Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
INVEJA, UM GRAVE PECADO

INVEJA, UM GRAVE PECADO

Lição 11 – 9 de setembro de 2012
Texto Áureo: “O coração com saúde é a vida da carne, mas a inveja é a podridão dos ossos” (Pv 14.30).
Leitura Bíblica em Classe: 1 João 2.9-15

RAZÕES PORQUE A INVEJA É UM GRANDE PECADO

Introdução: Quem pode dizer que nunca teve inveja de alguém; certamente todos nós já tivemos ou estamos sujeitos a ter. A inveja é um sentimento provocado pela prosperidade ou felicidade alheia ou o desejo irrefreável de possuir ou gozar o que é de outrem. Esse sentimento em alguns casos, pode se alojar interiormente no indivíduo ficando nutrindo um ódio ou ira, mas sem reações de qualquer ordem contra outrem. Em outros casos a situação pode se inverter e o indivíduo com esse sentimento, que fica alojado na alma vai agir contra a pessoa de uma forma que a venha atingir em alguma área da sua vida. A inveja é um grande mal da humanidade e através dos séculos, ela já provocou guerras, rebeliões, agressões físicas, assassinatos, calúnias e uma infinidade de situações conflitantes. Podemos perceber que a característica da inveja em sua abrangência é proporcionalmente secular e totalmente incontrolável, porém é um mal que não pode estar presente no meio cristão, em vista da sua pecaminosidade.

1 – A INVEJA PROVOCA RANCOR OU INIMIZADE ENTRE OS IRMÃOS – I João 2.9 – Aquele que diz que está na luz e aborrece a seu irmão até agora está em trevas.
* Quem está na luz não nutre ódio e inimizades no coração – I João 4.20 Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?
Infelizmente no meio cristão existe esse tipo de sentimento entre os irmãos. A inveja é um mal que se aloja em nível de alma e o tratamento para esse mal exige um processo de cura e libertação que é realizado pelo poder da Palavra de Deus. O crente deve ser autêntico em seu comportamento e relacionamento entre os irmãos. A nossa conduta não pode ser superficial ou fingida, pois isso identifica uma falsa espiritualidade. O nosso sentimento para com os outros deve ser sincero e provado por um amor verdadeiro através das nossas ações ou palavras. Nada do crente para com outro pode vir da boca para fora, pois dizer que ama a Deus é fácil, mas dizer que ama o irmão a qual se nutre algum sentimento de ciúmes ou inveja é muito perigoso, pois Deus não se agrada desse tipo de comportamento.
2 – A INVEJA NÃO DÁ LUGAR DO AMOR NECESSÁRIO AO PRÓXIMO – I João 2.10 – Aquele que ama a seu irmão está na luz, e nele não há escândalo.
* É o amor que nos ensina a valorizar a alma do próximo – Tiago 3.16 Porque onde há inveja e espírito faccioso aí há perturbação e toda a obra perversa.
Sendo a inveja um sentimento que ocupa os espaços da nossa alma, é evidente que o amor jamais encontrará espaço num coração rancoroso cheio de ódio, ciúme e desejos vingativos. Quem saiu das trevas para a maravilhosa luz do evangelho, jamais provocará qualquer tipo de escândalo proveniente de sentimentos de inveja. Todo aquele que é valorizado pelos seus testemunhos de fé e fidelidade, certamente será vítimas desse mal. Assim foi com Daniel no reinado de Dario, quando os presidentes e príncipes ardilaram um plano para o matar na cova dos leões. E qual foi o motivo? Evidentemente que foi a inveja que eles nutriram por alguém que era exaltado pelo rei como homem de espírito excelente e de grande capacidade administrativa. (Daniel 6.3 Então o mesmo Daniel sobrepujou a estes presidentes e príncipes; porque nele havia um espírito excelente; e o rei pensava constituí-lo sobre todo o reino). O plano contra Daniel aos olhos dos antagonistas parecia ter dado certo, pois Deus não livrou Daniel de ser lançado na cova, porém Deus o salvou na cova para a ruína dos invejosos que acabaram sendo devorados pelos leões que não atacaram o servo de Deus.
3 – A INVEJA É UM DEPÓSITO DE MALDADE DESTITUIDA DE LUZ – I João 2.11 – Mas aquele que aborrece a seu irmão está em trevas, e anda em trevas, e não sabe para onde deva ir; porque as trevas lhe cegaram os olhos.
* Quem conserva maldade contra o irmão continua em trevas – Atos 7.9 E os patriarcas, movidos de inveja, venderam José para o Egito; mas Deus era com ele
As trevas da não-regeneração, evidenciadas por um espírito pernicioso, são contrárias à luz da vida; onde essa escuridão habita, a mente, o raciocínio e a consciência será obscurecidos e, assim, não alcançarão o caminho para a vida celestial eterna. A cegueira espiritual provocada pela inveja desmedida, certamente levará o crente a agir e praticar coisas que o aprofundarão num abismo sem fim. Em Gênesis 37.4 diz assim: (Vendo, pois, seus irmãos que seu pai o amava mais do que a todos eles, odiaram-no, e não podiam falar com ele pacificamente). Esse é um fato bíblico onde a inveja levou os irmãos de José ao extremo do ódio e da violência; primeiro tentando matá-lo e depois o vendendo como escravo aos mercadores midianitas. Aquele que é vítima da inveja poderá até sofrer por um tempo, porém um dia Deus o exaltará com certeza, mas aquele que agiu movido pela inveja um dia sofrerá as consequências do seu ato.
4 – A INVEJA FORMA BARREIRAS PARA ALCANÇAR O PERDÃO – I João 2.12 – Filhinhos, escrevo-vos porque, pelo seu nome, vos são perdoados os pecados.
* A comunhão espiritual com Deus exige uma vida perdoada – Mateus 5.24 Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta.
A comunhão dos santos está ligada ao perdão de pecados, pois aqueles que são perdoados por Deus são fortemente compelidos a renunciar a este mundo. É preciso saber que no meio cristão não há espaço para qualquer tipo de ressentimento entre os irmãos. Se esse sentimento existir entre alguém, a comunhão com Deus ficará seriamente prejudicada, pois Deus abomina essa prática ao ponto de não receber qualquer tipo de oração da parte ofensora. Se a parte ofensora não se consertar com a parte ofendida, ficará com a sua salvação comprometida. O problema é que o crente quando se deixa dominar por esses sentimentos provocados pela inveja dificilmente se reconcilia, pois resiste em dar o braço a torcer, como diz o dito popular; isso para seu próprio prejuízo em vista das consequências desastrosas que irá enfrentar. A bíblia diz assim: (Salmos 100.3 Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união) e, é essa união que fortalece a comunhão entre os irmãos.
5 – A INVEJA DESVINCULA O CRISTÃO DA ADOÇÃO DIVINA – I João 2.13 – Pais, escrevo-vos, porque conhecestes aquele que é desde 0 princípio. Jovens, escrevo vos, porque vencestes o maligno. Eu vos escrevi, filhos, porque conhecestes o Pai.
* Quem tem Deus como Pai não pode estar ligado ao mundo – Provérbios 14.30 O sentimento sadio é vida para o corpo, mas a inveja é podridão para os ossos.
Existe um maligno que está continuamente batalhando contra as almas e, especialmente contra os cristãos, daí a necessidade de aprendermos na escola de Cristo como utilizar as armas que são eficazes para vencer o Diabo. É importante lembrar que a nossa salvação é um processo, pois estamos ainda na condição de filhos adotivos de Deus e só chegaremos à adoção definitiva se passarmos pelos testes de fidelidade com relação ao cumprimento dos preceitos divinos. Esses preceitos envolvem a implantação dos frutos do Espírito em nós, ou seja, que venhamos a desenvolver características morais exigidas por Deus. A inveja é um mal destrutivo deixando a mente em completa agitação destruindo a saúde do corpo e da alma. Essas emoções nocivas corroem o homem e, assim sendo o destroem. A inveja traz desequilíbrio e perturbações levando o homem a praticar todos os tipos de loucuras.
6 – A INVEJA DEIXA O CRISTÃO VULNERÁVEL A AÇÃO DO MAL – I João 2.14 – Eu vos escrevi, pais, porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno.
* O maligno age continuamente pelejando contra a nossa alma – I Pedro 5.8 Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;
A palavra de Deus precisa habitar em nossos corações; ela é o suprimento para as nossas forças; é a arma pela qual podemos superar o maligno; é com a palavra do Espírito, que conseguimos apagar suas setas incendiárias; e tendo a palavra de Deus somos providos para vencer o Diabo e o mundo. Temos que estar atentos aos perigos de um inimigo mais cruel e impaciente do que os piores homens e ele tem por alvo a destruição das nossas almas. Ele quer infiltrar maldade na nossa natureza e o veneno da inveja em nossa alma. Todo o seu propósito é devorar e destruir almas. Para esse fim, ele é incansável e impaciente em seus maldosos esforços; porque ele está sempre observando e tramando, dia e noite, para ver quem ele pode pegar em armadilha para a eterna ruína. Ser sóbrio é dominar tanto o homem interior como o exterior, com prudência, moderação e mortificação. Precisamos estar suspeitosos do perigo constante desse inimigo espiritual e nos revestindo para impedir os seus desígnios contra a nossa alma.
7 – A INVEJA IMPEDE QUE NOSSA ALMA SE RESERVE A DEUS – I João 2.15 – Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.
* Se o amor do mundo prevalecer o amor de Deus irá diminuir – Gálatas 2.20 Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.
Ser crucificado para o mundo é estar mortificado para estas coisas, como negócios e tentações do mesmo. Todos os cristãos deveriam estar mortos para o mundo e, unidos dessa forma outras razões nos uniria com um amor reservado para Deus e não desperdiçando com o mundo. Quanto mais o amor do mundo prevalecer; mais o amor de Deus diminuirá e se deteriorará. Em Salmos 73.3 diz assim: (Pois eu tinha inveja dos néscios, quando via a prosperidade dos ímpios). Asafe via as pessoas do mundo prosperando em seus negócios e ele que buscava a Deus se sentia abandonado vivendo em miséria; porém ele despertou a tempo para compreender que a sua situação presente era infinitamente superior da vivida pelos néscios. Tudo que é conseguido através do sentimento de inveja acarretará em grandes transtornos como é o caso de Raquel, mulher de Jacó. Em Gênesis 30.1 diz: Vendo Raquel que não dava filhos a Jacó, teve inveja de sua irmã, e disse a Jacó: Dá-me filhos, se não morro. Através desse sentimento de inveja por ser estéril ela precipitou as coisas obrigando a Jacó se relacionar com as servas para que gerassem filhos. Raquel não soube esperar o tempo de Deus em sua vida, pois certamente Deus cumpriria a promessa feita a Jacó que da sua semente sairia uma grande nação. Os filhos que poderiam ter vindo dela acabaram vindos das escravas proporcionando uma mistura de filhos problemáticos e de má índole. Diante de tudo que foi relatado nesse comentário podemos entender que a inveja é um grande pecado.

O esboço é elaborado pelo texto bíblico da lição.

Pastor Adilson Guilhermel

Tags: