Inicio | Temas Bíblicos |Leia a Biblia Leia a Bíblia | Post´s em Espanhol |Doações |Contato pt Portuguese
Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Elohim verdadeiro, e a Yeshua o Messias, a quem enviaste. JOÃO 17:3
faceicon
Vida financeira da família

Vida financeira da família

Tudo vem de Deus.

Deus que nos dá tudo que precisamos e é Ele que multiplica e nos faz prosperar. (2 Co 9:10/ Is 55:10 / Dt 8: 17,18).
Não digas, pois, no teu coração: A minha força e o poder do meu braço me adquiriram estas riquezas.Antes, te lembrarás do SENHOR, teu Deus, porque é ele o que te dá força para adquirires riquezas; para confirmar a sua aliança, que, sob juramento, prometeu a teus pais, como hoje se vê.

Separe todo mês suas primícias ao Senhor com alegria no coração. (2 Co 9:6-9/ Pv 3:9)
Honra ao SENHOR com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão fartamente os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares.

Devemos contribuir, principalmente com os necessitados dentro da Igreja.
Não porque queremos algo de Deus em troca, nem por obrigação e nem por tristeza. (2 Co 9: 7,8)
Deus pode fazer-vos abundar em toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundeis em toda boa obra, como está escrito: Distribuiu, deu aos pobres, a sua justiça permanece para sempre.

Deus pode nos prosperar e nos fazer ter ampla abundância e o objetivo disso é que sejamos generosos, pois isso redunda em:
Gratidão a Deus, supre as necessidades dos santos, será um testemunho de nossa confissão e Deus multiplicará nosso fruto. Os ricos existem para que os pobres sejam supridos. Devemos repartir o que temos. (2 Co 9:9-14 / 1 Tm 6:17-19).
Ora, aquele que dá semente ao que semeia e pão para alimento também suprirá e aumentará a vossa sementeira e multiplicará os frutos da vossa justiça, enriquecendo-vos, em tudo, para toda generosidade, a qual faz que, por nosso intermédio, sejam tributadas graças a Deus.

O amor ao dinheiro nos afasta de Deus e é idolatria.
Aquele que ama ao dinheiro nunca se fartará dele. (Ec 5:10 / 1 Tm 6:9,10 / Mt 13:22)
Quem ama o dinheiro jamais dele se farta; e quem ama a abundância nunca se farta da renda; também isto é vaidade.

Devemos viver uma vida de contentamento com o que temos e não andarmos ansiosos pelo que comer ou beber, mas confiar em Deus.
Os que andam ansiosos são aqueles que ainda não confiam nem conhecem verdadeiramente ao Pai. A ansiedade é marca registrada da incredulidade e da ignorância quanto ao amor de Deus. (Mt 6:25-34 / 1 Tm 6:6-8)
Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos?Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.

Devemos estabelecer prioridades na nossa vida:
Primeiro as coisas espirituais depois as materiais. Não gaste todo o seu tempo acumulando riquezas nesta terra, mas preocupe-se em, antes de tudo, acumular tesouro no céu. (Pv 11:4 / Mt 6:33). Primeiro as pessoas ( sua família ) depois o trabalho. (Ec 4:8).
Isto é, um homem sem ninguém, não tem filho nem irmã; contudo, não cessa de trabalhar, e seus olhos não se fartam de riquezas; e não diz: Para quem trabalho eu, se nego à minha alma os bens da vida? Também isto é vaidade e enfadonho trabalho.

Não devemos cobiçar o que nosso próximo possui. Não cobice seu carro, sua casa, sua roupa, seu dinheiro, mas esteja contente com o que o Senhor tem te dado. (Pv 28:22)
Aquele que tem olhos invejosos corre atrás das riquezas, mas não sabe que há de vir sobre ele a penúria.

Não devemos nos orgulhar pelas riquezas que temos, nem menosprezar àqueles que não a possuem, pois a soberba trás a ruína. (Jr 9:23 / Ez 28:5)
Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte, na sua força, nem o rico, nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR.
Devemos tratar bem nossos empregados. Pagar aquilo de direito deles. Não devemos explora-los. (Tg 5: 1-6).
Atendei, agora, ricos, chorai lamentando, por causa das vossas desventuras, que vos sobrevirão. Eis que o salário dos trabalhadores que ceifaram os vossos campos e que por vós foi retido com fraude está clamando; e os clamores dos ceifeiros penetraram até aos ouvidos do Senhor dos Exércitos.Tendes vivido regaladamente sobre a terra; tendes vivido nos prazeres; tendes engordado o vosso coração, em dia de matança; tendes condenado e matado o justo, sem que ele vos faça resistência.

Temos que ser fiéis na aplicação de nosso salário.
Gaste somente o que tem. Faça um orçamento familiar, se planeje. Esteja com suas contas em dia. Não deva nada a ninguém (Rm 13:8). Viva com aquilo que você tem, não queira viver um nível que você, na realidade, não pode sustentar. (Lc 16:11).
A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei.

Devemos pagar todos os impostos devidos. (Mt 22:17-21).
Responderam: De César. Então, lhes disse: Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.

Quando emprestamos não devemos cobrar juros. Nem devemos aceitar suborno (Ex 22:25 / Sl 15:5)
O que não empresta o seu dinheiro com usura, nem aceita suborno contra o inocente. Quem deste modo procede não será jamais abalado.

Devemos retribuir a todas as pessoas que nos emprestaram alguma coisa e nós perdemos ou danificamos. (Ex 22:7).
Muitas pessoas pedem as coisas emprestadas de outros e não devolvem. Quando, muitas vezes, devolvem danificados. Não podemos ser assim. Devemos ter até mais cuidado com aquilo que emprestamos das pessoas, pois, não são nossas. Da forma como a pessoa nos emprestou devemos devolver. E se puder, ainda devolver com um agrado à pessoa que lhe emprestou.
Se alguém der ao seu próximo dinheiro ou objetos a guardar, e isso for furtado àquele que o recebeu, se for achado o ladrão, este pagará o dobro.

Não peça dinheiro emprestado e evite ser fiador de alguém. (Pv 6: 1-5)
Filho meu, se ficaste por fiador do teu companheiro e se te empenhaste ao estranho, estás enredado com o que dizem os teus lábios, estás preso com as palavras da tua boca. Agora, pois, faze isto, filho meu, e livra-te, pois caíste nas mãos do teu companheiro: vai, prostra-te e importuna o teu companheiro;

A preguiça trás pobreza.
Você deve ser alguém trabalhador. Se esforce em fazer o melhor em seu serviço. Não faça somente o que lhe pedem, faça alem. Seja diligente no seu trabalho, mesmo que seja um serviço dentro de casa. (Pv 6: 6-11 / Pv 12:24 / Pv 21:5 / Pv 22:29)
Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso, assim sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, e a tua necessidade, como um homem armado.

Evite o desperdício.
Quantas famílias estão endividadas por causa do desperdício. Você pode economizar na energia, água, supérfulos, retiranto os gastos excessivos. Ensine seus filhos e você mesmo se discipline para gastar somente o necessário. Tenha cautela com os exageros.
Todos comeram e se fartaram; e, do que sobejou, recolheram sete cestos cheios.

Planejamento Familiar: (Lc 14: 25-33)
Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem os meios para a concluir? Para não suceder que, tendo lançado os alicerces e não a podendo acabar, todos os que a virem zombem dele.

• Primeiramente, vocês precisam ter alvos. Objetivos para alcançar. Uma família que não tem alvos,vive por viver.
• Estabelecido seus objetivos, sente-se antes com seu cônjuge para ver se terão condições de atingi-los. Tudo que você for fazer, antes, planeje. (vers. 28).
• Calcule todas as despesas. Não faça isso de forma empírica, mas, verifique antes tudo que irá precisar, colete os preços e calcule de forma bem diligente toda a despesa. (vers. 28).
• Feita esta coleta e verificado as despesas, observem se terão condições de concluir. Preste Atenção! Não são condições para iniciar, mas para finalizar de forma equilibrada. (vers. 28).
• O objetivo disso é evitar que você seja envergonhado. Por não concluir, por ficar endividado, por ter que recorrer a empréstimos. Sua própria família não confiará mais tanto em você. (vers. 29,30).
• Seja a compra de sua casa, construir algo, férias, um evento, abrir um negócio etc, seja o que for, o Senhor nos aconselha a planejar.
• Você mesmo pode fazer uma pequena contabilidade doméstica e ter de forma escrita e transparente sua receita e despesas em cada mês. Com certeza o Senhor lhe abençoará e você terá mais descanso tendo tudo em controle.
• Muitas pessoas não conseguem se conter e economizar. São dominadas pela cobiça, pelo consumismo. Se este é o seu caso, arrependa-se e volte-se ao Senhor e comece a colocar em prática um planejamento mensal de suas finanças.

Elenir Campos
(Ministério de Casais Aliança)

Tags: Vida financeira da família

Tudo vem de Deus.

Deus que nos dá tudo que precisamos e é Ele que multiplica e nos faz prosperar. (2 Co 9:10/ Is 55:10 / Dt 8: 17,18).
Não digas, pois, no teu coração: A minha força e o poder do meu braço me adquiriram estas riquezas.Antes, te lembrarás do SENHOR, teu Deus, porque é ele o que te dá força para adquirires riquezas; para confirmar a sua aliança, que, sob juramento, prometeu a teus pais, como hoje se vê.

Separe todo mês suas primícias ao Senhor com alegria no coração. (2 Co 9:6-9/ Pv 3:9)
Honra ao SENHOR com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão fartamente os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares.

Devemos contribuir, principalmente com os necessitados dentro da Igreja.
Não porque queremos algo de Deus em troca, nem por obrigação e nem por tristeza. (2 Co 9: 7,8)
Deus pode fazer-vos abundar em toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundeis em toda boa obra, como está escrito: Distribuiu, deu aos pobres, a sua justiça permanece para sempre.

Deus pode nos prosperar e nos fazer ter ampla abundância e o objetivo disso é que sejamos generosos, pois isso redunda em:
Gratidão a Deus, supre as necessidades dos santos, será um testemunho de nossa confissão e Deus multiplicará nosso fruto. Os ricos existem para que os pobres sejam supridos. Devemos repartir o que temos. (2 Co 9:9-14 / 1 Tm 6:17-19).
Ora, aquele que dá semente ao que semeia e pão para alimento também suprirá e aumentará a vossa sementeira e multiplicará os frutos da vossa justiça, enriquecendo-vos, em tudo, para toda generosidade, a qual faz que, por nosso intermédio, sejam tributadas graças a Deus.

O amor ao dinheiro nos afasta de Deus e é idolatria.
Aquele que ama ao dinheiro nunca se fartará dele. (Ec 5:10 / 1 Tm 6:9,10 / Mt 13:22)
Quem ama o dinheiro jamais dele se farta; e quem ama a abundância nunca se farta da renda; também isto é vaidade.

Devemos viver uma vida de contentamento com o que temos e não andarmos ansiosos pelo que comer ou beber, mas confiar em Deus.
Os que andam ansiosos são aqueles que ainda não confiam nem conhecem verdadeiramente ao Pai. A ansiedade é marca registrada da incredulidade e da ignorância quanto ao amor de Deus. (Mt 6:25-34 / 1 Tm 6:6-8)
Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos?Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.

Devemos estabelecer prioridades na nossa vida:
Primeiro as coisas espirituais depois as materiais. Não gaste todo o seu tempo acumulando riquezas nesta terra, mas preocupe-se em, antes de tudo, acumular tesouro no céu. (Pv 11:4 / Mt 6:33). Primeiro as pessoas ( sua família ) depois o trabalho. (Ec 4:8).
Isto é, um homem sem ninguém, não tem filho nem irmã; contudo, não cessa de trabalhar, e seus olhos não se fartam de riquezas; e não diz: Para quem trabalho eu, se nego à minha alma os bens da vida? Também isto é vaidade e enfadonho trabalho.

Não devemos cobiçar o que nosso próximo possui. Não cobice seu carro, sua casa, sua roupa, seu dinheiro, mas esteja contente com o que o Senhor tem te dado. (Pv 28:22)
Aquele que tem olhos invejosos corre atrás das riquezas, mas não sabe que há de vir sobre ele a penúria.

Não devemos nos orgulhar pelas riquezas que temos, nem menosprezar àqueles que não a possuem, pois a soberba trás a ruína. (Jr 9:23 / Ez 28:5)
Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte, na sua força, nem o rico, nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR.
Devemos tratar bem nossos empregados. Pagar aquilo de direito deles. Não devemos explora-los. (Tg 5: 1-6).
Atendei, agora, ricos, chorai lamentando, por causa das vossas desventuras, que vos sobrevirão. Eis que o salário dos trabalhadores que ceifaram os vossos campos e que por vós foi retido com fraude está clamando; e os clamores dos ceifeiros penetraram até aos ouvidos do Senhor dos Exércitos.Tendes vivido regaladamente sobre a terra; tendes vivido nos prazeres; tendes engordado o vosso coração, em dia de matança; tendes condenado e matado o justo, sem que ele vos faça resistência.

Temos que ser fiéis na aplicação de nosso salário.
Gaste somente o que tem. Faça um orçamento familiar, se planeje. Esteja com suas contas em dia. Não deva nada a ninguém (Rm 13:8). Viva com aquilo que você tem, não queira viver um nível que você, na realidade, não pode sustentar. (Lc 16:11).
A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei.

Devemos pagar todos os impostos devidos. (Mt 22:17-21).
Responderam: De César. Então, lhes disse: Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.

Quando emprestamos não devemos cobrar juros. Nem devemos aceitar suborno (Ex 22:25 / Sl 15:5)
O que não empresta o seu dinheiro com usura, nem aceita suborno contra o inocente. Quem deste modo procede não será jamais abalado.

Devemos retribuir a todas as pessoas que nos emprestaram alguma coisa e nós perdemos ou danificamos. (Ex 22:7).
Muitas pessoas pedem as coisas emprestadas de outros e não devolvem. Quando, muitas vezes, devolvem danificados. Não podemos ser assim. Devemos ter até mais cuidado com aquilo que emprestamos das pessoas, pois, não são nossas. Da forma como a pessoa nos emprestou devemos devolver. E se puder, ainda devolver com um agrado à pessoa que lhe emprestou.
Se alguém der ao seu próximo dinheiro ou objetos a guardar, e isso for furtado àquele que o recebeu, se for achado o ladrão, este pagará o dobro.

Não peça dinheiro emprestado e evite ser fiador de alguém. (Pv 6: 1-5)
Filho meu, se ficaste por fiador do teu companheiro e se te empenhaste ao estranho, estás enredado com o que dizem os teus lábios, estás preso com as palavras da tua boca. Agora, pois, faze isto, filho meu, e livra-te, pois caíste nas mãos do teu companheiro: vai, prostra-te e importuna o teu companheiro;

A preguiça trás pobreza.
Você deve ser alguém trabalhador. Se esforce em fazer o melhor em seu serviço. Não faça somente o que lhe pedem, faça alem. Seja diligente no seu trabalho, mesmo que seja um serviço dentro de casa. (Pv 6: 6-11 / Pv 12:24 / Pv 21:5 / Pv 22:29)
Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso, assim sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, e a tua necessidade, como um homem armado.

Evite o desperdício.
Quantas famílias estão endividadas por causa do desperdício. Você pode economizar na energia, água, supérfulos, retiranto os gastos excessivos. Ensine seus filhos e você mesmo se discipline para gastar somente o necessário. Tenha cautela com os exageros.
Todos comeram e se fartaram; e, do que sobejou, recolheram sete cestos cheios.

Planejamento Familiar: (Lc 14: 25-33)
Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem os meios para a concluir? Para não suceder que, tendo lançado os alicerces e não a podendo acabar, todos os que a virem zombem dele.

• Primeiramente, vocês precisam ter alvos. Objetivos para alcançar. Uma família que não tem alvos,vive por viver.
• Estabelecido seus objetivos, sente-se antes com seu cônjuge para ver se terão condições de atingi-los. Tudo que você for fazer, antes, planeje. (vers. 28).
• Calcule todas as despesas. Não faça isso de forma empírica, mas, verifique antes tudo que irá precisar, colete os preços e calcule de forma bem diligente toda a despesa. (vers. 28).
• Feita esta coleta e verificado as despesas, observem se terão condições de concluir. Preste Atenção! Não são condições para iniciar, mas para finalizar de forma equilibrada. (vers. 28).
• O objetivo disso é evitar que você seja envergonhado. Por não concluir, por ficar endividado, por ter que recorrer a empréstimos. Sua própria família não confiará mais tanto em você. (vers. 29,30).
• Seja a compra de sua casa, construir algo, férias, um evento, abrir um negócio etc, seja o que for, o Senhor nos aconselha a planejar.
• Você mesmo pode fazer uma pequena contabilidade doméstica e ter de forma escrita e transparente sua receita e despesas em cada mês. Com certeza o Senhor lhe abençoará e você terá mais descanso tendo tudo em controle.
• Muitas pessoas não conseguem se conter e economizar. São dominadas pela cobiça, pelo consumismo. Se este é o seu caso, arrependa-se e volte-se ao Senhor e comece a colocar em prática um planejamento mensal de suas finanças.
Elenir Campos
(Ministério de Casais Aliança)

Tags:,