profetas durante o Milênio; mas estes serão punidos (Sl. 2:9, 72:9-11; Is. 11:4; 66:20, 24; Zc. 13:2-4; 14:16-19).
L. Em parceria com os santos, Jesus será severo contra o pecado. Isto é simbolizado pela Sua vara de ferro (Ap. 2:27; 12:5; 19:15; Sl. 2:9; Is. 2:4; 11:4; 24:23; 32:1; 66:20, 24; Jr. 30:21; Ez. 45:8-9; Zc. 14:16-19; Mt. 19:28).
M. Como juízes, os santos irão julgar os tribunais de guerra, que condenarão os reis da terra que serviram no império do Anticristo, e administrarão punições sobre os pecadores e sobreviventes do sistema do Anticristo (1 Co. 6:2-3; Sl. 110:6; 149:6-9; Is. 24:21-22).
N. Mil anos exatos serão necessários para amadurecer a justiça em todas as nações antes do teste final (Ap. 20:7-8).
.
V – O GOVERNO NATURAL E O GOVERNO SOBRENATURAL
A. Durante o Milênio, os anjos não terão o mesmo governo sobre as nações que tem hoje. Os santos irão ocupar as posições mais altas no governo do Espírito sobre a terra, durante o Milênio. O governo dos santos será correspondente, ou ainda superior, ao relacionamento que os anjos possuem hoje sobre o governo das nações (Hb. 2:5).
1. Este mundo está sujeito aos anjos, por causa de sua função significativa na liderança espiritual das nações. Deuteronômio 32:8: (Septuaginta), “Quando o Altíssimo distribuía as heranças às nações, quando separava os filhos dos homens uns dos outros, fixou os limites dos povos, segundo o número dos anjos de Deus” (ao invés de outras traduções, filhos de Israel).
2. Daniel relatou uma guerra espiritual entre os “príncipes da Pérsia e Grécia” (Dn. 10:20) contra Miguel, “o grande príncipe” de Israel (Dn. 10:21; 12:1). A guerra de Miguel contra estes principados demoníacos influenciou os lideres políticos daqueles dias. Paulo mencionou sobre a existência de principados demoníacos (Ef. 6:12).
B. A atual autoridade governamental no espírito é conduzida por anjos, encarregados sobre as cidades (Ez. 9:1-2).
C. Durante o Milênio, os santos irão governar sobre os anjos. Os anjos terão funções de suporte, a serviço dos santos (1 Co. 6:3; Hb. 1:14).
.
VI – HABITANDO NA NOVA JERUSALÉM ENQUANTO REINANDO SOBRE A TERRA
A. Onde será a habitação dos santos durante o Milênio?A residência dos santos será na Nova Jerusalém, e não numa “mansão glorificada” na terra. No entanto, os santos reinarão com responsabilidades governamentais sobre a terra (Fp. 3:20).
B. Como será a natureza do corpo ressuscitado dos santos? Será um corpo físico material, porém com habilidades sobrenaturais. Jesus, com corpo ressuscitado, falou com Seus discípulos durante 40 dias (At. 1:3). Os seres espirituais (anjos e demônios) aparecem algumas vezes no natural e interagem com pessoas de corpos naturais.
C. Os santos ressuscitados se relacionarão com as pessoas com corpos naturais, porém não será uma interação plena. Os habitantes da terra (com corpos não ressuscitados), durante o Milênio, irão trabalhar próximos aos santos com corpos ressuscitados.
D. Os santos que habitam na Nova Jerusalém não se darão em casamento.
.
VII – A MENSAGEM FUNDAMENTAL DA BÍBLIA É O REINO DE DEUS NA TERRA
A. O Reino de Deus era a mensagem essencial da pregação de Jesus e dos apóstolos, e a mensagem central do Reino de Deus é o reino e o governo mundial do Rei Jesus sobre todas as esferas da sociedade. Nós proclamamos a vinda do Rei Jesus para estabelecer Seu reino aqui na terra e a oportunidade de qualquer pessoa participar hoje mesmo deste Reino, e ter frutos que impactam o futuro destino no reinado na terra, após a volta de Jesus. Nós podemos participar deste reino recebendo o perdão gratuito de Deus, e vivendo digno (santidade) do Seu Reino (2 Ts. 1:5-12; Lc. 21:34-36; 20:35-36; Cl. 1:9-10 Mt. 10:37-38; 22:8; Ap. 3:4-5; 1 Ts. 2:12).
B. O perdão é a porta de entrada no Reino de Deus, mas não é a essência da mensagem do Reino. Não podemos reduzir o evangelho a uma simples mensagem de perdão e moralidade, mas, adicionalmente, o evangelho deve construir o Reino.
C. Para anunciar o conselho (desígnio) completo de Deus (At. 20:27) é necessário abordar a mensagem tríplice incluindo o perdão, arrependimento e o reino de Jesus sobre a terra. O evangelismo é o primeiro passo glorioso e necessário na pregação do Reino de Deus, mas não é a mensagem completa de Jesus.
.
Fonte: www.mikebickle.org
[divider_line]

Author: Marcos Guimarães Jr.

Tags: