Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
Relacionamento Familiar

Relacionamento Familiar

Texto: Romanos 8. 28 – 29

INTRODUÇÃO

A convivência familiar nos coloca nas circunstâncias ideais para nosso aperfeiçoamento. É na família que se forma o nosso caráter. Nela aprendemos a praticar o amor, a humildade, a paciência, a bondade e a mansidão. Também aprendemos responsabilidade, disciplina, sujeição, serviço, respeito e tolerância.

Assim como aprendemos a perdoar, confessar, suportar, negar a nós mesmos, exercer autoridade com amor, corrigir com graça, sofrer, orar e confiar em Deus.

O lar é a escola de formação tanto para os pais quanto para os filhos. Deus vai utilizar a convivência familiar, mais do que qualquer outra coisa, para transformar o nosso caráter à semelhança de Jesus Cristo. (Rm 8.28 – 29).

Deus é criador da família. Ele é o dono da família.

A família existe para Ele (Rm 11.36). Ele tem um propósito para a família. Por que Deus instituiu o casamento?  Porque Deus tem um propósito eterno. A família existe para cooperar com o propósito de Deus: ter uma família de muitos filhos semelhantes a Jesus. (Rm 8.28,29)

Iº – OBJETIVOS

  1. Transmitir o conselho de Deus sobre a família, para que se possa vivê-lo e ensiná-lo a outros.

  1. Ensinar e proteger nossas esposas, maridos e filhos dos ataques de satanás e da corrente mundana que destrói as famílias.

  1. Edificar a Igreja com base em famílias sólidas. Se as famílias são santas e sólidas, a igreja é santa e sólida.

  1. Preparar famílias para serem exemplo para a sociedade. (Mt 5.13,14)

IIº – RECURSOS QUE TEMOS PARA A RECONSTRUÇÃO DA FAMÍLIA

“Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam” (Sl 127.1)

  1. Temos instruções claras e completas na Palavra de Deus. (Sl 19.7-9)

  1. Temos o poder do Espírito Santo. (Gl 5.22-23)

  1. Temos a valiosa ajuda de Cristo. Existem muitos irmãos no corpo de Cristo, maduros e com famílias bem formadas que são exemplo, e podem aconselhar e orientar a outros. (Mt 28.20; Ef 4.15; 16.5)

IIIº – QUAL É A NOSSA ESPERANÇA E FÉ PARA AS FAMÍLIAS DA IGREJA ?

Esperamos ter famílias que vivam a realidade do reino de Deus. Lares que o agradem. Cremos que ele nos aperfeiçoará até sermos:

  1. Um povo formado por famílias sólidas e estáveis.

  1. Solteiros que mantenham sua santidade.

  1. Casais que convivam em harmonia e fidelidade.

  1. Filhos obedientes e que respeitem seus pais.

  1. Esposas submissas, maridos amorosos e responsáveis.

  1. Um povo que saiba trabalhar, estudar, progredir, casar, criar filhos, cuidar de suas casas com disciplina e ordem.

  1. Um povo de discípulos diligentes, responsáveis, generosos e que saibam servir.

  1. Um povo formado por famílias sadias e felizes, onde haja amor, paz e alegria.

IVº – O CASAMENTO

1- CASAMENTO FOI INSTITUÍDO POR DEUS

“Por isso deixará o homem a seu pai e sua mãe, e unir-se-á a sua mulher, e serão os dois uma só carne. De modo que já não são mais dois, mas um só carne. Portanto o que Deus uniu não separe o homem.” (Mc 10.7-9)

2- O FUNDAMENTO DO CASAMENTO  

A Base do Casamento é o AMOR CRISTÃO e a (*)VONTADE COMPROMETIDA PELO PACTO MÚTUO, não o Amor Sentimental.

a)- O AMOR SENTIMENTAL – Em nossos dias, existe o conceito generalizado de que o amor sentimental é a base do casamento, por causa do romantismo e do erotismo na literatura, cinema e televisão. Certamente que o sentimental é um ingrediente importante do casamento, mas não é a sua base. Deus não poderia estabelecer algo tão importante sobre uma base tão instável como os sentimentos. Diversas razões podem modificar nossos sentimentos: problemas de convivência, mal trato, falta de caráter do conjugue, o surgimento de alguém mais interessante, etc. Depois de algum tempo, muitos casamentos chegam a esta triste conclusão: “Não nos amamos mais. Devemos nos separar.”

  1. b) – O AMOR CRISTÃO – O mandamento do Senhor é claro sobre o amor: “ Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; ASSIM COMO eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros. Nisto, conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns com os outros.”(Jo 13.34,35)

A resposta é entregar-se à Deus… Vários casamentos hoje estão salvos pelo entendimento de algumas pessoas que receberam o Senhorio de Jesus Cristo, buscando serem identificados por todos como discípulos do Mestre, têm oferecido à Deus suas vidas como ofertas e sacrifício em aroma suave pelos seus cônjuges.

  1. c) VONTADE COMPROMETIDA PELO PACTO MÚTUO – Quando um homem e uma mulher se casam, fazem um pacto, uma aliança. Comprometem a sua vontade para viverem unidos até que a morte os separe. Deus os responsabiliza pela decisão. Nem sempre podemos controlar os nossos sentimentos, mas a nossa vontade, sim. Quando os sentimentos “balançarem”, o casamento se manterá firme pela fidelidade ao pacto matrimonial. Cristo é o nosso Senhor e nossa vontade está sujeita a dele. Desta maneira, ainda que atravessemos momentos difíceis, a unidade matrimonial não estará em perigo.

3 – O CASAMENTO É SAGRADO E DEVE DURAR ENQUANTO VIVEM OS CÔNJUGES.

Para os casados da Igreja existe uma Palavra específica sobre o assunto: “aos casados, ordeno, não eu, mas o Senhor… Aos mais (Casados também com cônjuges incrédulos) digo eu… (Paulo). EM SUMA: A REGRA GERAL É QUE NÃO SE SEPAREM OS CÔNJUGES… ENQUANTO VIVEREM ESTEJAM UNIDOS PELO LAÇO DO MATRIMÔNIO. 

4 – SIGNIFICADO E RESPONSABILIDADES DO CABEÇA

Ser cabeça significa assumir a responsabilidade geral da família. Ele deve buscar, com a ajuda de sua esposa, que a família se encaminhe para o propósito de Deus. O homem é responsável por:

GOVERNAR O LAR – (1 Tm 3.4,12). Governar com graça e amor. Ser o representante de Jesus para a família. Expressar o caráter de Cristo com sua conduta. Não usar de sua autoridade para impor sobre a família os seus próprios caprichos. (Mc 10.43)

Vº – GOVERNAR O LAR É…

  1. Trabalhar para prover o sustento familiar (Gn 3.19; 1 Ts 4.11,12; 1 Tm 5.8).

  1. Amparar, cuidar e proteger a família (Ef 5.29). Solucionar todas as dificuldades que surjam, com a ajuda do Senhor. Guiar a família a uma convivência amorosa e feliz, onde todos possam se desenvolver física, mental e espiritualmente.

  1. Ser sacerdote para a família (Gn 18.19). Ensinar a Palavra de Deus, instruir, animar, edificar, repreender e corrigir. Ensinar principalmente com o exemplo. Interceder diante de Deus pelo lar.

  1. Assumir a responsabilidade principal na disciplina dos filhos (1 Sm 3.12-13; Hb 12.7-9).

  1. Ter o papel principal na formação dos filhos homens. Especificamente depois dos 8 ou 10 anos. Afirmar os valores de sua masculinidade. Ensinar-lhes habilidades e trabalhos manuais. Iniciá-los nos negócios. Dar educação sexual, etc.

  1. Alimentar e sustentar o corpo, a alma e espírito da sua família e principalmente da sua esposa (Ef 5.29).

  1. Estabelecer a presença de Jesus na família (1 Co 11.3). Assim como Cristo é a imagem de Deus, o homem deve ser a imagem da presença de Jesus no lar.

  1. Estabelecer o governo de Cristo. O homem não é o cabeça do lar, mas sim Cristo – o homem é o cabeça da mulher. Portanto deve estabelecer a autoridade de Cristo e não a sua.

5 – SIGNIFICADO E RESPONSABILIDADE DA AJUDADORA IDÔNEA

Deus concedeu ao homem um complemento inteligente e eficaz. Sozinho o homem é incompleto para cumprir o propósito de Deus na família. A mulher deve usar sua inteligência, capacidade e experiência buscando um objetivo comum com o marido. Ser unida e solidária a ele, sem atitudes independentes.

Ela deve reconhecer que o marido tem a autoridade principal. Não competir com ele, mas sim complementar-lhe. Precisa entender que o marido necessita ser ajudado em sua sensibilidade. Precisa de ânimo, compreensão, sorriso, aprovação e cooperação em tudo quanto faz.

VIº – A MULHER É RESPONSÁVEL POR:

  1. Se ocupar mais na criação dos filhos (1 Tm 2.15; 5.14). Ser mãe é a sua maior missão.

  1. Atender a família e cuidar da alimentação (Pv 31.21-22).

  1. Cuidar do vestuário (Pv 31.21-22).

  1. Cuidar da casa (Tt 2.5).

  1. Ajudar com a carga financeira (Pv 31.16-18,24). Isto, na medida que seja necessário e possível, evitando ao máximo sair do lar.

  1. Cuidar da formação integral das filhas. Ensinar-lhes sobre: educação sexual, modos, comportamento social, tarefas domésticas, habilidades manuais, conduta frente ao sexo oposto e, principalmente, a serem femininas.

  1. Ensinar as sagradas escrituras aos filhos (2 Tm 1.5; 3.14-15).

  1. Instruir as mulheres jovens como desempenharem seu papel de esposa e mãe (Tt 2.3-5).

VIIº – ATITUDES ERRADAS DA MULHER

1-TOMAR O LUGAR DO MARIDO. Algumas mulheres querem a liderança da família e anulam o marido. Querem dirigir tudo, ter sempre a última palavra. Não dão valor a opinião do marido. A mulher não foi feita por Deus para levar esta carga. Assim ela arruina o marido e quebra a ordem de Deus. Também sobrecarrega a si mesma. Fica alterada, nervosa e não conhece o descanso da sujeição. Tudo isto produz uma família infeliz e filhos criados com mal exemplo, que vão repetir os mesmos erros quando tiverem seus próprios lares.

2-SER INDEPENDENTE DO MARIDO. Algumas buscam independência pessoal. Tem seus próprios objetivos, suas próprias amizades, seu próprio dinheiro. Buscam sua própria realização e dão prioridade a sua profissão. Não compartilham certas áreas de sua vida fazendo seus próprios programas.

VIIIº – COMUNICAÇÃO

Homem e mulher são diferentes em muitas coisas, e por isso se completam. Não devemos ignorar as diferenças, nem competir, mais admirar a graça, o encanto e a capacidade que Deus deu à mulher, e a visão, fortaleza e atitude que deu ao homem.

Uma comunicação para ser boa tem de ser cultivada, procurando por exemplo:

IXº – ENTENDER O OUTRO;

  1. ACEITAR o cônjuge como ele é, com alegria – quanto mais amarmos uma pessoa, maior é o nosso desejo de sermos aceitos por ela.

  1. DIALOGAR, escolhendo o momento em que ambos os cônjuges possam realmente participar, conversar.

  1. APRESENTAR COM MUITO TACTO, SABEDORIA E PRINCIPALMENTE COM AMOR ALGO QUE POSSA CRIAR DISCÓRDIA – evitar situações de conflito, mesmo quando são detectados pontos fracos no cônjuge, pois o maior interesse é manter um bom relacionamento, já que defeitos todos têm e ninguém pode julgar-se mestre, isento de culpas.

  1. FALAR A VERDADE EM AMOR – expor a opinião com carinho, falando de maneira simples e sincera, pois de outra forma pode ferir e gerar mágoas e ressentimentos, o que nunca ajuda um casamento.

  1. NÃO DISCUTIR E NÃO SE DEFENDER – é preciso aprender a reprimir o impulso de continuamente impor a sua decisão.

  1. PERMITIR A REAÇÃO DO OUTRO – é preciso deixar que o outro exponha o seu ponto de vista perante um ponto de discórdia, mesmo que seja errado ou diferente – é preciso tempo para convencer, deixar a semente que lançou com amor germinar.

  1. ORAR PELO PROBLEMA – a oração é o grande recurso do crente; uma família que ora pelos seus problemas e divergências consegue debatê-los com mais calma e numa atitude de humildade porque dobram os joelhos diante de Deus.

  1. ENTREGAR A QUESTÃO A DEUS SIGNIFICA DEIXAR DEUS OPERAR – depois de se expor a opinião em relação a um determinado problema, deve-se entregá-lo a Deus numa postura de fé, e por tal, evitar sempre a acusar ou a discutir com o cônjuge; temos um pai celestial a quem devemos entregar os nossos desejos e necessidades; Deus alcança aqueles que lhe entregam sua vida e seus problemas.

CONCLUI-SE QUE NÃO EXISTE ASSUNTO QUE UM CASAL NAO POSSA DEBATER, TODAVIA DEVE SER FEITO COM AMOR E SINCERIDADE. EM SEGUIDA, ENTREGAR O PROBLEMA A DEUS PARA ESPERAR AS MODIFICAÇÕES NECESSÁRIAS.

QUEM AMA VERDADEIRAMENTE NÃO DESEJA OFENDER OU MAGOAR, MAS SE O FAZE É OCASIONALMENTE E LOGO SE HUMILHA AO SEU SENHOR E AO SEU CÔNJUGE, PEDINDO PERDÃO.

PENSAMENTO:

“O grau de entendimento entre cônjuges depende da medida do seu amor”

Relacionamento Familiar

Alexandre Sancho

http://familianoaltardedeus1.blogspot.com.br/2013/03/relacionamento-familiar.html

Tags: